quarta-feira, janeiro 11, 2017

EM FRANÇA - LÍDERES NACIONALISTAS CRITICAM O CLERO CATÓLICO PELO SEU APOIO À IMIGRAÇÃO

Em França, três líderes da formação nacionalista Frente Nacional (FN) criticaram bispos franceses por estes apoiarem a entrada maciça de refugiados no país. Os três nacionalistas exigiram aos clérigos que se deixassem estar fora da política e se concentrassem em «encher as suas igrejas». Numa das entrevistas concedidas por membros da FN à rádio depois do Natal, o vice-presidente do partido, Louis Aliot, declarou: «Nunca vi uma grande maioria de católicos a votar em nós. Vi uma grande maioria de bispos a cuspir-nos na cara, tem de se dizer, e a sistematicamente denegrir a Frente Nacional, os seus líderes e as suas políticas.» «Os católicos devem preocupar-se em encher as suas igrejas - o que não é certo que consigam fazer, deixe-me dizer - e devem deixar os partidos políticos gerir os seus assuntos públicos.»
Outro militante da FN, Gilbert Collard, um dos dois deputados do partido na Assembleia Nacional, comentou que a igreja «está desligada da realidade», acrescentando que «em nome de receber outros, rejeitam-nos.» Mais afirmou que a igreja estava «hoje representada por bispos políticos, que são inimigos da fé.»
O secretário-geral do partido, Nicolas Bay, negou que estas entrevistas fossem «declarações de guerra», mas acrescentou que a FN «não precisava de ouvir quaisquer lições do clero a respeito da migração», dizendo que preferia ouvir os bispos a «lembrar às pessoas a doutrina social da igreja, que está muito longe do ultra-liberalismo que vemos hoje.»
Neste momento de corrida presidencial, o candidato da «Direita» conservadora François Fillon conta com forte apoio dos católicos; na FN, entretanto, há divisão sobre de deve ou não atingir-se membros da igreja. Marine Le Pen e Aliot criticam a igreja enquanto Marion Maréchal-Le Pen apela aos católicos tradicionais.
*
Fonte: http://www.christiantoday.com/article/frances.front.national.lashes.out.at.the.catholic.church.over.refugees/103565.htm

* * *

Esta colisão já se afigurava inevitável há vários anos - aliás, já há dois mil anos atrás existia, de uma maneira ou doutra... Foram neste blogue noticiados diversos casos de oposição de clérigos cristãos à FN. E agora a formação nacionalista começa a já não poder ignorar tal confronto por mais que tente, e é compreensível que o tente. A ideia visceralmente falsa de que o Cristianismo é a «religião nacional» continua a ter o seu poder e grande parte da população mais conservadora ainda é católica precisamente à conta dessa associação (profunda e insanavelmente contraditória) entre Catolicismo e Nação. É como um espinho cravado nas costas que custa a sair - e pode sair tarde de mais, porque o tempo continua a correr e é preciso reunir o maior número possível de votos de cidadãos europeus no Nacionalismo antes que a altíssima taxa de natalidade conjugada com a iminvasão oriunda do terceiro mundo tornem impossível a conquista nacionalista do poder pela via democrática e pacífica. Destarte a Igreja está pronta para se tornar numa das mães de uma nova «Europa» mulata, como quer por exemplo o papa, quando enaltece a «invasão árabe» (sic) e diz que é uma maravilha o surgimento de «novas sínteses culturais» (leia-se, misturada étnica) no mundo ocidental. Contra esta ameaça interna que tem pelo menos mil e seiscentos anos de existência (desde que a partir do século IV o Império Romano se tornou oficialmente cristão), só o Nacionalismo se ergue.

3 Comments:

Blogger Afonso de Portugal said...

O confronto é mais do que desejável desde que se cinja aos líderes católicos e às suas declarações. Espero que a FN não caia no erro de criticar abertamente a doutrina da Igreja, pois julgo que isso será abrir a caixa de pandora e alienar muitos eleitores católicos. Aliás, a esquerda é bem capaz de explorar essa via...

11 de janeiro de 2017 às 11:52:00 WET  
Blogger nisof said...

BISPOS CATOLICOS DE MERDA JUDAICA! O CRISTIANISMO E O COMUNISMO SÃO A MESMA MERDA INVENTADA PELOS JUDEUS!

11 de janeiro de 2017 às 15:52:00 WET  
Blogger SHTF way of life said...

O cristianismo é uma ideologia que deve ser mantida na esfera particular como um direito individual a uma crença. Mas, em sua essência, ele é totalmente mentiroso, contrário à natureza e inimigo natural do tribalismo.

11 de janeiro de 2017 às 18:26:00 WET  

Enviar um comentário

<< Home