quarta-feira, janeiro 27, 2016

ESTUDO PROVA QUE AS FRONTEIRAS IMPEDEM CONFLITOS ÉTNICOS/RELIGIOSOS

Agradecimentos mil a quem aqui trouxe este estudo: http://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0095660
*
Na súmula ou abstracto, diz-se aqui o seguinte: 

«Considerámos as condições de paz e violência entre grupos étnicos, testando uma teoria engendrada para predizer as localizações da violência e as intervenções que podem promover a paz. Caracterizando o sucesso do modelo em predizer a paz requer exemplos em que a paz prevaleça apesar da diversidade. A Suíça é reconhecida como país de paz, estabilidade e prosperidade. Isto é surpreendente devido à sua diversidade linguística e religiosa que noutras partes do mundo leva ao conflito e à violência. Aqui analisamos como é que a estabilidade pacífica é mantida. A nossa análise mostra que a paz não depende de coexistência integrada, mas em vez disso de fronteiras políticas e topográficas bem definidas a separar grupos, permitindo autonomia parcial dentro de um dado país. Na Suíça, as montanhas e os lagos são uma parte importante das fronteiras entre áreas linguísticas estritamente definidas. Fronteiras de cantões e círculos políticos (sub-cantões) separam frequentemente grupos religiosos. Onde essas fronteiras não parecem ser suficientes, verificamos que aspectos específicos da distribuição populacional garantem ou separação suficiente ou mistura suficiente para inibir violência inter-grupal de acordo com a teoria quantitativa do conflito. Numa região específica, uma cordilheira porosa não separa adequadamente grupos linguísticos e essa região tem tido significativos conflitos violentos, levando à criação recente do cantão de Jura. A nossa análise apoia a hipótese de que a violência entre grupos pode ser inibida por fronteiras políticas e físicas. Uma análise similar da área da antiga Jugoslávia mostra que durante a disseminação da violência étnica as fronteiras políticas existentes não coincidiam com as fronteiras entre os distintos grupos, mas a paz prevalecia em áreas específicas onde essa coincidência se verificava. O sucesso da paz na Suíça pode servir como modelo para resolver conflitos noutros países e regiões etnicamente diversos.»

Confirma-se portanto o que aqui tenho dito e que os Nacionalistas (os coerentes, pelo menos) já sabem há que tempos: a cada Povo cabe o seu próprio território, e num só território deve haver um só Povo, e isto porque, entre outras coisas, é assim que se garante um dos principais senão o principal objectivo (de entre os objectivos declarados, bem entendido) das actuais políticas mundiais, que é a paz. A politicagem correcta, a anti-racistagem, a tropa do multiculturalismo, costuma apontar os Nacionalismos como fontes inevitáveis de violência - e jura pela mãezinha que é preciso acabar com o «racismo» e com as fronteiras para finalmente fazer a paz. Sucede que, tirando a parte em que diversos auto-proclamados nacionalistas actuam na verdade como imperialistas, chamando «Nacionalismo» ao seu patriotismo chauvinista e expansionista, é precisamente o princípio que norteia o Nacionalismo aquele que mais probabilidades tem de garantir a todos a devida tranquilidade possível - basta, ao fim ao cabo, que cada qual esteja no seu canto e não resolva chatear os outros. Até porque é isto que, ao fim ao cabo, garante a permanência da diversidade étnica.

26 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Não gosto deste Senhor mas neste ponto tenho que concordar com ele:

Numa nota divulgada hoje, Juncker considerou "intolerável" que 71 anos depois da libertação do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau haja um número recorde de judeus a mudar-se para Israel por sentirem insegurança na Europa....uma Europa sem judeus, não será a Europa.Disse

http://www.noticiasaominuto.com/mundo/528162/uma-europa-sem-judeus-nao-sera-a-europa

28 de janeiro de 2016 às 12:38:00 WET  
Blogger Caturo said...

