quarta-feira, junho 03, 2015

CONSCIÊNCIA ETNICISTA CURDA FORTALECE RETORNO AO ZOROASTRIANISMO

Fonte: http://ekurd.net/iraqi-kurds-revive-ancient-kurdish-zoroastrianism-religion-2015-05-29
*
Em Slemani, no Curdistão em espaço actualmente iraquiano, zona semi-autónoma, observam-se sinais do recrudescimento do Zoroastrismo. O seus seguidores dizem tratar-se de um retorno a uma crença verdadeiramente curda. Outros afirmam que constitui uma reacção ao extremismo islâmico.
De notar que o «fundador» ou reformador da religião que doravante passou a ser conhecida como Mazdeísmo (culto de Ahura Mazda) ou Zoroastrismo, que é Zoroastro ou Zaratustra, terá nascido no Curdistão iraniano (ou seja, na terra curda que hoje pertence ao Irão) e o livro sagrado deste credo, o Avesta, foi escrito num idioma do qual deriva a actual língua curda. Na actualidade há no total mundial escassos cento e noventa mil crentes zoroastristas, uma vez que devido à violência da expansão islamista o Zoroastrismo ficou confinado a minorias fiéis e inflexíveis, sendo a maior delas aquela que se fixou na Índia, a dos Parses, assim chamados porque fugiram da Pérsia, tendo em solo indiano alcançado a paz e a prosperidade, ou não fosse a Índia hindu uma terra tradicionalmente tolerante em matéria religiosa. Já se sabe que, por regra geral, com arianos é assim... os zoroastristas que preferiram ficar no Irão acabaram marginalizados e limitados a uma vivência mais ou menos marginal e depauperada.
Os zoroastristas levantam agora a cabeça no Curdistão. Pela primeira vez em mil anos, os autóctones de uma zona rural da província de Slemani (Sulaymaniyah) levaram a cabo uma antiga cerimónia no Primeiro de Maio, em que os crentes põem um cinto especial a significar que estão prontos para servir a religião e observar os seus princípios. Parece constituir um equivalente ao baptismo cristão.
Os novos zoroastristas afirmam que vão organizar cerimónias similares noutras partes do Curdistão iraquiano e pediram permissão para construir pelo menos doze templos na área, que tem as suas próprias fronteiras, forças armadas e parlamento. Há zoroastrianos a visitar departamentos governamentais no Curdistão iraquiano e a requerer que o Zoroastrianismo seja reconhecido como religião oficial. Têm até o seu próprio hino. Os seus eventos estão a ser muito frequentados pelos locais e a comunicar com organizações zoroastrianas e páginas deste credo nos média.
Não há ainda números oficiais dos curdos que retornam ao Zoroastrismo mas a discussão sobre o tema corre solta. E nas fileiras zoroastristas acredita-se que à medida que os autóctones forem sabendo mais sobre a religião aumentará o número dos praticantes desta. Afirmam que o Zoroastrismo é mais curdo que os outros credos, o que constitui certamente uma ideia atractiva para muitos indígenas, que põem acima de tudo a identidade étnica. Ouvem-se da boca de crentes asserções nesse sentido, como é disso exemplo o que diz um crente, Dara Aziz: «Espero realmente que os nossos templos abram rapidamente de maneira a podermos voltar à nossa religião autêntica.» Um eminente representante do Zoroastrismo, Luqman al-Haj Karim, líder da organização zoroastrista local, Zand, declara que «esta religião irá restaurar a verdadeira cultura e religião do Povo Curdo. Este revivalismo é uma parte de uma revolução cultural, que dá às pessoas novos caminhos para explorar a paz de espírito, a harmonia e o amor.»
Os Zoroastrianos acreditam que as forças do Bem e do mal estão continuamente em confronto neste mundo, o que leva muitos locais a pensar que este reviver do culto tem muito a ver com a crise de segurança causa pelo Estado Islâmico da Síria e do Iraque e pelo acentuar do crescente fosso étnico e sectário que se faz sentir no Iraque.
O Islão parece ter causado alguma perplexidade junto do povo. Diz o porta-voz do Ministério dos Assuntos Religiosos do Curdistão, Mariwan Naqshbandi, que «as pessoas do Curdistão já não sabem em que movimento islâmico, que doutrina, que fatwa devem crer.» Acrescenta que o interesse no Zoroastrismo é um sintoma da discordância no seio do Islão. Afirma ainda que «para muitos dos mais liberais ou dos mais nacionalistas, os lemas dos zoroastrianos parecem moderados e realistas. Há aqui muita gente muito zangada com o Estado Islâmico e sua cxrueldade.»
Confirmou ainda que o seu ministério iria ajudar os zoroastrianos a alcançarem os seus objectivos.

