segunda-feira, maio 04, 2015

NA ÁUSTRIA - IDOSA É INSULTADA POR PIVETE NEGRO E DEPOIS MULTADA POR LHE CHAMAR «NEGRO»...

Fonte: http://diversitymachtfrei.blogspot.pt/2015/04/austria-old-woman-fined-for-calling.html
*
Em Bramfeld, Áustria, a septuagenária, quase octogenária (setenta e oito anos) Elke W. foi recentemente acusada de racismo em tribunal por ter chamado «negro» a um jovem negro e alegadamente por lhe ter batido.
A idosa defendeu-se: «Sim, chamei negro ao rapaz. Mas antes disso ele bloqueou-me o caminho da bicicleta. Toquei a campainha várias vezes mas ele não saiu do caminho. Quando parei, disse-me: "o que é que queres, puta velha?" Depois a palavra "negro" [neger] saiu-me. Pedi imediatamente desculpa ao rapaz mas não lhe bati.»
O seu advogado garante: «Não houve pancadas e os insultos foram de parte a parte.» Acresce que Elke W. cresceu numa sociedade em que a expressão «negro» era normal; escritores como Erich Kästner e Astrid Lindren usaram-na nos seus livros.
A juíza todavia não lhe perdoou... a senhora foi sentenciada ao pagamento de uma multa de cem euros, dizendo que «O que Astrid Lindren e Erich Kästner escreveram antes não é relevante nos tempos que correm» e que o termo «negro» é um insulto à honra pessoal, tendo como agravante o facto de no caso ter sido usada contra uma criança. «Corte essa palavra do seu vocabulário!», concluiu a juíza, à laia de admoestação à idosa...

Que o respeito se deva aos idosos não parece relevante para esta espécie de juíza - e que, independentemente da idade, quem seja insultado tenha obviamente o direito natural (direito natural, tanto quanto possa existir) de responder na mesma moeda, também não tem importância para quem neste caso tinha por missão representar a Justiça. Que a anciã em julgamento esteja ainda por cima na sua própria terra, isso então é que não pode interessar a ponta de um corno para a doentia elite político-cultural reinante da qual esta juíza é com toda a evidência um exemplar. Para esta espécie de gente a única coisa que interessa no caso é que a mulher europeia cometeu o nefando pecado capital de «racismo!!!!», que foi já declarado intolerável pelos sequazes da Boa e Sã Doutrina da Santa Madre Igreja Anti-Racista e Multiculturalista dos Últimos Dias do Ocidente. 

Contra tão abjecto veneno só o Nacionalismo é solução: a radical substituição do paradigma moral do universalismo fraternalista pelo da primazia do Nós.

13 Comments:

Anonymous Anónimo said...

" Milhares de israelitas de origem etíope manifestaram-se no centro de Telavive, este domingo, contra a violência policial e a discriminação. A concentração terminou em confrontos entre a polícia e os manifestantes. Pelo menos 11 agentes e quatro manifestantes acabaram com ferimentos ligeiros. A policia recorreu à força depois dos participantes no protesto começarem a lançar pedras e garrafas.
A manifestação tem lugar três dias depois de uma iniciativa semelhante em Jerusalém, organizada após a divulgação de um vídeo que mostra dois agentes da polícia a agredir um soldado de descendência etíope em uniforme militar. Os dois agentes foram entretanto suspensos e o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu vai reunir-se com a vítima e os ativistas da comunidade etíope na segunda-feira."~

http://pt.euronews.com/2015/05/03/israelitas-de-origem-etiope-manifestam-se-contra-a-discriminacao/

4 de maio de 2015 às 10:51:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

O ex-presidente norte-americano Jimmy Carter, vencedor do Nobel da Paz de 2002, declarou que a reintegração da Crimeia à Rússia, no ano passado, foi uma medida praticamente inevitável, já que refletia o desejo da população local. E, segundo ele, isso não poderá ser mudado em um futuro próximo.

Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20150503/922004.html#ixzz3ZA7ZAcb6

4 de maio de 2015 às 10:55:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Motoqueiros russos chegam à fronteira da Alemanha.....Entretanto, alguns políticos europeus, como a premier polaca, Ewa Kopacz, veem a turnê como uma grande provocação.

Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20150503/923020.html#ixzz3ZA800tC2

4 de maio de 2015 às 10:57:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Manifestação contra o racismo e a brutalidade policial em Israel deixa dezenas de feridos

Leia mais: http://br.sputniknews.com/mundo/20150503/923563.html#ixzz3ZA8GCixg

4 de maio de 2015 às 10:58:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Dois mortos em concurso de caricaturas de Maomé no Texas


http://observador.pt/2015/05/04/dois-mortos-em-concurso-de-caricaturas-de-maome-no-texas/

4 de maio de 2015 às 11:02:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Je suis Voltaire? Os paradoxos da tolerância

http://observador.pt/2015/05/03/je-suis-voltaire-os-paradoxos-da-tolerancia/

4 de maio de 2015 às 11:06:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«A manifestação tem lugar três dias depois de uma iniciativa semelhante em Jerusalém, organizada após a divulgação de um vídeo que mostra dois agentes da polícia a agredir um soldado de descendência etíope em uniforme militar.»

Isto são manobras da maçonaria e dos Judeus para dar cabo dos, sim, para dar cabo do País!, neste caso de Israel, que por acaso é o país dos Judeus, mas não interessa!!!!, tudo o que é anti-racista é manipulado pelos Judeus!!!!!, porque sim, porque é, porque o livro dos protocolos e o caralho a quatro dizem que sim que é, e portanto é,

ou então isto é lá, passo a citar, «guerras entre eles», entre os Judeus, e portanto a culpa é dos Judeus à me'ma e já 'tá, só não vê quem não quer...


4 de maio de 2015 às 13:51:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

caturo,bater em uma idosa é no mínimo falta de respeito e caráter,interessante que uma das principais características de gentes de cor é a absoluta falta de valores morais,de respeito com o próximo,de humanidade,características próximas a de animais selvagens,aqui no Brasil a maioria dos agressores/assassinos de mulheres é negro/mulato,caturo por que isto? é da natureza perversa desta raça?

4 de maio de 2015 às 14:05:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Neste caso não bateram na idosa mas insultaram-na, o que vai dar quase ao mesmo. Não sei se é de alguma perversidade inerente ou se é, mais provavelmente, uma questão de impunidade moral, porque o menino africano sabe que pode dizer o que lhe apetece e se alguém lhe vai à mão ou lhe responde à altura, guincha logo que «é racismooo!!!»...


4 de maio de 2015 às 14:27:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

A Sra.. agora é puta, e o negro não mais é. tempos modernos

4 de maio de 2015 às 15:50:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

De repente, chamar "puta velha" a uma idosa torna-se irrelevante porque o que está aqui em questão foi terem chamado um nome ao pobre pretinho. Não só é uma tremenda falta de respeito por quem já tem uma vida longa como até foi precisamente o que levou ao desenrolar da evitável situação. Claro que a juíza politicamente correcta não quis saber se a senhora ofendeu o pretinho porque tinha sido ofendida em primeiro lugar e se o pretinho estive estado quieto e calado e a tivesse deixado passar, nada disso teria acontecido, e aprontou-se a julgar a idosa por ter cometido o maior crime que existe. O que interessa é isso mesmo, tratar os nossos (não) convidados com o maior desvelo possível.

4 de maio de 2015 às 16:30:00 WEST  
Blogger KVRGANIVS NOSTRATORVM said...

NOJO TOTAL - ELA AINDA PEDE DESCULPA POR SER INSULTADA E METER DE VOLTA - ALIAS NEM METER DE VOLTA POR QUE NEGRO É NEGRO; BRANCO É BRANCO - ISSO SEQUER É AD HOMINEM É MESMO O QUE ELE É UM NEGRO

4 de maio de 2015 às 16:49:00 WEST  
Blogger KVRGANIVS NOSTRATORVM said...

A Sra.. agora é puta, e o negro não mais é. tempos modernos

SIM ELA CHAMOU O NEGRO DE NEGRO SEKER O INSULTOU MESMO TENDO SIDO INSULTADA NA PROPRIA TERRA

4 de maio de 2015 às 17:00:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home