Disse mal, a meu ver. Uma Europa faz-se com Europeus. E quanto menos não europeus tiver, mais europeia será. Os Judeus não são europeus. O seu lugar é em Israel. Para isso é que serve o Estado Judaico.
O que esta notícia de qualquer forma testemunha é que a presença maciça de muçulmanos na Europa é contrária à existência pacífica de judeus em solo europeu, como já se sabia. É mais um indício claro de que os judeus mais atentos são aliados naturais da Europa europeia, porque sem uma Europa europeia não haverá apoio para os judeus de Israel: uma Europa pejada de muçulmanos, de negros e de mestiços, não só não terá qualquer simpatia para com o Estado de Israel como até terá uma marcada hostilidade para com este. É fácil perceber que a partir daí os governos europeus precisarão de hostilizar Israel e apoiar os Palestinos ou então o peso eleitoral dos não europeus deita esses governos abaixo num ápice.

28 de janeiro de 2016 às 16:37:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Migrants attack Calais residents
https://www.facebook.com/paul.j.watson.71/videos/10153917444861171/
http://www.infowars.com/video-migrants-attack-calais-residents-throw-bricks/

28 de janeiro de 2016 às 16:37:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Engraçado que os judeus sempre tem duas nacionalidades. Aliás, são os únicos que tem mais de duas nacionalidades.

Se um judeu nasce no Brasil, ele é brasileiro e automaticamente israelense;
Se um judeu nasce em Portugal, ele é português e israelense;
Se um judeu nasce nos Estados Unidos, ele é americano e israelense;
Se um judeu nasce em qualquer país europeu, ele é natural daquele país e israelense.

Qual é o outro povo que ganha essa dupla, e em alguns casos, VÁRIAS nacionalidades?

Sim. Se um judeu nasceu no Brasil, ele também pode ganhar a cidadania portuguesa caso ele tenha parentes de judeus portugueses; e pode ganhar até mesmo mais nacionalidades caso ele tenha entre os seus antepassados judeus de outras nacionalidades.

28 de janeiro de 2016 às 18:15:00 WET  
Anonymous Topa Marranos said...

http://www.noticiasaominuto.com/mundo/528162/uma-europa-sem-judeus-nao-sera-a-europa



Isso é tudo mentira!!!! Os judeus não estão a ir embora, ou se estão é só para se reagruparem para depois conquistarem a Europa de vez!!! Só os carneiros é que não vêem!
Esse é o plano que todo o judeu defende logo desde embrião! Já ouvi dizer que nos espermatozoides e óvulos de judeus também se pode encontrar vestígios de ódio ao Ariano, mas neste caso não tenho ainda bem a certeza.
O Judeu tem o controlo absoluto do mundo! Se olharem para a lista dos mais ricos do mundo verão que os judeus estão extremamente sobre-representados! É verdade que a seguir aos judeus são as pessoas de origem europeia as que mais estão sobre-representadas na lista, mas neste caso já se trata apenas da boa e velha superioridade Ariana! Há estudos que apontam para a alta inteligência dos judeus, poderia isso então explicar o facto de haver muitos judeus bem-sucedidos? CLARO que não, quando o Ariano é bem sucedido é por mérito próprio, quando o judeu é bem sucedido é porque é malévolo e demoníaco e porque roubou o Ariano!!!!!
Mas para entender isto é preciso ter um cérebro, esta verdade não está ao alcance da plebe acéfala.
ACORDEM!!!

