quinta-feira, outubro 17, 2019

SOBRE UMA RAIZ DO TOTALITARISMO NO OCIDENTE - A INTOLERÂNCIA UNIVERSALISTA CRISTÃ CONTRA A NATURAL TOLERÂNCIA POLITEÍSTA

«Em sermão após sermão autoritário realizado por esta nova geração de pregadores rigidamente inflexíveis, a escolha das pessoas foi tornada clara. Ao decidir quem adorar, as congregações não estavam a escolher entre um Deus e outro. Estavam a escolher entre o bem e o mal; entre Deus e Satanás. Permitir que alguém seguisse um caminho diferente do verdadeiro caminho cristão não era liberdade; era crueldade. A liberdade para errar era, argumentaria vigorosamente Santo Agostinho, a liberdade para pecar - e pecar era arriscar a morte da alma. "A possibilidade de pecar", como um papa diria mais tarde, "não é liberdade, é escravatura." (encíclica do papa Leão XIII). Permitir que outra pessoa se mantivesse fora da fé cristã não era mostrar uma tolerância digna de louvor. Era condená-la.
(...)
Opôr-se à religião de outro homem, reprimir a sua adoração, não eram, diziam os clérigos às suas congregações, actos maldosos ou intolerantes. Eram algumas das coisas mais virtuosas que um homem poderia fazer. A Bíblia em si o exigia. Como instruíam as palavras inflexíveis do Deuterónimo: "Derrubai os altares, quebrai os monumentos, queimai os bosques sagrados e abatei as imagens dos seus Deuses; fazei desaparecer daquela terra a sua lembrança."
(...)
De súbito, por volta de 170 d.c., um intelectual grego chamado Celso lançou um ataque monumental e vitriólico contra o Cristianismo. (...) Está preocupado. Transversal aos seus escritos está um claro receio de que esta religião - uma religião que ele considera estúpida, perniciosa e vulgar - se possa espalhar ainda mais e, ao fazê-lo, prejudicar Roma. Mais de mil e quinhentos anos depois, o historiador inglês do século XVIII Edward Gibbon retiraria conclusões semelhantes, depositando parte da culpa pela queda do Império Romano aos pés dos cristãos. (...) No entanto, ao contrário do que sucede com Gibbon, hoje poucos ouviram falar de Celso e ainda menos leram o seu trabalho. Porque os medos de Celso tornaram-se realidade. O Cristianismo continuou a disseminar-se, e não apenas entre as classes baixas. Cento e cinquenta anos depois do ataque de Celso, até um imperador de Roma se professava um seguidor da religião. O que aconteceu a seguir foi muito mais sério do que qualquer coisa que Celso pudesse ter imaginado. O Cristianismo não só ganhou adeptos, como proibiu as pessoas de adorarem os antigos Deuses gregos e romanos. 
(...)
Apesar do despeito que sentia pelos cristãos, Celso não parecia surpreendido por mais uma religião ter surgido neste mundo repleto de Deuses: a diversidade religiosa é precisamente aquilo que se espera. Celso mostra um interesse quase antropológico nos diferentes tipos de adoração que floresceram pelo Império Romano. "A diferença entre cada Nação é considerável", escreve. Alguns egípcios "adoram apenas Zeus e Diónisos. Os Árabes adoram apenas Urania e Diónisos. Todos os egípcios adoram Osíris e Ísis." (...) Era claro para Celso que a afiliação religiosa de uma pessoa se baseava não tanto numa análise racional das ideologias religiosas concorrentes, mas mais no seu nascimento. Todas as pessoas pensam sempre, realça, que a sua maneira de fazer as coisas "é de longe a melhor". Cita Heródoto aprovadoramente: "Se alguém se propusesse a visitar os homens e a dizer-lhes que escolhessem que leis eram as melhores, cada um escolheria a sua." (...)
Os observadores cristãos fitavam a tolerância dos seus vizinhos não cristãos com espanto. Santo Agostinho maravilhou-se, mais tarde, com o facto de os pagãos serem capazes de adorar muitos Deuses diferentes sem discórdia, ao passo que os cristãos, que adoravam apenas um, se dividiam em inúmeras facções adversárias. De facto, muitos pagãos como Celso pareciam louvar activamente a pluralidade. Para os cristãos, tratava-se de um anátema. Cristo era o caminho, a verdade e a luz, e tudo o mais não só era errado como mergulhava o crente na escuridão demoníaca. Permitir que alguém continuasse numa forma alternativa de adoração ou numa forma herética de Cristianismo não eram apenas liberdade religiosa; era permitir que Satanás prosperasse. 
Santo Agostinho, embora impressionado com a harmonia dos seus vizinhos, não estava disposto a estender essa tolerância a si mesmo. Era, concluiu, o dever de um Deus cristão converter os heréticos - pela força, se necessário. Tratava-se de um tema ao qual regressaria várias vezes. Valia mais um bocadinho de compulsão nesta vida do que a condenação eterna na próxima. Nem sempre era possível confiar nas pessoas para que estas soubessem o que era bom para elas. (...)
"Não há nada de errado", escrevera Celso, "se cada Nação observar as suas próprias leis de adoração". Para muitos dos mais influentes pensadores da Igreja Cristã, nada poderia ser mais abominável.»
-
In «A Chegada das Trevas - Como os Cristãos Destruíram o Mundo Clássico», editora Desassossego, páginas 56, 57, 64, 65, 66, 78, 79, 81, da autoria de Catherine Nixey

* * *

Num só acto moral revela-se o porquê de o Cristianismo ser, na sua própria essência enquanto doutrina, um inimigo mortal do Ocidente - vem do pensamento, do sentimento cristão a militância em impor um culto universalista a tudo e a todos, contra as fronteiras e as identidades nacionais. No pólo oposto, o Nacionalismo, o separatismo racial e a Democracia são produtos da mentalidade autenticamente pagã.

quarta-feira, outubro 16, 2019

SOBRE A CRUELDADE NAS CORRIDAS DE GALGOS

As corridas de galgos são um negócio secreto que rende muito dinheiro e a que apenas alguns têm acesso. Não há lei que as regule e, por isso, vale quase tudo naquilo a que alguns chamam de desporto. 
A TVI acompanhou várias corridas de galgos pelo país e revela os maus-tratos a que estes cães estão sujeitos com treinos excessivos e cruéis, doping e abandono, que muitas das vezes resulta em morte.
O galgo é também um dador universal, sendo o seu sangue traficado em canis clandestinos.
Existem até câmaras municipais a apoiarem monetariamente estas competições e a construir pistas para corridas de galgos.
Uma reportagem de investigação para ver esta Martes na rúbrica "Alexandra Borges" do Jornal das 8, na TVI.

Para ver a reportagem, aceder a esta página: https://tvi24.iol.pt/sociedade/alexandra-borges/o-lado-oculto-das-corridas-de-galgos-maus-tratos-treinos-violentos-trafico-de-sangue-e-abandono?fbclid=IwAR0hnzj259LwZG2PI8gSJNL-n_Woa7DuuZMx7xm4e-n-KqXw2mJBqNXSJ6c

* * *

É bom sinal civilizacional que esta prática seja exposta denunciada nos média dominantes. A consciência do dever de salvaguardar os mais vulneráveis desenvolve-se e alastra.

«ENCURRALADOS», DE FACTO...

A RTP2 transmite actualmente uma série islandesa intitulada «Trapped» ou «Encurralados». Uma história policial num pequeno sítio que cá pelo burgo seria pouco mais do que uma aldeia, num país com menos gente que a área da grande Lisboa... e mesmo aí o tema central é o quê?, o que é que poderia ser, numa época em que toda a elite reinante e me(r)diática é composta de clérigos e diáconos da Santa Madre Igreja Anti-Racista e Multiculturalista dos Últimos Dias do Ocidente?, ora, o que mais poderia ser, é mesmo o racismo: um grupo terrorista auto-intitulado «Martelo de Thor» sequestra e está disposto a matar para livrar o seu país da imigração em massa, sobretudo a muçulmana. Numa das passagens ouve-se a líder a barafustar, quase em jeito de desabafo, mas muito defensiva e quase frágil, que não quer que o seu país venha ser invadido por gente que nem fala Islandês e às tantas este idioma cai no esquecimento... que ingenuidade a da moça, nas sua plácida terra envolta numa ténue névoa adocicante parece não imaginar a real dimensão da catrefada de merda que a imigração terceiro-mundista infiltra nos países europeus...
A mentalidade totalitária antirra é assim mesmo - em parte alguma da terra pode o branco europeu estar em paz ou viver num espaço só seu, é que nem num remoto povoado do remoto setentrião se pode estar só entre brancos, porque não, porque é pecado... 

