quarta-feira, maio 21, 2008

A HOLANDA ACORDA - MOSTRA QUE RECONHECE OS MAIORES INIMIGOS DO PAÍS

A população holandesa sabe relativamente pouco da sua própria História Pátria, mas ao mesmo tempo já está a perceber que a imigração e o Islão são altamente nocivos ao seu País.

De acordo com recente sondagem, 56% dos Holandeses vêem o credo de Mafoma como uma ameaça para a identidade nacional. E 57% considera que deixar entrar grandes quantidades de imigrantes foi «o maior erro da História da Holanda».

Esta pesquisa da opinião pública dos Países Baixos foi feita com base numa amostra de 1.069 pessoas pelo jornal De Volkskrant, pelo jornal de História Historisch Nieuwsblad e pelo programa televisivo Andere Tijden, e contou com a consulta a três professores de História.

Um dado sintomático deste estudo é o do nível de «culpabilidade» da população a respeito da escravatura: a maior parte pensava que o seu país tinha sido mais esclavagista do que realmente foi (em termos quantitativos), o que terá provavelmente a ver com a campanha de culpabilização do Europeu em todos e cada um dos países europeus. E mesmo assim, os Holandeses (já) não permitem que a culpa os faça vergar a cabeça perante a suposta obrigatoriedade de aceitar a imigração maciça, o que mostra que a chantagem moral exercida pelos imigracionistas parece estar a perder força, pois que os Holandeses podem estar mal informados, mas o seu entendimento das coisas ainda não foi domesticado pelo universalismo anti-racista e globalizador...

Assim se vê como o combate político não depende exclusivamente da instrução livresca - baseia-se, antes de mais nada, num vívido sentido da realidade, ao fim ao cabo no bom senso, na capacidade de chamar os bois pelos nomes e de dizer que o rei vai nu, na firmeza interior de não se sujeitar aos dogmas impostos por uma elite alegadamente dona da moral, ou seja, de ousar «ser criminoso moral», isto é, de ousar ser aquilo que a Nova Inquisição Anti-Racista chama «racista & xenófobo».

Confirma-se assim que na Europa o Povo ainda não está domesticado pelo anti-racismo, a lavagem cerebral politicamente correcta ainda não aniquilou a lucidez e a coluna vertebral do homem comum, que continua assim essencialmente sadio e potencialmente arregimentável para o combate pela Europa, pela Identidade, contra a eurofobia da classe dirigente que é pária de espírito.

E é por a elite reinante saber disto, é por a elite reinante saber que o Povo ainda é «racista», que esta mesma elite tem tanto medo da ascensão dos Nacionalismos, porque sabe que o Nacionalismo ainda pode virar a mesa e travar o projecto mundialista.

46 Comments:

Anonymous Anónimo said...

"porque sabe que o Nacionalismo ainda pode virar a mesa e travar o projecto mundialista."

Caturo, acreditas mesmo que o nacionalismo um dia vai mandar embora todos estes imigrantes, seus descendentes e suas misturas?
É algo impossivel.
Já viste se fizessem isso? Na Holanda expulsando imigrantes e misturas resultantes, quer de 1, 2 ou 3 geraçao, iria levar a que a Holanda perdesse grande parte da população.
Fazer isso na França e era um colapso. Talvez perdessem metade da população. Se fossemos a expulsar os imigrantes europeus não franceses então ai ainda mais gente perderia a França e Portugal iria receber bastantes. Paris ficava deserta. Outras cidades perderiam mais de metade da população.

Penso que é impossivel virar a mesa. A realidade etnica de vários países europeus, mesmo que o nacionalismo ganhe um dia, vai ficar irremediavelmente mudada, pois o povo nunca vai aceitar a expulsao de tanta gente para preservar a sua raça e ainda por cima com uma grande hipotese de haver crise económica. Fechariam várias fabricas por falta de mao de obra, lojas por falta de clientes, etc.
Hoje em dia o que controla os países é a economia. É impossivel um dia virar a mesa. O máximo que pode acontecer é um dia acabar com a imigração. Mas isso não adianta. E se calhar passados uns 10 anos voltam a acolher mais imigrantes porque a economia precisa.

