sexta-feira, março 30, 2007

MAIS TUMULTOS EM PARIS - ALIENÍGENAS E PÁRIAS MILITANTES CONTRA A LEI EUROPEIA

Una autentica batalla campal se desató en el metro de Paris a raíz de que un pasajero, inmigrante ilegal y encima con antecedentes, fuera encontrado sin billete por agentes de la empresa pública de transportes urbanos Ratp. El ilegal, un congoleño de 32 años, domiciliado en Sevran, una localidad de la banlieue norte de París, en situación irregular, con una orden de expulsión y con múltiples antecedentes intentó dar un cabezazo a los agentes, que lo inmovilizaron en el suelo y lo entregaron a los gendarmes entre las protestas de jóvenes inmigrantes que presenciaron la detención. Los dos inspectores de la RATP fueron agredidos y resultaron heridos a consecuencia de los objetos que lanzaron contra ellos, lo que motivó la intervención de más policía. Al final más de 200 jóvenes inmigrantes y ultraizuierdistas embozados se enfrentaron con los refuerzos policiales y destrozaron la estación de metro al grito de "Policía por todas partes, justicia en ninguna" y "Sarko, tendremos tu piel".
Las fuerzas antidisturbios pusieron punto final a la algarada que se saldó con 13 detenidos y 9 heridos, entre ellos los dos agentes del metro.

En plena campaña por las presidenciales los disturbios han sido motivo de cruces de declaraciones entre los principales candidatos.
Ségolène Royal, eludió pronunciarse sobre el problema de la falta de integración de los inmigrantes y su negativa disposición a aceptar las reglas de convivencia francesas, limitándose a un “claro que los viajeros deben pagar su boleto, pero que un simple control pueda degenerar en enfrentamientos tan violentos prueba que algo no funciona”, argumento que usó para criticar a su oponente Nicolas Sarkozy, hasta ahora ministro del interior galo y por tanto responsable de la política de seguridad francesa.
Por su parte el candidato de la derecha, Nicolas Sarkozy, alegó que el incidente se debe a "una ideología postsesentayochista que ha llevado a tolerar lo intolerable". "Si la señora Royal quiere regularizar a todos los sin papeles y si la izquierda quiere estar al lado de los que no pagan el billete en el tren, es su decisión; no la mía", remachó Sarkozy.
Llama poderosamente la atención la falta de declaraciones de Jean-Marie Le Pen, líder del Frente Nacional que ahora ve como sus predicciones alertando sobre la inmigración masiva se cumplen. El que podía ser el gran beneficiado por este tipo de incidentes, al igual que hizo durante los graves disturbios de 2005, ha preferido guardar silencio porque “no necesita expresarse para capitalizar los hechos”. Le Pen dice confiar en la inteligencia del pueblo francés para discernir las consecuencias de la política permisiva de la izquierda y lo que tiene de “apropiación” el tardío discurso de Sarkozy acercándose a lo que él siempre ha venido defendiendo.




Enfim, seja qual for o pretexto, o real motivo é sempre o mesmo: a vontade, por parte dos «jovens» não europeus, de mostrarem que mandam mais na rua do que a polícia. A atitude é pois a do costume: controle territorial.

12 Comments:

Anonymous Anónimo said...

é um problema real que tem de ser combatido com firmeza e sem medo do politicamente-correcto.

A tua teoria não explica nada.. a tua teoria é o ódio.

ps - já foram apanhados filhos de portugueses em situações destas em Paris...não tem a ver com serem europeus

30 de março de 2007 às 12:19:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

E se portarem mal, claro que devem ser castigados como os outros. Mas geralmente são sempre os africanos que provocam estes desacatos.
Portugal na mão dos esquerdalhos, qualquer dia vai pelo mesmo caminho.
Se isso vier acontecer podem agradecer aos vossos queridos governantes de esquerda.

Portugal aos Verdadeiros Portugueses.

Visigodo

30 de março de 2007 às 13:25:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

o vosso problema é sempre os africanos...eu digo mais "O Mundo aos terrestres!!!

"El Estatístico"

30 de março de 2007 às 14:29:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

"a tua teoria é o ódio"

Não, caro anónimo, a prática deles é o ódio.

Gonçalo

30 de março de 2007 às 14:42:00 WEST  
Blogger Caturo said...

