terça-feira, novembro 05, 2019

CATALUNHA - MILHARES DE NACIONALISTAS PROTESTAM CONTRA A VISITA DO REI CASTELHANO

Milhares de pessoas receberam hoje [04/11/2019], sob protestos, em Barcelona, o rei espanhol Felipe VI, na sua primeira visita à cidade desde a sentença contra líderes separatistas da Catalunha, promulgada no último 14 de Outubro.
Com gritos de "fora!", grupos de manifestantes equipados com bandeiras independentistas reuniram-se em frente ao Palácio de Congressos, onde o chefe da monarquia e outros membros da família real participavam numa cerimónia.
Preocupadas com questões de segurança, as autoridades locais tiveram de bloquear os acessos ao edifício, a fim de evitar aproximações. 
No entanto, o esquema de isolamento preparado pela polícia não foi suficiente para impedir os protestos contra a monarquia e a favor da independência da Catalunha, com alguns manifestantes chegando a queimar imagens do rei Felipe VI. 
​"Estou aqui para protestar contra o rei porque nós opinamos que não temos rei, não nos representa. Sabemos que ele está em reunião para entregar uns prémios, e estamos fazendo todo o ruído possível para demonstrar que não estamos de acordo", declarou à Sputnik uma estudante de 20 anos da Universidade de Barcelona.
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/europa/2019110414732074-populacao-de-barcelona-protesta-contra-visita-do-rei-da-espanha/

* * *

Glória aos nacionalistas catalães, que nunca desarmem até alcançarem o mesmo direito à independência de que Portugal goza.

10 Comments:

Anonymous Anónimo said...

https://m.hindustantimes.com/india-news/let-s-talk-about-racism-kallu-was-the-first-word-this-african-man-learnt-in-india/story-f04HSkREMwyIBh3GlO3DDM.html


https://www.aljazeera.com/indepth/features/2017/04/african-victims-racism-india-share-stories-170423093250637.html



https://gulfnews.com/world/asia/india/the-dark-face-of-indian-racism-1.61161168

5 de novembro de 2019 às 20:58:00 WET  
Blogger Caturo said...

Obrigado, também já tinha lido sobre esses queixumes, pois que também na Índia já há negralhame a arranjar chatices e a fazer-se vítima... ficarem no fosso de merda que é África é o ficas, preferem fugir dali para fora, para depois se irem lamuriar, com conversa de rufia sonso, de que são maltratados em terras onde ninguém os chamou...

5 de novembro de 2019 às 21:25:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Esses partidos "nacionalistas" não se importam com a cultura catalã, sendo esses mesmos partidos que abriram as portas para uma onda migratória que transformou a região da Catalunha em uma das áreas com maior percentagem de população estrangeira, ou que atacaram o legado de grandes figuras históricas catalãs simplesmente devido ao facto de terem uma opinião política diferente da narrativa de esquerda (que representa a ideologia dos partidos da independência).
os movimentos independentistas defendem ironicamente um multiculturalismo e uma ampla imigração, que se opõe à ideia de independência que buscam, pois acabariam apagando sua própria identidade. O erro cometido na Espanha é o de dar autonomia excessiva a certas regiões que a usam contra a soberania do Estado e como uma forma de rebelião, afetando não só a estrutura política devido à desobediência aos mandatos nacionais, mas também devido à instabilidade econômica que os movimentos independentistas têm produzido. A independência não é consensual na Catalunha, região mais rica de Espanha e uma das mais autónomas da Europa. A extrema esquerda vai dilacerar a Catalunha caso esta se torne independente. Espanha e Catalunha vão ficar ambas pior. Deve haver algum sentido de responsabilidade de ambas as partes.

Alfredo Jacinto

5 de novembro de 2019 às 22:18:00 WET  
Blogger Caturo said...

