quarta-feira, julho 06, 2016

ACTIVISTA ANTI-RACISTA ALEMÃ FOI VIOLADA POR ÁRABES MAS A PRINCÍPIO ESCONDEU A IDENTIDADE ÉTNICA DOS ATACANTES PARA EVITAR O «RACISMO»

Selin Gören(foto) foi estuprada por três refugiados árabes, mas não queria parecer racista e  nem contar a verdade sobre o crime. Chegou a dizer à polícia que foi roubada por um grupo de homens alemães e estrangeiros.
Ela, 24 anos, conhecida activista da ” Linksjugend” ou Juventude Socialista, viveu horrores nas mãos de três criminosos, que entraram no seu país como refugiados.
Tudo se deu ao lado de sua casa, numa noite, numa  cidade pequena, nos arredores de Mannheim. Resolveu ir ao parque  infantil, que fica a poucos metros do seu portão. Lá, tentava relaxar, ouvindo música no seu telemóvel, depois de um dia muito tenso.
Sem perceber, foi segurada  pelo pescoço por um dos violadores, enquanto o segundo lhe tirava a roupa, e o terceiro a estuprava, conduta que os autores do crime alternaram entre si.
Após o estupro colectivo, Selin saiu atordoada à procura de ajuda. Foi quando percebeu que os criminosos tinham também roubado os seus pertences.
Foi  ajudada por funcionários de um hotel nas proximidades do local do crime, que imediatamente chamaram a polícia.
Nesse momento decidiu não contar a verdade, dizendo apenas que tinha sido roubada por um grupo de jovens alemães e estrangeiros que estavam juntos.
Para a jovem, não seria interessante dizer a verdade, pois poderia aumentar os ataques ” racistas” contra os refugiados, que ela tanto defendera e ajudara.
Depois de alguns dias, muito angustiada, conversando com o seu namorado, contou a verdade, e foi à polícia para registar o crime e esclarecer que não havia participação de alemães, apenas de árabes.
Selin sempre classificou a sociedade alemã como racista e malvada. E, para ela, os refugiados seriam os bons. (...) Selin continua a afirmar-se ”anti-racista”, mas agora diz ter medo dos Árabes.
Os três violadores ainda não foram identificados.
Fonte:https://www.facebook.com/TheEpochTimes.Deutsch/posts/1061737323891947
*
Fonte: https://wildleaks.wordpress.com/2016/07/05/socialista-alema-estuprada-por-refugiados-tenta-esconder-o-crime-e-diz-que-foi-roubada-por-alemas/?iframe=true&theme_preview=true

* * *

Não é o primeiro caso de uma figura política da Esquerda europeia que, depois de violada por alógenos, teme mesmo assim a expulsão dos mesmos; deve lembrar-se o do político norueguês que disse sentir-se culpado pela expulsão do africano que o violou; eventualmente haverá mais anedotas destas, a ilustrar o estado terminal da doença a que se pode chamar xenofilite aguda, quando não etnomasoquite em avançado estado de decomposição. Vá lá que a jovem acabou por dizer a verdade às autoridades; entretanto, declara que continua a ser anti-racista mas agora tem medo dos árabes, pode ser que entretanto evolua. De qualquer modo, a sua primeira reacção - não a sua pessoa, pobre moça, mas a sua primeira reacção - é a concretização política, ideológica, em versão laica, da mentalidade cristã que manda dar a outra face ao agressor. Há muitos anos que me parece ingénua a afirmação algo popular de que, se «os políticos» europeus que mandam vir imigrantes para a Europa sofressem na pele os efeitos dessa imigração, já não apoiavam tal invasão. É ingénua de princípio - embora seja verosímil que haja militantes pró-imigração europeus eventualmente dispostos a mudar de ideias caso fossem gravemente afectados, pessoalmente, por imigrantes do terceiro-mundo, a verdade é que em muitos casos a endoutrinação universalista militante teria fatalmente de produzir atitudes como a desta alemã, e do referido norueguês, e de uma americana que foi violada na Jamaica por um negro mas arranjou maneira de culpar o racismo branco, e de um estudante universitário francês espancado e assaltado por norte-africanos que se pronunciou a favor dos mesmos e contra os Nacionalistas, enfim. Isto é podridão profunda, é um autêntico cancro, um efeito concreto e indesmentível da «sida doutrinal» que destrói as defesas do Organismo Europa e faz crescer as células que «trabalham» contra o próprio organismo de que fazem parte. 
Contra tal maleita, inédita na História da Humanidade conhecida, só o Nacionalismo político se ergue.






7 Comments:

Anonymous Anónimo said...

E um fanatismo multiracialista tao grande que mesmo perante as evidencias negativas, mesmo perante a consciencia da realidade, esta gente continua a defender o mesmo. Como e k esta gente ha de mudar e votar nos nacionalistas? Impossivel

7 de julho de 2016 às 00:35:00 WEST  
Blogger CENSURADO AGAIN said...

