terça-feira, novembro 24, 2009

PRESIDENTE DO BRASIL APOIA PROGRAMA NUCLEAR DE PAÍS ISLAMISTA QUE ALIMENTA O TERRORISMO

O Presidente do Irão, Mahmud Ahmadinejad, defendeu hoje, em Brasília, o programa nuclear iraniano e recebeu o apoio do Presidente Lula da Silva para o enriquecimento de urânio, desde que para fins pacíficos.
"Não existe qualquer pergunta da AIEA (Agência Internacional de Energia Atómica) que não tenha sido respondida pelo Irão sobre a questão nuclear. Temos o direito legal de enriquecer o urânio, mas já anunciamos estarmos dispostos a comprar o urânio enriquecido a 20 por cento", afirmou Ahmadinejad em conferência de imprensa, no Palácio do Itamaraty.
Segundo o Presidente iraniano, foi seu país que apresentou a proposta de compra do urânio enriquecido a 20 por cento à AIEA, mas alguns países do Ocidente "estão a empreender uma propaganda negativa do Irão", devido à suas "aspirações hegemónicas".
Ahmadinejad frisou que "posições hegemónicas são inaceitáveis".
"Não vamos abrir mão de nossos direitos legais. Estamos dispostos a um acordo com bases em condições justas, mas os iranianos não aceitarão a imposição e a vontade de terceiros", avisou.
O Presidente Lula da Silva afirmou, por sua vez, que o Brasil defende o desenvolvimento da energia nuclear pelo Irão "para fins pacíficos".
"O Brasil defende que o Irão tenha direito ao desenvolvimento de urânio para fins pacíficos, tanto quanto o Brasil vem desenvolvendo. É simples: aquilo que defendemos para nós, defendemos para os outros", ressaltou o Presidente brasileiro.
"Mas a não-proliferação e o desarmamento nuclear devem andar juntos. O Brasil sonha com um Médio Oriente livre de armas nucleares, como ocorre na América Latina", acrescentou, instando Ahmadinejad a prosseguir os contactos com as potências ocidentais para uma "solução justa e equilibrada" para a questão.
O Presidente brasileiro disse ainda que o Irão pode ter um papel decisivo no Médio Oriente e na Ásia Central.
"Será particularmente importante a contribuição iraniana para lograr a unidade dos palestinianos, sem a qual suas aspirações de liberdade não poderão ser alcançadas", assinalou.
Lula da Silva avançou que visitará o Irão em 2010 e que as relações dos dois países serão fortalecidas a partir de agora.
Os dois líderes assinaram acordos de cooperação a nível comercial, agrícola, da ciência e tecnologia, energético e para a isenção de vistos diplomáticos.
O Presidente Lula recebeu também o apoio de Ahmadinejad à aspiração brasileira de ocupar um assento permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas.
"O Conselho de Segurança fracassou ao longo dos últimos 60 anos e deve ser reformado por completo", disse o Presidente iraniano, criticando também o poder de veto restrito a alguns países.
De Brasília, Ahmadinejad segue para a Bolívia e depois para Venezuela.


Com falinhas mansas e pretensamente libertárias - como se o Irão fosse uma Democracia respeitadora dos direitos humanos... - se vai cimentando a aliança terceiro-mundista. E logo havia a elite tuga de estar tão enamorada pelo Brasil, e de haver tanta ligação económico-cultural entre Portugal e esta sua ex-colónia, e de estar dela a receber imigrantes em barda... é mais um azar de Portugal, um azar decorrente de ter uma favela gigante agarrada à perna.

48 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Com falinhas mansas e pretensamente libertárias - como se o Irão fosse uma Democracia respeitadora dos direitos humanos... - se vai cimentando a aliança terceiro-mundista. E logo havia a elite tuga de estar tão enamorada pelo Brasil, e de haver tanta ligação económico-cultural entre Portugal e esta sua ex-colónia, e de estar dela a receber imigrantes em barda... é mais um azar de Portugal, um azar decorrente de ter uma favela gigante agarrada à perna.

Concordo a 100%

24 de novembro de 2009 às 16:11:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Há-de ser um belo circo quando chegar à Venezuela...

24 de novembro de 2009 às 16:20:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Não sei porque estão a atacar um pais que tem o mesmo inimigo que vocês.
E não sei de onde tiraram essa idéia de o Brasil estar "agarrado" a Portugal. O Brasil está independente a muito tempo.
O os problemas que o Brasil enfrentou e enfrenta hoje são, na sua maioria, causados pela má gestão portuguesa. Se o Brasil tivesse sido colonizado pela Holanda ou Franceses, hoje seria uma super-potência.

