quinta-feira, julho 19, 2018

CELEBRAÇÃO RELIGIOSA EM HONRA DOS HELENOS MORTOS NAS TERMÓPILAS EM DEFESA DA PÁTRIA


Celebração religiosa pagã em honra dos mortos das Termópilas que há quase dois mil e quinhentos morreram para que o Ocidente ficasse livre diante de um imperialismo oriental. Na foto podem ver-se (da direita para a esquerda) as estátuas das Divindades Ares, Héstia, Zeus e Hera, um estandarte rubro com o emblema dos Dióscuros ou Gémeos Divinos Pollux e Castor e o monumento a Leónidas, líder espartano nesta batalha.
Os fiéis religiosos que aqui se vêem pertencem ao Supremo Conselho Nacional Helénico, organização religiosa que foi recentemente reconhecida como tal pelo Estado Grego.

Para ver mais imagens, aceder a esta página: https://www.facebook.com/pg/YSEEHELLAS/photos/?tab=album&album_id=10155645293464562

quarta-feira, julho 18, 2018

MAIS PROTESTOS DE PADRES EM ITÁLIA CONTRA A POLÍTICA DE IMIGRAÇÃO DA LIGA NORTE - UM DOS BISPOS DISPÔS-SE A TRANSFORMAR TODAS AS IGREJAS EM MESQUITAS PARA ACOLHER IMIGRANTES

(...)
Luigi Ciotti, um dos padres mais populares de Itália, organizou um protesto este fim de semana, convidando os presentes a utilizar uma camisola vermelha. Esta serviria para relembrar o menino sírio que, em 2015, morreu na costa turca.
“Precisamos de parar agora, parar para reflectir e olhar para nós próprios. Precisamos de questionar os nossos corações e consciência: no que é que nos estamos a tornar?”, perguntou.
Também no início desta semana, Alex Zanotelli, membro dos missionários Combonianos em Verona, apelou para que os jornalistas noticiassem as tragédias em África, alertando os italianos para a situação dos migrantes.
“Se os Italianos não souberem o que se passa em África, não podem perceber porque é que tantas pessoas estão a abandonar as suas terras e a arriscar as suas vidas”, disse.
Matteo Salvini tornou-se ministro do Interior de Itália a 1 de Junho deste ano. Desde então, o seu partido de Extrema-Direita tem defendido o encerramento dos portos e fronteiras italianas a imigrantes, maioritariamente vindos do norte de África.
*
Fonte: https://www.jihadwatch.org/2018/07/italian-bishop-says-hes-ready-to-turn-all-the-churches-into-mosques-to-aid-the-cause-of-mass-muslim-migration
*

Outros padres marcaram dez dias de jejum como protesto contra a política de Salvini. Num dos seus actos de protesto, na Praça de S. Pedro, não apareceu quase ninguém, mas os vigários do Judeu Morto não desarmam.
Monsenhor Raffaele Nogaro, bispo de Caserta, declarou por seu turno estar pronto a «transformar todas as igrejas em mesquitas se isso for útil para a causa e se permitir salvar as vidas de homens e mulheres.»
*
Fonte: https://www.jihadwatch.org/2018/07/italian-bishop-says-hes-ready-to-turn-all-the-churches-into-mosques-to-aid-the-cause-of-mass-muslim-migration

* * *

Porque cargas de água é que seria preciso transformar uma igreja numa mesquita é que não está explicado, mas será que os pobrezinhos tolerantíssimos refugiados muçulmanos prefeririam morrer a alcançarem abrigo numa igreja?, ou será que essa boca de Nogaro é simplesmente um reflexo da tendência actual da parte de um certo sector cristão para aproximar o Cristianismo do Islão?, já que, ao fim ao cabo, são irmãos em Abraão e os muçulmanos até aceitam Jesus como profeta, enfim, de um modo ou de outro estes são mais uns quantos testemunhos da incompatibilidade visceral entre o Cristianismo e o Nacionalismo, pelo que a charla de muitos patriotas europeus segundo os quais o Cristianismo constitui um dos pilares essenciais da Europa é dos maiores tiros no pé ideológicos que imaginar se possa. Afortunadamente, o que entretanto se observa é que enquanto as igrejas em solo europeu se vão esvaziando, as urnas de voto vão-se enchendo de apoio ao Nacionalismo, um bom sinal da vitalidade e do retorno do verdadeiro espírito europeu, pré-cristão, já denunciado por Berdyaev e saudado pelos nacionalistas integrais europeus.

Etiquetas:

AMANHÃ - MANIFESTAÇÃO NO CAMPO PEQUENO CONTRA A TOURADA


HÁ UMA NOVA TRADIÇÃO NO CAMPO PEQUENO:
Como tem vindo a acontecer em dia de touradas na Praça do Campo Pequeno, também no próximo dia 19 de Julho os cidadãos voltam a reunir-se para aplaudir os artistas que irão actuar do lado de fora, numa manifestação cultural que pretende mostrar exemplos da boa cultura e arte que temos no nosso País:
Cultura que nos enriquece, cultura sem violência e sem vítimas.
Deixamos um excerto da 1.ª edição desta manifestação cultural, do passado dia 21 de Junho de 2018: https://www.facebook.com/accaodirectapelalibertacaoanimal/videos/1864096820323258/ 
Nesta acção assistiremos a um momento musical e a uma dança coreografada por EDUARDA COSTA FERRAZ e ainda ao recital de poesia Spoken Words e Poetry Slam por KELLY SOUSA e SARA LAVAGNOLI. 
Agradecemos a participação e o envolvimento de todos os cidadãos e deixamos um agradecimento especial aos artistas e aos amigos que providenciaram o novo sistema de som!
Contamos com a vossa presença, com o convite dos vossos amigos e partilha deste evento.
*
Fonte: https://www.facebook.com/events/602124610187666/