28 de janeiro de 2016 às 18:51:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

http://pt.euronews.com/2016/01/27/azedume-entre-berlim-e-moscovo-por-alegado-abuso-sexual-de-menor/

28 de janeiro de 2016 às 18:51:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

http://pt.euronews.com/2016/01/28/suecia-e-finlandia-vao-expulsar-ate-100-mil-migrantes/

28 de janeiro de 2016 às 18:54:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

http://pt.euronews.com/2016/01/28/alemanha-iraquianos-fogem-do-exilio-de-lata/

28 de janeiro de 2016 às 18:55:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

http://pt.euronews.com/2016/01/28/suecia-quer-expulsar-entre-60-e-80-mil-refugiados/

28 de janeiro de 2016 às 18:57:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

http://pt.euronews.com/2016/01/27/retirar-a-nacionalidade-o-que-muda-em-franca/

28 de janeiro de 2016 às 18:58:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

http://pt.euronews.com/2016/01/28/franca-policia-detem-homem-com-duas-armas-na-entrada-de-um-hotel-da-euro-disney/

28 de janeiro de 2016 às 18:59:00 WET  
Blogger Afonso de Portugal said...

O anónimo das 18:51 abriu-me os olhos! É preciso desmascarar o judeu internacionalista! Como fui cego! O Hitler afinal tinha razão! Allahu akbar... eerr... perdão, NaZionalismo é solução!

28 de janeiro de 2016 às 22:04:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

A russia se enquadra no que vc falou.

28 de janeiro de 2016 às 22:06:00 WET  
Blogger Caturo said...

Claro que o Hitler tinha razão em exterm... ops, em dar cabo dos Judeus, porque é preciso dar cabo dos Judeus, mas essa treta do holocausto foi uma treta!!!!!, mas fora isso é preciso dar cabo deles todos...
O anónimo disse bem sobre essa do judeu só ser bem sucedido por ser malévolo, aliás é assim que há uma desproporção brutal de campeões de xadrez que são de origem judaica, isso é porque eles compram os árbitros!!!!!!!!!!!!!!, só não vê quem não quer!!!!!!!!!!!, por isso é que as autoridades religiosas sauditas proibiram recentemente o xadrez, óbvio!!!!!!!!!!!!!!

28 de janeiro de 2016 às 22:18:00 WET  
Blogger Caturo said...

E claro que os Judeus querem dar cabo da raça ariana da Europa, isso é mais que evidente e só não vê quem não quer, porque um mundo sem Europeus ia ser um paraíso para os Judeus, que assim iam estar rodeados de árabes muçulmanos sem freio, muçulmanos iranianos com a bomba nuclear e a apoiar a Hezzbolah contra Israel, negros africanos cada vez mais islamizados, isso é que ia ser uma maravilha para Israel, havia de ser só festa...

28 de janeiro de 2016 às 22:21:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Me metendo já nessa discussão aqui, analisado de maneira totalmente imparcial, eu não acho que haja uma conspiração oculta mundial de todos os judeus, não vejo como destruição da raça branca ajudaria os judeus, veja e entenda o por que:
1-Vamos supor que de fato exista uma conspiração mundial dos judeus ou dos sionistas como queriam chamar, eles conseguiam o principal objeto que é fazer Europa um novo brasil, e depois sabemos que eles queriam destruir os brancos, pois estes representavam um perigo para eles, para eventual domínio mundial blá, blá, blá todo que já conhecemos, que a única maneira de neutralizar esse inimigo era destruir ele por dentro, neutralizado ideologicamente seu organismo defesa (nacionalismo,xenofobia,racialismo,racismo etc), colocado seu lugar uma outra mentalidade politicamente correto e mansa. Pois bem após colocar imigrantes muçulmanos ideologicamente viris e fanáticos e misturem com os nativos aburguesados e bonzinhos, temos agora um continente inteiro ideologicamente fanático dominado por instinto de conquistar tudo e todos e violentamente antijudaico.
2-Supor que raça judaica é mais inteligente entre todas outras raças, acho um erro absurdo esse de substitui uma população que sofrer de lavagem cerebral que é totalmente mansa e submissa por outra que é capaz de matar por meio de atentados e explodi si mesma em nome de uma ideologia. Bastante inteligente o plano deles!.
3-Israel sofrer mesmo problema que Europa, que ambas possui parte de uma elite que é totalmente cosmopolita,liberal,aburguesada e multiculturalista, há judeus que apoio um estado palestino e mistura racial entre judeus e não-judeus então logo não há uma conspiração mundial de todos judeus, sim como disse das elites cosmopolitas-liberais independe de ser há judeus ou não entre eles.

