segunda-feira, novembro 09, 2015

MUÇULMANOS NA AUSTRÁLIA QUEIXAM-SE DA OBRIGATORIEDADE DE CANTAR O HINO NACIONAL

Fonte: http://pamelageller.com/2015/11/australia-muslims-complain-that-singing-national-anthem-is-forced-assimilation.html/
*
Na Austrália, o grupo islamista Hizb ut-Tahrir denuncia a obrigatoriedade de cantar o Hino Nacional na escola bem como o juramento de apoio aos valores democráticos, considerando que tais actos constituem «assimilação forçada de muçulmanos».
Numa conferência intitulada «Inocente Até Que Se Prove Muçulmano», realizada em Sidney, contando com cerca de oitocentas pessoas na assistência, o porta-voz do grupo, Uthman Badar, declarou que o Hino Nacional «reflecte uma visão disputada da História»; seguidamente deixou a questão retórica que se adivinhava: «se não partilhamos esses valores [os do hino e da democracia], porque é que temos de ser forçados a cantá-los?»

O Hino Nacional australiano, «Advance Australia Fair» («Avança Bela/Justa (?) Austrália»), pode ser lido aqui https://pt.wikipedia.org/wiki/Advance_Australia_Fair, cada um faça então o seu julgamento sobre a mensagem dita ideológica que aquilo possa ter, que assim de repente é praticamente nenhuma para além do mais óbvio e moderado patriotismo... Mas mesmo assim o muçulmano arranja maneira de ver nisso algo «discutível». Ir-se embora dali para fora, regressar ao seu país de origem, ou avançar para um país muçulmano onde os valores sejam outros, isso é que pelos vistos está fora de questão para o fulano...

O comentário do muslo foi uma espécie de resposta à polémica desencadeada no país quando uma escola primária de Victoria dispensou os alunos muçulmanos de cantar o hino. 
Na sequência, Badar aproveitou para declarar que a campanha do governo para combater a radicalização dos muçulmanos é na verdade uma estratégia para «tornar os muçulmanos menos islâmicos.»
Isto dito assim até faz pensar que se calhar o Estado Australiano está a obrigar os muçulmanos a ficar no País...

É mais uma vez uma hoste islâmica a proceder de maneira abertamente subversiva, tal como os seus parentes religiosos que há dois mil anos andavam a incitar-se mutuamente a rejeitar os cultos nacionais romanos para depois disso imporem a tudo e todos o culto do Judeu Morto...
Contra isso só o Nacionalismo marcha.


1 Comments:

Blogger João José Horta Nobre said...

Já o digo há muito tempo e repito: O Islão é uma anti-religião e uma ideologia político-social criminosa que como tal deve ser ilegalizado, da mesma forma que se ilegalizou o Nazismo na Alemanha e o Comunismo em alguns países da Europa de Leste.

10 de novembro de 2015 às 01:36:00 WET  

Enviar um comentário

<< Home