quarta-feira, maio 10, 2017

O QUE DISSE A ESCOTEIRA AO «NAZI»: «SE EU FOR VIOLADA, OLHA, ISSO PASSA...»

A Internet tem destas coisas. Uma escoteira com apenas 16 anos numa cidade da República Checa decidiu juntar-se, com alguns colegas, a uma contra-manifestação perante um comício de um partido neonazi. Mas houve um momento, captado por uma máquina fotográfica, que está a dar a volta ao mundo, através das redes sociais, e que chamou a atenção dos jornais internacionais.
Na imagem, Lucie Myslikova surge a enfrentar um homem de cabeça rapada, de óculos escuros postos, e militante do partido de extrema-direita que se juntou na cidade de Brno. A rodear o momento da discussão, bolas de sabão conferiam, juntamente com a farda de escoteira de Lucie, um ambiente de apaziguamento e pacificação, perante a aparente agressividade do outro.
A imagem surgiu quase de imediato na imprensa local. Depois, foi partilhada na página do Facebook da Organização Mundial do Movimento de Escoteiros seguindo daí para osite Reddit. A partir daqui, não mais parou. Por exemplo, um tweet que divulgava a fotografia foi partilhado mais de seis mil vezes. E a publicação da organização de escoteiros foi, por sua vez, partilhada quase quatro mil vezes.
A protagonista foi, pelo menos nas últimas 24 horas, o centro das atenções da imprensa internacional. Por isso, na quinta-feira, prestou declarações à BBC. “Eu não estava com medo”, garante Myslikova. “Eu fui à contra-manifestação como alguém que está determinada a alterar as coisas. Para mim, faz sentido tentar e mudar o mundo à minha volta”, continua a jovem, apelando ainda aos jovens para se juntarem a iniciativas do género: “Penso que os jovens devem envolver-se nestas coisas. Eles devem estar atentos ao que se passa”.
Em relação à conversa que manteve com o militante neonazi, Myslikova revela que a discussão se centrou nos refugiados e imigrantes. O argumento que a escoteira apresentou era o de que os países têm o dever de ajudar aqueles que fogem da guerra e que não existem fronteiras, cita a BBC. O homem, que não foi identificado, respondeu, dizendo-lhe que deveria ser violada pelas pessoas que ela está a tentar salvar.
Esta sexta-feira, a jovem continuou na maratona de entrevistas. Desta vez aoThe Guardian, explica que a luta contra o neonazismo é “consistente com a ideologia e história do movimento dos escoteiros”. Sobre o homem, Myslikova relata que “ele parecia estar muito zangado”. “Mas não nos fez nada”, esclareceu.
Também o responsável pela fotografia teve direito aos seus momentos de fama, não fosse ele o autor da imagem altamente partilhada nas últimas horas. Vladimir Cicmanec foi quem tirou a fotografia. “Ela estava a marcar a sua posição, tem 16 anos, manteve-se orgulhosa e fez alguns comentários profundos”, contou o fotógrafo à CNN.
*
Fontes: 
https://www.publico.pt/2017/05/06/mundo/noticia/a-jovem-escuteira-que-enfrentou-um-neonazi-e-que-esta-a-fazer-furor-1771137

* * *

O que os grandessíssimos mé(r)dia tugas não revelaram, vá-se lá saber porquê, foi a resposta da menina quando o «mau da fita» lhe disse que poderia ser violada por aqueles que defende:
https://www.jihadwatch.org/2017/05/czech-girl-scout-says-shell-get-over-it-if-shes-raped-by-an-immigrant
https://pjmedia.com/parenting/2017/05/06/girl-scout-who-confronted-neo-nazi-admits-immigrants-may-rape-her-says-shell-get-over-it/
«Mesmo se alguma coisa me acontecesse, as feridas físicas iriam sempre sarar.»
E depois os mé(r)dia erigiram a jovem em grandessíssima heroína... houve entretanto nos mé(r)dia quem dissesse que ela tinha feito «comentários profundos», mas sem os referir...
Portanto, a escoteira relativiza a violação porque «valores mais altos se alevantam»... está pois disposta a deixar sacrificar-se no altar do Deus Multiculturalismo, como outrora se sacrificavam virgens ou, vá, toda a espécie de pessoas... eventualmente a escoteira nem se lembrou por exemplo do risco de contrair sida, mas isso é o menos diante da obrigação moral de deitar abaixo as Nações e louvar o Sagrado Alógeno acima de tudo, que é o maior mandamento da Santa Madre Igreja Anti-Racista e Multiculturalista dos Últimos Dias do Ocidente...



1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Isso é fácil de resolver: É só mandar esses brancos "valentes" com passagem só de ia para o país desses estrangeiros.

Não voltarão mais para os seus países de origem todas as mulheres que acreditaram na lenda dos homens negros bem dotados (mandem para a Africa); homens (efeminados) que traindo o seu país prefere deixar entrar todos os estrangeiros que não tem nenhum remorso em atacar e matar mulheres nacionais; etc.

Caso tentem entrar escondidos nos países dos quais foram expulsos - afinal, os países desses exóticos estrangeiros só é interessante em férias - serão presos.

11 de maio de 2017 às 00:43:00 WEST  

Publicar um comentário

<< Home