sábado, maio 28, 2016

AUMENTO DE ÓBITOS POR CANCRO DEVIDO AOS CORTES NA SAÚDE NA UNIÃO EUROPEIA

Agradecimentos a quem aqui trouxe esta notícia: http://br.sputniknews.com/mundo/20160526/4780607/saude-cancer-mundo.html#ixzz49znHEPP0
*
Uma nova pesquisa científica revelou que a crise económica de 2008 causou 160 mil mortes adicionais na União Europeia.
Especialistas das Universidades de Harvard e Oxford, Colégio de Londres e Colégio King de Londres estudaram os dados do Banco Mundial e da Organização Mundial de Saúde (OMS) para analisar a relação entre emprego, gastos públicos em saúde e níveis de mortalidade de câncer durante os últimos 20 anos.
A pesquisa foi publicada no jornal Lancet e revelou que mais de 260 mil casos adicionais de morte por câncer (em comparação com os números previstos mais cedo) foram registados em países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE na sigla em Inglês) entre 2008 e 2010, casos que foram associados com a recessão.
De acordo com a OCDE, as mortes foram causadas pelo facto de que muitos países foram obrigados a cortar os gastos de saúde e pelo aumento do desemprego.
Das 260 mil mortes, 160 mil foram registados na União Europeia.
A pesquisa, que analisou a situação em mais de 70 países, prevê que o número de casos de câncer aumente para 22 biliões até 2030, em comparação com os 14 biliões registados em 2012.
Em 2012, nestes países foi fixado um total de 8,2 biliões de mortes de câncer.

* * *

Como bem disse o anónimo que aqui trouxe a notícia, a crise afectou o sector da saúde, mas não impediu que houvesse obscenas quantidades de milhões para safar a banca privada e para financiar a entrada e estadia de milhões de alógenos, úteis como mão-de-obra barata ao grande capital e a quem quer deitar abaixo as identidades étnicas...
Acrescento ainda mais - sirva a notícia para se ter uma noção, ainda que pálida, daquilo que está em causa com a abolição do princípio da saúde tendencialmente gratuita, defendida por muitos dos mesmos que andam a meter imigrantes na Europa à força toda... será que assim a substituição étnica se faz mais depressinha, para que gente «selvagem» e «rija»,  possivelmente mais saudável que a europeia, venha dar mais jeito às grandes multinacionais?...

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

pois, mas dinheiro para a imigração, ha sempre.

reduz-se na medicina, na investigação cientifica, na educaçao, nas reformas, no bem estar e aumenta-se na policia, segurança, escutas, subsidios e todos os enormes custos a que a imigração obriga.

29 de maio de 2016 às 23:52:00 WEST  

Publicar um comentário

<< Home