quarta-feira, maio 03, 2017

NO BRASIL - IMIGRANTES MUÇULMANOS ATIRAM EXPLOSIVO CONTRA MANIFESTAÇÃO ANTI-IMIGRAÇÃO EM S. PAULO



Terminou em confusão um protesto de grupos de ultra-Direita nesta terça-feira, na Avenida Paulista, em São Paulo. Seis pessoas foram detidas após uma confusão entre imigrantes, activistas e manifestantes, que protestavam contra a Lei de Migração, aprovada no Senado.
Pelo menos quatro activistas de movimentos de defesa de imigrantes e refugiados estão detidos desde o início da madrugada. A delegacia confirmou as detenções e que a ocorrência está em andamento, mas não informou quais são as acusações contra os presos.
Eles entraram em conflito com manifestantes do grupo Direita São Paulo que protestava contra o auxílio a imigrantes que chegam ao Brasil. Em páginas de grupos pró e contra imigrantes nas redes sociais, representantes acusam-se mutuamente pelo início do tumulto.
Cerca de 50 pessoas solidárias com os presos iniciaram vigília em frente ao DP desde em torno da 0h, cercadas por uma equipe de polícias armados com metralhadoras, do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra). A Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP) informou que um homem de 28 anos detido e um jovem de 17 apreendido durante a confusão assinaram termos circunstanciados por desobediência e já foram libertados.
Entre os presos, está o imigrante Hasan Zarif, integrante do grupo Palestina Para Todos e proprietário do restaurante e bar palestino Al Janiahl. O advogado dele, Hugo Albuquerque, e a mãe de um dos jovens presos, um estudante de 18 anos, reclamaram da demora em poder contactá-los e da falta de informações repassadas pela polícia.
O início da briga não ficou claro, mas, segundo Albuquerque, manifestantes foram em direção a Zarif e houve troca mútua de provocações que terminaram em agressões. Já os militantes de Direita alegam que um imigrante teria lançado uma bomba caseira contra eles.
O protesto contestava a Lei da Migração, já aprovada pelo Senado, que pode facilitar o acolhimento de mais imigrantes no País. Os manifestantes também exaltavam o trabalho da Polícia Militar e gritavam que "comunistas têm que morrer". Em novas postagens, alguns afirmam que os imigrantes "trouxeram o terrorismo para o Brasil" e pedem uma nova intervenção militar no País.
*
Fonte do texto: http://odia.ig.com.br/brasil/2017-05-03/manifestacao-anti-imigracao-em-sao-paulo-acaba-em-confusao.html

A descrição do ataque pode ser lida aqui: https://www.jihadwatch.org/2017/05/video-from-brazil-muslim-migrants-throw-homemade-bomb-at-anti-migration-law-protesters


3 Comments:

Blogger Afonso de Portugal said...

Parece que o sonho do Caps Louco e do Direita está a concretizar-se...

3 de maio de 2017 às 23:07:00 WEST  
Anonymous Carlos said...

Não houve confronto ou provocações. O Grupo Direita São Paulo promoveu a passeata contra a Lei de Imigração recém aprovada pelo Parlamento brasileiro, com autorização por escrito da Polícia e da Prefeitura Municipal de São Paulo.

Imagens obtidas, mas,ocultadas pela grande mídia, mostra que a passeata passava pacificamente quando alguém, numa roda de pessoas se vira e joga a bomba nos manifestantes.

A polícia logo prendeu os criminosos e constatou-se que eram palestinos e sírios.

O que causou estranheza é que, mal os muçulmanos chegaram na Delegacia de Polícia, já havia a espera deles um exército de advogados, tradutores e ONG's esquerdistas para garantir os "direitos" dos muçulmanos contra a "direita xenófoba".

A imprensa no Brasil é 100% comunista e logo responsabilizou a "direita" pelo acontecido e, na sequência, saiu gritando sobre os males dos brancos heterossexuais cristãos, descendentes dos malditos europeus.

4 de maio de 2017 às 14:23:00 WEST  
Blogger CENSURADO AGAIN said...

Lei de Imigração recém aprovada pelo Parlamento brasileiro

OU SEJA ILEGITIMO UMA LEI DESSE PORTE NO MINIMO TINHA DE TER REFERENDO NÃO SE PODE ABRIR A CASA DE NINGUEM SEM CONSULTAR

6 de maio de 2017 às 01:08:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home