sábado, julho 14, 2018

PNR PROTESTOU CONTRA O RACISMO ANTI-PORTUGUÊS


As questões raciais na sociedade portuguesa motivaram uma "troca de palavras" entre movimentos anti-racistas e militantes do Partido Nacional Renovador (PNR), durante a realização de duas manifestações simultâneas na zona do Rossio, em Lisboa.
O confronto verbal entre os dois grupos ocorreu no momento em que o PNR chegou ao largo de São Domingos, onde decorria uma concentração de associações anti-racistas, composta por representantes dos movimentos Djass (associação de afro-descendentes), SOS Racismo, Plataforma Gueto, Consciência Negra e Casa Brasileira de Lisboa.
Apesar de alguns insultos entre elementos dos dois grupos, não houve qualquer confronto físico, uma vez que no local se encontravam elementos da PSP.
A manifestação anti-racista, que juntou cerca de uma centena de pessoas, foi convocada, através das redes sociais, pela associação Djass e surgiu na sequência de vários casos de "discriminação racial", nomeadamente a agressão, no Porto, a uma jovem de origem colombiana.
"O episódio que ocorreu no Porto e o julgamento dos polícias de Alfragide são a ponta do icebergue que potenciaram a convocação desta concentração", explicou à agência Lusa Beatriz Gomes, da associação Djass, minutos antes da chegada do PNR ao local.
A activista sublinhou que "existe em Portugal uma grande dificuldade em discutir o racismo", uma vez que é considerado um "não-assunto".
"O racismo institucional, que nós achamos que é sistémico na sociedade portuguesa, e que atravessa as inúmeras instituições, condiciona a vida dos negros e das negras em Portugal", apontou.
Do lado oposto, o presidente do PNR, José Pinto Coelho, acompanhando por uma dezena de militantes, acusou estes movimentos anti-racistas de serem promovidos por uma "agenda racista da extrema-esquerda", negando a existência de um sentimento racista em Portugal.
"Associações como o SOS racismo, que são pagas por todos nós, é que, no fundo, fomentam o maior racismo em Portugal. Em Portugal nunca existiu racismo. Eles é que estão a criar uma onda de racismo, que tem os dois sentidos", atestou.
*
Fonte: https://www.jn.pt/nacional/interior/confronto-verbal-nas-ruas-de-lisboa-entre-antirracistas-e-militantes-do-pnr-9591237.html

* * *

Já basta de «ouvir» queixumes e guinchos da parte de quem «acusa» os Portugueses de «racismo!!!!» mas não há maneira de desgrudar de vez e ir embora daqui para fora, que não faz cá falta nenhuma. 
Pessoalmente posso atestar que nunca vi uma só tomada de força excessiva contra africanos da parte da polícia portuguesa. Poder-se-á dizer que não sou isento nesta matéria, ao que facilmente respondo que nenhum dos que acusam a polícia de violência racista tem mais credibilidade ou isenção ideológica que eu. Quanto ao que se passa na esquadra, não sei, é a palavra de uns contra a de outros e eu sinceramente dou mais crédito à bófia que aos «jovens»... eu falo é do que vejo nas ruas e, nas ruas, repito, nunca por nunca assisti a qualquer acto de agressão policial gratuita contra negros, aliás, o que vi foi um comportamento entre o ameno intencionalmente tranquilizante e uma certa bananice, nomeadamente quando presenciei cenas em que negros insultavam e ameaçavam até fisicamente os representantes da autoridade e estes evitavam manifestamente o conflito quando o que era correcto era deter de imediato os «jovens» por ameaça à autoridade.
Entretanto nunca tomei conhecimento de que o SOS Racista ou o BE ou quejanda merda alguma vez tivesse manifestado publicamente o seu repúdio quando aqui há tempos um imigrante curdo sozinho foi agredido por uma catrefa de «jovens» africanos só porque estava a fechar o seu estabelecimento e os negros, ao final de uma noite de divertimento, exigiram ser servidos. O curdo, oriundo da Turquia, não lhes obedeceu, coitado, não sabia como era esta merda aqui, e os negros agrediram-no, mas agrediram-no entre o comportamento punitivo e a troça pura, nas imagens videogravadas notou-se que alguns estavam perfeitamente no gozo como quem se diverte com um boneco que responde. Um dos negros chegou a sacar de uma arma de fogo e a disparar. Não ouvi, repito, qualquer brado de indignação pública contra este abjecto acto de opressão sobre um imigrante que nem sequer é europeu... imagine-se o que era o histérico cagaçal se os agressores fossem skinheads brancos, rapidamente se ouviriam os «donos da virtude» bloquistas e afins aos gritos a exigir que a polícia «racista!!!!» tomasse providências e apanhasse alguém!!!!, e ai que horror «eu tenho vergonha de ser europeu eu tenho vergonha de ser português!!!!!!!!!!!» e outras bacoradas do habitual rosário de etno-masoquismo e xenofilite da mais palerma. Como os agressores eram negros, nem piu, é que nem ouvi um caralho de um comentário condenatório do sucedido, nicles...