24 de novembro de 2009 às 18:03:00 WET  
Blogger Caturo said...

«Não sei porque estão a atacar um pais que tem o mesmo inimigo que vocês.»

Pelos vistos não tem.


«E não sei de onde tiraram essa idéia de o Brasil estar "agarrado" a Portugal.»

Em todos os aspectos - vocês não desgrudam. Imigram para cá em massa. E estão sempre a meter o bedelho em sites portugueses.


«O os problemas que o Brasil enfrentou e enfrenta hoje são, na sua maioria, causados pela má gestão portuguesa»

Se assim fosse, Portugal estaria na mesma posição que o Brasil, ou seja, no terceiro-mundo. E não está.

Assumam mas é as vossas culpas e incompetências e desapareçam-nos da frente.

24 de novembro de 2009 às 18:17:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

O os problemas que o Brasil enfrentou e enfrenta hoje são, na sua maioria, causados pela má gestão portuguesa. Se o Brasil tivesse sido colonizado pela Holanda ou Franceses, hoje seria uma super-potência.

24 de Novembro de 2009 18:03:00 WET
Palavras para quê?

Sempre a mesma conversa, quem ouve um ouve todos, sem excepção. O grave disto, seja lá o que isto for, é os brasileiros em Portugal instigarem todas as outras comunidades de imigrantes contra os portugueses e a nossa sociedade, principalmente, mas não só, os africanos dos PALOPs. No caso especifico dos africanos PALOPs iniciam e alimentam uma espécie de irmandade-solidariedade de ex-colonizados contra a antiga potência Europeia, responsabilizando-nos a nós das condições catastróficas em que se encontram os países deles, assim como das actuais dificuldades que sentem na integração em Portugal, responsabilizando os portugueses por não lhes darem condições de integração que eles se julgam no direito. Esta última é extensível às restantes comunidades de imigrantes em Portugal. São os mais hostis e reivindicativos.

24 de novembro de 2009 às 20:06:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

se israel e o paquistão podem ter ate ogivas nucleares porque que o irã não pode apenas ter enegia nuclear para fins pacificos ?


os sionistas ja inventaram as tais armas biologicas no iraque ja agora qierem invadir o irã.

25 de novembro de 2009 às 03:15:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"se israel e o paquistão podem ter ate ogivas nucleares porque que o irã não pode apenas ter enegia nuclear para fins pacificos ?"

Islamófilo detectado.

O Irão não pode ter armas nucleares pelo seguinte:

1. O Irão não é uma democracia e é um país onde as violações dos direitos humanos são uma constante
2. O Irão tem um discurso claro anti-ocidente
3. O Irão é apoiado por tudo quanto é regime de extrema-esquerda, da China à Venezuela, passando pelo vosso Lula da Selva que diz que a crise económica é culpa das pessoas loiras e de olhos azuis.
4. O Irão é um bastião do Islão radical e expansionista

25 de novembro de 2009 às 12:22:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

''Culpa das pessoas loiras e de olhos azuis''. E é mesmo. Desde quando a África produziu um banqueiro, já não digo preto, mas mulato? Todos os grandes que comandam a economia mundial são anglo-saxônicos.

25 de novembro de 2009 às 16:01:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Só sei que se está a aparecer um grande bloco de países em torno da China, Índia, Brasil, Rússia, África do Sul, América Latina, Ásia e África em contraposição a Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia e Europa Ocidental. Chamem isso do que quiserem, de ressabiamento, complexo de colonizado e outras coisas. O século XXI já não será mais igual aos outros.

25 de novembro de 2009 às 16:05:00 WET  
Blogger Caturo said...

«''Culpa das pessoas loiras e de olhos azuis''. E é mesmo.»

Sobretudo das pessoas loiras e de olhos azuis que obrigaram a Economia norte-americana a vergar-se às necessidades de negros e afins que deixaram de pagar as suas casas e estiveram em grande parte na origem desta crise.



«Desde quando a África produziu um banqueiro, já não digo preto, mas mulato?»

Nem precisa - a África produziu e produz alguns dos indivíduos mais corruptos da face da Terra, que vivem em obscena riqueza enquanto o seu povo morre de fome. Corruptos como também há no Brasil, por exemplo.

25 de novembro de 2009 às 16:26:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Se assim fosse, Portugal estaria na mesma posição que o Brasil, ou seja, no terceiro-mundo. E não está.