22 de maio de 2008 às 00:22:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Tudo a seu tempo. A esmagadora maioria da população europeia ainda é caucasóide de etnicidade indo-europeia. E nunca se sabe o que o futuro nos reserva - e se em situação em África começar a melhorar, por exemplo, de maneira a atrair milhares ou mesmo milhões de não brancos europeus? E se um vírus eliminar grande parte da população negra ou mestiça? E se estalar uma guerra racial entre comunidades étnicas cada vez mais afastadas entre si?

Não sabemos. O Destino é imprevisível. O que sabemos é que temos um dever ético a cumprir, independentemente de podermos vencer ou perder. Mais do que o resultado final, interessa a consciência do dever cumprido e de ter empreendido o bom combate.

22 de maio de 2008 às 02:19:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Se se depender continuamente de imigração para o melhoramento da economia, vai-se depender até quando? O próprio planeta não suporta o aumento indefinido de população. Acho imprescindivel que se melhorem as condições de vida em todo o planeta.

22 de maio de 2008 às 03:11:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

"E nunca se sabe o que o futuro nos reserva - e se em situação em África começar a melhorar, por exemplo, de maneira a atrair milhares ou mesmo milhões de não brancos europeus?"

És muito crente, tens muita fé na raça negra
lol Africa melhorar a ponto de atrair imigrantes?
Caturo, os Ingleses já sairam da Africa do Sul ha muitos anos.
Nunca um país Africano estará nessa situação de atrair imigrantes.
Vejamos, capacidade cerebral do africano 900cm2, europeu 1100cm2

Ah e nao te esqueças, 1 africano = 10 filhos, portanto nem com um milagre economico ias la hehe

22 de maio de 2008 às 04:24:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

http://springerlink.com/
content/kp2m732462k4/
?p=1939da15db4946a898f
8de47cd1b710f&pi=0

22 de maio de 2008 às 09:53:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

http://www.nieuwreligieuspeil.
net/node/1954

22 de maio de 2008 às 09:54:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

ó anónimo: "Quinta-feira, Maio 22, 2008 12:22:00 AM"
os imigrantes não são metade da população.

22 de maio de 2008 às 09:57:00 WEST  
Blogger Carmo da Rosa said...

Caro Caturo,

Em defesa da pátria temos que misturar a nossa raça para a melhorar, porque a nossa raça é a desgraça que se vê. E para isso não é preciso baixar as calças ao Islão...

Tenhamos a coragem patriótica de nos ver ao espelho. Tivemos um passado glorioso, é verdade, mas hoje em dia somos uns maricas que já não podemos com uma gata pelo rabo...

Os nossos antepassados, se não estivessem mortos, deviam-se fartar de rir à nossa custa: Nem aos Gregos em casa conseguimos ganhar!!! Porque o Figo e quejandos em vez de correr rezam...

22 de maio de 2008 às 12:23:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

este comentario da carmo da rosa é dos mais estupidos que ja vi

justificar a extinçao da nossa raça por causa do futebol e do nosso estado economico.

minha cara, entao antes de nos extinguirmos deveriam extinguir-se primeiro os seus amigos africanos, brasileiros e todas essas raças do 3 mundo com paises miseráveis, muito mais que o nosso.

nao se justifica a extinçao duma raça com o nao saber governar ou ser mau a economia.
A senhora por acaso acha que os indios da amazonia ou os negros deviam ser extintos? acha que nao deviam existir?

deixemo-nos dessa conversa da treta de que mais vale extinguirmo-nos porque somos maus no futebol e nisto e naquilo.

"Tenhamos a coragem patriótica de nos ver ao espelho. Tivemos um passado glorioso, é verdade, mas hoje em dia somos uns maricas que já não podemos com uma gata pelo rabo..."

Tenha coragem patriótica para lutar por um futuro melhor para a nossa etnia e não para extingui-la.
Se tivemos um passado glorioso foi graças ao trabalho. Se pensassem como voce, nunca teriamos esse passado glorioso porque deixavamos os mouros cá ficar, nao os expulsavamos e a partir dai nao seriamos portugueses, seriamos mouros.