PLATAFORMA BASTA DE TOURADAS DENUNCIA IRREGULARIDADE NAS TOURADAS NO CAMPO PEQUENO

A Plataforma Basta fez chegar à redacção, uma nota de imprensa na qual alega que a SRUCP não tem competência para realizar a próxima corrida de touros, anunciada para o Campo Pequeno, dia 19 de Julho. 
Transcrevemos, na íntegra, o comunicado enviado pela Plataforma Basta, que inclusive informa que fez denúncia à IGAC: 
“A plataforma Basta apresentou uma denúncia junto da Inspecção Geral das Actividades Culturais devido à promoção de uma corrida de touros no Campo Pequeno no próximo dia 19 de Julho de 2018, denominada “Corrida O Mirante”, promovida pela Sociedade de Renovação Urbana do Campo Pequeno (SRUCP, S.A.). 
A Basta entende que a SRUCP, S.A. não tem competência para promover este tipo de espectáculo, por isso solicita à IGAC que não autorize a realização do mesmo em cumprimento do número 1, do artigo 10º do Decreto-Lei nº 89/2014 (RET) que estabelece que “O promotor do espectáculo é a pessoa, singular ou colectiva, que tem por actividade a promoção ou organização de espectáculos tauromáquicos”. 
Assim, uma vez que a entidade promotora da corrida de touros do próximo dia 19 – SRCUP, S.A. –  não tem por actividade a promoção ou organização de espectáculos tauromáquicos, mas sim a “Compra e venda de bens imobiliários” (CAE 68100), entendemos que se encontra em violação o número 1, do artigo 10º do RET, pelo que a IGAC tem por obrigação não conceder autorização para a realização deste espectáculo.
Desde o início da temporada que a plataforma Basta tem diligenciado junto da IGAC, alertando para esta violação da lei, sem que aquela entidade responda às nossas denúncias, ignorando as mesmas e permitindo a realização dos espectáculos tauromáquicos promovidos pela SRUCP na praça de touros do Campo Pequeno. 
Mais estranho se torna este caso, se tivermos em conta que a SRUCP, S.A. se encontra em processo de insolvência, estando a gestão da praça de touros do Campo Pequeno a ser assegurada por uma Administradora de insolvência nomeada pelo Tribunal, Paula Mattamouros Resende, que permite esta sistemática violação da lei. 
A plataforma Basta exige um rápido esclarecimento da IGAC deste caso, e o cumprimento da legislação em vigor e não entende a inércia da IGAC no esclarecimento deste caso. A plataforma Basta tem denunciado várias ilegalidades cometidas na organização de corridas de touros em todo o país, nomeadamente no incumprimento das regras de bem estar animal, que têm sido – na maioria dos casos – ignoradas por esta entidade. 
As touradas na praça de touros do Campo Pequeno não são consensuais na sociedade lisboeta, como demonstra a sondagem realizada em maio de 2018 pela Universidade Católica que demonstra que 69% da população de Lisboa não concorda com a promoção de touradas pela Casa Pia (proprietária da praça) no Campo Pequeno e 64% da população é contra o apoio da Câmara Municipal às touradas. De acordo com a sondagem, 89% dos lisboetas nunca assistiram a touradas no Campo Pequeno desde a sua reabertura em 2006. 
Ainda de acordo com a mesma sondagem, 96% dos cidadãos de Lisboa concordam que a praça de touros acolha outro tipo de eventos (excluindo as touradas)”.
*
Fonte: https://infocul.pt/cultura/plataforma-basta-diz-que-srucp-nao-tem-competencia-para-realizar-corridas-de-touros/

BALEARES GLORIFICA PRIMEIRA TEMPORADA DE VERÃO SEM CORRIDAS DE TOIROS


Artigo completo: https://www.diariodemallorca.es/cultura/2018/07/18/plazas-toros-apuestan-arte-ocio/1331907.html

* * *

Progresso exemplar, sem dúvida, verdadeiro avanço civilizacional tipicamente europeu, em prol dos mais vulneráveis.

A ELITE PARLAMENTAR TUGA SOBRE OS REFUGIADOS



É bem nítido que, em matéria de iminvasão, a classe política dominante é toda igual, tal como, de resto, sucede nos outros países do Ocidente. Só o Nacionalismo se levanta contra essa mentalidade globalista, quer a da Esquerda multiculturalista quer a da «Direita» cristã/globalizadora. Em Portugal, só o PNR representa este Nacionalismo.

A ACÇÃO DO PNR CONTRA O RACISMO ANTI-PORTUGUÊS


Na tarde de Vernes, 13 de Julho, dezena e meia de nacionalistas, fazendo um esforço militante pós-laboral, marcaram presença no protesto (convocado apenas com 24 horas de antecedência), perante dez vezes mais manifestantes, profundamente racistas anti-nacionais, de Extrema-Esquerda, que vivem à conta dos nossos impostos, não trabalham, têm tempo e meios para se dedicar a promover o racismo – que de contrário seria um não-caso -, através de associações pagas com o nosso dinheiro, contra os Portugueses, as forças da ordem e o país que os recebeu.
O PNR, novamente, foi fazer um protesto contra esses que nos desrespeitam e ameaçam a nossa identidade e cultura como de resto, mais uma vez se verificou no Domingo, em França, com as manifestações de multiculturalismo, a propósito da vitória desse país no campeonato do mundo de futebol, em que o festejo foi “confundido” com selvajaria, vandalismo, pilhagem e motim. Também na tarde de Vernes, mais uma vez, se viu o estilo dos manifestantes racistas e extremistas de Esquerdas… o ódio e o desrespeito é o seu registo normal.
Nós não queremos cá disso! Não queremos leis criminosas, como a da nacionalidade, cada vez mais permissiva e que até já atribui “nacionalidade” portuguesa aos filhos de imigrantes que residam no nosso país há dois anos. Não queremos governantes que querem importar milhares de imigrantes – entenda-se económicos, subsídio-dependentes e invasores – nomeadamente para povoar o interior. E qualquer dia teremos uma espécie de Kosovo cá dentro…
O PNR nada tem contra os imigrantes que vêm para trabalhar, que nos respeitem e que estejam integrados. Mas esses, bem o sabemos, são uma minoria. Tudo temos é contra políticas permissivas e suicidas que, levadas por governantes traidores, patrocinam uma autêntica invasão de imigração, culturalmente diferente e hostil, que se sente protegida e discriminada positivamente. Gozam de privilégios e benefícios sociais, fruto de leis aprovadas na Assembleia da República, que mais não são do que medidas racistas, anti-nacionais, para beneficiar as minorias étnicas em detrimento dos Portugueses. Isso já para não falar dos benefícios que os criminosos de minorias étnicas gozam ao ter sempre o “estatuto de vítimas” de uma suposta violência policial e consequente perseguição injusta dos agentes da autoridade.
De pé, contra a invasão e substituição populacional em curso – já tão evidente em inúmeros bairros de várias cidades de Norte a Sul do país! -, lutamos sem tréguas contra a agenda de auto-flagelação racista anti-branco, anti-europeu e anti-nacional, promovida pela Extrema-Esquerda, consentida pelo sistema, em bloco, e financiada com dinheiros públicos. Denunciamos e combatemos essas forças apostadas em reescrever a nossa História, reduzindo-a a um gueto ideológico marxista. Não nos assustamos quando o inimigo está em maior número, porque estamos certos que com estas acções mais patriotas se juntarão a nós.
O multiculturalismo é crime e suicídio, por isso, todos aqueles que estão cá a mais – criminosos, hostis, ilegais e subsídio-dependentes – têm de voltar para a sua terra ou dos seus pais. Façam boa viagem!
*
Fonte: http://www.pnr.pt/2018/07/de-pe-contra-o-multiculturalismo/

NA ÍNDIA - CLÉRIGO MUÇULMANO AGRIDE UMA MULHER DURANTE UM DEBATE TELEVISIVO


https://www.youtube.com/watch?v=jru8fhNNepc

Para ler informações sobre o sucedido, aceder a esta página: https://www.jihadwatch.org/2018/07/video-from-india-on-tv-show-muslim-cleric-physically-assaults-female-guest-a-supreme-court-lawyer

CERIMÓNIA RELIGIOSA HELÉNICA NA ARCÁDIA


Cerimónia no monte Lykaion, na Arcádia, Grécia, a 4 de Julho, em honra das Divindades Asclépio, Apolo, Pã e Júpiter, no local onde o mais antigo altar da humanidade aos Deuses terá sido erigido, de acordo com a tradição local. 

