segunda-feira, outubro 24, 2016

POLÍTICO ANTIRRA A GEMER POR CARTAZ DO PS SER «RACISTA»...



Um cartaz da câmara municipal da Amadora está a ser alvo de críticas. Em causa, está um cartaz (que pode ver acima) sobre video-vigilância em que surge uma família sorridente acompanhada dos slogans “Segurança para todos. Olhamos por si”.
O cartaz tem sido partilhado e criticado nos últimos dias nas redes sociais e o ex-bloquista e atual líder do Livre, Rui Tavares, foi uma das pessoas a reagir: “Se fosse uma câmara francesa gerida pela família Le Pen, ninguém teria dúvidas do que isto seria. Mas é uma câmara portuguesa, gerida pelo PS”.
“No ano de 2016, num país como Portugal, num concelho como a Amadora, isto é inaceitável”, acrescenta ainda Rui Tavares, que não só critica a escolha da imagem e da opção política, como pergunta mesmo se “Carla Tavares, presidente da Câmara Municipal da Amadora, e o PS, estarão dispostos a conviver com esta propaganda indigna?”.
Pergunta ainda o historiador à autarquia se “é conscientemente que opta por esta campanha publicitária, fazendo dela parte da sua estratégia para o fim do mandato e as próximas eleições, dando a entender aos eleitores brancos e de classe média que está ali para os proteger dos que não são uma coisa nem outra?”.
Rui Tavares critica ainda a “muito duvidosa ideia de que a video-vigilância trará mais segurança do que boas políticas sociais” bem como o facto de surgir como campanha por parte da Câmara da Amadora, “logo um dos concelhos mais diversos do país, deixa bem claro para que munícipe se dirige: uma família apenas de brancos, à exclusão visível de todos os que não são brancos”, pode ler-se.
*
Agradecimentos ao Arauto por ter aqui trazido esta notícia: https://www.noticiasaominuto.com/politica/675304/racismo-indesculpavel-cartaz-na-amadora-acusa-rui-tavares

* * *

Uma amostra característica do que realmente se passa na «mente» do esquerdalhame anti-racista, sem dúvida. Juram pela mãezinha que a raça não interessa nada porque é «só» uma questão de cor de pele (como se fosse coisa pouca ou a cor de uma t-shirt casual)... qual será então a relevância de por coincidência os poucos indivíduos do cartaz serem todos caucasóides?... E digo que é coincidência porque ninguém no seu juízo perfeito acreditaria que o PS tem militantes racistas ou racialistas...
O seu incómodo com a video-vigilância também tem que se lhe diga... quererá evitar a identificação de demasiados «jovens» delinquentes?... Ou talvez tema que estes fiquem inibidos no momento de se expressarem efusivamente no contacto «brincalhão» com indivíduos sozinhos que não pertençam à sua gangue?...

Por outro lado é significativo que o fulano queira dar por adquirido que um cartaz desta zona precise forçosamente de ter negros: «“No ano de 2016, num país como Portugal, num concelho como a Amadora,»... um concelho «como a Amadora»? Então mas já está combinado que aquilo ali constitui alguma parte de África ou uma espécie de interposto racial?... Olha que surpresa, ninguém diria, pois se o anti-racistame passa a sua imunda vida a guinchar que a imigração não tira nada aos Europeus...




14 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Tudo é racista, tudo é ofensivo.

24 de outubro de 2016 às 23:17:00 WEST  
Blogger SHTF way of life said...

http://www.dailystormer.com/195940-2/

24 de outubro de 2016 às 23:24:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...


“No ano de 2016, num país como Portugal, num concelho como a Amadora, isto é inaceitável”

Pois claro, quem há 40 anos vendia o país na boa à ex-união soviética também é capaz de vender Portugal aos PALOPS. Alias, já ofereceram parte do território aos negros, e ainda o admitem indiretamente com a maior das distintas latas :(

“muito duvidosa ideia de que a video-vigilância trará mais segurança do que boas políticas sociais”

Abrir as portas da Europa à enorme massa de gente Africana e Árabe oriundo da costa sul do mediterrâneo e ao mesmo tempo discriminar negativamente os nativos indo-europeus que já aqui estão há milénios e construíram, após muito sangue suor e lágrimas, os diversos países europeus é que é uma ideia brilhante.

