sexta-feira, julho 15, 2016

CONDUTOR DO CAMIÃO QUE MASSACROU EM NICE ERA MUÇULMANO TUNISINO

Um documento de identificação de um homem de 31 anos de origem tunisina, residente em Nice, foi encontrado no camião que embateu na quinta-feira à noite contra a multidão. A notícia é avançada pelo jornal Nice Matin e foi confirmada à AFP por fonte policial. 
"Ainda estamos a identificar o condutor do camião", afirmou uma fonte da polícia francesa, acrescentando que os documentos pertencem a um homem de 31 anos que é habitante de Nice.
O autor do atentado de quinta-feira em Nice, no qual morreram pelo menos 70 pessoas e 100 ficaram feridas, levaria o camião que conduzia carregado de armas, segundo o presidente da região, Christian Estrosi, em declarações à estação BFMTV.
O camião acelerou durante dois quilómetros sobre a multidão na Promenade des Anglais, quando as pessoas assistiam a um fogo de artifício para celebrar o dia da Bastilha, dia nacional da França, na noite de quinta-feira. O condutor do camião foi abatido pela polícia.
As autoridades francesas já consideraram este ataque um atentado e o Presidente da França, François Hollande, vai reunir o gabinete de crise. 
*
Fonte: http://www.wort.lu/pt/mundo/atentado-nice-condutor-do-cami-o-era-franco-tunisino-fonte-policial-57883d34ac730ff4e7f63841

* * *

Há pouco ouvi um debate televisivo em que ou Pacheco Pereira ou Nuno Rogeiro ou outro qualquer disse que o tunisino tinha jurado lealdade ao califa do Daesh. 
Entretanto parece que também já oiço ecos do Esquerdalhame antirra a garantir que «ai, ele era francês!, nasceu em França!!, portanto isto é um problema criado na Europa!!!» e outras alarvidades obscenas deste quilate. É um bocado como nas brincadeiras de putos, em que quando se chega ao «couto» e se grita «couto» já se está livre de se ser apanhado - do mesmo modo, a elite «naturaliza» quantos alógenos quer ou cria leis a dar nacionalidade aos alógenos que a mesmíssima elite mete no país e pronto, agora já «não os podemos expulsar», porque a naturalização do alógeno é apresentada como um dado adquirido e irreversível... com a agravante de que nas brincadeiras de putos as regras são estabelecidas de comum acordo, ao passo que neste caso a naturalização de alógenos é totalmente imposta de «cima» para «baixo», sem dar cavaco ao povo...
Haverá a partir daqui aqueles que aproveitam a deixa para culpabilizar a Europa, porque esta não soube integrar as minorias étnicas como por exemplo os EUA fizeram, e fizeram realmente um lindo serviço, por isso é que o ódio e a violência racial na terra dos ianques está a crescer há anos, por isso é que os sinais de radicalização islâmica em solo americano são mais que muitos, por isso é que surgiu lá um fulano tão bem integradíssimo de todo como o muslo Mateen - profissionalmente estável, note-se, é que nem desempregado estava... - que há coisa de um mês matou só menos trinta pessoas do que o seu correligionário «franco»-tunisino em Nice...
A imigração oriunda do terceiro-mundo é a desgraça do Ocidente, que fica particularmente potenciada quando islamizada. Só o Nacionalismo político apresenta pela sua própria natureza e lógica a devida solução, travando a iminvasão e combatendo o vírus interno que corrói o Organismo Europa, o da xenofilite etnomasquista, que faz com que a elite reinante impinja incontáveis toneladas de alienígenas aos Europeus. 

5 Comments:

Blogger João José Horta Nobre said...

Isto é só mais um exemplo do grande "enriquecimento" e "progresso" que o multiculturalismo trouxe à Europa e preparem-se, pois vai piorar...

15 de julho de 2016 às 08:19:00 WEST  
Anonymous One World said...

