quarta-feira, janeiro 25, 2012

«MEIN KAMPF» REEDITADO NA ALEMANHA PELA PRIMEIRA VEZ DESDE A QUEDA DO REGIME NACIONAL-SOCIALISTA

Porque a verdade, tarde ou cedo, tem mesmo de vir ao de cima, por mais que tenha andado a ser proibida. É de salientar, a propósito, a informação que a Wikipedia fornece sobre o caso:
Os direitos do livro, que pertenciam a Adolf Hitler, foram entregues ao Estado da Baviera, por ordem do mesmo. O Estado da Baviera recusa-se a republicar e permitir republicações do livro, por isso o mesmo não mais se encontra à venda, porém tais direitos cairão em domínio público no dia 31 de Dezembro de 2015, quando poderá ser editado e traduzido por outras editoras.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Mein_Kampf#Direitos_autorais

Todavia, alguém conseguiu contornar este bloqueio uns anitos mais cedo:
O polémico livro de Adolf Hitler, «Mein Kampf» (A Minha Luta) será reeditado na Alemanha pela primeira vez, desde a queda do regime nazi em 1945.
O editor britânico Peter McGee adiantou que publicará o manifesto anti-semita, que retrata a visão de Hitler antes de sua chegada ao poder, junto com comentários que situam a obra num contexto histórico.
O primeiro dos três fascículos, com 16 páginas do livro, será publicado este mês com uma tiragem de 100 mil cópias, disse à Reuters Peter McGee, chefe da editora Albertas Ltd, com sede em Londres.
«É um assunto delicado na Alemanha, mas o mais incrível é que a maioria dos alemães não tem acesso ao Mein Kampf' porque há um tabu, essa aura negra que o cerca», afirmou.
«Queremos que o 'Mein Kampf' seja acessível para que as pessoas o vejam pelo que ele é, e depois o descartem. Uma vez exposto, ele pode retornar ao caixote do lixo da literatura», disse ainda.
Os fascículos serão distribuídos como um suplemento de uma publicação semanal da empresa, uma polémica série chamada «Zeitungszeugen» (Testemunha do Jornal», que republica páginas dos jornais nazis datados dos anos 1920 e 1930, com um comentário. A mais recente edição da série, lançada na semana passada, vendeu até agora 250 mil exemplares, de acordo com McGee.
«Todos consideram e vêem o livro como uma espécie de diabólica bíblia nazista. Mas quase ninguém o leu e portanto não sabem que é um trabalho confuso e de péssima qualidade, escrito por uma mente totalmente distorcida», afirmou.

4 Comments:

Anonymous Anónimo said...

"O editor britânico Peter McGee adiantou que publicará o manifesto anti-semita, que retrata a visão de Hitler antes de sua chegada ao poder, junto com comentários que situam a obra num contexto histórico."

Esses tais "comentários" é que podem comprometer o livro. Ainda mais se vierem de esquerdistas.

25 de janeiro de 2012 às 19:25:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Boa noticia, Esperemos que politicamente correcto comece a cair em toda a Europa, neste caso na Alemanha.

25 de janeiro de 2012 às 21:55:00 WET  
Blogger 1143 said...

Justiça de Munique bloqueia publicação de 'Mein Kampf'

http://oglobo.globo.com/mundo/justica-de-munique-bloqueia-publicacao-de-mein-kampf-3761398

26 de janeiro de 2012 às 12:14:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Não deixa de ser curioso e susceptível de análise... será que foram as ideias iluministas e emancipadoras francesas que influenciaram o início do movimento que culminou com a independência dos EUA, ou foi o espírito activo e determinado dos colonos americanos que impulcionaram os franceses para a sua revolução?

Normalmente tomamos como verdade a determinante influência francesa na Revolução americana, mas pela leitura destes textos, acabamos por reconhecer que esta deveu-se a um conjunto de outras circunstâncias, e possivelmente o seu espírito liberal alastrou-se aos franceses...

Corrijam-me se estiver a pensar erradamente...

Cumprimentos!

27 de janeiro de 2012 às 19:47:00 WET  

Enviar um comentário

<< Home