Para ver mais fotos, aceder a esta página: https://www.facebook.com/YSEEHELLAS/posts/10155647888454562

terça-feira, julho 17, 2018

ESTADO INDIANO DECLARA IGUALDADE ENTRE HUMANOS E OUTROS ANIMAIS NO QUE RESPEITA AO DIREITO A TER BEM-ESTAR

Juízes de Uttarakhand decretaram que os habitantes da cidade têm a obrigação de garantir o bem-estar e a protecção dos animais domésticos e selvagens.
Um tribunal indiano determinou, esta semana, que os animais devem gozar dos mesmos direitos que os seres humanos, uma vez que “têm personalidade distinta, com direitos, deveres e responsabilidades correspondentes a uma pessoa”.
De acordo com o jornal The Telegraph, a decisão foi tomada na Mércores pelo Supremo Tribunal de Uttarakhand. Os juízes Rajiv Sharma e Lokpal Singh concederam este estatuto a “todo o reino animal”, faltando agora estabelecer um conjunto de directrizes para evitar actos de violência contra animais.
A decisão, que ainda precisa de ser ratificada pelo Supremo Tribunal Nacional, tem como objectivo acabar com a caça ilegal, as empresas que poluem o meio ambiente e os maus-tratos a animais domésticos e selvagens.
O tribunal decretou ainda todos os habitantes da cidade de Uttarakhand guardiães dos animais, recaindo sobre eles a responsabilidade de garantirem o seu bem-estar e protecção.
Ainda segundo o mesmo jornal, apesar de a decisão visar sobretudo a protecção da vida selvagem, especialmente as espécies ameaçadas de extinção, o tribunal também abordou a questão dos animais de pecuária. Proibiu o uso de espigões ou de outros instrumentos afiados e a utilização de arreios em animais de tracção quando as temperaturas forem superiores aos 37º C ou abaixo dos 5º C.
Esta decisão foi tomada na sequência de uma petição entregue em 2014 que pedia a restrição de circulação de carroças puxadas por cavalos entre a Índia e o Nepal através da vila de Banbasa, segundo o The Daily Star. A mesma petição solicitava que fossem administradas vacinas e realizado um check-up médico-veterinário aos cavalos oriundos do Nepal e fosse regulado o tráfego nas áreas fronteiriças.
Fonte: Os Bichos News / mantida a grafia lusitana original.
(...)
*
Fonte: http://olharanimal.org/em-decisao-historica-tribunal-indiano-declara-que-os-animais-tem-os-mesmos-direitos-que-as-pessoas/

* * *

Mais uma convergência da Índia com a civilização europeia. Coincidentemente ou não, já há milhares de anos existia nessas paragens quem se opusesse aos maus tratos a animais e, num dos maiores épicos da Índia, o «Mahabarata», um dos heróis prefere ir para o inferno na companhia do seu cão do que para o céu, o que pode ter um significado meramente simbólico a salientar a lealdade, mas que não deixa de constituir um precedente no que toca ao respeito e estima para com um animal.

TRUMP EXPRESSA-SE ABERTAMENTE CONTRA A IMIGRAÇÃO NO OCIDENTE

Donald Trump e Theresa May parecem ter encerrado as hostilidades que poderiam ter sido abertas com a entrevista do presidente norte-americano ao jornal The Sun. Em conferência de imprensa posterior a uma reunião, Trump considerou a sua própria entrevista como "fake news", desejou que o processo do Brexit seja concluído, e criticou as políticas de imigração europeias. 
Segundo Trump, a imigração "é uma coisa muito negativa para a Europa". "Sei que não é politicamente correcto dizer isto, mas di-lo-ei na mesma", referiu. Os países europeus devem "ter cuidado": "Estão a mudar de cultura, de segurança – vejam o que acontece a diferentes países que nunca tiveram dificuldades, nunca tiveram problemas. É uma situação muito triste, é uma pena, mas não penso que seja bom para a Europa, e não penso que seja bom para o nosso país."
(...)
*
Fonte: https://www.sabado.pt/mundo/detalhe/trump-criticas-a-may-fake-news-imigracao-negativo-para-a-europa

* * *

É nisto que se vê a importância que o actual presidente norte-americano tem para a política no mundo ocidental - mais do que nunca, diz o que é preciso dizer-se e di-lo de uma posição privilegiada, ou seja, isto é a voz do povo mais atento que chega ao púlpito através do voto do próprio povo. Não admira que irrite tanto a elite reinante, pudera, o desprezo classista «secreto» que essa gentinha tem pelas classes populares une-se aqui ao ódio que nutre por tudo o que seja Nacionalismo e espírito de Estirpe na generalidade, porque a elite político-culturalmente dominante no Ocidente está mui bem «evangelizada» pela «Boa Nova» da Santa Madre Igreja Anti-Racista e Multiculturalista dos Últimos Dias do Ocidente, a partir daí todas - todas e cada uma - (d)as suas atitudes e até esgares, murmúrios e guinchos se entendem com a mais cristalina das clarezas.

ADOLESCENTE ALÓGENO ASSASSINA EMPREGADO DE LOJA NA NORUEGA

Em Vadsø, Noruega, um/a adolescente/criança alógeno/a assassinou à facada um jovem adulto empregado da loja Coop Extra, Håvard Pedersen, de dezoito anos de idade.
O petiz tinha visto de residência temporária e estava no país desde 2015.
O motivo do homicídio não foi esclarecido.
*
Fonte: https://www.jihadwatch.org/2018/07/norway-muslim-unaccompanied-child-refugee-stabs-man-to-death-inside-store-motive-unknown

* * *

O motivo não é conhecido, sabe-se apenas que o califado ordenou aos muçulmanos do mundo inteiro que matem infiéis onde quer que possam, seja com facas seja com carros...
Este é mais um caso em que o quotidiano europeu se vê enriquecido com uma manifestação de calor humano, imprevisível e extrovertido, oriundo do terceiro-mundo islâmico - mais um caso em que o sangue de europeus cai sobre os cornos da elite que impinge imigrantes em massa aos Europeus.

JOVEM ALCOOLIZADA VIOLADA EM INGLATERRA POR TRÊS ALÓGENOS

Em Canterbury, Inglaterra, três alógenos de nomes túrquicos - Sali Amet, 23, Omer Engin, 24, e Salih Altun, 25 -  violaram uma jovem de dezanove anos embriagada num parque de estacionamento a 13 de Abril deste ano. Os agressores requisitaram intérpretes de língua turca em tribunal.
*
Agradecimentos a quem aqui trouxe esta notícia: http://www.dailymail.co.uk/news/article-5901813/Three-men-raped-teenager-led-club-Canterbury-Kent-jailed.html?ito=social-facebook

* * *

Mais uma demonstração de calor humano oriunda do outro lado do Mediterrâneo para dar outro colorido e outra vivacidade ao álgido, insípido e previsível quotidiano europeu... Cuidado pois com o álcool quando houver alógenos por perto, sobretudo daqueles que por religião não bebem...