“Carla Tavares, presidente da Câmara Municipal da Amadora, e o PS, estarão dispostos a conviver com esta propaganda indigna?”.

Uma família "tradicional" de brancos a sorrir num cartaz colocado numa rua duma localidade geograficamente pertencente à Europa é uma propaganda indigna :(

Ao que isto chegou! nem um radical "black power" angolano era capaz de cagar tanto pela boca como este traidor de merda. Mesmo assim a ainda maioria vai continuar a votar nesta gente.

24 de outubro de 2016 às 23:27:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Qual gente? A elite pensa em grande medida assim, é verdade, mas o gajo falhou à grande, endividou-se porque julgou que entrava no parlamento e lixou-se.

Esqueci-me de dizer, no tópico, que um cartaz do BE em Almada, há não muito tempo, surpreendia por só ter brancos, e eram uma data deles...

24 de outubro de 2016 às 23:45:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«Uma família "tradicional" de brancos a sorrir num cartaz colocado numa rua duma localidade geograficamente pertencente à Europa é uma propaganda indigna :(»

No ponto.

24 de outubro de 2016 às 23:46:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«http://www.dailystormer.com/195940-2/»

Muito obrigado... É mais um estaladão sem mão para ver se os nacionalistas «cristãos» abrem os olhos.

24 de outubro de 2016 às 23:48:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Se praticamente todas as instituições estão a favor da imigração, como é que a Igreja não deveria de estar? acclaim

25 de outubro de 2016 às 00:25:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Pois se a Igreja é precisamente a instituição há mais tempo anti-racista... já há dois mil anos...

25 de outubro de 2016 às 01:06:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Se fosse assim, nunca teria dado aval à existência de países. acclaim

25 de outubro de 2016 às 09:25:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

E já agora, nunca teria aprovado a escravatura de negros. duplo acclaim

25 de outubro de 2016 às 10:09:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Teria sim, tal como aprovou... mas só para os negros não cristãos... quem se convertia, deixava de ser escravo... é uma mistura de esperteza saloia com desprezo total pelas etnias.

25 de outubro de 2016 às 19:35:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«Se fosse assim, nunca teria dado aval à existência de países»

Era o que faltava não dar aval à existência do que sempre existiu... tinha poder mas não tinha tanto que pudesse acabar com os países todos, pelo menos nessa época... mas que fragilizou a identidade étnica desses países, isso fragilizou: «nós que antes vivíamos afastados uns dos outros devido às nossas diferenças raciais, agora, depois de Cristo, vivemos todos juntos», disse Justino o Mártir.

25 de outubro de 2016 às 19:38:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

E mais, nunca teria apelado às cruzadas contra os mouros, mas teria antes vindo com a conversa de que precisamos é de dialogo inter-religioso e que o Islão é uma religião abraâmica. triplo acclaim

26 de outubro de 2016 às 19:25:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Teria sim, porque um totalitarismo não tolera outro - tratou-se da concorrência de diferentes totalitarismos. Esse foi o motivo pelo qual a Igreja conduziu as armas contra os Mouros. Não foi para defender a identidade étnica europeia, que isso não tem qualquer espécie de sentido no pensamento cristão - foi, pelo contrário, para usar os Europeus na guerra de expansão mundial do Cristianismo. Claro que há por aí quem jure a pés juntos que a Igreja conduziu a guerra contra os Mouros porque «era contra eles todos!!!, e o Cristo era um ariano e não queria cá escurinhos!!!!!», e depois é pessoal deste que se admira muito por a Igreja estar agora a querer obrigar os Europeus a receber a imigração mourisca... ;)

27 de outubro de 2016 às 01:31:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home