quarta-feira, janeiro 06, 2016

ORIGENS PAGÃS DO BOLO-REI E DA CELEBRAÇÃO DO DIA «DOS REIS MAGOS»...


(...) Da mesma forma que nos festejos carnavalescos se preserva a figura do respectivo Rei que cabia outrora àquele que no bolo encontrasse a fava ou o feijão dourado, sendo como tal tratado durante o ano inteiro.
Por seu turno, os romanos introduziram tal prática por ocasião das Saturnais que eram as festividades que se realizavam em 25 de Dezembro, em celebração do solstício de Inverno, também eles elegendo um rei da festa escolhido á sorte pelo método da fava. À semelhança do que se verifica com a Coroa do Advento, a sua forma circular remete para antigos ritos solares perfeitamente enquadrados nas festividades solsticiais e nas saturnais romanas.
Com vista à conversão dos povos do Império Romano que preservavam em geral as suas crenças pagãs, o Cristianismo passou a identificar o “bolo-rei” com a celebração da Epifania e, consequentemente, aos Reis Magos. E, assim, aos seus enfeites e condimentos passaram a associar-se as prendas simbólicas oferecidas ao Messias ou seja, a côdea, as frutas secas e cristalizadas e o aroma significam respectivamente o ouro, a mirra e o incenso. Apesar disso e atendendo a que eram três os reis magos, esta iguaria não passou a ser identificada como “bolo dos reis”, conservando apenas a sua designação como “bolo-rei” ou seja, contrariando a sua própria conversão.
Durante a Idade Média, este costume enraizou-se na Europa devido à influência da Igreja a tal ponto que passou a ser celebrado na própria corte dos reis de França e a ser conhecido como Gâteau des Rois. Porém, com a revolução francesa, o mesmo veio a ser proibido em virtude da sua alusão á figura real, o mesmo tendo sucedido entre nós, imediatamente após a instauração da República, tendo alguns republicanos passado a designá-lo por “bolo-presidente” e até “bolo Arriaga”, em homenagem ao então Presidente da República.
Quanto aos seus condimentos e método de confecção, é usual associar-se à tradição da pastelaria francesa a sul do Loire, o que parece corroborar com a informação de que foi a Confeitaria Nacional a primeira casa que em Portugal produziu e vendeu o bolo-rei a partir de uma receita trazida de França, por volta de 1870. Resta-nos saber, até que ponto, também esta não terá buscado inspiração no tradicional bolo inglês. (...)
*
Fonte: http://www.folclore-online.com/textos/carlos_gomes/origens-pagas-bolo-rei.html#.VSbYuNzF-9U

Mais: na celebração da Compitália (usualmente de três a cinco de Janeiro), festividade em honra dos Lares Compitales (espíritos das encruzilhadas), os Romanos ofereciam bolos de mel redondos e dourados, talvez a evocar a ascensão solar; escassos dias mais tarde, na Agonália de Janeiro, celebrada em honra de Jano, Deus dos Inícios, ofereciam-se bolos em forma circular e de cor dourada. A popularidade do costume valeu a Janus a designação de «Deus dos bolos»; ao bolo chamava-se por sua vez «janual». De notar que Jano, além de Deus dos Inícios, é também Deus da Idade de Ouro, época mítica em que Divindades e homens viviam juntos em plena harmonia.
Consta ainda que este dia era o culminar do Iule ou Yule nórdico, celebração de doze noites em que Odin percorria os céus acompanhado pelas Valquírias e pelos Einherjar (guerreiros mortos em combate).

Quanto aos reis magos em si, discute-se se eram persas da religião dos Magos - Magi - sacerdotes que prestavam culto a Ahura Mazda na esteira do profeta Zaratustra ou Zoroastro, ou se eram babilónios, ou judeus, ou se um vinha da Arábia (Baltazar), outro da Pérsia (Melchior) e outro da Índia... 
Certo é que um historiador do Cristianismo, Sebastian Brock, diz o seguinte: «Foi sem dúvida dos conversos oriundos do Zoroastrismo que... se desenvolveram certas lendas em torno dos Magos dos Evangelhos.» Isto pode até indicar que houvesse da parte dos conversos persas ao Cristianismo - isto é, seguidores da religião de Zoroastro que se converteram à de JC - algum intento propagandístico, como que a dizer que o destino final dos «Magos» persas era o de reconhecerem a Divindade suprema do judeu Ieshu...
Outro investigador, Anders Hultgård, afirma que a história dos Reis Magos tem origem numa lenda iraniana a respeito dos Magi e uma estrela, ligada a uma crença persa sobre o erguer de uma estrela a anunciar o nascimento de um líder, além dos mitos que descrevem a manifestação de uma figura divina em fogo e luz.
É por outro lado curioso que a composição do Testamento de Mateus, em que os reis magos são referidos, tenha tido lugar pouco depois do ano 66 da era comum, quando o rei arménio Tiridates I foi a Roma com os seus magos prestar homenagem ao imperador Nero...



6 Comments:

Anonymous Anónimo said...

http://pt.euronews.com/2016/01/05/suecia-forte-queda-na-chegada-de-refugiados-depois-de-imposicao-de-controlos/

6 de janeiro de 2016 às 08:52:00 WET  
Blogger KVRGANIVS NOSTRATORVM said...

ESPERA BOLO REI = PANETONE?O DE VC´S É BEM DIFERENTE NO MERDIL PREDOMINA O ITALIANO

6 de janeiro de 2016 às 09:19:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

video que mostra uma rapariga a andar em oslo e a ser abordada, assediada na rua. Apenas por imigrantes. Claro que depois muitos deles tentam a violação. Esta nos seus genes.

http://www.tv2.no/v/836314/

e ainda outro video http://www.tv2.no/v/836327/?ref=836314
que traduzindo para portugues diz
""Você merece um lugar adequado, você merece ser estuprada"
Três mulheres contam suas histórias sobre a crescente gatetrakasseringen. TV2 repórteres testaram a escala com câmera escondida uma quinta-feira noite comum. O alcance é enorme. É hora de dizer #ikkegreit."

É o enriquecimento cultural numa outrora pacifica area para as mulheres.

6 de janeiro de 2016 às 15:16:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

http://pt.euronews.com/2016/01/06/um-braco-de-distancia-para-evitar-abusos-sexuais-em-colonia/

6 de janeiro de 2016 às 17:08:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

http://pt.euronews.com/2016/01/06/alerta-terrorista-em-frente-a-sede-do-governo-alemao/

6 de janeiro de 2016 às 17:20:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

http://pt.euronews.com/2016/01/05/o-progresso-do-modelo-orban/

6 de janeiro de 2016 às 17:22:00 WET  

Enviar um comentário

<< Home