"Os nossos antepassados, se não estivessem mortos, deviam-se fartar de rir à nossa custa:"

Os nossos antepassados iriam-se é rir da sua atitude.
Eles que tanto sacrificio tiveram para lutar contra imigrantes, invasores, etc, mesmo que eles fossem mais ricos, tivessem mais ouro, etc e vem agora você dizer que a nossa raça deve acabar.
Eles nem se iriam rir da sua atitude, iriam era chorar por uma atitude tão parva como a sua.
Iriam pensar, andamos nós a lutar, a dar a nossa vida para proteger a nossa terra, a nossa raça, para hoje em dia a maioria querer a sua extinção? Mas que gente tão estupida. Tivemos tanto trabalho para os nossos descendentes ficarem aparvalhados por causa da propaganda multiracialista.

22 de maio de 2008 às 14:53:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

mais uma que so ve futebol à sua frente.

Parece que todas as raças deveriam acabar e só deveria haver brasileiros, os reis do futebol.

enfim.. com gente com pensamentos como a carmo da rosa é que eu me pergunto, vale a pena preservar uma raça com gente tão estupida incapaz de realizar um pensamento decente e de ver a realidade?

22 de maio de 2008 às 15:01:00 WEST  
Blogger Caturo said...

este comentario da carmo da rosa é dos mais estupidos que ja vi

justificar a extinçao da nossa raça por causa do futebol e do nosso estado economico.


De facto, é uma afirmação excepcionalmente cretina. Até porque, já agora, a equipa grega era totalmente europeia, ao contrário da portuguesa... ;)

Seja como for, não há dúvida que é bem melhor ter um país pobre mas com rosto do que uma salganhada bastarda em que toda a gente ande de pança cheia. É, antes de mais nada, uma questão de honra.

22 de maio de 2008 às 15:47:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Ah e nao te esqueças, 1 africano = 10 filhos, portanto nem com um milagre economico ias la hehe

Se os Chineses puserem ordem naquilo, quem sabe...

De qualquer modo, esqueceste as outras duas possibilidades. E outras mais, que não consigamos prever.

22 de maio de 2008 às 15:51:00 WEST  
Blogger Caturo said...

A senhora por acaso acha que os indios da amazonia ou os negros deviam ser extintos? acha que nao deviam existir?

Essa é uma pergunta séria, e o Carmo da Rosa não está a falar inteiramente a sério. Pertence àquela elitezinha mais ou menos yuppie que pulula pelas empresas e pelos me(r)dia, de mentalidade neo-liberal, que se borrifa para estas coisas de identidade e que considera que o lugar do Patriotismo é no futebol. Isto de Nacionalismos é para eles uma parvoíce, mas uma parvoíce perigosa, porque pode pôr-lhes em risco a mão-de-obra baratinha, e assim já iam ter mais dificuldade em comprar mais um monte alentejano ou mais um BMW com boa aparelhagem onde ouvem o seu jazz ou a sua Norah Jones, ou talvez o seu querido brasuca mulato Caetano Veloso. O Patriotismo é a seu ver mais giro, desde que seja racialmente inclusivo, claro, mas mesmo assim só deve servir para pôr as bandeiras à janela quando a selecção nacional vai a jogo.

22 de maio de 2008 às 16:03:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Mete mais cores no teu texto para atrair mais.

22 de maio de 2008 às 16:19:00 WEST  
Anonymous Silvia Santos said...

Caturo disse...
Seja como for, não há dúvida que é bem melhor ter um país pobre mas com rosto do que uma salganhada bastarda em que toda a gente ande de pança cheia. É, antes de mais nada, uma questão de honra.
Quinta-feira, Maio 22, 2008 3:47:00 PM

Não me parece que a ideia de que se deve aceitar uma vida mais pobre se isso for um sacrificio necessario para a preservação da identidade nacional,seja bem acolhida pela generalidade da população portuguesa. O facto de os portugueses estarem actualmente a imigrar em massa prova isso mesmo.
O pessoal está preocupado em primeiro lugar é em melhorar a sua vida economica e não em preservar acima de tudo a identidade de Portugal. Vamos ver no que é que vai dar toda esta imigração em massa de portugueses para outros países, que actualmente está a ocorrer. Se uma percentagem muito significativa destes imigrantes jovens se radicar definitivamente noutros países, tendo em conta a baixa taxa de natalidade em Portugal, a composição etnica do povo português pode mudar acentuadamente muito mais depressa do que se previa há uns anos atrás.
Se Nascem poucos portugueses e uma percentagem elevada desses poucos que nascem começar cada vez mais a optar, quando chega á idade activa, por ir viver definitivamente para outros paises, por não depositar grande esperança no futuro de Portugal a nivel economico....vamos ter grandes mudanças a nivel etnico em Portugal muito mais depressa do que se antecipava.

