sexta-feira, abril 15, 2016

SOBRE O PERIGO AMARELO NA ECONOMIA QUE JÁ ERA PREVISÍVEL HÁ BEM MAIS DE MEIO SÉCULO


«É sob o ponto de vista económico que a raça amarela constitui o perigo mais iminente e manifesto para a raça branca, devido ao facto de ser muito mais sóbria do que esta. Um chinês, japonês ou coreano vive normalmente com muito menos alimentação do que um branco, talvez com metade dos alimentos.
Um punhado de arroz, e pouco mais, chega para estes quasi anões viverem excelentemente; ao passo que um autêntico europeu com semelhante alimentação morreria de fome ou anemia dentro de pouco tempo. Desta circunstância resulta que os amarelos podem trabalhar e viver com salários muitíssimo mais baixos do que os brancos, e portanto vender muito mais baratos os seus produtos. 
O amarelo é uma máquina animal muito menos dispendiosa do que o branco, e portanto êste acabará por ser fatalmente vencido na luta económica, se não conseguir sobre aquele outra vantagem que compense ou exceda a da menor exigência na alimentação. O amarelo pode viver com muito menos alimentos do que o branco, não só devido à sua insignificante corpulência e talvez ainda a causas hereditárias ou de abstinência forçada, durante muitos séculos. O branco, pelo contrário, é criatura de bastante gasto alimentício, quer devido à sua corpulência avantajada quer aos hábitos de bom gastrónomo. 
(...)
Os japoneses ou chineses poderão com igualdade de maquinaria e de técnica produzir um terço mais barato do que os brancos, e estes serão vencidos inexoravelmente na luta económica.
(...)
Da grande sobriedade dos amarelos resulta ainda que os países por eles habitados poderão sustentar, em igualdade de condições e área, cerca do dobro da população dos povoados pela raça branca. É por isso que o Japão e a China são das nações que apresentam maior densidade de população, apesar desta última estar muito mais atrasada do que as nações da raça branca.
Esta possibilidade das populações amarelas poderem atingir uma densidade muito superior à dos brancos, dá àqueles em igualdade de extensão, enormes vantagens não só sob o ponto de vista económico mas também militar. 
(...)
No campo internacional, dada a concorrência mundial dos preços, os amarelos, podendo produzir mais barato, conquistarão os mercados externos aos europeus relativamente a um grande número de produtos.
(...)
Sob o ponto de vista interno, nos países onde coexistirem populações brancas e amarelas, estas farão descer a tal ponto os salários que os brancos não poderão ganhar o suficiente para se alimentar, ao passo que os japoneses ou chineses viverão excelentemente. (...) Foi por isso que os Estados Unidos muito ajuizada e previdentemente proibiram absolutamente a entrada de imigrantes amarelos no seu território (...).»

In «Perigos Que Ameaçam A Europa E A Raça Branca II - Perigo Amarelo Ou Mongólico», de J. Andrade Saraiva, páginas 51-54, Lisboa, 1929, Tipografia Lusitânia. 

É mais um volume da esplêndida obra de J. Andrade Saraiva que recentemente me veio parar às mãos. Apesar de enfermar de um ou outro vício ideológico típico da época, e não obstante o facto de várias das suas afirmações estarem desactualizadas pela Ciência, o que não surpreende, também este escrito revela, tal como o outro, já aqui referido - o III - uma pertinácia e uma lucidez ímpares, uma noção clara daquilo que é realmente essencial em termos ideológicos - a salvaguarda da Estirpe - e uma quase capacidade de previsão do futuro, como acima se lê a respeito do chamado «perigo amarelo» que na altura era muito tido em conta pelos nacionalistas europeus e hoje é menos vezes pensado, embora o seu potencial esteja notoriamente elevado, talvez muito para além, embora em estado larvar, do que o perigo exterior imediato, que é o Islão. Mais citações deste diamantino e pouco conhecido marco do Nacionalismo português estão para breve. 

5 Comments:

Blogger João José Horta Nobre said...

O "perigo amarelo" é apenas uma consequência dos próprios defeitos estruturais inerentes ao modo de produção capitalista:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/04/a-costela-liberal-de-karl-marx.html

15 de abril de 2016 às 12:34:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Ontem na Letónia,hoje na Turquia e amanhã em qualquer "Democracia" Ocidental:

Autoridades turcas confirmam o bloqueio do site da Sputnik

Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20160415/4160394/russia-turquia-sputnik.html#ixzz45txncj99

15 de abril de 2016 às 14:30:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Kerry: destróier norte-americano tinha direito de abater Su-24 russos

Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20160415/4160986/kerry-bombardeiro-russia.html#ixzz45tyyYmvj

15 de abril de 2016 às 14:33:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Durante três dias, a Força Aérea turca sobrevoou as ilhas gregas no Mar Egeu. Uma fonte do Ministério da Defesa grego disse que as Forças Armadas gregas começaram na quinta-feira um treinamento de estado de alerta máximo.



Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20160414/4147783/grecia-alerta-maximo.html#ixzz45tzg9X1f

15 de abril de 2016 às 14:36:00 WEST  
Anonymous Arauto said...

Os tipos mais procurados da Suécia, Caturo:

http://www.interpol.int/notice/search/wanted/(RequestingCountry)/290/(current_age_maxi)/100/(search)/1

15 de abril de 2016 às 15:23:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home