HOLANDA - MUÇULMANO ESFAQUEIA TURISTAS «PARA PROTEGER O PROFETA MAOMÉ»

Na estação central de Amesterdão , Holanda, um imigrante muçulmano esfaqueia dois turistas norte-americanos «para proteger o profeta Maomé». Não exibe qualquer arrependimento por isso e diz que volta a fazê-lo se necessário for para defender a sua religião. É condenado a 26 anos e oito meses de cadeia.
*
Fonte: https://www.jihadwatch.org/2019/10/netherlands-muslim-migrant-stabs-two-tourists-to-protect-the-prophet-muhammad

* * *

É um turismo vá-para-fora-cá-dentro...
Adenda ao tópico anterior: cuidado com os sítios que se escolhem para turismo, não apenas no terceiro-mundo propriamente dito, mas também no terceiro-mundo já em solo europeu...

TUNÍSIA - TURISTA FRANCÊS ASSASSINADO POR FANÁTICO RELIGIOSO

Em Bizerte, Tunísia, um fanático religioso fere um militar e seguidamente mata turista francês à facada. 
*
Fonte: https://www.jihadwatch.org/2019/10/tunisia-muslim-religious-extremist-stabs-french-tourist-to-death?fbclid=IwAR1bqssSgUlN_HNDCIoRAE3MwtYpOCNqP7RFVQFkFHntUk9sNYr7LuRepRk

* * *

Triste mania a dos europeus que insistem em fazer turismo no terceiro-mundo...

PRESIDENTE CHINÊS PROMETE ESMAGAR SEPARATISTAS

O Presidente da China, Xi Jinping, afirmou que “quem tentar actividades separatistas em qualquer lugar da China acabará com o corpo esmagado e os ossos quebrados”, de acordo com a edição digital desta Lues do jornal do Partido Comunista chinês.
“Quem tentar actividades separatistas em qualquer parte da China acabará com o corpo esmagado e os ossos quebrados, e qualquer força externa que apoie essas tentativas será considerada pelo povo chinês como irrealista”, disse o presidente chinês, durante uma visita de Estado ao país Nepal no fim de semana.
Xi Jinping fez estas declarações após 19 semanas do início das manifestações pró-democráticas em Hong Kong, que Pequim considera que são encorajadas por forças estrangeiras, tendo já apontado directamente Washington em várias ocasiões como o principal responsável.
Nesse sentido, o Presidente da China agradeceu ao Nepal pela sua “firme adesão à política de uma única China”, que rejeita Taiwan e Hong Kong como entidades independentes.
*
Agradecimentos a quem aqui trouxe esta notícia: https://zap.aeiou.pt/presidente-china-promete-quebrar-ossos-separatistas-285775

* * *

Primeiro sinal de que o colosso chinês pode ser dividido - pode e, aliás, deve, a bem da defesa das Nações. Um apoio maciço à independência do Tibete seria prestado por uma União Europeia regida pela lógica estritamente nacionalista, ou, pelo menos, por um bloco ocidental que, por motivos geoestratégicos, soubesse enfraquecer o seu maior oponente.

«RACISMO NO FUTEBOL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!» - (AI O CARAÇAS DO POVO QUE ESTÁ CADA VEZ MAIS RACISTA APESAR DOS RALHETES QUE A INQUISIÇÃO ANTI-RACISTA LHE DÁ)

Cresce a histeria - pelo menos a julgar pelo noticiário da SIC - contra o «racismo no futebol» europeu. Qualquer insulto de índole racial faz cair o Carmo e a Trindade e há logo quem diga que é preciso suspender selecções/equipas por vários anos. Por cá, uma decisão do tribunal diz que usar palavrões durante o jogo de futebol é tolerável. Ou seja, a questão, pelo menos em Portugal - e, provavelmente, nos outros países também... - não é o insulto às pessoas, a questão é a natureza do insulto... ofender é admissível, o que no fundo não é admissível é pensar em termos raciais... 
Este é só mais um episódio de como a Santa Inquisição Anti-Racista está sempre à espreita para não deixar as pessoas pensarem erradamente, a merda do padrão mental que a Cristandade trouxe ainda não morreu e os seus actuais depositários mais fortes são os seus descendentes morais, os da Santa Madre Igreja Anti-Racista e Multiculturalista dos Últimos Dias do Ocidente.

