quarta-feira, maio 29, 2019

ÍNDIA PODERÁ TER ASSENTO PERMANENTE NO CONSELHO DE SEGURANÇA DA ONU

A Índia deve ter um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU (CSNU) para garantir a representação adequada do país no cenário internacional, afirmou o vice-presidente indiano, enquanto Nova Déli continua a defender a reforma do conselho.
"Precisamos de renovar os nossos esforços para obter uma adesão permanente ao Conselho de Segurança da ONU, reforçando ainda mais o apoio de nações do mundo e construindo um diálogo sustentado em favor das reformas do Conselho de Segurança", disse Shri M. Venkaiah Naidu na Martes.
A Índia emergiu como a economia com crescimento mais rápido, com poderes globais reconhecendo a história de crescimento do país asiático.
Actualmente, há cinco membros permanentes do Conselho de Segurança — China, França, Rússia, Reino Unido e EUA —, todos com poder de veto para deixar de lado qualquer resolução que possa comprometer a estabilidade e a segurança mundiais.
Além das potências vitoriosas na Segunda Guerra Mundial, o conselho também tem 10 assentos para membros não permanentes que são eleitos pela Assembleia-Geral das Nações Unidas por períodos de dois anos para melhor representar suas regiões geográficas. Esses Estados, no entanto, carecem do poder de veto concedido aos membros permanentes do conselho.
A Índia, uma potência global importante com 1,3 mil milhões de pessoas, vem pedindo a reforma do CSNU há algum tempo, junto com o Brasil, a Alemanha e o Japão. Nova Déli argumenta que o país ganhou o direito de contribuir para a segurança mundial.
"O mundo precisa da Índia porque os problemas e desafios que o planeta enfrenta hoje precisam de uma visão humana e holística", ponderou Naidu. "O mundo precisa da Índia porque precisa de uma voz que fale de paz, não-violência e coexistência pacífica".
No entanto, apesar dos pedidos para reformar o CSNU, quaisquer mudanças na composição da câmara exigiriam pelo menos dois terços de aprovação dos membros da Assembleia-Geral. Além disso, todos os membros permanentes devem concordar com qualquer expansão do conselho para incluir novos Estados com poder de veto.
Durante os governos petistas, o Brasil também trabalhou internacionalmente para obter um assento no CSNU. O continente africano é outro a ter solicitado, no passado, maior representatividade no grupo com um assento permanente.
*
Fonte: https://br.sputniknews.com/asia_oceania/2019052913970891-india-assento-conselho-seguranca/

* * *

Nada mais óbvio, quando o país é o segundo mais populoso do planeta e constitui potência nuclear. É entretanto muito útil ao Ocidente que este aliado natural dos Europeus tenha essa relevância.

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

https://i.dailymail.co.uk/1s/2019/05/29/16/14106516-7082855-image-m-191_1559144652832.jpg

29 de maio de 2019 às 22:34:00 WEST  

Publicar um comentário

<< Home