22 de maio de 2008 às 18:51:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Não me parece que a ideia de que se deve aceitar uma vida mais pobre se isso for um sacrificio necessario para a preservação da identidade nacional,seja bem acolhida pela generalidade da população portuguesa.

É discutível. De qualquer modo, «isto era a gente a falar», como se costuma dizer, ou para dizer melhor, era uma questão de princípio, de valor, e o Povo sabe o que isso é, ou então não se teria levantado contra a ocupação espanhola mais do que uma vez. E contra a invasão francesa também. Teria sido muito mais confortável, e se calhar lucrativo, ficarmos debaixo do poder castelhano, ou francês, mas ainda assim o amor à liberdade, o orgulho do Pobre Mas Honrado, falou mais alto.

Enfim, talvez o aburguesamento da população tenha feito com que este culto ao «Pobre Mas Honrado» saísse um bocado de moda, mas, seja como for, nem está em questão.

E nem está em questão porque, se vamos falar em termos práticos, então fica evidente que, na prática, não há contradição alguma entre salvaguardar a identidade europeia e encher a pança. E não há porque o que realmente se vê é que os países com melhor nível de vida são os mais europeus, os mais «branquinhos», como a Islândia e a Noruega, ao passo que as regiões de negros ou de grande misturada racial vivem na miséria: África, favelas do Brasil, Cova da Moura... já para não falar dos casos de violência endémica em França, que o Povo viu na televisão porque a elite tuga que controla os mé(r)dia não o pôde evitar.


O facto de os portugueses estarem actualmente a imigrar em massa prova isso mesmo.

Pois, mas emigram para a Europa civilizada, não para o Brasil, por exemplo...

22 de maio de 2008 às 19:16:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

A imigraçao foi uma necessidade da sociedade industrial.Essa sociedade está hoje em crise profunda pela falta de energia que já não responde as necessidades do mercado.

22 de maio de 2008 às 19:55:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

O petroleo a 2oo dolares está para breve não haverá pão para todos e acontecerá aqui o que está a acontecer na africa do sul.

22 de maio de 2008 às 19:58:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

A energia cara será um grande aliado de todos os racialistas aguardemos pois.

22 de maio de 2008 às 20:00:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Parabéns caturo pelo seu trabalho ideológico.

22 de maio de 2008 às 20:02:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Acompanhem a subida do petróleo ele é nosso amigo.

22 de maio de 2008 às 20:04:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Pareces o pombal quando no pnr andava sempre a alertar para a crise energética.

22 de maio de 2008 às 20:09:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Pombal?
O marquês?

22 de maio de 2008 às 20:40:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Mete mais cores no teu texto para atrair mais.

Se repelir quem não interessa a ninguém, já não é mau...

22 de maio de 2008 às 21:10:00 WEST  
Blogger Silvério said...

"a composição etnica do povo português pode mudar acentuadamente muito mais depressa do que se previa há uns anos atrás."

Só quem não percebe o que se está a passar é que pensa que isto não era esperado. As migrações está a ser usadas tanto para trazer gente para dentro como para os levar para fora.

22 de maio de 2008 às 21:25:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

as migrações como solução económica são um engano.

23 de maio de 2008 às 01:23:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

os paises em que a sua riqueza etnica era o que sustentava a economia, fizeram o maior erro da sua historia, buscar imigraçao pensando que seria bom economicamente e bom para o geral do pais.

Por acaso actualmente toda a Europa está com grande falta de cientistas. Pois claro, para trabalhos baixos todos dão, agora para trabalhos mais altos, como cientistas, a imigração não resolve, só mesmo aumentando a natalidade europeia.

O Japão é que nao vai muito nestas conversas e ainda bem.
Que ao menos se salve a etnia Japonesa, já que as actuais etnias europeias não poderão escapar da extinção e os europeus do futuro serão bem mais misturados, serão etnias diferentes das actuais.