SUÉCIA - AUMENTO DA IMIGRAÇÃO TERCEIRO-MUNDISTA, AUMENTO DESMESURADO DE VIOLAÇÕES E HOMICÍDIOS

"Löfven, o senhor perdeu o controle da Suécia," escreveu recentemente o líder do maior partido de oposição Ulf Kristersson, do Partido Moderado de Centro-Direita, num artigo do diário Aftonbladet, no qual critica o Primeiro Ministro da Suécia Stefan Löfven pelo fracasso em resolver alguns dos graves problemas que afectam a Suécia. De acordo com Kristersson:
"As duas esferas às quais nós (Partido Moderado) damos prioridade máxima são a lei e a ordem e a integração. Porque é aí que estão os nossos maiores problemas nos dias de hoje."
"No ano passado ocorreram 306 tiroteios, 45 pessoas foram mortas a tiro. Segundo a polícia, o número de pessoas assassinadas dobrou desde 2014. No mesmo período o número de pessoas abusadas sexualmente triplicou, de acordo com o BRÅ (Conselho Sueco de Prevenção ao Crime)..."
"Portanto fazem-se necessárias reformas concretas. Nós propusemo-las, o Partido Social-Democrata diz não..."
"Concomitantemente, temos a crise da integração: mais de metade dos desempregados nasceram fora da Suécia. Nas nossas áreas de exclusão, (utanförskapsområden) há escolas onde sequer a metade dos estudantes passa em todas as matérias... Muitas crianças nascidas na Suécia dificilmente falam Sueco e também há forte repressão em nome da honra. Aqui nós também pedimos reformas, mas o Partido Social-Democrata diz não."
"Há uma ligação entre a integração e a imigração. Consequentemente, é imperativa a aprovação de uma política imigratória rigorosa e de longo prazo. Vistos de residência temporária e requisitos de auto-suficiência financeira para a reunificação familiar deveriam ser o ponto chave."
"Requisitos de conhecimento do idioma sueco e a auto-suficiência financeira deveriam constar nas condições para a obtenção de visto de residência permanente."
As críticas de Kristersson mostram que os partidos políticos mais influentes da Suécia estão plenamente cientes dos principais problemas que afligem o país. A crítica é particularmente expressiva se levarmos em conta ter sido ela feita pelo Partido Moderado: o antecessor de Kristersson, Frederik Reinfeldt, que ocupava o cargo de primeiro-ministro da Suécia de 2006 a 2014 e líder do Partido Moderado de 2003 a 2015, não se preocupava com isso. Em 2014, Reinfeldt exortava os suecos a "abrirem os corações" aos refugiados do mundo.
"Agora peço ao Povo Sueco para que seja paciente. Para que seja solidário com o mundo lá fora... No decorrer do tempo, dessa maneira, construiremos um mundo melhor... Haverá um custo, teremos de apertar o cinto, mas estamos a falar de gente que está a fugir para salvar a própria pele."
Kristersson, diferentemente do actual governo sueco, parece ter acordado para as realidades nas quais a Suécia se encontra.
Uma das realidades, de acordo com a Agência de Contingenciamento Civil da Suécia (MSB), órgão do Estado para a protecção e vigilância da comunidade, é que o terrorismo se tornou numa ameaça, de norte a sul, de leste a oeste na Suécia e é por esta razão que até os pequenos municípios precisam de estar preparados no tocante a actos terroristas.
"Antes de mais nada" salientou Jonas Eriksson, responsável pela segurança nos espaços públicos da MSB, "é preciso consciencializar-se de que ataques terroristas poderão acontecer em cidades menores... Portanto é necessário avaliar o que é considerado vulnerável e susceptível naquele município." A declaração veio depois de a polícia interceptar um ataque terrorista em potencial na cidade de Östersund em Agosto. O suspeito tentava jogar um automóvel em cima de uma multidão e atropelar quem estivesse à frente, segundo o Aftonbladet. Também está a ser investigado por ter ligações com Rakhmat Akilov, um terrorista condenado pelo assassinato de cinco pessoas por ter jogado um camião dentro de uma loja de departamentos no centro de Estocolmo em Abril de 2017.
Do início de 2019 ao final de Julho, houve 120 atentados à bomba na Suécia de acordo com estatísticas da polícia. Isso representa um salto de 45% se comparado ao mesmo período do ano passado quando ocorreram 83 atentados à bomba. O sul da Suécia, em particular, foi duramente atingido, foram 44 atentados à bomba. "No momento só é possível fazer especulações sobre o porquê desses actos. Temos um problema agravado pelo crime e pela exclusão," ressaltou Petra Stenkula, investigadora chefe da Região Sul. "É possível que o fornecimento de dinamite seja bom, ao passo que o fornecimento é limitado quando se trata de armas hoje em dia, se comparado a tempos atrás."
Desde Dezembro de 2018, somente na cidade de Landskrona ao sul da Suécia com cerca de 35 mil habitantes, houve sete explosões ou atentados à bomba. Em Agosto, a entrada da prefeitura de Landskrona foi explodida.
"Os que cometem tais actos querem desagregar a sociedade, não permitiremos que isto aconteça", salientou o vereador Torkild Strandberg do Partido Liberal.
Em Agosto, Linköping, outra cidade no sul da Suécia sofreu a segunda explosão deste ano. A polícia encontrou um objecto que acreditava conter explosivos. Ao ser destruído pelo esquadrão anti-bombas, teve lugar uma explosão de grandes proporções. A explosão destruiu um armazém da polícia e causou danos a edifícios adjacentes. No começo de Junho, também em Linköping, outra explosão sacudiu um imóvel residencial. Milagrosamente ninguém morreu, mas 20 pessoas ficaram feridas. A polícia suspeita que o incidente esteja ligado à briga de gangues.
A constante insegurança gerada por estes incidentes teve como consequência o salto na demanda por seguranças e demais serviços do sector atingindo novos patamares. Tanto as empresas particulares quanto as autarquias estão a abrir vagas para a contratação de mais seguranças. Segundo Hans Tjernström, assessor de imprensa da Associação Comercial da Suécia, uma mercearia de porte médio gasta cerca de 600 mil coroas suecas (US$62 mil) por ano com seguranças e outros itens ligados à segurança. De acordo com uma fonte do sector, nos próximos três anos, as empresas de segurança terão que recrutar mais 5.300 funcionários.
Estupros e ataques sexuais também continuam a todo o vapor. Somente em Uppsala, uma pitoresca cidade universitária sueca, onde 80% das meninas não se sentem seguras no centro da cidade, ocorreram quatro estupros ou tentativas de estupro num espaço de quatro dias no mês de Agosto. Em Estocolmo, houve dois estupros durante o festival da juventude "Nós somos Estocolmo" em Agosto, além de mais ou menos uma dúzia de crimes sexuais. No festival de Verão "Danças e Risos Piteå" em Piteå, ocorreu mais um estupro envolvendo dez homens.
Num recente artigo opinativo no Aftonbladet, Josefin Malmqvist, parlamentar do Partido Moderado, apelou para Morgan Johansson, actual Ministro da Justiça e Ministro para a Política de Imigração, para que ele "dê um basta nas violações, você está a deixar as mulheres ao Deus dará." No artigo, Malmqvist salientou: "A exposição ao risco de sofrer crimes sexuais teve um salto exponencial durante o mandato de Morgan Johansson (S) como Ministro da Justiça: pelo terceiro ano consecutivo, o número de boletins de ocorrência de estupros em 2018 bateu na casa dos 20 por dia. No ano em curso, até ao momento já houve um aumento de 14%... Na Suécia, um dos países mais igualitários do mundo, a liberdade das mulheres está diminuindo. O facto de as mulheres não terem a mesma liberdade de ir e vir nas ruas e praças, sem terem de se preocupar por estarem sujeitas ao crime, é uma grave limitação à sua liberdade e à autodeterminação. Embora o número de denúncias de ataques sexuais tenha aumentado, o índice de casos de estupro solucionados ainda é aterradoramente baixo. Uma análise sobre os casos de estupro denunciados de há uns anos para cá mostra que em cada 100 casos somente 5 acabaram em condenações."
Ela conclui: "É hora de parar com a lenga-lenga e partir para a acção. Os orçamentos do Partido Moderado e dos Democratas-Cristãos aumentaram os recursos da polícia; contudo, é preciso mais do que isso. Em Maio de 2018, a maioria do parlamento aprovou uma moção apresentada pelo Partido Moderado para endurecer a pena por crimes de estupro. De lá para cá, nada mudou. Já está mais do que na hora de o ministro da Justiça (S) fazer algo de concreto em defesa das mulheres suecas."
Outro grupo populacional que vem sofrendo ataques devido à falta de lei e ordem na Suécia é o das crianças. De acordo com o BRÅ, houve um aumento significativo no número de assaltos a jovens nos últimos anos. De há uns anos para cá, o número de denúncias de assaltos perpetrados contra menores de 18 anos aumentou drasticamente, de 1.084 casos reportados em 2015 para 1.896 em 2018, um avanço de 75%. Já constam até o momento 1.247 queixas de assaltos contra jovens em 2019. Segundo acredita Sven Granath, criminologista da polícia sueca, o aumento no número de assaltos contra jovens ocorre porque se tornou mais difícil assaltar pessoas mais velhas ou assaltar lojas. "Ficou mais difícil, então os assaltantes vão atrás do grupo que não consegue proteger-se tão bem. Esse grupo também tem o que outros jovens querem, como motocicletas, telemóveis e jóias" salientou Granath.
Ao que tudo indica, o Primeiro Ministro Löfven realmente perdeu o controle da Suécia.
-
Judith Bergman é colunista, advogada e analista política, também é Ilustre Colaboradora Sénior do Gatestone Institute.
*
Fonte: https://pt.gatestoneinstitute.org/15013/suecia-fugindo-controle

* * *

Sempre que ouvirdes alguém a referir a «mentira!!!!!!!!!!, a fake news!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!» do Trump quando este falou do que acontecera «ontem na Suécia», já sabeis, ele só errou no tempo verbal - não é «o que aconteceu», algo que talvez lhe tenha sido sugerido pela sua ingenuidade popular que levou ao exagero da sua expressão, comportamento típico de muitos «racistas xenófobos!», cujas afirmações exageradas são depois usadas como exemplo de «fake news!!!!» quando são só expressões de indignação popular - desta feita, no caso da Suécia, Trump só errou no tempo verbal, porque não é «o que aconteceu» mas sim o que tem vindo a acontecer: a desgraça da violência reinante devido à imigração maciça que a elite impõe ao povo.