A tua teoria não explica nada

A minha teoria explica o essencial - e tem sido confirmada várias vezes.

Tu e quejandos é que não querem ver porque preferem estar com a cabeça bem enfiada na areia - e atirar com essa areia para os olhos dos outros.


ps - já foram apanhados filhos de portugueses em situações destas

Muito raramente. A taxa de criminalidade dos imigrantes portugueses é mais baixa do que a dos próprios franceses; e a dos franceses é muito mais baixa do que a dos norte-africanos.

30 de março de 2007 às 15:35:00 WEST  
Blogger Caturo said...

o vosso problema é sempre os africanos

É só coincidência que sejam quase sempre os africanos, do sul ou do norte, a fazer coisas destas...

30 de março de 2007 às 15:36:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

"Portugal aos Verdadeiros Portugueses"

No seu caso será Portugal aos Verdadeiros Visigodos

Outros dirão Portugal aos Verdadeiros Galegos

Outros gritarão Portugal aos Verdadeiros Lusitanos

Outros berrarão Portugal aos Verdadeiros Benfiquistas

Sem ofensa, mas deste que vejo nacionalistas a exigir a dependência de metros quadrados de território e a forma como alguns retalhariam a Península ... Como é que há gente com paciência para andar a medir dedais de sangue ancestral!?

Isto é que vai ser cá uma trabalheira para compor o puzzle! :)

Cumprimentos.
Livia Drusilla

30 de março de 2007 às 15:50:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Desculpe o erro... mas é claro que é de independência que se trata.

Cump.
Livia Drusilla

30 de março de 2007 às 15:54:00 WEST  
Blogger Caturo said...

"Portugal aos Verdadeiros Portugueses"

No seu caso será Portugal aos Verdadeiros Visigodos

Outros dirão Portugal aos Verdadeiros Galegos

Outros gritarão Portugal aos Verdadeiros Lusitanos

Outros berrarão Portugal aos Verdadeiros Benfiquistas



Pois, mas só terão razão os que disserem que Portugal pertence aos Verdadeiros Portugueses.

A menos que não haja pertenças e, nesse caso, parte-se para a guerra e ganha o mais forte, enfim, a ver vamos...


Saudações

30 de março de 2007 às 16:01:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Fruto da politica dos coitadinhos...
Anos e anos de demagogia, de querermos ficar bem na fotografia, de sermos governados por gente que pensa a "democracia" como um sistema em "que tudo é permitido" e não como um sistema de "máxima liberdade, máxima responsabilidade".
As democracias ocidentais agonizam, porque chafurdamos em teorias de cariz masoquista; "somos muito civilizados, atingimos o máximo da perfeição, coitadinhos dos que não se integram no nosso sistema, a responsabilidade é nossa, não soubemos fazer as coisas como deve ser, temos que ser mais tolerantes..."
Temos esta postura em relação a tudo... quando existe um qualquer problema, não há subsidiozinho que não resolva a questão.
As luzes estão a apargar-se paulatinamente e a continuar assim, bem podemos dizer adeus ao nosso confortável mundinho.

Rodrigo Cabral

30 de março de 2007 às 16:25:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Precisamente, caro Rodrigo Cabral. É como diz Janssen, da universidade de Utrecht: é necessário estar disposto a usar armas para preservar a sociedade pacífica europeia tal como ela tem sido até agora, antes dos muçulmanos aparecerem em cena.

30 de março de 2007 às 16:45:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Eu acho que a teoria do Caturo demonstra bem aquilo que se está a tentar esconder é que muitos conflitos que acontecem aqui e ali tem uma componente etnico-racial mas acima de tudo cultural. Evidentemente que nem todos os membros de dessas culturas devam ser incluídos, no entanto o que o politicamente correcto está a tentar promover é um total descarte desse factor por não ser politicamente correcto e dessa forma é totalmente impossível resolver esta situação, aliás como estas notícias o demonstram e como toda gente sabe. Enquanto tivermos pessoas devidamente instruídas nas disciplinas que tratam destes temas, que são descartadas do sistema por serem inconvenientes e enquanto tivermos curiosos a opinar sobre o que é cultural e o que não é não vamos a lado nenhum.

30 de março de 2007 às 19:40:00 WEST  

Publicar um comentário

<< Home