23 de maio de 2008 às 01:57:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Banda desenhada e desenhos animados no Japão, “JoJo’s Bizarre Adventure”, acabaram de ser suspensos devido às queixinhas. A mesma história de sempre.

23 de maio de 2008 às 02:03:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

"Por acaso actualmente toda a Europa está com grande falta de cientistas."

Só se vê que a educação foi mal planeada, os indigenas foram empurrados para um certo género de cursos...

23 de maio de 2008 às 02:07:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

"já que as actuais etnias europeias não poderão escapar da extinção..."

Isso é o que tu pensas.

23 de maio de 2008 às 02:14:00 WEST  
Blogger Carmo da Rosa said...

Meu caro Caturo,

A minha breve passagem pelo teu site parece que fez acordar uma série de camaradas anónimos que pela verborreia até poderíamos pensar que querem partir amanhã à conquista de Marrocos - inshalllah.

Meu caro D. Sebastião do quinto-esquerdo que protegido atrás das saias de um nick, assim com os teus anónimos camaradas, ainda não percebeu que não é desta massa que eles se fazem, não é com esta gente que vamos passar (novamente) além da Taprobana. Com esta gente levamos outra vez nos cornos em Ksar el K’bir….

Não se trata de extinguir a raça, TRATA-SE DE A FORTIFICAR. Por isso, o mais sensato, é mesmo misturarmo-nos com outra gente mais forte, seja ela negra ou ucraniana, em vez de sermos macacos de imitação e dizer asneiras racistas só para imitar neo-nazis alemães – SEJAMOS VERDADEIRAMENTE PATRIOTAS.

Ao falar em futebóis, algo em que até somos bons, e referindo-me à vergonhosa derrota (em casa) contra os Gregos, queria apenas acentuar o lastimoso estado físico da raça, o espinhaço quebrado de tanta genuflexão às SUAS Excelências, de tanto rezar à Nossa Senhora. Quem se fia na Virgem e não corre é o que lhe acontece….

É preciso correr caro Caturo, não é só repetir de cor o Mein Kampf, é preciso mexer as perninhas, é também preciso levar a sério a parte mais chata da coisa, O CULTO DO FÍSICO. Mas intelectualmente a coisa também não está melhor, basta ler os comentários anónimos dos teus camaradas. O nível é confrangedor...

Caro Caturo, como diria Theo van Gogh, uma coisa é certa, com amigos destes não precisas de inimigos…

23 de maio de 2008 às 02:52:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

"QUÉNIA:...guerra ao preservativo"
http://www.plusnews.org/pt/
Report.aspx?ReportId=78319

23 de maio de 2008 às 03:39:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

"Mas intelectualmente a coisa também não está melhor, basta ler os comentários anónimos dos teus camaradas. O nível é confrangedor..."

Diz qualquer coisinha com maior substância.

23 de maio de 2008 às 03:41:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Diz qualquer coisinha com maior substância.

Eu disse só misturar as raças, não imitar o pretoguês: Não é com MAIOR substância que se diz, é com MAIS substância...

Carmo da Rosa

23 de maio de 2008 às 10:16:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

" Anónimo disse...
Diz qualquer coisinha com maior substância.

Eu disse só misturar as raças, não imitar o pretoguês: Não é com MAIOR substância que se diz, é com MAIS substância...

Carmo da Rosa

Sexta-feira, Maio 23, 2008 10:16:00 AM"

Pode dizer-se com maior substancia.

23 de maio de 2008 às 10:51:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

"Não se trata de extinguir a raça, TRATA-SE DE A FORTIFICAR."


Sabes o que é que se chama aquilo?

23 de maio de 2008 às 10:52:00 WEST  
Blogger Caturo said...

As migrações está a ser usadas tanto para trazer gente para dentro como para os levar para fora.

É a actuação dos engenheiros de povos: tratar a humanidade como se fosse plasticina, desconstruindo-a e voltando a «edificá-la».

23 de maio de 2008 às 12:38:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

"As migrações está a ser usadas tanto para trazer gente para dentro como para os levar para fora."

Então? A migração é necessária quando a economia está em recessão ou em expansão?