CAÇAS DE COMBATE INDIANOS EM EXERCÍCIOS PERTO DOS HIMALAIAS PARA FAZER FRENTE ÀS FORÇAS MILITARES DA CHINA

Militares indianos têm vindo a realizar exercícios de alto nível nos Himalaias, perto da Linha de Controle Real (LAC). A frequência destes exercícios tem aumentado após relatos de um reforço militar por parte da China desde o confronto de Doklam em 2017. A LAC é a fronteira de facto entre a Índia e a China.
O Comando Oriental da Força Aérea Indiana (IAF) anunciou importantes exercícios em aeródromos próximos da fronteira com a China para permanecer em prontidão de combate em caso de conflito.
A IAF implantou o seu principal caça Su-30MKI, entre outros, durante os exercícios, declarou o Ministério da Defesa na Mércores.
O exercício terá lugar em duas fases, de 16 a 19 de Outubro e mais tarde de 29 de Outubro a 1º de Novembro.
As imagens divulgadas pelo Ministério da Defesa revelaram os seus aviões Su-30MKI e Hawk operando a partir de locais dispersos, inclusive Dimapur, Imphal, Guwahati, Calcutá, Pasighat e Andal.
"Os exercícios farão parte do aumento da capacitação e treinamento operacional para realizar operações a partir de locais dispersos em caso de hostilidades. O objectivo é familiarizar as tripulações da IAF com o procedimento de voar nesses aeródromos movimentados e de coordenar com os civis", disse na Mércores (16) o porta-voz da IAF (Comando Oriental), comandante de ala Ratnakar Singh.
No início deste mês, dias antes da visita do presidente chinês Xi Jinping a Nova Delhi para uma Segunda Cúpula Informal, os militares indianos haviam conduzido jogos de guerra em massa no Estado de Arunachal Pradesh.
No entanto, o Ministério das Relações Exteriores da China declarou que o exercício militar não decorreu em Arunachal Pradesh, mas em "Tibete do Sul", que é o que a China chama a região.
De olho na China, a IAF ressuscitou sete campos de pouso avançados em Arunachal Pradesh nos últimos três anos.
Em Setembro, a Índia também realizou jogos de guerra nas áreas de alta altitude de Ladakh Oriental com participação de tropas integradas de todos os seus serviços militares. O exercício incluiu o destacamento de forças mecanizadas com multiplicadores de força integrando plataformas de alta tecnologia.
A Índia tornou-se mais cautelosa após o destacamento pela China de bombardeiros estratégicos e mísseis de longo alcance que permitiriam facilmente ultrapassar as actuais capacidades de detecção da Índia.
"No planalto tibetano, uma série de novas bases aéreas importantes, juntamente com inúmeras pistas de aterragem satélite recentemente desenvolvidas, proporcionam à Força Aérea chinesa a capacidade de executar operações ofensivas através dos Himalaias", comentou Jagannath P. Panda, pesquisador do Instituto de Estudos e Análise da Defesa, sediado em Delhi.
A Índia e a China partilham uma fronteira de quase 4.000 km com grande parte da mesma em disputa, incluindo perto de Arunachal Pradesh, a que a China chama de Tibete do Sul.
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/defesa/2019101614649367-cacas-indianos-realizam-manobras-para-estarem-prontos-em-caso-de-guerra-com-china/

* * *

Perder oportunidade de reforçar os laços entre a Europa e a Índia seria mais uma consequência da política míope e desenraizada que ainda conduz o Ocidente.

terça-feira, outubro 15, 2019

LITUÂNIA - SOCIEDADE DE PESQUISADORES RELIGIOSOS CONDENA ACTUAÇÃO DE BASTIDORES TENDENCIOSA DA IGREJA CONTRA O RECONHECIMENTO ESTATAL DA RELIGIÃO NACIONAL PAGÃ


A Sociedade Lituana de Pesquisadores Religiosos dirigiu uma carta ao Presidente da República da Lituânia Gitan Nauseda, Presidente do Seimas [Parlamento Nacional] Viktor Pranckiej, Membros do Seimas, Primeiro Ministro Saulius Skvernelis, Ministro da Justiça Elvin Jankevičius, expressando a sua posição .
Consideram que a decisão do Seimas de não conceder o estatuto de religião à Romuva é tendenciosa e discriminatória.
Na Martes, 25 de Junho, após a audiência, o Seimas votou para conceder reconhecimento de estado à Romuva, mas, na véspera da votação, sob pressão da liderança da Igreja Católica, o Seima mudou de ideia.
26 de Junho O Arcebispo Gintaras Grušas, Presidente da Conferência Episcopal da Lituânia, numa carta dirigida aos membros da Seimas, argumentou que não se deveria conceder reconhecimento estatal à antiga comunidade religiosa do Báltico, Romuva. No mesmo dia, todas as declarações feitas pelo bispo numa carta aos membros do Seimas foram condenadas pela Krivia [Suprema-Sacerdotisa da Romuva] Inija Trinkūnienė.
De acordo com a Sociedade Lituana de Pesquisadores Religiosos, ao contrário do que foi declarado no e-mail do arcebispo Gintaras Grušas, presidente da Conferência Episcopal da Lituânia, a Romuva cumpre claramente o mandato de 25 anos desde que os seus fundadores foram registados em 1992. Segundo os estudiosos religiosos, ao contrário do que o arcebispo afirma, houve toda a oportunidade de avaliar a lei e a integridade do ensino e dos ritos dessa comunidade religiosa, uma vez que estão consagrados nos estatutos e são praticados publicamente por décadas. "Aqui provavelmente estamos a ver um caso em que a estrutura de uma religião está a ser normalizada, tentando-se impor isso como medida para medir outras religiões", afirma a carta.
"Lamentamos que tais argumentos infundados tenham sido apresentados aos membros do Seimas no mesmo dia em que tomariam uma decisão sobre o reconhecimento da Romuva, presumivelmente para evitar serem considerados e avaliados pelos seus méritos, a fim de influenciar a autoridade da Igreja Católica".

Publicamos a seguir o texto completo divulgado pela Sociedade Lituana de Pesquisadores Religiosos:

Posição da Directoria do LRD sobre a recusa do Estado de conceder o estatuto de associação religiosa à Romuva
Presidente da República da Lituânia Gitan Nauseda Presidente do Seimas Viktoras Pranckis 
Membros do Seimas Primeiro Ministro Saulius Skvernel e Ministro da Justiça Elvin Jankevicius

2019 27 de Setembro .

