terça-feira, outubro 27, 2009

TRÊS GANGUES DE CRIMINOSOS SUB-ADULTOS EM FARO


Reparemos agora no que se diz aqui:

No Algarve (sul do Portugal), entre Faro e Portimão proliferam também pequenos bairros de africanos, alguns dos quais tristemente conhecidos pelo tráfico de droga e a criminalidade.

4 Comments:

Anonymous Archaeopteryx said...

É o que acontece com políticas de meia-tigela,sem conta,peso ou medida.
Toca a encher o país com imigrantes,para resolver o tão falado problema da falta de mão-de-obra não qualificada,e do envelhecimento populacional,e temos mais do mesmo:criação de enclaves que são antros de criminalidade e instabilidade social,a multiplicarem-se a alta velocidade.
Se um africano tem,em média,mais filhos que um português médio,maiores probabilidades de alteração da composição racial surgem.
A própria inclinação multiculturalista dos governos tem parte considerável neste estado de coisas e tenta,a todo o custo,tapar o sol com uma peneira,vindo aos púlpitos clamar que a imigração é necessária...
Sim,para patrões sem escrúpulos é uma fonte de lucro incomparável,sem dúvida...
Já vai sendo tempo de erguermos a nossa voz contra estas políticas da treta,que apenas prejudicam o país e os seus legítimos donos.
O povo não merece mais isto...

27 de outubro de 2009 às 14:07:00 WET  
Blogger Rio sur Seine said...

Sim,para patrões sem escrúpulos é uma fonte de lucro incomparável,sem dúvida...
________________________________

Não conheço bem as outras zonas de Portugal, mas deve ser com certeza igual.

No Algarve, aparece descarradamente que o unico objectivo da imigração, concretamente, sem ter medo do palavrão, porque neste caso nem sequer è inpròprio como não hà palavras fortes de mais para descrever a situão relatata por meus amigos, assim que vérias constatações, è mesmo para FODER os portugueses.

Uma coisa pròpria a Portugal que não se vê em nenhuma parte da Europa, e que as organizações anti racistas hipòcritas nunca revelam, è o recrutamento maçisso de imigrantes de leste para obras importantes, para que no fim de três meses, esses patrões os façam trabalhar em condições que relèvam da escravatura sem serem pagos.

Não sei se isso è particular ao Algarve ou não, mas não me importa falar porque sou algarvio.

Vàrios amigos que trabalham em vàrios dominios da construção, dizem-me todos que ninguem è pago se não for à base de ameaças de porda no melhor dos casos.

Regreção total, quando me lembro hà dez anos, que muita gente do Norte vinham ao Algarve trabalhar recebendo ordenados atè superios aos dos françêses.

Outra coisa para salientar, è como um paìs como Portugal, consegue ter um tão grande contraste entre a sociédade civil e a fantàstica, extravagante super potencia dos funcionàrios, absolutamente esmagadora.

Jà em França nota-se a dominação de uma classe social sobre uma outra, seja os funcionàrios sobre a sociedade civil, mas em Portugal as proporções são absolutamente indecentes.

Assim, quem são os imigraçionistas em França e que defende e vota para mais imigrantes, são os funcionàrios. Ora acho que em Portugal não se deve estar longe dessa lògica.

27 de outubro de 2009 às 15:29:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Já vai sendo tempo de erguermos a nossa voz contra estas políticas da treta,que apenas prejudicam o país e os seus legítimos donos.
O povo não merece mais isto...
27 de Outubro de 2009 14:07:00 WET
O povo gosta é disto:
http://www.vidas.correiodamanha.pt/noticia.aspx?channelid=83C1118F-0A09-426D-88D0-7A0980DF951A&contentid=AD57A7BD-0C6B-46CA-B2A1-21445FA1BA5C

27 de outubro de 2009 às 15:43:00 WET  
Blogger Rio sur Seine said...

à base de ameaças de porda no melhor dos casos.
___________________________

Quiz dizer "porràda"

27 de outubro de 2009 às 16:11:00 WET  

Publicar um comentário

<< Home