PRIMEIRO-MINISTRO CHECO NÃO QUER IMIGRANTES QUE A ITÁLIA REJEITA

O primeiro-ministro checo mantém a política de não aceitar um único imigrante, política partilhada com outros líderes dos países vizinhos, a Hungria, Polónia e Eslováquia (o grupo de Visegrado).
"O nosso país não aceitará nenhum imigrante", tuitou, ao informar que tal como os outros líderes europeus recebeu uma carta de Conte. "Tal abordagem é um caminho para o inferno", classificou o pedido do governo italiano.
A justificação? "Só motiva os traficantes e aumenta os seus lucros", acrescentou o líder populista.
Babis diz que se deve "ajudar os imigrantes nos países de origem, além das fronteiras da Europa, para evitar que empreendam sua jornada".
Na República Checa, 58% dos cidadãos defendem que não se deve receber imigrantes de países devastados por conflitos, segundo uma sondagem publicada pela Academia de Ciências.
Itália recusa entrada de imigrantes
O chefe do governo italiano Giuseppe Conte anunciou no sábado, "depois de um dia de telefonemas e contactos escritos com todos os 27 líderes europeus", que França e Malta iriam cada um acolher 50 dos 450 imigrantes resgatados em dois navios (um navio-patrulha britânico, outro da guarda costeira italiana), que estão agora ao largo da Sicília.
O primeiro-ministro estava confiante que "muito rapidamente" outros países se mostrassem solidários.
A Alemanha também sinalizou que iria receber 50 migrantes, como Giuseppe Conte partilhou no seuFacebook.
"Vamos manter o rumo, com firmeza e no respeito pelos direitos humanos", escreveu.
*
Fonte: https://www.dn.pt/mundo/interior/aceitar-migrantes-e-caminho-para-o-inferno-diz-pm-checo-9595926.html

* * *

Pois quem é que pode querer imigrantes do terceiro-mundo? Não é o povo, sem dúvida, e quanto mais a Democracia lhe dá voz, mais a classe política acaba por se ver forçada ao jogo do empurra com os alegados refugiados, porque nenhum Estado em que haja uma força nacionalista democrática aceita toneladas de alógenos pelo país adentro. Assim se vê como a Democracia, ou seja, o povo das classes baixas e médias, continua a ser a única fonte de poder dos Nacionalistas contra as pretensões globalizadoras da elite reinante. Sic itur ad astra, a Democracia é a maior aliada do Nacionalismo.

FIASCO DA TOURADA NO CAMPO PEQUENO

A empresa do Campo Pequeno emitiu um comunicado onde lamentou a forma menos esperada como correu a corrida de touros na passada noite de Joves [dia 5]
O espectáculo, que não correspondeu às expectativas do público, ficou marcada pela falta de investida por parte dos touros de Rui Bento, que também já assumiu a sua culpa perante o sucedido. "A corrida de 5 de Julho, no Campo Pequeno, na qual a empresa tinha posto as mais altas expectativas, não correspondeu ao que era esperado. Lamentamos que assim tivesse sido, ao não termos correspondido, nem às exigências dos Aficionados e Público em geral, nem às expectativas que, enquanto empresa, tínhamos assumido. Compreendemos a indignação suscitada, que é igual à nossa frustração", pode ler-se na nota enviada pela empresa. Assim, o comunicado termina com a promessa de que a empresa do Campo Pequeno não irá permitir que se repitam as circunstâncias que ditaram o desfecho da noite.
*
Fonte: https://www.cmjornal.pt/cultura/detalhe/campo-pequeno-lamenta-bronca-em-corrida-de-touros?utm_medium=Social

* * *

Mais uma boa notícia relativa ao imundo mundo da tauromaquia. Parece que afinal os toiros bravos «que só existem para lutar» e adoram confrontos, afinal nem são assim tão agressivos...

CASAL HOMOSSEXUAL AGREDIDO POR CIGANOS EM COIMBRA

Um casal homossexual foi, este sábado, brutalmente agredido no centro comercial junto ao estádio da cidade de Coimbra.  
O CM contactou a PSP de Coimbra que nos confirmou os actos de violência cometidos por indivíduos de etnia cigana
Segundo uma das vítimas, Duarte, as agressões foram consequência de um beijo de despedida dado entre o casal antes de um dia de trabalho do seu namorado. Duarte decidiu partilhar os momentos de terror que viveu nas redes sociais. "Camisola rasgada, sangue por todo o lado, 8 pontos... Foi a consequência de ter dado um beijo ao meu namorado que estava prestes a entrar para o seu emprego", começou por explicar.
Prosseguindo com alguns detalhes das agressões, Duarte revelou ter sido insultado por uma família cigana que passou posteriormente à violência física. "Uma família de ciganos fez questão de nos chamar paneleiros, pedófilos (não sei bem porquê), entre várias ameaças de morte. Imediatamente partiram para a violência, cuspiram na cara do meu namorado, espetaram-me um alicate na cabeça, e enquanto eu caio no chão, vejo o meu namorado a cair também enquanto lhe dão pontapés. Não tenho palavras para comentar este episódio, nunca tinha sido vítima de semelhante, sempre tentei evitar os estereotipo que existe da etnia cigana... nem sei o que pensar...", escreveu.  
O comportamento de violência foi causado pela demonstração pública de afecto entre Duarte e o namorado, mas o jovem afirma que não mudaria esse comportamento "Sou o que sou, e não tenho que ter vergonha de quem sou, tenho que ter orgulho! Estamos bem, e, apesar deste episódio ter acontecido, não fiquem com medo de serem quem são", concluiu. Segundo Duarte, todo o episódio está a ser devidamente tratado junto das autoridades.  Ao CM, fonte oficial do centro comercial esclareceu o sucedido: "Foi solicitado um pedido de auxílio à equipa de segurança no seguimento de distúrbios e agressões no exterior do centro, na rua D. João III. 
O segurança do centro procurou actuar de imediato, mas, chegado ao local, as perturbações já teriam terminado. No entanto, foram prestados os primeiros socorros às vitimas pela equipa de vigilância do Centro. Neste momento, a resolução do incidente está entregue às entidades competentes".  "Lamentamos o sucedido e repudiamos qualquer tipo de violência ou coação contra terceiros. Desejamos a mais rápida recuperação física e psicológica das vítimas", conclui a mesma fonte.
*
Agradecimentos a quem aqui referiu esta notícia: https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/casal-homossexual-agredido-em-centro-comercial-em-coimbra

* * *

Aguarda-se o coro de protestos indignados como reacção de certa militância pró-LGBT... eu só soube disto através de um comentário de um «racista», mas acho que vai haver muita gente a falar nisto, e a dizer que é uma vergonha e que as autoridades têm de deter alguém para mostrarem que não são homófobas ou não pactuam com a homofobia...
A parte mais simbólica do artigo é a que mostra um dos homossexuais agredidos a dizer que não sabe «o que pensar», pois claro que não, toda a vida lhe disseram que tinha de pensar «anti-racistamente» e afinal recebeu no coiro um testemunho do que é a violência cometida por minorias moralmente impunes num regime que as protege de forma manifestamente injusta...


CROÁCIA X FRANÇA...