2019 27 de Junho Quando o Seimas da República da Lituânia decide não conceder o estatuto de associação religiosa reconhecida pelo Estado à antiga Sociedade Religiosa do Báltico Romuva, a Sociedade Lituana de Pesquisa Religiosa manifesta a sua preocupação e a implementação do princípio da separação religiosa. 
2017 29 de Dezembro O Ministério da Justiça da República da Lituânia concluiu que a Romuva cumpre os requisitos da Lei das Comunidades e Associações Religiosas da República da Lituânia (I-1057, de 4 de Outubro de 1995 (versão consolidada actual em 5 de Janeiro de 2010)) A conclusão apresentada pelo Ministério da Justiça baseia-se numa análise de requisitos legais relevantes, pesquisa em Romuva e no paganismo moderno em geral, e um levantamento de uma opinião pública representativa encomendada especificamente pelo Ministério. O Seimas adoptou uma decisão desfavorável à comunidade.
Reconhecendo o interesse legítimo dos cidadãos de várias visões do mundo em participar da vida do Estado e tomar decisões com base nele, eventos antes e durante a consideração desta questão de reconhecimento do Estado revelaram claramente os princípios legais da Lituânia e a decisão dos membros de Seimas. Paradoxalmente, a decisão positiva de conceder o estatuto de associação religiosa reconhecida pelo Estado à Romuva foi fortemente contestada por ex e actuais membros do Comité de Direitos Humanos da Seimas. Enquanto as Nações Unidas conversam sobre a aplicação de um conceito abrangente de direitos humanos, a Lituânia está retornando à conclusão de que o direito à liberdade religiosa pertence apenas a alguns dos eleitos. É razoável acreditar que a decisão da Seimas da República da Lituânia de discriminar a Romuva como comunidade religiosa e seus membros foi amplamente determinada por argumentos tendenciosos de vários grupos sociais com base em supostas terminologias científicas e jurídicas.
O papel desempenhado pela Romuva no ano de 2019 foi particularmente importante. 
27 de Junho - Foi enviado um e-mail aos membros da Seimas da Conferência Episcopal da Lituânia, Arcebispo G. Grušas, que alegadamente continham argumentos científicos e legais que justificavam a recusa de tomar uma decisão negativa sobre Romuva. Depois de ler este artigo, como pesquisador de religiões, observamos que (os comentários abaixo são sobre os escritos do arcebispo):
Escolher um nome é uma questão de auto-determinação. Um título não é necessariamente uma mera declaração de factos, da mesma forma pode ser uma declaração de objectivos. Romuva procura restabelecer a fé ancestral (no sentido amplo, no Báltico) e, nesse sentido, o seu nome é claro e não enganoso, não apenas em termos legais, mas também em geral. Ao mesmo tempo, deve-se notar que, no aspecto de conceder o estatuto de uma associação religiosa reconhecida pelo Estado, a aspiração da Romuva em restaurar a antiga fé do Báltico é irrelevante; De acordo com a Lei sobre Comunidades e Associações Religiosas da República da Lituânia, o Estado reconhece, não religiões, mas religiões como pilar da sociedade, cujos ensinamentos e ritos não violam a lei e a integridade.
A carta do arcebispo afirma que a comunidade religiosa de Romuva existe na Lituânia há menos de 25 anos, exigidos por lei. Este argumento não tem fundamento, uma vez que antes de a lei ser adoptada em 1995, na Lituânia não havia nenhum conceito legal de associação religiosa, mas a lei previa que o Estado pudesse reconhecer associações religiosas que estavam em operação legal após 1918. Note-se também que em 1992 a comunidade Romuva registada de Vilnius foi um dos fundadores da antiga Sociedade Religiosa do Báltico, Romuva, e hoje faz parte dessa comunidade, portanto, o requisito estatutário de 25 anos foi claramente atendido.
O arcebispo G. Grušas está errado ao dizer que a fé da Romuva não tem sido suficientemente baseada em doutrinas e que é supostamente impossível avaliar se o ensino e as ordenanças da comunidade estão de acordo com a lei e a integridade. Os princípios fundamentais da fé da Romuva estão consagrados nos estatutos desta comunidade religiosa, e a própria fé é praticada publicamente há décadas, portanto o Estado deve ter tido tempo para determinar a relação entre os seus ensinamentos e ritos e a lei e os padrões morais geralmente aceites. 
Quanto a dizer que a Romuva ainda não desenvolveu uma teologia abrangente, aqui provavelmente estamos vendo um caso em que a estrutura de uma religião está sendo normalizada, tentando impor isso como parâmetro para medir outras religiões.
Não está claro como o arcebispo G. Grušas gostaria de medir o apoio público a comunidades religiosas individuais - qual é a sua "pesquisa mais ampla" sem nome? As comunidades judaicas e muçulmanas tradicionais na Lituânia são claramente menos valorizadas nas pesquisas de opinião pública do que a Romuva, e essas comunidades religiosas (a esse respeito, Karaims podem ser adicionadas) também são numericamente menores. Se a Romuva não tem apoio público (no entanto, vamos usar a noção constitucional de "apoio na sociedade"), a pergunta retórica é: qual das comunidades religiosas reconhecidas pelo Estado tem esse apoio?
Lamentamos que tais argumentos infundados tenham sido apresentados aos membros da Seimas da República da Lituânia no mesmo dia em que tomariam uma decisão sobre o reconhecimento da "Romuva", provavelmente para evitar serem considerados e avaliados em termos de conteúdo.
Argumentos semelhantes foram apresentados a 28 de Junho pelo padre Secretário Geral da Conferência dos Bispos da Lituânia. Numa carta assinada por Kestutis Smilgevicius ao Ministério da Justiça da República da Lituânia, as conclusões são questionadas e apresentadas pelo Ministério como não científicas e tendenciosas. Membros da Sociedade Lituana de Cientistas Religiosos, incluindo a religiosidade contemporânea em geral, e estudiosos do paganismo contemporâneo e da Romuva especificamente, não consideram muitas questões relacionadas com os conceitos e sua interpretação devido à natureza e ao escopo do texto; este é o entendimento científico da comunidade religiosa. Além disso, a conclusão certamente pode ser descrita como tendenciosa ou apologética: por exemplo, ao contrário do que muitos membros de Romuva acreditam, é descrita como um novo movimento religioso formado durante o período moderno.
Os estudiosos religiosos lituanos ficam surpreendidos com o tom da carta, que apela à suposta objectividade científica, em que um grupo religioso procura "avaliar cientificamente" as conclusões tiradas por especialistas do Ministério da Justiça a partir de posições de poder. Também é digno de nota que a Conferência Episcopal da Lituânia não consultou nenhum dos académicos da Sociedade Lituana de Pesquisa Religiosa para consulta sobre a avaliação do estatuto religioso da Romuva no texto preparado por membros da própria Igreja Católica. Conceitos religiosos da comunidade académica, argumentos baseados na interpretação de pesquisas e conclusões, foram ignorados e, em vez disso, basearam-se apenas em conceitos centrados na abordagem cristã, aplicando incorrectamente os princípios legais estatutários, impedindo o exercício de direitos legais e disseminando teorias da conspiração e criando intolerância e tensão na sociedade. Esta é uma causa de séria preocupação para a Sociedade Lituana de Pesquisadores Religiosos, que reúne estudiosos de vários campos, nacionais e estrangeiros.
A negação do estatuto de reconhecimento do Estado à Comunidade Religiosa do Báltico Antigo é importante não apenas como um caso de violação dos direitos humanos por membros da comunidade religiosa, mas também como uma base para aumentar a desconfiança dos cidadãos quanto aos princípios legais do Estado e cumprir expectativas legítimas e direitos humanos. Portanto, recomendamos: 
 - basear a análise das religiões numa perspectiva científica, e não confessional, com base nos princípios de objectividade e imparcialidade;
 - aderir aos princípios do Estado de direito e da Democracia, respeito aos direitos humanos e à separação de Estado e Religião e às conclusões tiradas por especialistas ao tomar decisões sobre comunidades religiosas;
 - o período de 25 anos para auto-avaliação ou, de facto, o período de 25 anos sob a Lei de Comunidades e Associações Religiosas da República da Lituânia, buscando obter o estatuto de uma associação religiosa reconhecida pelo Estado, é ideal para determinar se os seus ensinamentos e cerimónias estão em conformidade com a lei e a integridade. Do ponto de vista científico, isto pode ser feito num período mais curto de tempo.
Membros do conselho da Sociedade Lituana de Pesquisadores Religiosos: 
Assoc. dr. Rasa Pranskevičiūtė-Amoson 
dr. Eglė Aleknaitė 
prof. dr. Milda Ališauskienė 
prof. habil. dr. (hp) Audrius Beinorius 
Assoc. dr. Dawn Pažėraitė
*
Fonte: http://alkas.lt/2019/09/27/lietuvos-religijotyrininkai-seimo-sprendimas-romuvai-nesuteikti-valstybes-pripazinimo-statuso-yra-diskriminacinis/?fbclid=IwAR2N5rCywM1P-6e8UUwDzqve8rgOJu6L0K_23_mbYWQQI7eRR7GSzZEbEPU#.XY5RS5TUU1I.facebook

* * *

Dois mil anos depois permanece a intolerância cristã, abraâmica, de sempre... nem os séculos de Renascença, humanismo, laicismo, nem depois de tudo isso a Chusma de Cristo - o grosso do clero, entenda-se... - deixa de ser o que não podia deixar de ser porque o próprio cerne da doutrina cristã, universalista e totalitário, implica o combate permanente a todo o culto religioso que não seja dedicado ao carpinteiro crucificado... um combate que amiúde se faz das maneiras mais reles e sujas, como de resto se fez sempre, desde as origens do Cristianismo, continuamente em plena subversão desonesta e traiçoeira contra todo o sistema que não lhe obedeça...
Uma saudação é devida aos lituanos que atendem ao chamado da lealdade aos Deuses Nacionais e espíritos ancestrais da sua herança étnica e não desistem de um direito que é mais seu do que de qualquer outro praticante religioso.


