domingo, abril 09, 2006

POPULAÇÃO RECUSA O ABATE DOS CÃES

Do Fórum Nacional,


PSP e Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa foram impedidas de caçar e matar cães errantes a tiro nesta ilha
Impacto mediático negativo, indignação e protestos de pessoas e associações de protecção dos animais da Graciosa e de outras ilhas e intervenção da ANIMAL levam Direcção Regional do Desenvolvimento Agrário a instruir a C.M. de Santa Cruz da Graciosa para não caçar e abater cães a tiro com ajuda da PSP.
Foi também na passada semana que a ANIMAL recebeu queixas sobre a intenção da Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa, Açores, promover o abate a tiro dos cães errantes na ilha, com a ajuda da PSP. A indignação de pessoas da ilha, de associações de protecção dos animais dos Açores e mesmo o impacto mediático negativo que a notícia teve – tendo a RTP e jornais locais dado um destaque muito importante a esta barbaridade que se preparava – foram factores de grande importância para que estes planos fossem cancelados, aos quais se juntou a pressão que a ANIMAL exerceu. Entre 4.ª e 6.ª feira, a ANIMAL desdobrou-se em inúmeros contactos e pressões dirigidas à PSP e C.M. de Santa Cruza da Graciosa, inclusivamente com ameaça de procedimento judicial cautelar para impedir este massacre a tiro, à Divisão de Bem-Estar Animal da Direcção Geral de Veterinária (autoridade veterinária nacional) e à Direcção Regional do Desenvolvimento Agrário (autoridade veterinária regional). Depois de uma 6.ª feira de nervos, e quando a ANIMAL se preparava já para levar o caso a tribunal, a Direcção Regional do Desenvolvimento Agrário informou esta organização, os órgãos de comunicação social e as restantes entidades envolvidas neste processo de que tinha instruído a C.M. de Santa Cruz da Graciosa para que capturasse os cães assilvestrados tal como as normas em vigor prevêem, que os fizesse recolher ao Canil Municipal de Santa Cruz da Graciosa e que, aí, promovesse a adopção ou recolocação destes, podendo apenas abater os animais caso não fossem adoptados/reclamados/recolocados ao fim de oito dias, como a legislação prevê. Com isto, impediu-se uma verdadeira batida aos cães assilvestrados da Graciosa, embora, infelizmente, não esteja colocada de lado a hipótese destes cães serem mortos – uma vez recolhidos ao Canil, terão apenas oito dias para que alguém os adopte. Por isso, se puder adoptar algum destes animais (não está, de resto, provado que sejam assilvestrados, pelo que esse não deve ser um factor que obste à adopção destes), por favor entre imediatamente em contacto com a Câmara Municipal de Santa Cruz da Graciosa e diga que quer adoptar um (ou mais) dos animais que forem capturados.



Até que enfim, uma boa notícia. Boa notícia, isto é, dentro do possível, porque esta parte,
uma vez recolhidos ao Canil, terão apenas oito dias para que alguém os adopte. (ou então serão abatidos).
é muito triste.
Mas enfim, afinal somos um país cujo povo é relativamente civilizado (mais do que a merda dos governantes, pelos vistos).

No entanto, o facto de a lei tuga ainda considerar os animais como objecto, ou pouco mais, é produto do verdadeiro estado de miséria (moral) que por cá se vive, na medida em que constitui aquilo a que se pode chamar «o lado negro» do País (não lhe chamo «o país real», que tal lugar-comum miserabilista e neo-realista não passa da expressão de um masoquismo barato de tuga tristonho).

4 Comments:

Anonymous JJJ said...

O que é que os animais têm a ver com o Nacionalismo? Se desaparecer meia dúzia de cães desaparece a Estirpe Indo-Europeia de Portugal? Desaparecemos enquanto entidade etno-cultural? Não, pois não?
Então, foda-se.
Ainda pra mais um cão só serve pra cagar passeios e borrar os sapatos do pessoal.

10 de abril de 2006 às 16:54:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Quem é que disse que os animais tinham a ver com o Nacionalismo?

Este blogue é para eu dizer o que me apetece, não apenas para promover o Nacionalismo.

De resto, a visão do mundo genuinamente nacionalista e pagã, respeita a natureza e a identidade das coisas, incluindo a defesa da diversidade do mundo animal e, porque não, do reconhecimento dos direitos dos animais.

10 de abril de 2006 às 17:18:00 WEST  
Anonymous JJJ said...

Este blogue é para eu dizer o que me apetece, não apenas para promover o Nacionalismo.

Esclarecido.

De resto, a visão do mundo genuinamente nacionalista e pagã, respeita a natureza e a identidade das coisas, incluindo a defesa da diversidade do mundo animal e, porque não, do reconhecimento dos direitos dos animais.

É atua opinião.

10 de abril de 2006 às 18:16:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

E a minha também!
Os animais fazem parte da vida no planeta e devem por principio ser respeitados!
Piores ques os animais são os cagões humanos, que são bem mais porcos que os animais!
Bem, enfim, tirando os pombos e as ratazanas!!! lol!

12 de abril de 2006 às 00:04:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home