sexta-feira, junho 18, 2010

UM HUMORISTA DIZ O QUE OUTROS CALAM E POUQUÍSSIMOS OUSAM FAZER

É de registar o que disse num documentário o humorista britânico Rory Bremner a respeito do novo medo que a pouco e pouco se vai instalando no seu meio e, genericamente, em todo o Ocidente: «os comediantes são forçados a censurar as suas piadas porque temem a reacção caso ofendam fundamentalistas muçulmanos. Cada vez que escrevo um sketch sobre o Islão, receio a retribuição dos extremistas islâmicos. O maior perigo agora é que um dos temas mais duros dos nossos tempos é a religião. Quando escrevo um sketch sobre o Islão, enquanto escrevo penso "se isto der para o torto, estou aqui a assinar a minha sentença de morte." Porque há pessoas que vão dizer "Não só não acho graça como além disso vou-te matar" - e isto é arrepiante.»
Em referência ao caso do caricaturista dinamarquês Kurt Westergaard, presentemente ameaçado de morte pelas caricaturas que fez de Maomé, Bremner repara que «se és um caricaturista dinamarquês e trabalhas numa tradição ocidental, as pessoas não levam isso demasiado a sério. Subitamente, és confrontado com um grupo de pessoas que são fundamentalistas e extremistas e dizem "Vou-te matar por causa do que disseste ou desenhaste." A partir daí que será da sátira, é que nós gostamos de ser corajosos mas não loucos.»

Um testemunho autenticamente histórico dos tempos que se vivem - e que, provavelmente, estão para vir.

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

«(...) é que nós gostamos de ser corajosos mas não loucos.»

A verdadeira coragem tem o seu quê de loucura.

18 de junho de 2010 às 17:02:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

QUANTO MAIS HÁ A AMPLIAÇÃO DO INVASOR, MAIS O MEIO MUDA - KEMP JA DIZIA ISSO, QUE QUANDO A ETNIA MUDAVA, MUDAVA TAMBEM O COMPORTAMENTO E A CULTURA..!!

18 de junho de 2010 às 19:33:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

deportação

18 de junho de 2010 às 20:41:00 WEST  

Publicar um comentário

<< Home