NO PAÍS IRMÃO - TOUREIRO É GRAVEMENTE FERIDO

O matador de toiros espanhol Gonzalo Caballero ficou gravemente ferido após ter sido atingido na virilha pelo chifre do touro, numa corrida na praça Las Ventas, em Madrid, durante as comemorações do Dia Nacional de Espanha, avança o Correio da Manhã.
No Twitter, a organização da corrida referiu que o jovem toureiro de 27 anos foi operado de urgência na enfermaria da praça de touros.
Gonzalo Caballero foi atingido na coxa esquerda durante uma pega, o chifre do touro provocou-lhe dois cortes, um de 30 centímetros e outro de 25, que lhe perfuraram a artéria femoral. 
Gonzalo foi transportado para o Hospital San Francisco de Asís, onde está internado com um prognóstico reservado.
De acordo com o El País, citado pela mesma fonte, em maio deste ano o toureiro, que é apontado pela imprensa local como o namorado de uma das sobrinhas do Rei de Espanha, já havia sofrido um golpe na coxa esquerda durante uma corrida.
Veja o vídeo aqui: https://www.jm-madeira.pt/internacional/ver/74191/Toureiro_espanhol_entre_a_vida_e_a_morte_apos_violenta_cornada_na_virilha_Com_video

* * *

Momento de inequívoca justiça poética... pena é que o toiro tenha provavelmente sido abatido ou venha a sê-lo.

NA CAPITAL - ESTRANGEIROS AGRIDEM POLÍCIAS

Um agente da PSP sofreu três fracturas no nariz e lesões no olho esquerdo depois de ter sido espancado, na madrugada desta Martes, quando se encontrava em funções na freguesia de Santo António, em Lisboa.
Ao que o Notícias ao Minuto apurou, o episódio aconteceu pelas 00h15. O agente encontrava-se a fazer patrulha naquela localidade quando um transeunte o informou de que estava a decorrer uma desordem junto a um estabelecimento comercial.
O polícia deslocou-se ao local e quando abordou os suspeitos – duas mulheres e um homem de nacionalidade estrangeirafoi recebido com violência, tendo sido empurrado e agredido.
O suspeito do sexo masculino desferiu vários golpes na cara do polícia, uma agressão que só terminou graças à ajuda de populares que impediram o pior.
Com a ajuda das pessoas que se encontravam no local, o agente soltou-se e deteve os três suspeitos que, já na esquadra, mantiveram a postura agressiva, pontapeando o mobiliário ali existente e tentando fugir do local.
Os detidos, com idades entre os 26 e os 32 anos, vão ser presentes a tribunal para aplicação das respectivas medidas de coacção.
Já o polícia foi transportado para o hospital onde a equipa médica lhe diagnosticou três fracturas no nariz e uma lesão no olho esquerdo, sendo necessário ser submetido a uma intervenção cirúrgica.
-
Uma mulher de 51 anos foi detida, na Lues de manhã, na Misericórdia, em Lisboa, depois de ter agredido um agente da PSP que se encontrava a fazer um serviço de remunerado num estabelecimento comercial.
Tudo aconteceu pelas 08h45. A suspeita comeu um chocolate e preparava-se para sair sem pagar, quando uma funcionária se apercebeu e alertou o agente da PSP que ali se encontrava.
O polícia abordou a mulher para tentar esclarecer a situação e quando lhe pediu a identificação a suspeita tornou-se violenta, insultando o agente ao mesmo tempo que tentava fugir e acabando por desferir uma bofetada na cara do polícia, a quem também empurrou e arranhou num braço.
A mulher foi detida e presente a tribunal foi-lhe decretada a suspensão provisória do processo.
*
Agradecimentos a quem aqui trouxe esta notícia: https://www.noticiasaominuto.com/pais/1339578/policia-espancado-em-lisboa-fica-com-o-nariz-partido-e-lesoes-num-olho?utm_medium=social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer&utm_content=geral&fbclid=IwAR0iQ1-4TcMeUvWJ39QOTfdvLFvJKeRcLJccEgr6ZdTF9vndKDuD-Ao50Yw

* * *

Esta facilidade na agressão por motivos ínfimos, esta extrema agressividade prenhe de impunidade, típica de quem tem quentes as costas, vá-se lá saber porquê, todo este à vontade explosivo... tudo isto tresanda a merda da grossa... assim bem escura... mas, uma vez que a imprensa não revela a proveniência dos agressores, ficamos assim, sem saber mais do que isto...

PETIÇÃO PARA ACABAR COM CORRIDAS DE CÃES EM PORTUGAL

Deu entrada hoje na Assembleia da República uma iniciativa legislativa para banir as corridas de cães em Portugal. O que se pretende é acabar com os maus-tratos e com o abandono de animais. Segundo dados divulgados por associações de resgate animal, todos os anos são recolhidos das ruas cerca de uma centena de galgos abandonados. Os chips são retirados dos animais à força para que os responsáveis consigam assim escapar à justiça, lê-se no texto do documento.
Estão identificadas seis zonas em Portugal onde se realizam estas corridas: Vila Nova de Famalicão, Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Bombarral, Alenquer e Cuba do Alentejo.
Há registo de 23 galgueiros (criadores de galgos) nacionais certificados. Para participarem nas corridas, os cães devem ter uma tatuagem no interior das duas orelhas, com os números e letras que identificam o cão e o galgueiro. Nestas corridas é necessário que esteja presente o veterinário municipal, de forma a cumprir a legislação em vigor no que diz respeito ao bem-estar animal, para inspecção de documentação dos cães participantes, do seu estado físico, e autorização para participarem em corridas. No entanto, numa prova do campeonato nacional em Vila Nova de Famalicão, em Abril deste ano, constatou-se que não estava presente nenhum veterinário, e que a câmara municipal não sabia da existência do evento.
É ainda destacado, na iniciativa, o incumprimento de várias leis ao serem realizadas estas corridas. “Nos termos do Decreto-Lei nº. 13/93 de 13 Abril, e de acordo com a Convenção Europeia para a Protecção dos Animais de Companhia: 'Ninguém deve inutilmente causar dor, sofrimento ou angústia a um animal de companhia' e 'são proibidas todas as violências injustificadas contra animais, considerando-se como tais os actos consistentes em, sem necessidade, se infligir a morte, o sofrimento cruel e prolongado ou graves lesões a um animal'”.
A iniciativa juntou até agora 193 assinaturas.
*
Fonte: visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2019-10-15-Ha-uma-nova-iniciativa-legislativa-para-acabar-com-corridas-de-caes-em-Portugal

Para assinar, aceder a esta página: https://participacao.parlamento.pt/initiatives/878?fbclid=IwAR2TNkSPnPcuQfJXT-MJoOmo8Q-W9d6QNkDGo7nIne5BqpCpZmC5wS78VP0

NA CIDADE MAIS AFRICANIZADA DO PAÍS - JOVEM ASSALTADO E VIOLADO

Um jovem de 19 anos assaltado e violado, na madrugada deste domingo, na freguesia de São Brás, na Amadora. 
De acordo com a TVI, por volta das 03h00, quando ia para casa, a vítima foi abordada por um grupo de três indivíduos de cara tapada que, com recurso a uma arma branca, a obrigaram a entregar o telemóvel. Depois, um dos suspeitos terá obrigado o jovem a baixar as calçar para o violar.
Segundo a mesma estação televisiva, o jovem apresentou queixa às autoridades e foi transportado para o Hospital Fernando Fonseca para a realização de exames médicos.
A Polícia de Segurança Pública (PSP) está a realizar diligências para localizar os suspeitos. 
*
Agradecimentos a quem também aqui trouxe esta notícia: https://sol.sapo.pt/artigo/674020/jovem-de-19-anos-assaltado-e-violado-na-amadora

* * *

Deve ser culpa da pobreza!, da exclusão!!, do raciiiiismoooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!, do aquecimento global!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!, do Trump!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!, da maldade humana!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!... ou então da merda às catadupas que a elite insiste em impingir aos Europeus...