Desde 1950 que o mundial de futebol não é ganho por um país pequeno, não surpreende que a Croácia tenha perdido. Independentemente disso, este pequeno país eslavo apresentou no jogo da final uma selecção autenticamente nacional ao passo que a equipa oponente era formada maioritariamente por alógenos - nascidos em França ou não, tanto faz - como se fosse um vulgar clube de futebol. De resto, entre ter uma Pátria europeia, por diminuta que seja, e viver numa espécie de país onde as ruas se incendeiam literalmente devido à acção festiva de imigrantes e seus descendentes, como agora aconteceu e se calhar ainda está a acontecer em França, não tenho dúvidas...

«Pelo menos somos campeões do mundo...»

«Quando os ataques terroristas, as violações em massa, os motins e a substituição populacional do teu país acabam finalmente por compensar.»

SOBRE A PREOCUPAÇÃO DA FIFA COM A EXIBIÇÃO TELEVISIVA DA BELEZA FEMININA DURANTE OS JOGOS


A FIFA revelou esta Joves que vai falar com as cadeias de televisão internacionais para que sejam reduzidas as imagens nas bancadas dos estádios em que estão a decorrer os jogos do Mundial 2018.
O organismo que gere o futebol mundial explicou que tomou esta medida devido às elevadas queixas de sexismo que têm surgido durante o Campeonato do Mundo - já foram registadas 30 queixas.
A medida é para aplicar não apenas nos últimos dois jogos que faltam do Mundial 2018, mas em outros eventos.
"Falamos de forma individual com todas as operadoras para que deixem de focar nas raparigas que podem ser consideradas atraentes. É trazer uma carga sexista desnecessária ao futebol", explicou em conversa com os jornalistas Federico Addiechi, diretor responsável pelo programa de diversidade da FIFA.
O organismo que gere o futebol mundial anunciou ainda que estão a ser pensadas medidas para evitar os casos de assédio sexual a repórteres femininas que aconteceram durante a competição.
O mais recente caso aconteceu com a jornalista María Gómez, da estação televisiva italiana Mediaset, que recebeu beijos de vários homens enquanto estava em directo.
*
Fonte: https://desporto.sapo.pt/futebol/mundial-2018/artigos/fifa-proibe-imagens-de-mulheres-bonitas-nas-bancadas

* * *

Encontra-se portanto à esquina da parvoíce o conservadorismo mais tacanho com o feminismo mais pobrezinho e minimalista, empobrecedor. O cúmulo da boçalidade vem a seguir: dizerem ou darem a entender que é por causa de tanto sexismo que várias repórteres são sexualmente incomodadas por labrostes diversos. Ou seja, os saloios portam-se mal aos beijos às jornalistas e a solução é... reprimir a beleza... boa merdalhice de espírito está à frente dos destinos do esférico a deslizar pela erva, bem podem limpar as patas à parede mais os seus «valores».

segunda-feira, julho 16, 2018

RECORDAR VITÓRIA HISPÂNICA CONTRA A MOIRAMA



A 16 de Julho de 1212 deu-se a Batalha de Navas de Tolosa, na qual as forças do rei castelhano Afonso VIII, auxiliadas pelas hostes de Leão, Navarra, Aragão e de Portugal - estas últimas lideradas pelo rei D. Afonso II, o Gordo - esmagaram as tropas islâmicas num combate que marcou o recuo decisivo e irreversível da Moirama.
Desta página castelhana, retira-se este empolgante trecho:

«As tropas almohadas, provenientes dos territórios que denominavam «Al-Andalus» e soldados berberes do norte de África, reunidas para formar una jihad que expulsaria definitivamente os cristãos da Península Ibérica. Tinham estado a retardar o choque frontal com o fim de conseguir debilitar a união das tropas cristãs e esgotar as forças destas por esgotamento das suas provisões.
Os castelhanos de segunda línea, al mando de Nuñez de Lara, y las Órdenes Militares formaban en el centro flanqueados a la derecha por los navarros y las milicias urbanas de Ávila, Segovia y Medina del Campo; y a la izquierda por los aragoneses. Tras una carga de la primera línea de las tropas cristianas capitaneadas por el vizcaíno Diego López de Haro, los almohades, que doblaban ampliamente en número a los cristianos, realizan la misma táctica que años antes les había dado tanta gloria. Los voluntarios y arqueros de la vanguardia, mal equipados pero ligeros, simulan una retirada inicial frente a la carga para contraatacar luego con el grueso de sus fuerzas de élite en el centro. A su vez los flancos de caballería ligera almohade, equipada con arco, tratan de envolver a los atacantes realizando una excelente labor de desgaste. Recordando la batalla de Alarcos era de esperar esa táctica por parte de los almohades. Al verse rodeados por el enorme ejército almohade, acude la segunda línea de combate cristiana pero no es suficiente. La tropa de López de Haro comienza a retirarse pues sus bajas son muy elevadas no así el propio capitán el cual, junto a su hijo, se mantiene estoicamente en combate cerrado junto a Nuñez de Lara y las Ordenes militares.
Al notar el retroceso de muchos de los villanos cristianos, los reyes cristianos al frente de sus caballeros e infantes inician una carga crítica con la última línea del ejército. Este acto de los reyes y caballeros cristianos infunde nuevos bríos en el resto de las tropas y es decisivo para el resultado de la contienda. Los flancos de milicia cargan contra los flancos del ejército almohade y los reyes marchan en una carga imparable. Según fuentes tardías el rey Sancho VII de Navarra aprovechó que la milicia había trabado en combate a su flanco para dirigirse directamente hacia Al-Nasir. Los doscientos caballeros navarros junto con parte de su flanco atravesaron su última defensa: los im-esebelen, una tropa escogida especialmente por su bravura que se enterraban en el suelo o se anclaban con cadenas para mostrar que no iban a huir. Sea como fuere lo más probable es que la unidad navarra fuera la primera en romper las cadenas y pasar la empalizada, lo que justifica la incorporación de cadenas al escudo de Navarra. Mientras la guardia personal del califa sucumbía fiel a su promesa en sus puestos, el propio Al-Nasir se mantenía en el combate dentro del campamento.
No existía en aquella época ninguna forma humana de detener una carga de caballería pesada cuando se abatía sobre un objetivo fijo y lograba el cuerpo a cuerpo. En las Navas, los arqueros musulmanes, principal y temible enemigo de los caballeros, principalmente por la vulnerabilidad de sus caballos, no podrían actuar debidamente cogidos ellos mismos en medio del tumulto. El ejército de Al-Nasir se desintegró.»

Num brilhante sítio internético que já desapareceu, podia ler-se o seguinte:

«Detendo o avanço dos Almóades na Península Ibérica, os reis de Castela, Aragão, Navarra, Leão e Portugal fizeram reunir um exército coligado contra as tropas do Califa al-Nasir, derrotadas por completo nesse dia. Esta importante e sanguinolenta batalha foi das mais renhidas da Alta Idade-Média, marcando uma data decisiva para a Reconquista na Espanha. As Fronteiras meridionais de Castela nunca mais recuaram. A batalha ganhou assim foros de autêntica Cruzada Ibérica contra os Muçulmanos, constituindo, portanto, um momento marcante da chamada Reconquista. O contingente Português, a arraia miúda dos concelhos e a Cavalaria do Templo, sob o comando de Afonso II, tais prodígios de valor obraram, assinalados por vários cronistas, que essa batalha de Navas foi o baptismo de sangue do novo reino cristão entre os demais da península, a sua carta de nobreza e valentia, o reconhecimento universal da sua robustez e do valor do seu esforço (...).»