Assumam mas é as vossas culpas e incompetências e desapareçam-nos da frente.

CLARO, VC´S MANDARAM O GROSSO DOS PRETOS DE ANGOLA PRA CA E NÃO PRA METROPOLE; E COM ESMOLA DA UE ATÉ O PIAUÍ, NÉ..??

25 de novembro de 2009 às 18:20:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Anónimo disse...
''Culpa das pessoas loiras e de olhos azuis''. E é mesmo. Desde quando a África produziu um banqueiro, já não digo preto, mas mulato? Todos os grandes que comandam a economia mundial são anglo-saxônicos.

25 de Novembro de 2009 16:01:00 WET

CLARO, COMO PODE UM BANDO DE PARASITAS QUE NADA PRODUZEM SEREM BANQUEIROS..??SÓ CONSEGUEM AS COISAS APELANDO PRAS COTAS E VIA TERRORISMO DE QUINTA NOS ASSALTOS E CIA TOO..!!

25 de novembro de 2009 às 18:24:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

ESSE É MIGRANTE BAIANO, DE CERTO..!!

25 de novembro de 2009 às 18:25:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

MALDICTA HORA EM QUE ESSA TUGADA FOI MANDAR ESTA MACACADA PRA CA PRA GERAR TANTA MERDA VIRA-LATA SIMIESCA INVEJOSA A VIR SÓ FALAR MERDAS E MAIS MERDAS..!!

25 de novembro de 2009 às 18:25:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"CLARO, VC´S MANDARAM O GROSSO DOS PRETOS DE ANGOLA PRA CA E NÃO PRA METROPOLE;

Foi para não sentires sozinho.lol

25 de novembro de 2009 às 20:14:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

CLARO, VC´S MANDARAM O GROSSO DOS PRETOS DE ANGOLA PRA CA E NÃO PRA METROPOLE; E COM ESMOLA DA UE ATÉ O PIAUÍ, NÉ..??

25 de Novembro de 2009 18:20:00 WET
Isso é o que vocês fazem. Obrigam todos os outros países Europeus e não só, a aceitarem essa gente que para aí têm sem qualquer perspectiva de futuro,note-se que são cada vez mais novos os iminvasores brasileiros, vêem-se livres deles, apodrecem os outros países, recebem as remessas e ainda aumentam as exportações para essas comunidades em países terceiros.
Em Portugal coitados pobres diabos, vêm para Portugal a pensar que encontram dinheiro na rua, qi chigáram pá vencé viu, depois cáiem ná réau, apercebem-se que a vida é dura, o dinheiro custa ganhar, e as esmolas que voces pensavam ter direito não existem, e andam para aí a culpar Portugal e a sociedade de não os saber integrar, da prostituição ao crime.
São uns autênticos falhados.

25 de novembro de 2009 às 20:52:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Todos a andar daqui para fora!

Do brasil? ____________ distância é o que se quer.

26 de novembro de 2009 às 00:54:00 WET  
Anonymous BRASILEIRO said...

E esta aliança terceiro-mundista que se está a cimentar, parece ter a propriedade de incomodar os nacionalistas portugueses.

26 de novembro de 2009 às 03:07:00 WET  
Blogger Caturo said...

Nem por isso. Pelo contrário, só serve é para nos dar razão: o Brasil está de um lado, nós estamos do outro. Por conseguinte, quanto maior for a distância entre estes dois lados do Atlântico melhor.

26 de novembro de 2009 às 10:40:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

26 de Novembro de 2009 3:07:00 WET

É sem dúvida uma situação à qual todos os europeus conscientes que já tenham que suportar comunidades brasileiras nas suas Nações deverão estar atentos, pois serão focos iniciadores de desestabilização.

Além do mais, atendendo ao confronto que se avizinha, será de rever a utilidade do Brasil enquanto país aliado da Europa, nem para o convencional abastecedor de mantimentos deverá ser considerado, e o que fazer com as extensas comunidades de brasileiros nas Nações Europeias?

26 de novembro de 2009 às 13:24:00 WET  
Anonymous BRASILEIRO said...

''Todos a andar daqui para fora!


Do brasil?______________________distância é o que se quer''.


Parece que os vossos patrícios não concordam consigo. Por que então há tantos portugueses por aqui?
Mas esta sua anedota é risível em demasia. Conta outra, vai!

26 de novembro de 2009 às 13:29:00 WET  
Anonymous BRASILEIRO said...

Por que os nacionalistas portugueses se incomodam tanto com o Brasil seguir o seu rumo? A ponto até de qualificar esta nossa decisão de hostil a Portugal? É um mistério insondável.

