sexta-feira, fevereiro 26, 2016

SOBRE UM CARTAZ ANTI-RACISTA QUE CONSIDERA O «RACISMO» PIOR QUE A VIOLAÇÃO...



«Uma violação pode durar 30 segundos. Mas o racismo dura para sempre. Deixem-os entrar.» Este é um cartaz que neste momento está em execução on-line e na cidade de Monaco, na Alemanha. Acompanhado pelo hashtag de #refugeeswelcome e #antifa mostra uma menina loira com o rosto entre as mãos em sinal de desespero.
A mensagem é clara: se a imigração em massa traz consigo consequências graves para a segurança das mulheres, ainda tem de ser aceite e incentivado, porque ajuda a derrotar o racismo. Mensagem que está a atrair várias críticas e talvez por isso não tenha sido reivindicada por ninguém, excepto por uma participação geral no mundo anti-fascista bávaro. Poderia ser uma falsificação. Mas encontrou uma boa distribuição nos ambientes anti-fascistas alemães: o cartaz, de facto, foi compartilhado em diferentes páginas do facebook e blogs de membros da Esquerda alemã.
Se o folheto era falso - o que, como mencionado, não está comprovado, mas não é inconcebível - a sua mensagem é real e compartilhada por diferentes administradores páginas políticos, o que prova que este pensamento é aceite nesse meio.
*
Tradução e adaptação deste texto: http://www.ilgiornale.it/news/mondo/stupratele-tanto-sono-tedesche-1227934.html

* * *

Muito sintomático do que é a escumalha antirra - para esta espécie de infra-humanidade, uma violação, que mexe profundamente com a vítima, é menos grave que o simples «acto» de não gostar de alógenos... 
Fica-se com uma ideia aproximada da podridão que representa o seu projecto político. Entende-se, com particular clareza, a natureza do pior inimigo que o Ocidente já teve, que é precisamente uma quinta-coluna ideológica: o universalismo militante levado às consequências mais abjectas, só compreensível quando se entende do que se trata - isto é já um autêntico credo, uma espécie de «religião», que se pode descrever como a da Santa Madre Igreja Anti-Racista e Multiculturalista dos Últimos Dias do Ocidente, para a qual o «racismo» constitui o pecado capital por excelência. Contra isto, só o Nacionalismo é antídoto.


5 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Refugee rape a social worker after finishing course on how to behave with women


http://www.liveleak.com/view?i=8fd_1456301972#j5vwSV93ElSRvaOX.99

26 de fevereiro de 2016 às 22:47:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

O Japão aceitou apenas 27 refugiados muçulmanos e 2 deles já partilharam a sua riqueza cultural com uma mulher no país:


http://madworldnews.com/japan-27-muslim-refugees/

26 de fevereiro de 2016 às 23:17:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

enfim! o poder da lavagem cerebral é capaz de tudo.

27 de fevereiro de 2016 às 10:23:00 WET  
Blogger Da Serra said...

Que cartaz mais idiota.
A violação dura TODA A VIDA.
Só verdadeiros filhos da puta podem fazer um cartaz destes!!!

27 de fevereiro de 2016 às 11:49:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

É preciso resistir contra os suecos... no seu próprio país:


http://www.dn.pt/mundo/interior/a-historia-da-fotografia-espontanea-que-ja-e-um-icone-de-resistencia-5157657.html



Os mesmos que berram e com razão contra a invasão e colonização europeia da América pelo que esta significou para os índios são os mesmos que agora aplaudem esta preta por "resistir" contra europeus nacionalistas que, no seu próprio país, manifestam-se pelo direito de não acabarem como os índios.

5 de maio de 2016 às 18:45:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home