segunda-feira, maio 15, 2017

PRINCESAS ÁRABES ACUSADAS DE ESCRAVATURA NA BÉLGICA

Oito princesas árabes dos Emirados Árabes Unidos foram acusadas de ter trazido pelo menos 20 empregados para a Bélgica sem visto de trabalho e por manterem os últimos em condições desumanas – com pouca comida e sem camas. O caso pode levar a consequências significativas na luta contra a escravidão moderna.
A xeique al-Nahyan e suas sete filhas, dos Emirados Árabes Unidos, eram visitantes frequentes da Bélgica, escolhendo sempre acomodações de luxo no centro de Bruxelas, enquanto as suas criadas, pelo menos 20, que traziam consigo, passavam o dia à espera das vontades das suas chefes.
No entanto, em 2008, a vida delas mudou de modo radical após a fuga de uma das suas criadas, que buscou ajuda da polícia.
A criada afirmou que ela e as outras criadas eram forçadas a trabalhar horas sem descanso, às vezes sem comida suficiente e sem camas para dormir, tendo sido os seus vistos confiscados pelas donas.
A polícia belga iniciou a investigação e veio a descobrir que as mulheres estavam a viver de facto em "condições desumanas".
No entanto, passada quase uma década, a xeique al-Nahyan e suas filhas ainda não foram condenadas por crime algum. Todas elas serão processadas em breve, mas os seus advogados continuam afirmando que processos contra elas são injustos e ilegais. 
A xeique faz parte da família que comanda Abu Dhabi e que possui influência internacional.
Interessa destacar que o xeique Mansour bin Zayed al-Nahyan é proprietário do clube de futebol inglês Manchester City.
O advogado da família real repetiu muitas vezes que a polícia belga violou os direitos das princesas ao efectuar buscas nos seus quartos no hotel.
No entanto, o sistema de justiça belga está avançando com o caso. As mulheres são acusadas de tráfico de pessoas e de violação da regulamentação trabalhista da Bélgica.
Se as princesas al-Nahyan forem condenadas, o caso poderia tornar-se num precedente significativo contra a escravidão moderna.
Activistas de direitos humanos acusam alguns Estados do Golfo Pérsico de apoiar a escravidão moderna através do sistema de criados Kafala, que funciona nos EAU, na Arábia Saudita e em Bahrein.
O sistema permite aos empregadores que se tornem guardiões legais de criados e que possam bater-lhes. Os criados também têm que receber permissão dos donos antes de buscar um novo empregador.
Porém, alguns grupos de direitos humanos europeus receiam que o caso já tenha sido adiado por muito tempo e que a Kalafa continue sendo permitida.
Em entrevista ao jornal alemão Deutsche Welle, a porta-voz da organização de direitos humanos da Bélgica, Patricia LeCocq, disse:
"Se a corte decidir que há provas suficientes para continuar com o caso de tráfico de pessoas, os acusados podem ter que pagar indemnização aos seus empregados e até ser presos. Mas o problema é que este caso já tem vários anos de existência. Mesmo que as princesas sejam condenadas, a pena pode ser muito branda", comentou.
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/201705128375905-eua-princesas-escravidao-moderna/

* * *

Ah, o enriquecimento que esta gente traz à Europa, que seria dos Europeus sem contributos culturais destes... e depois o à vontade com que fazem destas e doutras em país alheio, aquilo é o chamado fartar vilanagem em quase total impunidade, graças a uma elite político-cultural reinante que, noutras circunstâncias muito vociferante, nestas cala-se mui caladinha, não se «indigna» colectivamente...

5 Comments:

Anonymous Anónimo said...

O que dizes desta arte, Caturo?

http://i2.wp.com/www.europeancivilwar.com/wp-content/uploads/2017/05/mural-2.jpg?resize=756%2C573

http://i2.wp.com/www.europeancivilwar.com/wp-content/uploads/2017/05/mural-3.jpg?resize=756%2C567

15 de maio de 2017 às 20:18:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Horrenda mas explicativa, pode ser que ajude a acordar o povo...

15 de maio de 2017 às 20:28:00 WEST  
Blogger CENSURADO AGAIN said...

HA UM MURAL DA GUERRA BOER NO CONGO DO SUL ONDE TAMBEM SE VE PELO RELEVO A GUERRA RACIAL ALIAS É INTERESSANTE POIS RAÇA É SÓ COR MAS SÓ PELOS TRAÇOS SABEMOS QUEM É QUEM NO MESMO RELEVO DA MESMA COR DA PEDRA

15 de maio de 2017 às 21:50:00 WEST  
Blogger CENSURADO AGAIN said...

ALIAS TINHAM UNS ALOGENOS NO CIDADE ALERTA CHAT DIZENDO AH TÃO REPETINDO ESSE CASO EM QUE APARECIA ALOGENOS COMO MELIANTES COMO SE O CASO REPETIDO DIMINUISSE ELE SEMPRE ACOBERTAMENTO COM TODO PRETEXTO ASSIM QUEM NÃO VIU NÃO VE MAIS COMO SE NUNCA TIVESSE EXISTIDO VELHA TATICA MAS É BOM MOSTRAR CASOS INEDITOS ASSIM SE MOSTRA A PROPORÇÃO REAL DA COISA

15 de maio de 2017 às 21:54:00 WEST  
Blogger CENSURADO AGAIN said...

ALIAS NO MUSEU DOS MARTIRES SE HOUVER FUTURO CADA VITIMA E AS VITIMAS DESCONHECIDAS DEVEM SER HOMENAGEADAS PRINCIPALMENTE AQUELAS QUE NÃO FAZIAM PARTE DOS CONIVENTES COMO AQUELA FRANCESA DA VOADORA

15 de maio de 2017 às 21:55:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home