26 de novembro de 2009 às 13:31:00 WET  
Blogger Caturo said...

«Por que os nacionalistas portugueses se incomodam tanto com o Brasil seguir o seu rumo?»

Má interpretação da sua parte. O rumo do Brasil a nós não incomoda nada, esse país até podia desaparecer do mapa com um ataque nuclear que a nós não fazia grande abalo ao pífaro (excepto pelos portugueses que lá morressem, evidentemente). O que nos interessa é alertar para a necessidade de distanciamento em relação ao Brasil, como já expliquei e você fingiu que não leu.



«A ponto até de qualificar esta nossa decisão de hostil a Portugal?»

Não - é hostil relativamente aos EUA e ao Ocidente por atacado, como as palavras do vosso Lula têm demonstrado. E Portugal faz parte do Ocidente.

26 de novembro de 2009 às 15:05:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Má interpretação da sua parte. O rumo do Brasil a nós não incomoda nada, esse país até podia desaparecer do mapa com um ataque nuclear que a nós não fazia grande abalo ao pífaro (excepto pelos portugueses que lá morressem, evidentemente). O que nos interessa é alertar para a necessidade de distanciamento em relação ao Brasil, como já expliquei e você fingiu que não leu.

Não é de mais referir o papel da numerosa população imigrante brasileira estacionada na Europa nesse conflito entre blocos.

26 de novembro de 2009 às 17:21:00 WET  
Anonymous BRASILEIRO said...

É um delírio. A fobia que vocês tem do Brasil é típica de gente invejosa que sempre desprezou a Colônia e de repente a vê projetar-se no Mundo, alvo de reportagens elogiosas da Der Spiegel, El País, Le Monde Diplomatique, The Economist e outros órgãos. Querem até suprimir o comércio bilateral. Quanto a Portugal eu até acredito. Vocês tem soberania para isso. Mas quanto a Europa, é muito de se duvidar. Suprimam o comércio, mas lembrem-se que a recíproca é verdadeira. Se Portugal quer suprimir o comércio, faça-o, mas lembre-se que o mercado brasileiro é muitíssimo maior. E o Brasil pode deixar muito justamente de importar os vinhos portugueses e consumir os argentinos e chilenos de qualidade, como também os azeites, que a Argentina e o Chile produzem. A nós, o boicote português aos nossos produtos não nos fará mal algum, pois o que não falta são mercados, inclusive dentro da Europa.
Digo estas palavras sem temor das reações iradas que por certo hão de vir.

27 de novembro de 2009 às 12:29:00 WET  
Blogger Thor said...

Caturo, calma aí, porque eu importava-me.
não com os negros e mestiços brasileiros, evidentemente.
mas importava-me com os "nossos" primos arianos do Brasil, que também existem e não são assim tão poucos.
devia ser uma bomba inteligente para só ir atrás dos pretos e outras raças, mas deixar os brancos em paz :)

27 de novembro de 2009 às 12:56:00 WET  
Blogger Titan said...

"Se Portugal quer suprimir o comércio, faça-o, mas lembre-se que o mercado brasileiro é muitíssimo maior."

Pois, Portugal exporta muita coisa para o Brasil, ah pois, exporta, a balança comercial nem pesa para o lado brasileiro nem nada...! Queres enganar quem?

Ó brasileiro vai ver se estou numa favela.

27 de novembro de 2009 às 13:15:00 WET  
Blogger Caturo said...

«É um delírio. A fobia que vocês tem do Brasil é típica de gente invejosa que sempre desprezou a Colônia»

Não - o rancor de ex-colonizado mal resolvido vê-se bem nas vossas posturas e afirmações. Subsequentemente, surge, no vosso caso, a tendência para culpar o Colonizador e «pai» pelos vossos fracassos e miséria generalizada. Por isso é que fazem questão de vir aos sites portugueses exprimir o vosso ódio.
Quanto ao boicote, não se preocupe, não morríamos por deixarmos de exportar o pouco que exportamos para o Brasil.

https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/geos/po.html

Exports - partners:
Spain 25.7%, Germany 12.7%, France 11.1%, Angola 5.9%, UK 5.3% (2008)

Imports - partners:
Spain 28.9%, Germany 11.6%, France 8%, Italy 4.9%, Netherlands 4.4% (2008)

27 de novembro de 2009 às 13:38:00 WET  
Anonymous BRASILEIRO said...