EM ITÁLIA - ELITE REINANTE COMEÇA A ENFIAR IMIGRANTES NO PAÍS DEPOIS DE CONSTITUIR GOVERNO

O novo governo italiano, que prometeu reverter a abordagem linha dura adoptada pelo ex-ministro do interior Matteo Salvini em relação à política migratória, parece ter desencadeado uma nova onda de imigração em massa do Norte de África.
Mais de 1.400 migrantes chegaram à Itália desde que o novo governo foi empossado em 5 de Setembro, de acordo com os dados compilados pela Organização Internacional de Migração (OIM).
Nas últimas semanas o número de imigrantes que chegou à Itália aumentou gradualmente. Os números a seguir referem somente o mês de Setembro: 59 dia 6, 67 dia 9, 121 dia 14, 259 dia 15, 275 dia 18. Entre os dias 19 e 25 de Setembro chegaram 475 imigrantes de acordo com a IOM. Como um todo, o número de imigrantes que chegou à Itália em Setembro de 2019 superou a casa dos 100% se comparado com Setembro de 2018.
Muitas dessas novas chegadas à Itália fazem uso de novas rotas de Tráfico de Pessoas e Contrabando de Imigrantes que se originam na Turquia. De algumas semanas para cá, pelo menos cinco barcos aportaram na Calábria, extremo sul de Itália. Em 21 de Setembro, por exemplo, 58 imigrantes, todos paquistaneses do sexo masculino, desembarcaram no porto de Crotone na Calábria.
As máfias que traficam seres humanos também estão usando novas rotas no sul do Mediterrâneo para levar pessoas da África Subsaariana para a Itália. Nas últimas semanas, grupos criminosos têm vindo a usar pequenos botes para transportar imigrantes da Líbia para a Tunísia, onde a travessia para Lampedusa, a ilha italiana mais próxima do continente africano, é o caminho mais curto e menos arriscado. Em 20 de Setembro, por exemplo, 92 imigrantes da África Subsaariana — Gâmbia, Costa do Marfim, Mali e Senegal — aportaram em Lampedusa.
Enquanto isso, ao que tudo indica, o novo governo italiano está a ser mais leniente no que diz respeito aos navios operados por organismos humanitários, que têm vindo a ser acusados de trabalharem em conjunto com as máfias do tráfico de pessoas e contrabando de imigrantes com o objectivo de apanharem imigrantes na costa da Líbia e transportá-los aos portos italianos.
Em 14 de Setembro, o governo italiano autorizou o Ocean Viking, navio de bandeira norueguesa operado pelos organismos humanitários SOS Méditerranée e Médecins Sans Frontières (MSF), a atracarem em Lampedusa, onde 82 migrantes apanhados na costa da Líbia puderam desembarcar.
Em 24 de Setembro, o governo italiano consentiu que o Ocean Viking, desta vez com 182 imigrantes a bordo, atracasse no porto de Messina na Sicília.
Embora Salvini tivesse proibido que barcos de salvamento marítimo atracassem em portos italianos, a postura mais leniente do novo governo parece também ter encorajado as Organizações Não Governamentais (ONGs). Em 23 de Setembro, a ONG espanhola Open Arms anunciou que irá recomeçar com o resgate de imigrantes a bordo da embarcação que leva o nome de Astral.
Em Agosto, a Open Arms e seu navio do mesmo nome envolveram-se num impasse de três semanas com o governo italiano que se recusava a permitir que a embarcação atracasse em portos italianos. Depois de mais de dez imigrantes saltarem para o mar e se prem a nadar até terra firme, o promotor siciliano Luigi Patronaggio ordenou em 20 de Agosto que o Open Arms, que estava ancorado a um quilómetro de Lampedusa, atracasse na Sicília para que os passageiros pudessem desembarcar. Vídeos mostram a Open Arms agindo de má fé encenando o salto para o mar com o intuito de manipular a opinião pública. Posteriormente as autoridades italianas apreenderam o navio por ordem judicial.
O governo espanhol prometeu adoptar uma linha mais dura contra a ONG Open Arms. Em 21 de Agosto, a vice-primeira-ministra da Espanha, Carmen Calvo disse à rádio Cadena SER que a Open Arms não tinha licença para transportar imigrantes e que corria o risco de levar uma multa de US$1 milhão por violar a proibição de navegar nas águas do litoral da Líbia. A ameaça parece não ter surtido efeito. A ONG Open Arms agora diz que irá resgatar imigrantes no Mar Egeu entre a Grécia e a Turquia.
ONGs do tipo Open Arms alegam estarem a desempenhar um papel humanitário de valor inestimável, salvando vidas de refugiados e candidatos a asilo que fogem de guerras e opressão em seus países. As estatísticas, no entanto, mostram algo bem diferente.
Dos que chegaram à Itália por via marítima nos seis primeiros meses de 2019, 600 (21%) eram da Tunísia, 400 (14%) do Paquistão, 300 (10%) da Argélia, 300 (10%) do Iraque, 200 (7%) da Costa do Marfim, 200 (7%) de Bangladesh, 100 (3.5%) do Sudão, 100 (3.5%) do Irão, 100 (3.5%) do Marrocos e 50 (1.7%) do Egipto, de acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (UNHCR).
Os dados indicam que a maioria dos imigrantes que chegam à Itália são imigrantes económicos e não refugiados fugindo de zonas de guerra.
Em alguns casos, imigrantes que chegam à Itália são criminosos de alta periculosidade fazendo-se passar por refugiados. Em 26 de Setembro, o jornal italiano Il Giornale reportou que um navio de resgate de imigrantes de nome Sea Watch 3, que em Junho abalroou uma lancha da polícia marítima que tentava impedi-lo de chegar à praia, deixou que três traficantes de seres humanos disfarçados de refugiados desembarcassem em Lampedusa.
Mohammed Condè, natural da Guiné e Hameda Ahmed e Mahmoud Ashuia, ambos egípcios, foram presos recentemente em Messina. Foram acusados de operar um campo de detenção de imigrantes na Líbia onde, segundo consta, torturavam, estupravam, sequestravam e até assassinavam imigrantes da África Subsaariana que estavam a caminho da Europa. Il Giornale informou que o novo governo italiano procurou abafar as informações da população sobre as prisões, antes de o caso ter sido vazado para os média.
Enquanto isso, os ministros do Interior de França, Alemanha, Itália e Malta reuniram-se em 23 de Setembro na capital de Malta, Valeta, onde concordaram com uma proposta temporária quanto aos imigrantes à deriva para que fossem "redistribuídos voluntariamente" através da União Europeia.
A proposta de quatro pontos a ser apresentada aos ministros do Interior de todos os 28 Estados Membros da UE numa reunião de cúpula em Bruxelas nos dias 17 e 18 de Outubro, tem a finalidade de promover o novo governo italiano mostrando a "solidariedade europeia."
Propostas nos mesmos moldes não vingaram no passado e não há motivo para acreditar que agora será diferente, em grande medida porque o conceito de solidariedade europeia não passa de um mito. Até agora somente seis países da UE concordaram com a redistribuição de imigrantes: França, Alemanha, Grécia, Itália, Malta e Espanha.
O Primeiro Ministro da Itália Giuseppe Conte tem vindo a insistir que a questão da imigração "não pode continuar a alimentar a propaganda anti-europeia." Também salientou que a atitude mais branda em relação à imigração ilegal baseia-se na "fórmula de um novo humanismo." Nomeou Luciana Lamorgese, uma burocrata de carreira com postura moderada quanto à imigração, como a nova ministra do interior da Itália. A jornalista italiana Annalisa Camilli explicou as mudanças: "No fundo a Itália está a dizer à Europa: estamos a romper com a política anterior. É uma guinada e tanto o facto de a Itália ter optado por voltar a alinhar-se com Alemanha, França e Espanha em vez de se alinhar com países anti-imigratórios como Hungria e Polónia, como acontecia no governo do ex-ministro do Interior de Extrema-Direita Matteo Salvini."
Salvini condenou o novo governo como "concebido em Paris e Berlim, nascido do medo de ceder o poder, sem dignidade e sem ideais, com as pessoas erradas na conjuntura errada."
Salvini também acusou Conte de reabrir as comportas da imigração em massa: "Conte reabriu os portos italianos, a chegada de imigrantes está a aumentar pela primeira vez em dois anos," salientou ele numa entrevista concedida à TV Sky Tg24. Também tuitou o seguinte: "o novo governo reabre as portas, a Itália é novamente o CAMPO DE REFUGIADOS da Europa. Ministros abusivos que detestam os Italianos."
Desde que Salvini anunciou a política linha dura em relação à imigração em Junho de 2018, a chegada de migrantes à Itália— bem como o número de mortos e desaparecidos — caiu vertiginosamente. O número de imigrantes que chegou pelo mar caiu de 119.369 em 2017 para 23.370 em 2018, uma queda de 80%, de acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados. No mesmo período, o número de mortos e desaparecidos caiu de 2.873 para 1.311, uma queda de mais de 50%.
Uma tendência parecida manifestou-se em 2019: chegaram à Itália 2.800 imigrantes pela via marítima entre Janeiro e Junho de 2019, se comparado com os 16.600 no mesmo período de seis meses de 2018 e 83.800 em 2017, de acordo com o UNHCR.
A tendência para baixo deu uma guinada imediata de 180º assim que o novo governo assumiu o cargo em Setembro, conforme mostram os dados da OIM.
A volta da imigração em massa para a Itália provavelmente jogará os eleitores nos braços de Salvini, que já é o político mais confiável de Itália, segundo um novo levantamento publicado pelo jornal Il Giornale de 19 de Setembro. O levantamento também mostrou que o partido Liga de Salvini é hoje o partido político mais popular da Itália e que se as eleições fossem hoje Salvini venceria por uma margem considerável.
"O novo governo não escapará ao julgamento dos eleitores italianos por muito tempo," tuitou Salvini." Estamos a postos. 'O tempo cura tudo'. Ao fim e ao cabo, nós é que venceremos."
-
Soeren Kern é Membro Sénior do Gatestone Institute em Nova Iorque.
*
Fonte: https://pt.gatestoneinstitute.org/14975/italia-salvini-migrantes