6 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Presumo pela tua argumentação de negar que a polícia seja racista (porque tu nunca viste nada), de que és contra polícias racistas a espancarem negros nas esquadras, certo?

Já agora, porque é que o SOS Racismo havia de se pronunciar sobre actos criminosos de quem quer que seja? Só por serem negros?

15 de julho de 2018 às 18:30:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Bibi Netanyahu insinua diretamente 11/09 em 1995

On CNN in November 2006: "I wrote a book in 1995, and I said that if the West doesn't wake up to the suicidal nature of militant Islam, the next thing you will see is militant Islam bringing down the World Trade Center."

https://www.youtube.com/watch?v=-QMLO558gec

16 de julho de 2018 às 01:19:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

a festa multiracial em frança acabou mal como costume. E metade da missa nao saberemos, pois estes media encobrem ao maximo os maleficios do multiracialismo

"As celebrações, conforme dá conta a imprensa francesa, levaram a cenas de violência um pouco por todo o país.

Foi nos Campos Elísios que a intervenção policial foi mais musculada, tendo sido usado gás lacrimogéneo para dispersar a multidão que se recusava a sair dos Campos

Aliás, a mais famosa avenida francesa esteve encerrada durante toda a noite e madrugada, com as autoridades a patrulharem a zona para evitar a continuação de conflitos, até porque várias lojas junto ao Arco do Triunfo foram saqueadas. "

https://www.noticiasaominuto.com/mundo/1049303/adeptos-franceses-morreram-nos-festejos-violencia-fechou-campos-elisios

lojas saqueadas, faz lembrar algo nos EUA..

16 de julho de 2018 às 09:10:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Boa acção.
Dia 20 vai haver uma boa conferencia nacionalista, com a associação portugueses primeiro , identitários e pessoal da casapound

16 de julho de 2018 às 23:38:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«porque é que o SOS Racismo havia de se pronunciar sobre actos criminosos de quem quer que seja? Só por serem negros?»

Não... é porque o SOS Racismo escaganiça-se em festivais de histerismo do mais ridículo e militante quando há negros a serem agredidos mas como neste caso a vítima é branca e é imigrante.. ainda por cima imigrante de um país não europeu, pertencente a uma minoria étnica perseguida no seu país, ai que maravilha para o anti-racistame proteger!!!!!!, excepto que, cof cof, a vítima é mesmo branca e os agressores são negros, logo, mete-se a viola no saco e fica-se em silêncio, é que nem piu nem tampouco exigências de que a polícia apanhe culpados, nada, nicles...

Assim se vê o NOJO que é essa obscenidade do SOS Racismo SUSTENTADA pelos Portugueses sem que lhes seja perguntado nada.

17 de julho de 2018 às 01:24:00 WEST  
Blogger Helena Vilarinho said...

Nunca percebi as razões do PNR em fazerem contra manifestações... Aliás nunca entendi a eficácia politica de qualquer contra manifestação...

18 de julho de 2018 às 12:38:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home