Thor fique certo que nenhuma bomba nuclear cairá sobre o Brasil. Para corrermos tal risco primeiro era necessário que o PNR fosse governo, o que pela sua ínfima votação está muito longe de acontecer. Em segundo lugar, que sendo governo ele conseguisse fabricar a bomba. Nós brasileiros já temos a tecnologia para tal. Não a fabricamos por opção do nosso governo. Bom poderia haver uma hipótese: Portugal num eventual governo do PNR, ter o Caturo como Ministro dos Negócios Estrangeiros, aí ele ordenaria ao embaixador português em Londres ou Washington que obtivesse uma bomba nuclear emprestada para jogá-la sobre o Brasil. E isto ficaria na dependência de dois eventos: o embaixador obedecer ao Caturo (creio que nenhum o faria). E se o embaixador obedecesse, o governo britânico ou norte-americano se recusaria a fazer tal empréstimo, pois se o Caturo e o Titan veem motivos para exterminar a população brasileira, os britânicos e norte-americanos já não veem.

28 de novembro de 2009 às 02:19:00 WET  
Anonymous BRASILEIRO said...

O Titan, como de costume já começa a baixar o nível.

28 de novembro de 2009 às 02:20:00 WET  
Anonymous BRASILEIRO said...

Titan, o que me sugeres é uma operação impossível. Como posso ver se tu estás na favela se eu nunca vi a tua cara?
Valeu pelo que me fizeste rir.

28 de novembro de 2009 às 02:23:00 WET  
Anonymous BRASILEIRO said...

Só sei que vocês nos atribuem o complexo de colonizado que não consegue superar a colonização, mas os complexados são vocês. Vê-se logo pela resposta do Caturo que o ódio é muito mais profundo. É ódio de morte, é ódio de Roma por Cartago. Mas eu compreendo a raiva dos metropolitanos pela ex-colônia que de repente passa a caminhar por si própria, tendo superado a colonização e alcançado uma exposição cada vez maior no mundo. Deve ser penoso para o Caturo ler o The Economist, Der Spiegel, Le Monde Diplomatique, El País, The New York Times, e outros órgãos de imprensa com artigos elogiosos ao Brasil. Brasil que já comerciava com a Índia no século XVIII SEM A MEDIAÇÃO DE PORTUGAL. Deixemo-lo. O Brasil está acima desses ódios de morte.

28 de novembro de 2009 às 02:38:00 WET  
Blogger Caturo said...

«Thor fique certo que nenhuma bomba nuclear cairá sobre o Brasil. Para corrermos tal risco primeiro era necessário que o PNR fosse governo,»

Nem por isso. Não é de todo impossível que por exemplo o Lula da Selva continue a aproximar-se do Irão, e que este venha realmente a adquirir a bomba nuclear, e que depois o Brasil a adquira também, iludindo a vigilância internacional ao esconder o urânio enriquecido numa das suas milhões de favelas (pois se mesmo a própria polícia brasileira tem dificuldades em lá entrar, quanto mais uma polícia de países civilizados...), e que o Brasil continue ao lado dos seus queridos aliados muçulmanos depois da pátria dos aiatolas usar a arma contra Israel e, por outro lado, facultar a sua aquisição a grupos terroristas islâmicos que actuem no Ocidente, e que por acaso usem o Brasil para se esconderem ou acoitarem, e depois as autoridades favel... brasileiras se opuserem côrájósamentchi a que agentes ocidentais entrem no país para eliminarem os esconderijos muslos...

28 de novembro de 2009 às 04:00:00 WET  
Blogger Caturo said...

«Só sei que vocês nos atribuem o complexo de colonizado que não consegue superar a colonização, mas os complexados são vocês»

Não, tenha paciência - os complexados são mesmo vocês. Nunca param de nos culpar pela vossa desgraça e patente incapacidade de sairem da favela gigante em que se meteram por culpa exclusivamente vossa. E nunca deixam de nos querer achincalhar comparando-nos com a Europa, o que vindo de um país miserável como o Brasil até tem piada. E nunca deixam de nos ameaçar que agora é que Portugal vai ver quando o Brasil finalmente começar a ascender e a ser rico e tal. A gente nem sequer vai ter com vocês, vocês é que vêm aqui, sem ninguém vos chamar.


«Mas eu compreendo a raiva dos»

Bem - se há coisa que você compreende, é mesmo a raiva - não há nada como a experiência própria. :)



«Deve ser penoso para o Caturo ler o The Economist, Der Spiegel, Le Monde Diplomatique, El País, The New York Times, e outros órgãos de imprensa com artigos elogiosos ao Brasil. Brasil que já comerciava com a Índia no século XVIII SEM A MEDIAÇÃO DE PORTUGAL.»