Tão augusto episódio histórico não perdeu relevância simbólica, antes a ganhou - não apenas porque a ele se deve, em grande medida, a actual existência pacífica das nações ibéricas, mas também porque se constitui como modelo de resistência, e de teimosa resistência, e de redobrada resistência, quando tudo parece perdido contra um invasor poderosíssimo, mostrando que quando alguns do nosso lado parecem enfraquecer ou recuar, isso deve funcionar como mais um incentivo para que avancemos com mais força. Este magistral exemplo afigura-se notoriamente útil numa altura em que o mesmo inimigo que neste embate foi abatido volta a ameaçar o Ocidente, uma vez que as forças do imperialismo muçulmano estão de novo às portas da Europa, ou aliás, já dentro de portas - bem pior do que o perigo do fortalecimento militar dos Estados islâmicos (como o Paquistão e o Irão, por exemplo) é o perigo que a presença já interna de milhões e milhões de muçulmanos oferece à Europa, e que, se crescer, poderá fazer aos Europeus o mesmo que a Cristandade (irmã mais velha do Islão...) fez, submergindo-lhe a identidade, instaurando a intolerância totalitária em larga escala e fazendo correr rios de sangue em nome de uma fé universalista e exclusivista, entenda-se, imperialista. 


Pode ver-se e ouvir-se aqui uma bem detalhada e bem explicada narração (em Castelhano) da refrega (sem referir a participação do rei português, o que não fica nada bem ao castelhame, mas enfim - dê-se-lhe o desconto, à atitude dos hermanos, mas sem a esquecer...).


Trata-se de um dia que bem merecia um feriado em toda a Ibéria...

domingo, julho 15, 2018

BATALHA DO CABO ESPICHEL


Na Primavera de 1180, os muçulmanos lançaram mais um ataque contra a costa portuguesa, com uma esquadra de 10 galés, sob o comando do Almirante Gamim ben Mardanis; traziam como objectivos destruir a esquadra portuguesa e capturar ou matar D. Fuas Roupinho. 
A esquadra muçulmana aportou a São Martinho do Porto, onde desembarcaram os seus homens de armas, que avançaram por terra em direcção a Porto de Mós, residência de D. Fuas, tentando surpreender a guarnição portuguesa. Este, ao ter conhecimento da presença inimiga, reuniu rapidamente os seus homens e avançou. Surpreendidos em pleno trajecto, os muçulmanos foram derrotados sofrendo elevado número de mortos e prisioneiros, estando o almirante Mardanis entre os primeiros. 
Depois de ter mandado avisar o Rei, que se encontrava em Coimbra, D. Fuas dirige-se a Lisboa a fim de reunir e preparar os navios portugueses para dar caça ao inimigo. Quando a bordo dos navios muçulmanos tiveram conhecimento, pelos sobreviventes, do resultado do combate e da morte do seu almirante, eles largaram para Sul e tentaram abrigar-se em Sesimbra ou na foz do Rio Sado, para reabastecer de água. 
D. Fuas largou de Lisboa, com as suas nove galés, por volta do dia 15 de Julho de 1180 e encontrou o inimigo ao largo do Cabo Espichel, travando-se uma encarniçada batalha. Os navios muçulmanos, desfalcados dos seus homens de armas, perdidos na batalha em Porto de Mós, foram sendo tomados um a um. A esquadra portuguesa, embora com menor número de navios, acabaria por ser a vencedora do confronto. D. Fuas Roupinho regressou a Lisboa, triunfalmente, com os navios e guarnições apresadas. Como recompensa, e segundo fontes muçulmanas, o monarca terá atribuído a D. Fuas o título de Almirante.
*
Fonte: http://www.marinha.pt/pt-pt/historia-estrategia/historia/nove-seculos-servico-portugal/Paginas/Batalha-Cabo-Espichel.aspx   (artigo originariamente redigido sob o acordo ortográfico de 1990 mas corrigido aqui à luz da ortografia portuguesa)

* * *

Convém lembrar que um dos motivos dos Portugueses para o início da Expansão foi precisamente o de contra-atacar diante da ofensiva muçulmana - entendeu-se ser melhor combater o inimigo «lá» do que ter de o enfrentar em território português. Foi graças a isso que as costas portuguesas puderam a pouco e pouco pacificar-se. 


É entretanto óbvio que isso já passou, e de modo algum garantiu uma eternidade pacífica, dado que a ameaça islâmica persiste.


sábado, julho 14, 2018

PNR PROTESTOU CONTRA O RACISMO ANTI-PORTUGUÊS


As questões raciais na sociedade portuguesa motivaram uma "troca de palavras" entre movimentos anti-racistas e militantes do Partido Nacional Renovador (PNR), durante a realização de duas manifestações simultâneas na zona do Rossio, em Lisboa.
O confronto verbal entre os dois grupos ocorreu no momento em que o PNR chegou ao largo de São Domingos, onde decorria uma concentração de associações anti-racistas, composta por representantes dos movimentos Djass (associação de afro-descendentes), SOS Racismo, Plataforma Gueto, Consciência Negra e Casa Brasileira de Lisboa.
Apesar de alguns insultos entre elementos dos dois grupos, não houve qualquer confronto físico, uma vez que no local se encontravam elementos da PSP.
A manifestação anti-racista, que juntou cerca de uma centena de pessoas, foi convocada, através das redes sociais, pela associação Djass e surgiu na sequência de vários casos de "discriminação racial", nomeadamente a agressão, no Porto, a uma jovem de origem colombiana.
"O episódio que ocorreu no Porto e o julgamento dos polícias de Alfragide são a ponta do icebergue que potenciaram a convocação desta concentração", explicou à agência Lusa Beatriz Gomes, da associação Djass, minutos antes da chegada do PNR ao local.
A activista sublinhou que "existe em Portugal uma grande dificuldade em discutir o racismo", uma vez que é considerado um "não-assunto".
"O racismo institucional, que nós achamos que é sistémico na sociedade portuguesa, e que atravessa as inúmeras instituições, condiciona a vida dos negros e das negras em Portugal", apontou.
Do lado oposto, o presidente do PNR, José Pinto Coelho, acompanhando por uma dezena de militantes, acusou estes movimentos anti-racistas de serem promovidos por uma "agenda racista da extrema-esquerda", negando a existência de um sentimento racista em Portugal.
"Associações como o SOS racismo, que são pagas por todos nós, é que, no fundo, fomentam o maior racismo em Portugal. Em Portugal nunca existiu racismo. Eles é que estão a criar uma onda de racismo, que tem os dois sentidos", atestou.
*
Fonte: https://www.jn.pt/nacional/interior/confronto-verbal-nas-ruas-de-lisboa-entre-antirracistas-e-militantes-do-pnr-9591237.html