28 de janeiro de 2016 às 23:40:00 WET  
Blogger Caturo said...

Ora nem mais, caro camarada...

28 de janeiro de 2016 às 23:58:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

http://pt.euronews.com/2016/01/28/dinamarca-ai-weiwei-encerra-exposicao-em-protesto-contra-nova-lei-do-asilo/

29 de janeiro de 2016 às 01:10:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

-O anónimo disse bem sobre essa do judeu só ser bem sucedido por ser malévolo, aliás é assim que há uma desproporção brutal de campeões de xadrez que são de origem judaica, isso é porque eles compram os árbitros!!!!!!!!!!!!!!, só não vê quem não quer!!!!!!!!!!!, por isso é que as autoridades religiosas sauditas proibiram recentemente o xadrez, óbvio!!!!!!!!!!!!!!-

Falso, a maioria dos campeões de xadrez são goys e não judeus. Temos sim judeus campeões, mas não são a maioria. Mas no que toca a serem a maioria na oligarquia capitalista e praticamente os unicos, isso já é verdade! Os maiores bancos do mundo são eles a maioria, os maiores cosmopolitas do mundo e defensores do mesmo, são eles! Quem deseja destruir as Nações e fronteiras e diluir toda a cultura num nada ? Os judeus! Quem foram os responsáveis da primeira imigração de massa para um país da europa ? Os judeus! Quem foram os maiores traficantes de escravos negros no passado e hoje correm para defendê-los na Europa mas rejeitam-nos em Israel ? Os Judeus! Não é coincidência a mais ? Só não vê quem se FAZ cego, tipo as avestruzes que metem a cabeça na areia. E quem se FAZ cego é porque está com eles e come da gamela deles! Ou então é um deles. Carago pá!

29 de janeiro de 2016 às 17:56:00 WET  
Blogger Caturo said...

«Falso, a maioria dos campeões de xadrez são goys e não judeus»

Eu não disse que a maioria dos campeões era judaica, eu disse que há uma desproporção brutal de campeões de xadrez que são de origem judaica. Por isso, dizer que o que eu disse é falso «porque os judeus não são a maioria dos campeões» é desconversar. É usar uma falácia denominada «homem de palha», que consiste em atribuir ao interlocutor algo que ele não disse para depois parecer que se contra-argumenta com sucesso ao «rebater» algo que nem sequer foi dito.

Vejamos então qual a desproporção de que falei: http://www.jinfo.org/Chess.html
Basta dizer um dos números - quarenta e quatro por cento, 44%, dos campeões mundiais de xadrez são de ascendência judaica.
Aliás, de 1886 até 1993, cinquenta e quatro por cento - 54% - dos campeões mundiais de xadrez foram judeus: http://www.jinfo.org/Chess_Champions.html

Repito portanto o que disse: há uma desproporção brutal de judeus entre os campeões de xadrez mundiais. Quase metade dos campeões mundiais de xadrez são de ascendência judaica, e isto é uma desproporção até um bocado mais do que brutal, tendo em conta que a população judaica a nível mundial é de menos de vinte milhões num mundo com mais de sete mil milhões de pessoas.

Quanto à oligarquia capitalista e à treta de que os Judeus são «praticamente os únicos», não há pachorra para conversas dessas que duram meses inteiros graças ao fanatismo dos anti-sionistas mas que se desarmam em três tempos, como por exemplo através dos factos aqui expostos: https://sugarhitman.wordpress.com/2010/10/24/zionistsjew-control-the-worlds-banks-myth/

De resto, que haja cosmopolitas judeus não significa que o Judeu seja forçosamente cosmopolita, do mesmo modo que também há cosmopolitas europeus e bem europeus e isso não faz com que se possa dizer que «os» Europeus são cosmopolitas.