Sim, é imensamente penoso, custa-me imenso, dói-me horrores saber que o The Economist, o Der Spiegel, o Le Monde Diplomatique, o El País, o The New York Times, e outros órgãos de imprensa, têm artigos elogiosos ao Brasil, e saber que o Brasil já comerciava com a Índia no século XVIII SEM A MEDIAÇÃO DE PORTUGAL... e que, apesar de tudo isso, continua ainda assim a ser um país do terceiro mundo. :) Custa-me mesmo muito.

28 de novembro de 2009 às 04:09:00 WET  
Anonymous BRASILEIRO said...

Enfim confessaste que te dói ler os jornais que eu referi. Até os evita ler. Só sei que o sonho é livre.

Os complexados são vocês que sempre tomam a iniciativa de ofender, de nos jogar em rosto que somos favelados, que o Brasil é uma vasta miséria. Isso já nem mais me surpreende. É típico de portugueses rancorosos que só pregam o ódio e a destruição. Mas Deus é maior. É maior do que o vosso ídolo Endovélico. Quero ver se ele pode mais do que Deus. Além de complexados, vocês são cruéis. E querem saber mais: VÃO VER SE ESTOU NO VOSSO PAÍS.

28 de novembro de 2009 às 11:39:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

«Mas eu compreendo a raiva dos metropolitanos pela ex-colônia que de repente passa a caminhar por si própria, tendo superado a colonização e alcançado uma exposição cada vez maior no mundo.»

é sempre a mesma conversa, têm o tal complexo do colonizado por terem sido colónia de uma potência europeia de dimensão geográfica reduzida, não se apercebendo do feito notável que foi uma Nação de dimensão geográfica de Portugal ter tido um Império tão vasto, tão disperso pelo Globo, durante tanto tempo, a 1ª e ultima potência Europeia (porque os complexos que têm não lhes permitem, tolda-lhes o raciocinio) e responsabilizam Portugal por todos os problemas que vivem actualmente, e quanto mais atrasado representam Portugal melhor vivem com eles próprios. Além da constante possibilidade: e se, e se fossem colonizados por uma potência europeia com maior dimensão geográfica e com outra notoriedade no panorama actual, chegam inclusivamente, tal o desespero em que vivem, e se fossem colonizados por Espanha. Comparando muitas das vezes o facto de Espanha enquanto ex-potência colonizadora manter aos olhos deles, um posicionamento superior no panorama da economia global aos países da América Latina que foram anteriormente as suas colónias, enquanto o Brasil faz parte do tal de BRICs ( como se isso fosse garantia de alguma coisa e não servisse apenas para continuar a iludir esses tolos) e na perspectiva deles, ultrapassou Portugal. Esta arenga brasileira é frequentemente introduzida por eles numa pretensa rivalidade Portugal-Espanha, em que acicatam esta rivalidade histórica, e para simultaneamente conquistarem simpatias do outro lado e num esforço de denegrirem Portugal e a nossa História, manifestam a preferência por terem sido colónia espanhola.

«e saber que o Brasil já comerciava com a Índia no século XVIII SEM A MEDIAÇÃO DE PORTUGAL...»

Esta tendência intriguista tão característica dos brasileiros, e da politica externa do Brasil, para envolver terceiros em rivalidades, e conflitos, geralmente iniciados e alimentados por eles, é algo que deve ser atentamente estudado e considerado. E, nunca é demais considerar as centenas de milhar de brasileiros em Portugal e na Europa, e qual o impacto destas populações num potencial conflito civilizacional em que as Nações europeias se vejam envolvidas.

28 de novembro de 2009 às 16:37:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

im, é imensamente penoso, custa-me imenso, dói-me horrores saber que o The Economist, o Der Spiegel, o Le Monde Diplomatique, o El País, o The New York Times, e outros órgãos de imprensa, têm artigos elogiosos ao Brasil, e saber que o Brasil já comerciava com a Índia no século XVIII SEM A MEDIAÇÃO DE PORTUGAL..
eu nem ando a dormir bem a pensar nisso, então e estas centenas de milhar de brasileiros se forem embora??!!! o que será de nós??
EL PAIS artigos elogiosos ao Brasil deixa lá ver:
#http://www.elpais.com/articulo/internacional/Periodista/deja/temblar/quisieramos/estarias/muerto/elpepuint/20091022elpepuint_13/Tes

106

Renato da Silva ( http://www.surysur.net ) - 22-10-2009 - 23:27:03h

Hola, son un brasileiro i estou fodido de ver esta violensia que no nos leva a ningun lado. Mais e a culpa deses portugueses. Eles meteron esa cultura da violencia na nosa sociedade. Eles e a sua conquista, as suas ambicaos, a sua merda. Agora e tarde para loitar cunha violencia incrustada na sociedade, igual que a prostitucao. Eso nao e futuro para os meninos, para a xuventude, para as persoas que son os Brasileiros de manha.