* * *

Já basta de «ouvir» queixumes e guinchos da parte de quem «acusa» os Portugueses de «racismo!!!!» mas não há maneira de desgrudar de vez e ir embora daqui para fora, que não faz cá falta nenhuma. 
Pessoalmente posso atestar que nunca vi uma só tomada de força excessiva contra africanos da parte da polícia portuguesa. Poder-se-á dizer que não sou isento nesta matéria, ao que facilmente respondo que nenhum dos que acusam a polícia de violência racista tem mais credibilidade ou isenção ideológica que eu. Quanto ao que se passa na esquadra, não sei, é a palavra de uns contra a de outros e eu sinceramente dou mais crédito à bófia que aos «jovens»... eu falo é do que vejo nas ruas e, nas ruas, repito, nunca por nunca assisti a qualquer acto de agressão policial gratuita contra negros, aliás, o que vi foi um comportamento entre o ameno intencionalmente tranquilizante e uma certa bananice, nomeadamente quando presenciei cenas em que negros insultavam e ameaçavam até fisicamente os representantes da autoridade e estes evitavam manifestamente o conflito quando o que era correcto era deter de imediato os «jovens» por ameaça à autoridade.
Entretanto nunca tomei conhecimento de que o SOS Racista ou o BE ou quejanda merda alguma vez tivesse manifestado publicamente o seu repúdio quando aqui há tempos um imigrante curdo sozinho foi agredido por uma catrefa de «jovens» africanos só porque estava a fechar o seu estabelecimento e os negros, ao final de uma noite de divertimento, exigiram ser servidos. O curdo, oriundo da Turquia, não lhes obedeceu, coitado, não sabia como era esta merda aqui, e os negros agrediram-no, mas agrediram-no entre o comportamento punitivo e a troça pura, nas imagens videogravadas notou-se que alguns estavam perfeitamente no gozo como quem se diverte com um boneco que responde. Um dos negros chegou a sacar de uma arma de fogo e a disparar. Não ouvi, repito, qualquer brado de indignação pública contra este abjecto acto de opressão sobre um imigrante que nem sequer é europeu... imagine-se o que era o histérico cagaçal se os agressores fossem skinheads brancos, rapidamente se ouviriam os «donos da virtude» bloquistas e afins aos gritos a exigir que a polícia «racista!!!!» tomasse providências e apanhasse alguém!!!!, e ai que horror «eu tenho vergonha de ser europeu eu tenho vergonha de ser português!!!!!!!!!!!» e outras bacoradas do habitual rosário de etno-masoquismo e xenofilite da mais palerma. Como os agressores eram negros, nem piu, é que nem ouvi um caralho de um comentário condenatório do sucedido, nicles...

sexta-feira, julho 13, 2018

PROTESTO CONTRA O RACISMO ANTI-NACIONAL


Não podemos consentir no desrespeito para com Portugal e os Portugueses.
Não podemos calar diante da intensa campanha de auto-flagelação anti-nacional, promovida nos meios de comunicação social, nas escolas e nas universidades. Temos orgulho na nossa Nação e não toleramos que nos ofendam e desrespeitem.
Combateremos sem tréguas a agenda racista anti-branco, anti-europeu e anti-nacional, promovida pela Extrema-Esquerda, consentida pelo sistema em bloco e financiada com dinheiros públicos. Denunciaremos e combateremos essas forças apostadas em reescrever a nossa História, reduzindo-a a um gueto ideológico marxista.
No dia 13, o SOS-Racismo e a “consciência negra” (que seria se existisse uma "consciência branca"…) vão protestar, nas nossas ruas, contra o país que os acolheu. Basta! Basta de vitimização, de discriminação positiva para com as minorias étnicas, de perseguição aos agentes da polícia.
Vamos manifestar o nosso desagrado, o contraditório e mostrar aos Portugueses que há um partido que defende Portugal e os Portugueses em primeiro lugar.
Quem está mal, mude-se. Façam boa viagem!
*
Fonte: https://www.facebook.com/events/2021858504730661/
http://www.pnr.pt/2018/07/nao-podemos-consentir-o-desrespeito-para-com-portugal-e-os-portugueses/

ACÇÃO DO ESCUDO IDENTITÁRIO JUNTO À ESTÁTUA DA GLÓRIA NO ARCO DA RUA AUGUSTA


Anteontem em Lisboa, na Rua Augusta, o Escudo Identitário apresentou uma faixacom palavras de ordem no Arco Triunfal.
Esta foi uma acção que serviu para sensibilizar a população sobre o verdadeiro panorama nacional. Aquele que as agências de noticias e o Governo preferem ignorar, ou pior, ocultar.
Migrações em massa, falsos refugiados, substituição populacional são alguns dos pontos em que queremos abordar e informar com esta iniciativa.
Portugueses contra o fatalismo !
*
Fonte: https://www.facebook.com/escudo.identitario/photos/a.142587926354798.1073741829.122144591732465/235968813683375/?type=3&theater&ifg=1

VARDAVAR, FESTIVAL PAGÃO DA ÁGUA NA ARMÉNIA


Celebração religiosa, na primeira metade de Julho, do Vardavar arménio no templo pagão arménio de Garni, em honra de Astghik, Deusa da Beleza e da Água, equivalente nisso à helénica Afrodite e à latina Vénus.

Outras fotos do evento podem ser vistas aqui: https://www.facebook.com/groups/252944831490734/permalink/1691726354279234/

LÍDER DE PARTIDO NACIONALISTA FRANCÊS QUER RÚSSIA NA OTAN CONTRA O TERRORISMO MUÇULMANO

A política francesa Marine Le Pen sugere que a Aliança deveria ter uma nova missão: combater o terrorismo e fundamentalismo islâmicos.
Portanto, a Rússia também deveria fazer parte da Aliança, disse ela ao canal de TV CNews.
Segundo Le Pen, os países membros não cumprem as suas obrigações e não gastam 2% do PIB em defesa. Mas o mais importante para ela é que os países deveriam reunir-se para entender o propósito da OTAN: "Depois do colapso da União Soviética, [a OTAN] já não tem propósito […] No âmbito de uma nova missão, posso dizer, a Rússia deveria aderir à OTAN. Seria sensato", disse a política.
Os dois presidentes, Vladimir Putin e Donald Trump, vão-se encontrar em Helsínquia a 16 de Julho. Conforme informou o Kremlin, os líderes vão discutir as perspectivas do futuro desenvolvimento das relações bilaterais e assuntos actuais da agenda internacional. Será o primeiro verdadeiro encontro bilateral entre Trump e Putin, ou seja, que não coincide com outras cúpulas.
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/europa/2018071211701930-politica-francesa-adesao-russia-otan-terrorismo/

* * *

Lembro-me de já ter tido esta ideia há uma carrada de anos, mas depois fui-a deixando para trás, por me parecer utópica... e, agora, parece-me algo perigosa, dado o cariz ainda algo imperialista da Rússia... de qualquer modo esta postura poderia ser contrabalançada pelo «imperialismo» norte-americano, assim se neutralizavam mutuamente os dois maiores vectores tendencialmente hegemónicos, o que só beneficiaria a Europa, porque se combateria unicamente o grande inimigo de todos os Europeus - Russos incluídos - e dos Norte-Americanos, o Islão, que é igualmente inimigo de todas as outras civilizações do planeta.

