sexta-feira, maio 29, 2015

GOVERNO ENTREGA METRO DO PORTO A PRIVADO - E O POVO PAGA SEM SABER

O Governo recua e já admite dar indemnizações compensatórias ao futuro operador do metro do Porto. Mas essa possibilidade, que diminui o risco do privado e melhora a equação financeira do negócio de concessão, nunca foi incluída no caderno de encargos nem divulgada publicamente pela Metro ou pelo Estado.
Beneficiará o consórcio catalão - a quem foi adjudicada a exploração do sistema do metro a partir de 1 de Agosto deste ano e até 31 de Julho de 2025. Porém não entrou nas contas feitas pelas restantes empresas que levantaram o caderno de encargos e não chegaram a apresentar propostas no concurso por causa do risco do negócio. Até a Câmara do Porto, após uma avaliação económica, desistiu de ir à corrida por considerar que o negócio seria inviável sem indemnizações compensatórias. Só que, afinal, o Governo está disposto a dar "compensações financeiras" em circunstâncias específicas que a Metro do Porto e o Ministério da Economia não revelam. O compromisso está vertido no Relatório e Contas do ano passado da Metro.
Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa
*
Fonte: http://www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Porto&Option=Interior&content_id=4592811&utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+JN-ULTIMAS+%28JN+-+Ultimas%29   (Artigo originalmente redigido sob o acordo ortográfico de 1990 mas corrigido aqui à luz da ortografia portuguesa)

* * *

Cada vez mete mais nojo a converseta da neo-liberalagem que se quer justificar com os custos das empresas públicas para o Estado para depois gastar à mesma dinheiro do povo mas para o entregar a privados.

8 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Ui, nojinho. HEhe. Senta e aguenta o capitalismo "malvado" que faz o mundo progredir.

30 de maio de 2015 às 00:53:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Mas eu não utilizo nenhum metro , porque raio achas que devo pagar eternamente este serviço????os transportes devia ser um serviço do estado numa outra sociedade , não esta ! E se não aceitas esta opinião és um democrático encapotado !

30 de maio de 2015 às 09:55:00 WEST  
Blogger KVRGANIVS NOSTRATORVM said...

SIM ELES CONSTROEM TUDO ARCANDO COM OS CUSTOS DE GERAÇÃO COM GRANA DO CONTRIBUINTE, CONCEDE A PREÇO DE BANANA E AINDA SUSTENTA O NEGOCIO AS CUSTAS DOS TROUXAS..NO FINAL HÁ UM DEFICIT PROS OTARIOS PRA MEIA DUZIA MOLHAR A MÃO..

30 de maio de 2015 às 23:56:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«Mas eu não utilizo nenhum metro , porque raio achas que devo pagar eternamente este serviço????»

Porque tens acesso a esse serviço se dele precisares, e porque o Povo do qual fazes parte precisa desse serviço.


«os transportes devia ser um serviço do estado numa outra sociedade , não esta !»

E porque não nesta?... Estranho...


«E se não aceitas esta opinião és um democrático encapotado !»

Ainda não percebeste o básico da Democracia... pudera, aí no gueto é proibido pensar sobre isto... não percebeste que Democracia não é dizer amen a todas as ideias e mais algumas. Democracia , poder do povo, implica a existência da liberdade de expressão, o que significa que posso dizer não ao que dizes, como tu podes dizer não ao que eu digo, sem ser preciso que um de nós tente impor a ideia ao outro à lei da bala.
Guarda isto na mente mas não precisas de o dizer aí ao pessoal do gueto, que ainda corres o risco de te chamarem «democrático encapotado», quando não sionista e lacaio-dos-protocolos.


31 de maio de 2015 às 02:33:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Não tenho de pagar o que não uso , democracia é isto ! Não o contrario que tu queres , eu pago na força e tu gozas ! Comuna!

31 de maio de 2015 às 23:04:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Não, Democracia não é isso. Democracia, poder do povo, é a escolha do povo como colectivo e o favorecimento deste mesmo colectivo. Os transportes públicos são do povo e servem o povo. Não há concepção mais democrática de transporte que esta. E se tu não usas, o problema é teu. Estás no teu direito. Todavia, tens a possibilidade de os usar a qualquer momento. É uma segurança e um direito que assiste a cada um dos cidadãos. E, sendo mais barato, favorece as classes baixas e médias, ou seja, a maioria da população. Ora a Democracia tem precisamente de beneficiar o maior número possível de pessoas. Portanto, se queres suar as estopinhas só para andares de cu alapado no teu automóvel privado, pois força nisso, mas eu ou não tenho um posto de trabalho que me garanta rendimento suficiente para isso ou então não quero ter me chatear do mesmo modo para ter um veículo que não me interessa ter, que traz despesas e chatices, que é bem menos seguro que o público e que me ocupa tempo que posso aproveitar doutros modos mais agradáveis. Eu prefiro ir a ler ou a dormir ou a olhar livremente para as passageiras do que ir com a tensão em alta a olhar para a estrada e para os outros veículos e para o mostrador de velocidade e de água e de óleo durante largos minutos, quando não horas. E a maioria de um país pobre é mais como eu do que como tu, apesar de Portugal ser dos países onde se compram mais automóveis. Enfim, é a mentalidade das gentes, tantas vezes amiga da ostentação. E, sintomaticamente, é nos países mais ricos e civilizados da Europa que a rede de transportes públicos se revela mais abrangente e funciona melhor.

Portanto, se queres, à maneira selvática e incivilizada do salve-se quem puder borrifares-te para os transportes públicos, vota lá num partido liberal qualquer, como um do Portas, que ficou todo betinhamente irritado num «Dia Europeu Sem Carros», porque achou que isso era uma medida de esquerda e etc. e tal. Eu prefiro um partido que dê toda a prioridade aos transportes públicos. E espero que o povo vote mais na minha escolha que na tua.

31 de maio de 2015 às 23:28:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

És mesmo imbecil comuna , não uso porque não existe nenhum metro para usar ! Tenho de pagar por algo que não temos ? Tu é que tens metro , tu usas , tu pagas ! Isso é democracia , encapotado de merda !

1 de junho de 2015 às 19:21:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Continuas a ser o mesmo aleijado mental de merda. Não interessa se não tens aí na tua terra, atrofiado - ele existe e é de todos os portugueses. Do mesmo modo que eu também posso ter de pagar impostos para que aí onde moras tenha mais uma ponte ou mais uma estrada, também tu tens de pagar impostos pelo que está ao alcance do povo no resto do país. Isto aqui é um Estado democrático e sem fronteiras internas, um só país, não é uma sucessão de aldeias isoladas como esse teu chiqueiro mental queria que fosse. Por isso, animal, é que o que diz respeito à esfera pública de um cidadão num extremo do País, diz também respeito a outro cidadão em qualquer outro ponto do espaço nacional. Isto é democracia com consciência cívica, aborto. Aprende.

1 de junho de 2015 às 19:40:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home