Sintomaticamente, um político local, Haji Karwan, parlamentar do partido Unnião Islâmica do Curdistão Iraquiano, diz não acreditar que o Zoroastrismo tenha ganhado assim tantos novos praticantes, e diz também que o Islão não tem compulsão na religião, e diz também que não concorda com a ideia de que seja que reliigião for seja «especificamente curda», porque, explica a religião veio para toda a humanidade, não especialmente para um determinado grupo étnico... É significativo que um seguidor de religião universalista tenha tal concepção a-étnica da religião; agradavelmente surpreendente que apesar de todo o condicionamento islâmico de séculos continua a haver na população curda uma consciência etno-religiosa notória. É isto o povo quando não está amarrado por crenças universalistas, ou porque nunca esteve ou porque já de tal prisão escapou. E os Curdos são, nisto, aparentemente exemplares.


10 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Tenho um livro sobre o profeta dessa religião, achei ele no lixo junto com Bhagavad Gitã (só um louco ou total demente colocaria esses dois livros sublimes no lixo). Pelo que eu puder nota existe uma certa semelhança entre Zoroastrianismo e cristianismo,diferença entre eles que um racialista enquanto o outro tem apelo universal. provável que Zoroastrismo tenha influenciado o judaísmo no caso do racialismo, existência de um deus, etc. Se fosse curdo escolheria credo que fosse mais compatível com do meu sangue ancestral, nesse caso zoroastrianismo, eu espero e ensejo de todo meu coração é alma que o povo curdo, tenha força e coragem suficientes(assim como os demais arianos) para rejeitarem essas religiões estrangeiras e universais, retorna suas verdadeiras raízes religiosas dos seus antepassados, mais rápido possível.

Saudações.

3 de junho de 2015 às 23:56:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2015/06/escritora-taslima-nasreen-deixa-india-por-ameacas-islamitas.html

4 de junho de 2015 às 00:58:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Veja la, a copa do mundo de 1998 usada pela Franca para promover o multiculturalismo pode ter sido comprada.

4 de junho de 2015 às 04:30:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

mas eles estão sob ameaça:

http://pt.euronews.com/2015/06/04/turquia-ultra-nacionalistas-ameacam-maioria-partidaria-de-erdogan/

4 de junho de 2015 às 17:45:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Essa noticia é do mês passado, mas olha isso caturo;
http://www.vice.com/read/the-rise-and-fall-eastern-ukraines-all-pagan-battalion-513

4 de junho de 2015 às 22:39:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

UE cria equipe especial para conter "propaganda russa"

Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20150604/1217661.html#ixzz3c8Wu1AWE

4 de junho de 2015 às 23:50:00 WEST  
Blogger R. Vilhena said...

Novo Cristianismo em Ação.

Liberal cria os 10 mandamentos para pessoas brancas.


http://nationalvanguard.org/2015/06/anti-white-academic-creates-cracka-commandments/

5 de junho de 2015 às 00:09:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Um pacato casal "britânico". Assim "de repente", os britânicos agem cada vez menos de modo britânico:

(Escrito à luz da Imposição Ortográfica)

http://www.tvi24.iol.pt/internacional/inglaterra/casal-suspeito-de-planear-ataques-terroristas-no-reino-unido

Vi agora na TVI 24 a notícia que meto em link mas não consegui encontrá-la no site.
O que é que temos? Uma pérola afro-islâmica!

Ok, os Media distorcem a informação e a Polícia é repressiva e tem coceira no dedo do gatilho. Claro que é por causa disso que não desconfiarei das intenções dum afro-gueto, ainda por cima radicalizado.

http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2015/06/03/suspeito-de-terrorismo-morto-em-boston-queria-decapitar-policial.htm?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

"A imprensa americana destacou que Rahim vem de uma família do Oriente Médio, sem mencionar se nasceu ali."

5 de junho de 2015 às 01:04:00 WEST  
Blogger KVRGANIVS NOSTRATORVM said...

ALIAS LEMBREMOS COMO EM 98 ELES METIAM AQUELE IMPERIO DE SOLO COMO ALGO GRACIOSO E DEPOIS VIMOS NUMA COPA O TIME SE FRAGMENTANDO EM 3 SECTORES QUE OBVIAMENTE PREFERIAM A SI E AOS SEUS

5 de junho de 2015 às 09:08:00 WEST  
Blogger KVRGANIVS NOSTRATORVM said...

Imposição Ortográfica

BELO TERMO - ACORDO DE MEIA DUZIA SEM CONSULTAR O COMUM = IMPOSIÇÃO

5 de junho de 2015 às 09:13:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home