«JOVENS» EM TUMULTO NA CIDADE DE NANTES

Onze pessoas foram detidas na cidade francesa de Nantes, na segunda noite de distúrbios provocados pela morte de um jovem pela polícia.
Dezenas de veículos e vários edifícios foram incendiados durante os protestos localizados no bairro de Breil onde se registou, na passada Martes, a morte de Aboubacar Fofana, 22 anos.
Os distúrbios alastraram-se também às zonas de Bellevue, Dervallières e Malakoff, em Nantes.
Fontes policiais citadas esta Joves pelo canal France 3 indicam que quatro dos detidos são menores de idade.
Os agentes da força anti-distúrbios lançaram granadas de gás lacrimogéneo contra os grupos de jovens que chegaram a erguer barricadas.
Os protestos começaram na Martes em Nantes quando Aboubacar Fofana, procurado pela polícia, foi detido numa operação de controlo de trânsito.
De acordo com as autoridades o veículo onde seguia Fofana estava a ser vigiado por suspeitas relacionadas com tráfico de droga.
Na altura, Aboubacar Fofana forneceu uma falsa identidade aos agentes que pretendiam levá-lo para uma esquadra.
Na sequência da ordem da polícia, Fofana tentou escapar no carro que conduzia tendo atropelado um agente.
Um outro polícia abriu fogo atingido Fofana que acabou por morrer pouco depois no hospital.
*
Fonte: https://www.dn.pt/mundo/interior/onze-detidos-na-segunda-noite-de-disturbios-contra-a-policia-em-nantes-9553048.html

* * *

A notícia tem uma semana mas permanece bem actual. Há nela pelo menos um ponto positivo, o de referir que na Europa há menos um agressor alógeno. Não deixa contudo de ser preocupante pela tibieza da parte das autoridades que nela se lê. Menos do que expulsão irreversível do País de todos os que neste tumulto atacam violentamente a polícia... menos do que isso é fraqueza, uma fraqueza que dá costas quentes aos «jovens» alienígenas que com toda a desfaçatez agridem as autoridades europeias quando estas se limitam a fazer cumprir a lei em terra europeia.

quinta-feira, julho 12, 2018

SOLSTÍCIO PAGÃ DO SOLSTÍCO DE VERÃO EM TEMPLO DE ATENAS


Celebração religiosa do Solstício de Verão em 24 de Junho no templo oficial do Supremo Conselho Nacional Helénico em Atenas

Para ver mais fotos deste evento, aceder a esta página: https://www.facebook.com/pg/YSEEHELLAS/photos/?tab=album&album_id=10155614024194562

quarta-feira, julho 11, 2018

EM ITÁLIA - MAIS PADRES CRITICAM SALVINI E APELAM À IMINVASÃO

Na Úmbria, região de Itália, o padre Gianfranco Formenton, conhecido por há muito pregar contra o racismo e a favor dos imigrantes, tem-se salientado pelas suas declarações contra o ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, líder do partido nacionalista Liga Norte.
Em 2015 colocou à entrada da sua igreja em San Martino di Trignano uma placa a dizer o seguinte: «Os racistas estão proibidos de entrar. Vão para casa!» Em resposta, o líder da Liga Norte, Matteo Salvini, comentou no twitter «Talvez o padre prefira traficantes, possuidores de escravos e terroristas? Pena de Spoleto e desta igreja se este homem se chama a si próprio padre.»
Enquanto o Partido Democrático, a maior força de Esquerda em Itália, parece silenciado pelo medo de perder eleitorado, os maiores oponentes de Salvini são os padres como Formenton... o qual disse ao Guardian o seguinte: «Temos uma população que quer bênçãos da igreja, procissões e ritos religiosos, mas de cada vez que o papa Francisco lembra os imigrantes ou os pobres, esta população já não o ouve.» Afirmou também «há uma força maligna de racismo e Salvini contribuiu para isto. Tem sido um mágico em cultivar o ódio e em manipular a fúria. Pessoas de todas as idades tornaram-se racistas por causa do clima em que vivemos.»
Outro padre, Cosimo Scordato, da igreja de Saint Francesco em Ballarò, Palermo, comparou o uso de imagens religiosas em discursos de Salvini com o mesmo comportamento exibido por líderes mafiosos: «Mostrar um rosário em frente de milhares de pessoas lembra-me os chefes da Máfia a mostrarem a Bíblia.» «Os chefes mafiosos acreditam ser uma espécie de porta-vozes dos valores cristãos, sentem-se protegidos pela Igreja e querem mostrar às pessoas que têm Deus do seu lado.»
Scordato enviou uma carta a Salvini a encorajá-lo a ver os imigrantes como oportunidade para um país com uma baixa taxa de natalidade e uma população envelhecida. Não obteve resposta...
Outro clérigo, Fr. Enzo Volpe, padre salesiano de Palermo, comentou «Há italianos jovens a irem para os EUA e para Inglaterra em busca de trabalho e de oportunidades. E se estes países travassem italianos na fronteira tal como a Itália está a fazer a africanos? Qual é a diferença? É por os Africanos serem negros?»
Vários outros padres têm-se salientado no seu apelo ao recebimento de alógenos...
Como se disse acima, o Partido Democrático continua relativamente silencioso, segundo Mattia Diletti, professor de Política na Universidade Sapienza em Roma: «O partido está dividido e não sabe como enfrentar Salvini e em que matérias. Devido ao facto de o povo estar tão ligado a ele (Salvini) na questão da imigração, há um medo de que opôr-se-lhe possa ser prejudicial.»
*
Fonte: https://www.theguardian.com/world/2018/jul/09/italian-catholic-priests-go-to-war-with-salvini-over-immigration


* * *

Estes clérigos do Judeu Morto mais não fazem do que ser coerentes com a sua doutrina. Não são «traidores» aos «cruzados» nem são «infiltrados maçónicos» - são simplesmente cristãos, e os cristãos sempre, mas sempre foram subversivos contra o poder político sempre que este poder político ou não era cristão, como na Roma antiga (e aqui os tapadinhos começam logo a deixar de ler, «lá vem este gajo com os pagãos romanos...») e, mais recentemente, na época pós-medieval quando por exemplo a Igreja celebrava casamentos mistos de livres (brancos) com escravos (negros) mesmo contra a lei do rei D. João VI (aqui os tapadinhos talvez abram a merda dos olhos, mas eventualmente já deixaram de ler antes de chegarem aqui).
Assim se constata, mais uma vez, e neste caso com saborosas declarações tão explícitas quanto possível, a visceral incompatibilidade entre Nacionalismo e Cristianismo - e confirma-se também que a Democracia é uma aliada natural do Nacionalismo. Podia ter dito «aliada natural do primeiro», que na frase é o Nacionalismo, mas quis chapar bem isto nas vistas de quem está a ler. Nada podia ser mais exemplificativo disto mesmo que, segundo a análise de Diletti, o maior partido da Esquerda italiana esteja agora a evitar falar contra Salvini porque a elite deste partido esquerdista
sabe
que o povo não quer imigração.
Só os atrofiados de merda anti-democráticos que andaram a liderar o Nacionalismo em Portugal é que não sabem disto.
Confirma-se portanto o que ando a dizer há colhões, que o grande conflito político do nosso tempo é assim definido: de um lado, a elite e a(s) igreja(s) cristã(s) contra o Nacionalismo - do outro, os partidos nacionalistas e o potencial nacionalista no seio do povo.


Etiquetas: