quarta-feira, agosto 22, 2012

GOVERNO NACIONALISTA ACABA COM TOURADAS EM SAN SEBASTIAN, NO PAÍS BASCO

El alcalde de San Sebastián, Juan Karlos Izagirre, ha afirmado que, “a día de hoy”, el gobierno municipal de ETA-Bildu “no contempla en absoluto” alcanzar “ningún nuevo acuerdo” con “ninguna empresa taurina” para que las corridas de toros se sigan celebrando en la Semana Grande del próximo año. El equipo de Gobierno del Ayuntamiento donostiarra “comparte al cien por cien el discurso antitaurino”, según el cual “el sufrimiento animal no debe convertirse en espectáculo público”, ha dicho Izagirre, durante la rueda de prensa que ha ofrecido, junto a la delegada de Cultura, Nerea Txapartegi, para hacer un balance de la Aste Nagusia 2012, que concluyó el pasado sábado por la noche.
En el balance festivo que, previamente, han hecho también los grupos de la oposición, tanto PSE/EE como PP han reclamado el mantenimiento de las corridas de toros y han pedido a Bildu que no las suprima, al tiempo que el PNV ha recordado que en los lugares donde gobierna se celebran este tipo de espectáculos y que, en cualquier caso, la cuestión debe ser analizada en términos de rentabilidad económica para la ciudad. El alcalde de Bildu ha indicado que “el debate ‘toros, sí o no’ es enriquecedor y saludable”, si bien el gobierno local que preside es antitaurino y no considera que “las corridas de toros sean eje vertebrador” de la Aste Nagusia donostiarra, como corroboran, según ha agregado, “los datos de las entradas” registradas en la feria taurina de este año.
Desde el punto de vista económico, ha añadido, “una infraestructura como la de Illumbe no se puede mantener a costa del erario público para realizar siete corridas de toros al año”.
(...)

14 Comments:

Anonymous Anónimo said...

no fim-de-semana passado, houve uma manif em Viana do Castelo contra as touradas.
boa parte do povo do Norte começa a estar farto de touradas e de palhaçadas afins, que são impostas de cima a baixo.

22 de agosto de 2012 às 16:38:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

aliás, a tourada em Viana tinha acabado em 2009, em grande parte por falta de interesse da população, mas agora parece que voltou. enfim...

22 de agosto de 2012 às 16:38:00 WEST  
Blogger leandro said...


Caro colega de Portugal, tenho aqui um otimo vídeo para você postar neste blog, eu sei que não tem nada a ver com a temática daqui mas não deixa de ser importante:

O futuro do Brasil será com pessoas assim......

ESTUDANTE BRAZUCA DE DIREITO:

http://www.youtube.com/watch?v=_LK5RdYbSZ0&noredirect=1

22 de agosto de 2012 às 17:17:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«boa parte do povo do Norte começa a estar farto de touradas e de palhaçadas afins, que são impostas de cima a baixo»

Olha, agora já é a elite que impõe, agora a culpa já não é do povinho, ehehehh...

22 de agosto de 2012 às 19:39:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

eu não falei em elites...ou melhor, até quis dizer elites, mas as elites do poder central...não as elites genuinamente nortenhas.
por exemplo, o Defensor Moura é da "elite", e apareceu a protestar contra a tourada lá no meio.

tourada não tem nada a ver com o Norte...

22 de agosto de 2012 às 19:43:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

e atenção que uma coisa é Lisboa e a cidade, contra a qual nada tenho...
e outra coisa é o Terreiro do Paço e a sua mania de que Lisboa tem que ser o "padrão cultural" de tudo.

22 de agosto de 2012 às 19:46:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

e além do mais, eu disse "boa parte" do povo, nunca disse todo...até porque há população que ainda vai às touradas. pouca, mas há.

22 de agosto de 2012 às 20:26:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Eheheh... é a elite de Lisboa que impõe a tourada no norte? ;=)

22 de agosto de 2012 às 20:57:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Pa, parem com essa merda do bairrismo.

Fodasse, somos portugueses, defendemos este rectangulo, o resto é treta.

Faz-me lembrar uma noticia em que uma indio-"catalao" dizia que era indio e catalao mas espanhol nunca, e os nacionalistas catalaes todos contentes.??

Fodasse, essas merdas so tirar importancia ao factor decisivo!

22 de agosto de 2012 às 21:29:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Mas é mesmo nacionalista ou é «nacionalista» como aqueles «nacionalistas» catalães que dizem que mais vale uma Catalunha moura do que espanhola?

22 de agosto de 2012 às 22:30:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Não concordo com o ponto de vista daqueles que dizem ser contra as touradas. Porque a tauromaquia é uma arte (sim, uma Arte) antiquíssima: há registos de que já seria praticada há mais de dois mil anos, pelos Iberos.
A carga emocional e evocativa da dicotomia, do confronto Homem/Besta é algo tão velho como o próprio Homem.
Consta até que Júlio César, ao visitar a Hispânia, se tornou praticante desta arte ibérica, chegando a alcançar alguma notoriedade.
Depois, a tourada, como o próprio nome indica, elege o touro a estrela, o animal é a sua razão de ser, pois é da entrega do touro que nasce todo o fascínio e acção da lide; todos os touros que vemos na arena são preparados única e exclusivamente para uma lide, não voltando a ser utilizados; onde está a propalada "injustiça" e "violência contra os animais", quando um só homem se encontra frente a frente com um colosso de 500 ou mais, quilos??
Esquecem-se que a tourada, no seu conjunto, movimenta toda uma indústria e gera postos de trabalho além de ser um cartaz turístico que divulga o país lá fora?
Para os fundamentalistas: Portugal nunca teve, nem tem, touros de morte: aquando das festas de Barrancos, os touros são lidados por matadores espanhóis, contratados para o efeito.
Quanto à questão "geográfica": agora põe-se a coisa em termos de "norte conta sul"?... Se existem praças de touros na Póvoa do Varzim, é porque houve adesão popular a esta forma de arte, não foi certamente por imposição do Governo, por sinal sedeado na capital...
Claro está que os vegetarianos (ou vegans) discordarão de mim, mas a verdade é que o touro nunca é deitado ao lixo, tudo se aproveita e não existe qualquer forma de "sadismo", porque é de uma luta, de uma competição que se trata. (ponham-se em campo aberto frente a um touro bravo e venham cá falar depois!)
Pergunto agora: qual é então, o interesse em apagar uma tradição tão antiga como a tourada, com todo o seu imaginário, que é parte da cultura e da alma profunda de um povo? Sob que pretextos?
Já agora, acabem com o Galo de Barcelos e com o Zé Povinho, com o nosso vinho e a nossa gastronomia (não por acaso, considerada uma das melhores em todo o mundo), não é?...:p

24 de agosto de 2012 às 10:56:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Sr. Caturo, porque motivo censurou o meu comentário respeitante às touradas? Nada teve de ofensivo, penso eu...
Mas a decisão é sua (bem como o blog)...;)

26 de agosto de 2012 às 14:10:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Qual comentário?

26 de agosto de 2012 às 18:17:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«onde está a propalada "injustiça" e "violência contra os animais",»

Espetar um animal até ele sangrar por todos os lados, ainda por cima mutilá-lo (com o corte da orelha), é, literalmente, uma violência contra os animais - uma violência abjecta, e cobarde, porque já se sabe que o touro raramente consegue apanhar o toureiro.

Quanto a acabar com essa tradição, isso é outra conversa. Já se consideraram hipóteses de fazer da tourada um espectáculo não sanguinário nem cruel, nomeadamente substituindo as bandarilhas por ventosas. Mas os fundamentalistas da tourada não gostaram, acharam que sem sangue a coisa não tem piada...

26 de agosto de 2012 às 20:43:00 WEST  

Publicar um comentário

<< Home