Já não sei se ri ou se chore com alguns comentários.desde culpar a França apelindo o seu povo de racista a culpar a abertura das fronteiras, ou a entrada de refugiados (quem são os xenófobos afinal?), ou de culpar os muçulmanos, é de bradar aos céus! É de pensar que só vêm as noticias pela metade (ou só se afundam em certos comentários "infelizes" das redes sociais e não usam a cabeça. Pelos vistos só devemos ter sido meia dúzia a ouvir que o condutor do camião era um indivíduo turco natural de Nice (é preciso explicar??). Também só devemos ser uma minoria a saber que ser muçulmano e ser radical são 2 coisas bem diferentes, que os radicais não precisam sequer de estar presentes num país para fazer as suas lavagens cerebrais e recrutar mais e mais gente. Pois é,eles também sabem usar essa coisa chamada internet. A quem tiver curiosidade, recomendo um filme francês chamado Made in France (se a memória n me falha). Reflete muito bem a realidade e talvez ajude a não encontrarem falsos culpados. Ah e não posso deixar de referir um comentário: não esquecendo os 6 milhões de inocentes judeus vítimas do holocausto, favor também não esquecer os palestinianos que são chacinados. Mas como são muçulmanos e tal e os muçulmanos são todos terroristas, no problem.meio mundo iludido ou cego enquanto tanta gente continua a morrer...

15 de julho de 2016 às 08:30:00 WEST  
Blogger Klaus said...

primeiro os esquerdistas depois os muçulmanos

15 de julho de 2016 às 12:56:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

"Há pouco ouvi um debate televisivo em que ou Pacheco Pereira ou Nuno Rogeiro ou outro qualquer disse que o tunisino tinha jurado lealdade ao califa do Daesh. "

Devias ter visto ontem a noite na rtp3 noticias, um anormal analista politico Filipe qq coisa, a dizer com todas as letras que a culpa era nossa, era dos europeus, da sociedade europeia. Era toda nossa a culpa e dizia isto de uma maneira completamente convencida e excitada como pensando, estou a convencer o povinho com isto, ainda bem que me deram antena e assim abafo os pensamentos anti-imigracionistas. Completamente ridiculo, nao ha palavras.
E tenho estado a ouvir isto em varios comentadores, ainda agora na 1 jorge gabriel e mais 2 ou 3 analistas, tambem fartam-se de dizer que a culpa é nossa, nao lhes demos oportunidades (vejam la, nao demos oportunidades, parece que so lhes damos oportunidades para serem jogadores ou desportistas, o resto nao damos ou eles nao conseguem, mas a culpa é nossa).

Contra este ideal multiracialista cego, não ha nada que os mude. Por mais bombas e atentados, violações, crimes, etc para esta gente a culpa esta sempre no europeu e sociedade europeia, nunca na invasão de imigrantes. Irão sempre dizer o mesmo, que lamentam, que estao solidarios, tristes, etc, dizer que a culpa é dos europeus e nunca dos imigrantes.

E claro nestes acontecimentos so convidam esta gente que os defende. É que o outro lado politico, a extrema direita, os anti-imigracionistas, esses nunca convidam. Tanto comentador, tanto analista e todos defendem o mesmo.

Ja so falta ver hoje ou amanha a Ana Gomes a disparar que a culpa é exclusivamente dos europeus e foi um europeu que fez isto e a culpa é das politicas neoliberais.

E é esta a inteligencia que domina na Europa.

15 de julho de 2016 às 16:33:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Não é uma questão de inteligência mas de mentalidade - de emoção. De emoção pervertida e virada contra o seu próprio Povo. É xenofilite etnomasoquista aguda. E quanto mais inteligentes forem os doentes mais doentes ficam, porque o intelecto serve-lhes apenas para dar as voltas que for preciso dar para defenderem a «sua dama». Nunca ouviste falar de advogados? Não sabes o que fazem e como conseguem defender os piores criminosos e se gabam disso?

15 de julho de 2016 às 20:53:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home