28 de novembro de 2009 às 18:00:00 WET  
Blogger Caturo said...

Ahahahahahh... um país que era, antes da iminvasão, um dos que tinha menos criminalidade violenta da Europa, é que tem a culpa de a favela gigante que é o Brasil ser dos países mais violentos do planeta, ahahahahahh, até onde chega a imbecilidade rancorosa destes percevejos que não nos largam. :)

28 de novembro de 2009 às 20:52:00 WET  
Blogger Caturo said...

«Os complexados são vocês que sempre tomam a iniciativa de ofender,»

Não, brasileiro, são mesmo vocês que aqui vêm, e sempre em atitude hostil. Sempre com acusações, ofensas de facto, e imbecilidades afins.
Nós só queremos é esse terceiro mundo todo longe daqui - desinfecta, ala, desgruda, «cai fora», enfim, o que vos permita perceber que não queremos nada convosco.

28 de novembro de 2009 às 20:54:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

m dos que tinha menos criminalidade violenta da Europa, é que tem a culpa de a favela gigante que é o Brasil ser dos países mais violentos do planeta, ahahahahahh, até onde chega a imbecilidade rancorosa destes percevejos que não nos largam. :)

São as projecções Caturo, as projecções, e escolhem-nos a nós, portugueses, como alvo.
Além de os aturarmos a eles temos que aturar as suas arengas.
Repara no discurso deste brasileiro, sempre a dizer o mesmo apesar de estar a ser sempre desconstruído.

28 de novembro de 2009 às 22:49:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

NÃO QUERO DISCUTIR MAIS NADA AQUI COM PESSOAS CRUÉIS E CHEIAS DE ÓDIO, QUE INCLUSIVE ADVOGAM A DESTRUIÇÃO DO BRASIL POR BOMBAS NUCLEARES. VOCÊS SÃO DIGNOS DE LÁSTIMA. FAZEM O MAIOR ESCÂNDALO COM O PRESIDENTE DO IRÃ PORQUE ELE DISSE QUE ISRAEL DEVERIA SER VARRIDO DO MAPA, MAS DEFENDEM A MESMA IDÉIA PARA O BRASIL.

O VOSSO PROBLEMA É QUE VOCÊS SE CONSIDERAM ROMA E A NÓS COMO CARTAGO. MAS PARA VOSSA DESGRAÇA A HISTÓRIA NÃO SE REPETIRÁ. SONHEM À VONTADE, POIS CAPACIDADE DE PRODUZIR A BOMBA NUCLEAR VOCÊS NÃO TEM. PRIMEIRO ENCONTREM ALGUÉM QUE VOS FORNEÇA A TECNOLOGIA DO ENRIQUECIMENTO DO URÂNIO. DEPOIS FALEM EM BOMBA.

29 de novembro de 2009 às 04:33:00 WET  
Blogger Caturo said...

«NÃO QUERO DISCUTIR MAIS NADA AQUI»

Cê prométchi?....

30 de novembro de 2009 às 01:53:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Ahahahahahh... um país que era, antes da iminvasão, um dos que tinha menos criminalidade violenta da Europa, é que tem a culpa de a favela gigante que é o Brasil ser dos países mais violentos do planeta, ahahahahahh, até onde chega a imbecilidade rancorosa destes percevejos que não nos largam. :)



ahahahahahah

Ainda bem que o atlantico é vasto e nos separa dos brasileiros.

4 de dezembro de 2009 às 10:38:00 WET  
Anonymous Brasileiro com orgulho said...

Brasil, "país miserável", "país do terceiro mundo".

O interessante nesses adjetivos é que eles são dados ao Brasil, que mesmo sendo "terceiro mundista", consegue ter mais representatividade no cenário mundial do que o "primeiro mundista" Portugal, que como se diz aqui no Brasil, é um "peso morto". Imaginem quando o Brasil se tornar primeiro mundista, o que este país fará, não acha. E será uma posição conquistada sem pelo próprio esforço.