Agora mais depressa, que tenho mais que fazer: atribuir aos Judeus a intenção de destruir as Nações, a responsabilidade da primeira imigração em massa para um país da Europa, a ideia de que os Judeus rejeitam os negros em Israel, é tudo treta sem fundamento. Como bem disse o anónimo acima e já AQUI FOI MOSTRADO, em Israel também há conflito político entre imigracionistas e anti-imigracionistas - tal como nos países ocidentais, de resto.

Por conseguinte, as «coincidências», muitas delas forçadas ou aliás pura e simplesmente aldrabadas, para fazer crer que os Judeus são os grandes inimigos da Europa, não passam de arenga da treta produzida por chauvinismos e ressentimentos antigos; querer elevá-las ao nível de doutrina nacionalista, como se defender a Europa fosse indissociável de combater os Judeus, é, salvaguardadas as devidas distâncias, como dizer que para se ser nacionalista português é preciso ser «contra os Espanhóis», ou para se ser nacionalista inglês é preciso ser contra os Franceses, ou para se ser nacionalista alemão é preciso ser contra os Polacos. Tudo isto é, na melhor das hipóteses, AUTISMO, que só serve para criar contradições lógicas no seio do Movimento Nacionalista Europeu e atrair críticas perfeitamente escusadas.

29 de janeiro de 2016 às 20:42:00 WET  
Anonymous Estripador de Marranos said...

Carago pá! Tu disseste que "há uma desproporção brutal de campeões de xadrez que são de origem judaica" carago! Não disseste que "há uma desproporção brutal de campeonatos de xadrez ganhos por pessoas de origem judaica" compreendes carago ? Portanto não venhas cá com esses números de 44% e tretas, porque isso não corresponde "aos campeões de xadrez" mas sim "aos campeonatos mundiais de xadrez". Percebes-te carago ? Perceberes, percebes, fazes-te é burro ou então achas-te tão esperto que julgas que os outros são burros. Faz as contas e vê lá que raio de percentagem brutal (???) de campeões de xadrez corresponde aos judeus ? (não de campeonatos carago! Convém repetir isto para que te entre na cabeça).

- 44%, dos campeões mundiais de xadrez são de ascendência judaica. ==> vá, agora que já te expliquei, faz lá bem as contas e verifica bem qual é a percentagem que corresponde aos campeões mundiais de xadrez (não ao nº de campeonatos ganhos! Desculpa lá repetir outra vez, mas é que convém mesmo que saibas e metas na cabeça que deste lado não há nenhum burro).

29 de janeiro de 2016 às 22:10:00 WET  
Anonymous Arauto said...

Creio que tenho para aqui um post por publicar, Caturo.

30 de janeiro de 2016 às 01:37:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Aliás, de 1886 até 1993, cinquenta e quatro por cento - 54% - dos campeões mundiais de xadrez foram judeus:"

realmente é uma diferença brutal.
O facto de Israel ser mais nacionalista que a Europa enquanto as elites judaicas não o são (talvez devido a negocios, convivio com outras culturas, etc) pode dever-se ao maior QI do povo judeu de Israel.
Enquanto na Europa ha um QI mais baixo e muita gente burra que nem uma porta que por serem assim sao influenciados com a propaganda e defendem o proprio genocidio e vao para partidos esquerdistas e extremo-esquerdista defende-lo. Em Israel como a maioria é mais inteligente, tem mais QI, o numero de defensores do multiracialismo e proprio genocidio é bastante menor. Isso faz com que os politicos no poder sejam tambem maioria contra a imigração e ponham a defesa da identidade em 1 plano.

Japao e Coreia, tambem com maior QI que Europa, sao paises nacionalistas e que nao embarcam em loucuras multiracialistas.
Europa pode ter génios cientistas, mas tem uma grande % de gente extremamente burra, extremamente influenciada pela propaganda. É so ver as % de votos nos partidos de extrema esquerda e na gente que esta la dentro. Extrema burrice pegada, gente com pala nos olhos que so pensa no imigrante e caga para o povo.