Em primeiro lugar, não são os partidos catalães os responsáveis pela imigração muçulmana. É Madrid que controla quem entra no País. Que os imigrantes muçulmanos uma vez estabelecidos em Espanha prefiram ir para a Catalunha, não surpreende, trata-se da região mais rica da Ibéria. Que alguns independentistas catalães prefiram imigrantes mouros em vez de latino-americanos, também não é de admirar, porque preferem quem ainda não fale Castelhano fluentemente. Nada disso, contudo, é culpa dos nacionalistas. Agora, se entretanto há esquerdistas a apoiar a independência catalã e a querer uma Catalunha «multicultural», isso é outra história que em momento algum compromete o ideal nacionalista catalão em si. Não é por um negro ostentar a bandeira portuguesa que eu passo a ser menos branco só por ser português ou por querer que Portugal se mantenha independente. Isto é o óbvio e só quem pensa por rebanhos o pode ignorar.
A «Espanha», isto é, Castela, não cometeu erro algum em «dar autonomia» às «regiões». Comete um erro grave é em não a dar, primeiro porque nunca teve direito a dar coisa nenhuma que não é sua, segundo e mais importante porque essas «regiões» não são regiões, são Nações e, só por isso, já merecem a independência, tal como Portugal. A Espanha como nação não existe. É tão somente um Estado imperialista em que a nação castelhana controla quase todas as outras nações hispânicas.

5 de novembro de 2019 às 23:59:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Se o estado espanhol concede a independência à Catalunha dissolve-se como um castelo de cartas. Quando isso acontecer (se acontecer) o que Portugal vai fazer? Estreitar relações com a Galiza e reaver Olivença? Estaria Portugal e a Galiza disponíveis para formar o Sacro Império Galaico-Lusitano (matriz celta, greco-latina, bárbara(Vândalos,Suevos,Alanos,Visigodos), católica)? Passaria Portugal a Portugaliza? É sabido que a cultura galega se identifica com a portuguesa, basta ver a verosimilhança etno-linguística entre ambos, sem falar da animosidade histórica contra Castela.

p.s: Desculpem mas a nossa matriz não é muçulmana, judaica, africana, cigana e asiática, sem desprimor por nenhum dos supra citados. Somos indo-europeus.

Saudação a todos os Nacionalistas

6 de novembro de 2019 às 00:57:00 WET  
Blogger Caturo said...

Essencialmente, tudo isso era bom. Eu duvido é que a Espanha desabasse de imediato caso a Catalunha se tornasse independente - era bom era, mas eventualmente não aconteceria assim com duas cantigas... Também não acho necessário usar qualquer terminologia «imperial» no caso de Portugal e da Galiza se Portugueses e Galegos viessem a integrar um só Estado por motivo étnico, ou seja, se se juntassem por serem da mesma raiz étnica, então a junção não se chamaria «império».
De resto, concordo com tudo.

Saudações Nacionalistas

7 de novembro de 2019 às 01:48:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Sacro Império Galaico-Lusitano, referia-me à união Espiritual. Portugaliza à união de dois Estados-Nação com a mesma raiz étnica. Teria de ser bem feito, bem pensado. Seria um projecto interessante, grandioso, agregador e ambicioso. Para muitos um devaneio, mas a nossa história já provou que conseguimos fazer coisas arrojadas, quase a roçar o impossível. Tentamos descobrir os mares quando tinhamos tanto aqui ao lado para "descobrir". Primeiro deviamos ter consolidado a nossa posição ibérica. Faltou visão interior. Em certa parte compreendo o Velho do Restelo.

Abraço Galaico-Lusitano

7 de novembro de 2019 às 11:23:00 WET  
Blogger Caturo said...

O D. Afonso Henriques até quis ir para norte, mas não foi bem recebido...

Abraço Galaico-Lusitano

http://gladio.blogspot.com/2009/10/portugaliza-um-belo-sonho-que-um-dia.html

7 de novembro de 2019 às 20:14:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Catalunha por fernando pessoa.
http://arepublicano.blogspot.com/2019/10/catalunha-por-fernando-pessoa.html?m=1

Abraço Almanaque

15 de novembro de 2019 às 04:28:00 WET  
Blogger Caturo said...

Obrigado pelo artigo. Não tenho a certeza de ter entendido o que quer Pessoa concluir dos factos que aponta, mas dá ideia de que aceita os frutos do imperialismo como se de uma inevitabilidade ou «lei natural» se tratasse, o que acaba por legitimar a lei do mais forte. É pena que o faça.

Saudações.

16 de novembro de 2019 às 02:06:00 WET  

Publicar um comentário

<< Home