23 de maio de 2008 às 12:49:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Carmo da Rosa,

Tu lês, lês, mas não percebes corno. Não consegues compreender o que te é dito, ou porque afinal o teu intelecto é bem menos abonado do que pensas que é (para começar, em nada te superiorizas aos que aqui criticaste), ou porque não estás a querer enfrentar o que está aqui em causa e continuas agarrado à merda da prosápia que usarias noutras alturas, contra outros oponentes.

Só isso explica que estejas para aí a falar em D. Sebastiões e em Marrocos e coisas e loiças. Ainda não percebeste que não queremos saber disso para nada. D. Sebastião foi um rei heróico, embora imprudente, e um bocado beato, mas tinha a ver com a sua época, ou mais concretamente com uma época imediatamente anterior (estava um bocadito fora de tempo), e o seu desaparecimento possibilitou a manifestação de um certo espírito dir-se-ia céltico atlântico do «rei que virá um dia do meio do nevoeiro» (como o Artur bretão), mas actualmente nada temos com isso, visto que de modo algum queremos ir para Marrocos ou para outro sítio qualquer fora da Europa, sequer fora deste rectângulo do extremo ocidente europeu. Quem quer ir nessas aventuras são os gajos como tu ou os patrões da empresa em que trabalhas.

O crime ultrajante e arrogante que queremos cometer é continuar a viver num país branco europeu. É isso. Compreende-se que tal ideia te seja estranha, visto que tem aspecto de poder contrariar a lógica dos mercados internacionais, mas nem toda a gente se rege pela tua bitola.

Quanto a estar protegido por trás das saias dum nick, aplica isso a ti ou a quem quiseres lá do teu grupinho, mas aqui toda a gente sabe quem eu sou, e muitos até já conhecem o meu nome completo e já me viram a cara em manifestações nacionalistas. Calcula tu que até vêm aqui antifas que puseram, ou pelo menos viram, a minha cara num forum deles, porque alguém pôs lá uma foto em que estou numa manifestação nacionalista do PNR.

Portanto, quem está escondido és tu, não sou eu. Claro que pensaste que podias usar esse lugar-comum facilzinho e medíocre de insinuar que quem discorda das tuas ideias mentecaptas é um cobarde escondido atrás dum nick, mas esta agora saiu-te pela culatra. Bom proveito.

No que toca à tua «fortificação da raça», a tua receita só deriva dos teus complexos de inferioridade. E ainda falavas tu de um D. Sebastião do quinto esquerdo... rapazote impertinente, tu nem a isso chegas, ficas-te por um Miguel de Vasconcellos do rés-do-chão a querer um dia passar para uma «penthouse» na Manhattan de Cacilhas (se vier a ser construída, parece que já não). Duvido que algum dos que bateu os Mouros em Ourique, ou que participou na tomada de Lisboa, ou que conquistou o Algarve à Moirama, ou que lutou ao lado de Francisco de Almeida ao largo de Diu, duvido que algum desses se sentisse tão humilhado como tu, descendo ao ponto máximo da baixeza, passe o pleonasmo, de querer por força diluir a sua raça só para se poder sentir mais fortezinho. Pois olha que se não tiveres tomates, não é por casares com uma imigrante que eles te crescem. E se fores tu a educar a tua criança (se a conseguires fazer), não é provável que o puto possa herdar o que tu não tens.

Por conseguinte, caro Carmo da Rosa, podes bem cagar na tua «fortificação», assim como eu cago no teu discurso. A raça é esta, é forte, mas mesmo que o não fosse, continuava a ser a nossa. E o que queremos defender não é, como talvez te tenham dito, «a nossa superioridade», mas sim A NOSSA EXISTÊNCIA.

Que alguns do nosso lado da trincheira pensem, ou tenham pensado, que NOSSO=SUPERIOR, é assunto que não vem para o caso. Ninguém aqui está a dizer isso, pelo que estares a bater nessa tecla só te fica mal. Criticas tu o Mein Kampf, mas a tua prosápia, a de que é preciso misturar-nos com «raças superiores» para ficarmos melhores do que somos, é mesmo a parte pior que o Mein Kampf possa ter, é, repara bem,

Mein Kampf + Lusofonia parola + Imigracionismo Militante + Complexo de Inferioridade Tuga = Carmo da Rosa.

Entendes? Pus isto em equação para melhor compreenderes.

Acresce que nem sequer há qualquer indicação de que a mistura de raças produza um povo superior a qualquer outro, a menos, claro, que algum critério especialmente distorcido possa levar a pensar que o Brasil, ou Cabo Verde, são superiores à Noruega, à Islândia ou à Grécia...

Sim, o Brasil é melhor em futebol do que qualquer desses países. Mas a Itália também não é má, e até ganhou o Mundial passado, batendo na final uma selecção mestiça, a da Françáfrica. E, muito sinceramente, estamo-nos real-cagando para o futebol. Só por menoridade cultural ou por mentecapto desejo de ser jocoso é que se pode estar a insistir na merda do futebol como critério seja para o que for. Preferimos mil vezes uma Irlanda, um Luxemburgo ou uma Islândia, que nem sequer vão pôr os pés neste europeu (nem no anterior, nem provavelmente no próximo), do que um Brasil ou mesmo uma França mulatizada a meter golos em barda.

Por isso, caro Carmo da Rosa, pura e simplesmente vê se te axandras.

23 de maio de 2008 às 13:15:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Banda desenhada e desenhos animados no Japão, “JoJo’s Bizarre Adventure”, acabaram de ser suspensos devido às queixinhas. A mesma história de sempre.

O que aconteceu? Conta...

23 de maio de 2008 às 13:21:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Acho que já sei do que se trata... a «jihad verbal».

23 de maio de 2008 às 13:37:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

"Caturo disse...
Banda desenhada e desenhos animados no Japão, “JoJo’s Bizarre Adventure”, acabaram de ser suspensos devido às queixinhas. A mesma história de sempre.

O que aconteceu? Conta...

Sexta-feira, Maio 23, 2008 1:21:00 PM"

Podes ver aqui:
http://swenglishrantings.com/
Politics/?p=314

23 de maio de 2008 às 14:29:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Obrigado.

23 de maio de 2008 às 14:31:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

E já que se fala em desenhos animados:

http://www.groepwilders.com/
website/details.aspx?ID=30

23 de maio de 2008 às 14:44:00 WEST  
Blogger Caturo said...

É outro do mesmo género que Assud, o Coelhinho Assassino do Hamas...

23 de maio de 2008 às 14:50:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

"Que alguns do nosso lado da trincheira pensem, ou tenham pensado, que NOSSO=SUPERIOR, é assunto que não vem para o caso. Ninguém aqui está a dizer isso, pelo que estares a bater nessa tecla só te fica mal. Criticas tu o Mein Kampf, mas a tua prosápia, a de que é preciso misturar-nos com «raças superiores»"

lol a carmo da rosa vem aqui armada em moralmente superior por nao querer preservar a raça e querer mistura-la, mas o seu discurso para justificar a nao preservaçao da raça, é completamente "nazi" (segundo o conceito dos media).

Defender a raça superior, defender que devemos acabar com a nossa raça por ser inferior e que devemos misturar-nos com outros para ficarmos superiores é mesmo "nazi", xenofobo e racista.


O argumento do futebol é ridiculo.
O futebol como outro desporto qualquer, tem vários vencedores ao longo dos anos, séculos, etc. É puro lazer. Por vezes a melhor equipa nem ganha por falta de sorte, estratégia, ma arbitragem, entre outras coisas.
Mas a carmo da rosa, acha que se uma raça nao ganha, entao é fraca e deve ser extinta.

Segundo ela, até agora deveriamos misturar-nos com Gregos pois por ganharem em 2004 sao os melhores do mundo e os tugas sao uma merda. Apos o Euro2008 ja vai mudar, teremos de nos misturar com outra raça, a que ganhar este ano. Daqui a 2 anos mudamos outra vez, para a raça que ganhar o Mundial e depois passados outros 2 anos para a que ganhar o Euro.
Vamos andar sempre a mudar conforme quem ganha. Se todos os Países fizessem isto, em poucas décadas não haveria nenhuma raça. Ja estava tudo uniforme.


Poderias usar um argumento melhor, o cientifico. Segundo a tua lógica e apoiando-nos na ciencia, misturariamo-nos todos com japoneses e judeus pois sao os povos mais inteligentes. E pronto, todo o mundo fazia isto e nao havia tugas, italianos, gregos, africanos, indios, etc.

23 de maio de 2008 às 23:22:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home