31 de janeiro de 2016 às 15:23:00 WET  
Blogger Caturo said...

Isso não é uma questão de burrice, caro camarada... é pior - é doença. Os menos inteligentes não procedem assim. Qualquer animal sadio protege os seus em primeiro lugar. Só gente já muito degradada por via da lavagem cerebral universalista é que pode considerar que pôr a sua própria gente em primeiro lugar é saloíce ou pecado. E são os mais inteligentes que têm mais espaço na cabeça para tais piruetas da ética. Mas o que acima de tudo se salienta é que quanto mais próximo se está da elite que manda, mais influenciado se é por essa elite. Assim, os mais inteligentes de qualquer sociedade serão os mais influenciados pelos valores reinantes nessa sociedade, porque, devido à sua inteligência, irão ascender mais na hierarquia sócio-cultural e estarão por isso mais expostos aos pólos difusores de ideias. Do mesmo modo que na Antiguidade os pensadores pagãos e os senadores de Roma foram os últimos resistentes, na cidade, à «invasão» cristã, que veio de baixo (da multidão de escravos, libertos e estrangeiros desenraizados), também na Idade Média o poder sócio-cultural reinante - alto clero e alta nobreza - era o das pessoas mais puramente cristãs (enquanto os vestígios de Paganismo sobreviviam no seio do povo dos campos, afastado dos grandes centros de poder, já tomados pela Cristandade), precisamente porque aí o poder já tinha mudado de mãos e estava com o Cristianismo.

Na actualidade, o anti-racismo militante controla as elites dominantes no Ocidente - as universidades, a cultura oficial, a imprensa dominante. Mas tudo muda. Essa gente falhou a lavagem cerebral que queria impingir ao povo e agora é a vez de a força política que vive à base do povo comum - o Nacionalismo - jogar a sua cartada, enquanto é tempo, entenda-se - enquanto os Europeus ainda constituem a maioria da população do continente europeu.

31 de janeiro de 2016 às 23:45:00 WET  
Blogger Renato Santon said...

"Falso, a maioria dos campeões de xadrez são goys e não judeus"

Wilhelm Steinitz (1886-1894)
Emanuel Lasker (1894-1921)
Mikhail Botvinnik (1948-1957, 1958-1960, 1961-1963)
Vasily Smyslov 1 (1957-1958)
Mikhail Tal (1960-1961)
Robert (Bobby) Fischer 2 (1972-1975)
Garry Kasparov 3 (1985-1993)

http://www.jinfo.org/Chess_Champions.html

Desde que o campeonato mundial oficial surgiu em 1886 temos esses 7 campeões judeus, após 2000 o campeonato mundial de xadrez caiu em descrédito com a federação internacional se dividindo em 3 órgãos e não se sabe ao certo quem é o grande campeão pois há vários e sem sombra do prestígio que havia antes.

Mas sim, os judeus tem 54% dos campeões mundiais, é maioria.

23 de fevereiro de 2016 às 11:46:00 WET  
Blogger Caturo said...

«Portanto não venhas cá com esses números de 44% e tretas, porque isso não corresponde "aos campeões de xadrez" mas sim "aos campeonatos mundiais de xadrez".»

É a mesma coisa, a menos que alguém assim muit'a esperto sugira que os maiores campeões de xadrez arianos são impedidos de participar nos campeonatos mundiais de xadrez...
Enfim, um dos problemas da hoste nacionalista é ter demasiado pessoal que vem dos estádios da bola com mentalidade «clubista» no seu pior: pessoal de radicalismo primário, esperteza saloia e mau perder, que discute caganifâncias como se estivesse a ganhar uma discussão quando diz «não perdemos por dez a zero, um dos golos deles foi de fora de jogo, e havia um penálti que não valeu!, e um penalti nosso ficou por marcar!!!» e às tantas «ganháramos méne!» e assim. Não há pachorra.

6 de julho de 2016 às 13:03:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home