SIM O ABRAAMISMO TEM DESSAS COISAS RENEGUE AOS TEUS E DE O CV AO OUTRO MAIS OUTRO

7 de julho de 2016 às 08:17:00 WEST  
Blogger EJSantos said...

Caro, não sei o que diga. Gostaria de por aqui um texto de um post meu sobre esre assunto (se não concordar, pode apagar):

Tenho, na minha lista de amigos do facebook, algumas pessoas que julgava serem inteligentes. Sendo estas pessoas de esquerda, valorizava as suas opiniões, para poder ter perspectivas diferentes, das que usualmente tenho à disposição. Porém, as coisas mudaram.
Com esta onda de alegada emigração, com a entrada de hordas de muçulmanos na Europa, descobri nestas pessoas, que reputava de sensatas, de um fanatismo assustador.
Estas pessoas sempre que ouviam falar em Cristianismo ou na Igreja Católica, tinham autênticos ataques de raiva. Curiosamente, se se trata da religião da "paz", essas pessoas são incapazes de proferir uma única critica. Ou se o fazem, só o fazem depois de eu criticar ou chamar a atenção para as suas incoerências.
Entretanto, algumas destas pessoas tiveram uma reação interessante, aquando das agressões durante a passagem de ano, em Colónia. Vieram logo dizer que eram invenções da extrema-direita. Embora viesse-se a confirmar que os agressores eram, de facto, muçulmanos.
Mais tarde apareceu nos jornais a noticia a "informar " que a policia alemã identificou mais ou menos uns 80 - 90 dos agressores, e que só um era refugiado. Um simpático senhor da esquerda mais extrema que existe veio logo colocar o registo o facebook. Curiosamente esqueceu-se de mencionar que a "noticia" referia que os agressores eram, de facto, muçulmanos. E posso dizer que contactei amigos a viver na Alemanha, França, Holanda e República Checa e todos me confirmaram que as agressões foram cometidas por muçulmanos, sendo muitos deles "refugiados".
Outro post que vi, do mesmo senhor da esquerda mais extrema que existe, foi ainda melhor. Tínhamos a notícia sobre uma igreja na Áustria a ser limpa de adornos cristãos, para os muçulmanos usarem esse templo. O dito senhor comentou que, apesar de ser ateu, que não se opõe a estas situações e a esta mudança de cultura e que até via com bons olhos. Ora, não reputo o tal senhor de imbecil ou ingénuo. Também não me parece ser um crápula. Tem uma cultura geral acima da média. Porém, inteligente não pode ser (Ateu? E acha bem que malta fanática religiosa se instale na Europa? Mas ele não sabe o que os fundamentalistas fazem a ateus?!). Por isso perguntei-me: mas este bom senhor, de esquerda radical, ateu e que apoia a entrada de teocratas (TEOCRATAS!) na Europa, é o quê? Cheguei a uma conclusão: só pode ser um louco.
Tenham cuidado. O inimigo existe e tem nome (fundamentalismo islâmico, Al-Khaeda, ISIS, Irmandade Muçulmana, Hezbolla, etc), mas os piores inimigos são de cá. Gente louca, que defende o indefensável nem medem plenamente as consequências daquilo que querem para a Europa.

7 de julho de 2016 às 17:46:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«Ora, não reputo o tal senhor de imbecil ou ingénuo.»

É doença - é xenofilite e etnomasoquite aguda. Esta gente interiorizou profundamente o complexo de culpa colectivo do «Nós» face ao «Sagrado Alógeno». Não é uma comum opinião como achar que a crise vai piorar ou que um quadro na parede está torto - isto é toda uma forma de ser, todo um padrão mental, porventura herdado por séculos, aliás, milénio e meio de Cristianismo, com o seu complexo de culpa estrutural.

7 de julho de 2016 às 21:53:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

"é a concretização política, ideológica, em versão laica, da mentalidade cristã que manda dar a outra face ao agressor. "

A frouxidão dos Europeus nada tem a ver com o cristianismo .A Europa ha mais 2000 anos pena com tal religião ,mas tal frouxidao é coisa de algumas decadas para cá.
A moça nem mesmo é cristã ,é,muita provavelmente por conta de sua origem turca , islâmica.

8 de julho de 2016 às 04:07:00 WEST  
Blogger SHTF way of life said...

Tomará que a estupram novamente, e novamente e novamente. É caso perdido, a única coisa que merece é sofrimento eterno.

8 de julho de 2016 às 18:59:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«A Europa ha mais 2000 anos pena com tal religião ,mas tal frouxidao é coisa de algumas decadas para cá.»

A frouxidão começou a ser inoculada nas veias da Europa e agora dá frutos destes. Uma mentalidade tradicional não se muda de um dia para o outro mas acaba por haver marcas na mentalidade reinante quando a pressão anti-tradicional se exerce.

16 de julho de 2016 às 02:36:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home