sexta-feira, maio 20, 2016

PAPA OBSERVA SEMELHANÇA DOUTRINAL ENTRE JC E O CALIFADO DA SÍRIA E DO IRAQUE - E INCITA À MISCIGENAÇÃO NA EUROPA

"Hoje, não acho que haja um medo do Islão como tal, mas do ISIL e da sua guerra de conquista, que é parcialmente baseada no Islão", disse ele ao jornal francês La Croix . "É verdade que a ideia de conquista é inerente à alma do Islão, no entanto, também é possível interpretar o objectivo no Evangelho de Mateus, onde Jesus envia os seus discípulos a todas as nações, em termos da mesma ideia de conquista."
O Papa também disse que "temia" ouvir sobre as "raízes cristãs da Europa", porque, para ele, assumem "conotações colonialistas" e pediu aos países europeus que integrassem os migrantes muçulmanos no continente: "Essa integração é ainda mais necessária hoje, já que, como resultado de uma busca egoísta de bem-estar, a Europa está enfrentando o grave problema de uma taxa de natalidade em declínio", afirmou. "Um vazio demográfico está a desenvolver-se."
A suas opiniões são surpreendentemente semelhantes aos dos imã xeque Muhammad Ayed, que disse que os muçulmanos devem explorar a crise migrante para se cruzarem com os Europeus e "conquistar os seus países."
"A Europa tornou-se velha e decrépita e precisa de reforço humano ... não é motivada por compaixão para com o Levante, seu povo e seus refugiados ... em breve, vamos atropelá-los sob os nossos pés, se Alá quiser", afirmou. "Em toda a Europa, todos os corações estão entusiasmados com o ódio contra os muçulmanos. Eles desejavam que estivessemos mortos, mas eles perderam a sua fertilidade, por isso olham para a fertilidade do nosso meio." "Vamos dar-lhes a fertilidade! Vamos produzir filhos com eles, porque nós deve conquistar os seus países! "
(...)
*
Fonte: https://translate.google.com/translate?depth=1&hl=pt-BR&rurl=translate.google.com.br&sl=en&tl=pt-BR&u=http://www.infowars.com/pope-francis-likens-jesus-to-isis-says-muslims-migrants-must-breed-with-europeans/

* * *

O supremo vigário do Judeu Morto continua a mostrar a sua coerência na promoção do universalismo apátrida e visceralmente inimigo das identidades étnicas. Não é a primeira vez que o dirigente da maior igreja cristã do mundo apela à miscigenação na Europa a pretexto de «resolver» a alegada crise demográfica, apresentando assim uma solução que constitui precisamente a pior consequência possível de qualquer crise demográfica, que é o desaparecimento da etnia autóctone. O que o papa, tal como quejandos universalistas, propõe é precisamente saltar da frigideira para o fogo - antecipar-se à queda demográfica a longo prazo e matar já a identidade étnica dos Europeus. Claro que para ele e afins a coisa vinha mesmo a calhar, para acabar de vez com qualquer nacionalismo europeu e criar mais mestiços, o que vai ao encontro dos objectivos da Cristandade, que sempre medrou em ambientes de desenraizamento étnico e sempre teve mais dificuldade de penetração em sociedades etnicamente homogéneas e portanto coesas. Ao contrário do que o texto diz acima, não há essencialmente surpresa nenhuma em ver o papa a dizer fundamentalmente o mesmo a respeito da demografia que diz o xeque Ayed, visto serem ambos promotores eminentes do mundialismo abraâmico em duas versões menos diferentes entre si do que demasiada gente supõe. Confirma-se o que já era óbvio há dois mil anos: a Cristandade é, como sempre foi, a maior inimiga do verdadeiro Ocidente.

Etiquetas:

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Isto é de ter medo, Caturo, muito medo mesmo. Ai, que vem o Hitler e a 3ªGM!

http://www.jn.pt/mundo/interior/ascensao-neonazi-na-austria-ameaca-europa-5185717.html



20 de maio de 2016 às 23:19:00 WEST  
Blogger SHTF and Preparation said...

Senador Magno Malta, um da sua turma, pretende proibir comércio de armas no Brasil.

20 de maio de 2016 às 23:33:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

As três reigioes abraamicas são contrarias ao nacionalismo. A identidade étnica do cristianismo e do islamismo são quase que abolidas se não for pelo fato de que, sem duvida, há um "q" de semitismo e arabismo nessas duas religiões. Ser cristão implica sim uma determinada semitização, assim como ser islâmico implica uma arabizacao. Percebemos isso em países como Turquia e Ira. O Ira apesar de ser persa, de falar uma língua persa, usa a escrita árabe.

Caturo, a salganhada e mixórdia étnica e uma característica histórica do Oriente Medio. Aquela região sempre foi mestica. Eu lia outro dia um bom artigo sobre como a cultura judaica da época de Jesus tinha absorvido o helenismo. O helenismo havia sido imposto pela expansão do império alexandrino. A primeira tradução do Novo Testamento foi em grego, mas não em grego clássico, como de Platao e Aristóteles, mas em Grego Koine. Lembremos o quanto Aristóteles era contra mistura com o bárbaros do Leste. O macedoneo não absorveu isso. Assalganhou e conspurcou o sangue grego. Casou-se ate com um barbara. O helenismo introduziu na língua, religião, raca e cultura gregas elementos estrangeiros e orientais.

Toda essa pre-disposicao para a mistura foi um terreno fértil para a difusão do cristianismo universalista mais tarde. Pedro espalhou este veneno civilizacional justamente a começar pela Grecia e pelo antigo mundo helenístico. O imperador Constantino so misturou ainda mais a religião cirsta com elementos orientais. Repare que as igrejas bizantinas parecem mesquistas. Neste ponto o culto latino se diferenciou mais para a sorte dos ocidentais.

Portanto, as religiões abraamicas são de culto semita, são originarias do homem semita, do homem do deserto. Os povos indo-europeus são na sua grande maioria politeístas. O Deus semita eh um deus estrangeiro. O monoteísmo e estranho a cultura indo-europeia. O mundo islamo-cristao e uma invasão, um colononizacao. Algo que vem de fora para dentro da Europa. Não me estranha nada essa solidariedade entre o islão e o cristianismo. Ambas são semitas, vem do deserto, são universalistas e proselitistas. Portanto, ambas, inimigas do nacionalismo e do ocidente. Assim como as demais outras culturas. Os semitas vivem no deserto, onde a paisagem natual faz tudo parecer como algo único enquanto os indo-europeus viviam na diversidade da natureza, dai verem cade elemento da natureza como vários deuses.

21 de maio de 2016 às 02:10:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home