Mas como diz o velho ditado aqui no Brasil, "falem mal, mas falem de mim". É isso aí,"portugas" continuem falando mal do Brasil, mas falem. Nem mesmo os grandes gênios das artes, das ciências escaparam das críticas.

Quanto a quererem manter distância do Brasil, é bem verdade que existem brasileiros que migram para Portugal, assim como há portugueses que se mudam para o Brasil. Mas assim como há portugueses que querem manter distância dos brasileiros, ora, meu caro, não se iluda: há muitos brasileiros que querem uma distância tripla de Portugal.

Mas é isso, continuem falando mal do Brasil e se orgulhando em serem arianos portugueses na busca de expulsarem os estrangeiros do terceiro daí. Seria a grande conquista de suas vidas, e eu creio que esse objetivo seja muito importante para vocês portugueses.

Nós brasileiros já temos objetivos maiores e mais nobres. Temos os nossos problemas sociais para superar, é verdade, mas temos uma destacada posição político-econômica mundial a zelar, e com esse prestígio e destaque que conquistamos com muito trabalho, pretendemos crescer muito mais, conquistar o mundo, porém sem bombas nucleares e perseguições a estrangeiros.

Saudações brasileiras.

31 de maio de 2010 às 15:24:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«O interessante nesses adjetivos é que eles são dados ao Brasil, que mesmo sendo "terceiro mundista", consegue ter mais representatividade no cenário mundial do que o "primeiro mundista"»

Pudera, com o tamanho que tem, também era melhor que não tivesse mais representatividade... do mesmo modo que também tem mais representatividade do que o Luxemburgo, a Irlanda, a Grécia ou a Dinamarca. Todavia, continua a ser do terceiro-mundo. Paciência. :)


«Portugal, que como se diz aqui no Brasil, é um "peso morto"»

Um «peso morto« que dá muito jeitinho ao País-Favela para «entrar» na Europa...


« Imaginem quando o Brasil se tornar primeiro mundista,»

Pois... o problema está no pormenorzito do «quando». :) :) :)


«E será uma posição conquistada sem pelo próprio esforço»

Bem, para já, a influência que o Brasil tem deve-se sobretudo ao seu tamanho e dimensão continental – e isso deve-o aos Portugueses. Logo a começar é assim. :)


«Nem mesmo os grandes gênios das artes, das ciências escaparam das críticas.»

Sim, mas o Brasil não é bem, bem, bem um génio das artes ou das ciências... eheheheh...


«Mas assim como há portugueses que querem manter distância dos brasileiros, ora, meu caro, não se iluda: há muitos brasileiros que querem uma distância tripla de Portugal.»

Óptimo. Vamos alimentar isso...


«Mas é isso, continuem falando mal do Brasil e se orgulhando em serem arianos portugueses na busca de expulsarem os estrangeiros do terceiro daí. Seria a grande conquista de suas vidas, e eu creio que esse objetivo seja muito importante para vocês portugueses.»

E crê bem.


«Nós brasileiros já temos objetivos maiores e mais nobres»

Depende dos critérios... é mais nobre lutar para não ser um morto de fome? Pois segundo alguns poderá ser, sim....


« porém sem bombas nucleares e perseguições a estrangeiros.»

Mas com muito rancorzinho aos Portugueses...


Saudações Separatistas

30 de junho de 2010 às 21:19:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«porém sem bombas nucleares»

Mas se calhar a permitir que o país dos aiatolas as adquira...


«e perseguições a estrangeiros»

Pois, e já agora sem criminalidade endémica, que fazem do Rio de Janeiro uma das cidades mais violentas do mundo e que obrigasm o governo a negociar com criminosos... certo? :)

Renovadas Saudações De Quem Gosta De Vos Ver a Longa Longa Distância.

30 de junho de 2010 às 21:22:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Bem, para já, a influência que o Brasil tem deve-se sobretudo ao seu tamanho e dimensão continental – e isso deve-o aos Portugueses. Logo a começar é assim. :)
Tão óbvio, e acrescento uma língua comum que vai deixando aquilo colado com cuspo, porque senão aquilo seria uma manta de retalhos, é isto é os revolta e faz com que estejam sempre a queixar-se do tamanho de Portugal, de dimensão geográfica relativamente reduzida mas que teve o engenho de ter um Império do qual aquilo foi apenas uma parte.

1 de julho de 2010 às 23:14:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Excelente comentário.

22 de julho de 2010 às 16:37:00 WEST  

Publicar um comentário

<< Home