* * *

Não é ainda a entrada migratória à força toda, que ainda agora o governo foi empossado e apalpa terreno, mas em breve acabará por acontecer, porque a elite tem pressa de encher a Europa de alógenos e agora pode fazê-lo em Itália porque alcançou aí um governo aparentemente estável. 
Resta que o povo perceba cada vez mais a importância crucial, urgente e actualmente decisiva de cada oportunidade de votar para salvaguardar o que é seu por direito - a terra dos seus ancestrais.

ÍNDIA - MUÇULMANOS APEDREJAM PROCISSÃO RELIGIOSA HINDU PORQUE ESTA NÃO SILENCIOU A MÚSICA AO PASSAR POR UMA MESQUITA

Em Barlampur, no Estado indiano de Uttar Pradesh, uma multidão muçulmana lançou pedras contra uma romaria hindu, Durga Puja - Festival de Durga, Deusa hindu - ao constatarem que os hindus desta procissão não suspenderam a sua música ritual quando passaram junto a uma mesquita.
Pelo menos um indivíduo ficou ferido e caído no chão. Oito pessoas foram detidas e  marcha da Durga Puja prosseguiu com sucesso, enquanto uma força policial foi destacada para o local de maneira a manter a paz.
*
Fontes: 
https://swarajyamag.com/insta/up-durga-puja-procession-heavily-pelted-with-stones-in-balrampur-for-not-stopping-music-near-mosque

* * *

Resta saber se estes muçulmanos também foram radicalizados pelo «raciiiiiiiiiiiiiismo!!!!» europeu ou se isto é culpa do Trump... ou se, em vez disso, este é só mais um exemplo, corriqueiro e quotidiano, da tendência natural muçulmana para impor, com total despudor, o seu domínio territorial, assim que consegue alcançar número populacional para o efeito... o facto de o Hinduísmo - no qual se inscreve a procissão em honra da Deusa Durga - ser a religião autóctone, nacional, do Povo invadido, não inibe minimamente quem se acha no direito de sobrepor o seu credo a tudo e a todos. 


ÉVORA - CIGANOS ENVOLVIDOS EM TIROTEIO NEM SEQUER SÃO DETIDOS

Duas famílias, residentes no Bairro das Pias, em Elvas, envolveram-se num tiroteio no último sábado.
Segundo fontes próximas da autoridade local foram disparados dezenas de tiros para o ar. Não se registam quaisquer vítimas.
Rui Massaneiro, comandante da PSP de Elvas, em declarações à Rádio Portalegre, afirmou que ‘os tiros foram disparados para o ar e o incidente não colocou outras pessoas em perigo, que não os envolvidos.’
Este responsável adiantou ainda que ‘não foram efectuadas detenções, mas os alegados autores dos tiros estão todos identificados’, referiu.
*
Fonte: https://televisaodosul.pt/tiroteio-entre-familias-ciganas-em-elvas/?fbclid=IwAR3YO5O2ttOPCMP3NrJOHeyFJxVRJ3F3YQKKrwoA72-QEgxfq9BZQvw-7Tk

* * *

Impunidade de minorias em sociedade universalista governada por antirras é mesmo merda desta - a impunidade total de indivíduos que andam aos tiros na via pública mas nem sequer são detidos. Depois a súcia politicamente correcta escandaliza-se muito quando constata que a população portuguesa - ou qualquer outra europeia... - não quer ciganos por perto...
Imagino o que não diria todo Esquerdalhame, e até a direitinha politicamente correcta, se o tiroteio fosse entre «nazis» e a polícia não detivesse nenhum deles... «aqui d'el rei que a polícia é raciiiiiista!!!! porque pactua com os raciiiiiiiiiiiiiiiiiiiistas!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!» e havia logo «manifes espontâneas» à frente de esquadras e do Ministério do Interior...

BARCELONA - MANIFESTAÇÃO INDEPENDENTISTA LEVA AO CANCELAMENTO DE CENTENAS DE VOOS

Manifestantes pró-independência da Catalunha foram reprimidos no aeroporto de El Prat, em Barcelona, e em outros locais da cidade nesta Lues (14).
O ato ocorreu após a Suprema Corte de Espanha condenar políticos catalães envolvidos no plebiscito de 2017 que tentou separar a comunidade autónoma do país. O Judiciário condenou os líderes do movimento a penas de 9 a 13 anos de cadeia e emitiu um mandado de prisão europeu contra o ex-presidente regional Carles Puigdemont.
Multidões foram às ruas de Barcelona poucos minutos após a decisão. Logo, o Tsunami Democrático, um grupo local a favor de uma forma mais activa de desobediência civil, convidou dezenas de milhares dos seus membros a marchar no aeroporto da cidade, localizado a 15 quilómetros do centro de Barcelona.
O aeroporto então viu ferozes lutas entre as multidões de manifestantes e a Polícia de choque destacada para o local.
Apesar da resistência policial, cerca de 8 mil manifestantes conseguiram entrar e suspenderam as operações do aeroporto. Centenas de voos foram cancelados. 
Há protestos massiços em outros locais da capital catalã, que teve algumas das suas ruas fechadas. Outros municípios da região autónoma, como Girona e Lleida, também recebem actos dos separatistas.
As tensões entre os Catalães e o governo central espanhol quase não diminuíram ao longo dos dois anos desde a mal sucedida votação da independência, que Madrid declarou ilegal e inválida.
A decisão do tribunal que sentenciou nove dos 12 líderes separatistas a longas penas de prisão provavelmente reacenderá as tensões.
O presidente da Catalunha, Quim Torra, criticou a decisão do Supremo de Espanha e classificou-a como um "acto de vingança, não um acto de justiça".
Puigdemont, ex-presidente regional e rosto do movimento separatista, que permanece exilado na Bélgica, disse que a decisão da Suprema Corte é uma "atrocidade".
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/europa/2019101414636083-manifestantes-pro-independencia-da-catalunha-fecham-aeroporto-de-barcelona/

* * *

São os mais conscientes e corajosos de um Povo que se erguem pela liberdade a que toda e qualquer Nação tem direito. Poderiam ser portugueses, se a revolta de 1640-66 tivesse falhado...  
Quanto ao referendo na notícia referido, é incorrecto dizer que se tratou de uma «mal sucedida votação»... ao fim ao cabo, a vitória dos independentistas nessa escolha popular constitui, agora e sempre, uma retumbante vitória moral dos Nacionalistas, atestando que, de facto, contra tudo e contra todos a Democracia deu-lhes razão.