segunda-feira, março 28, 2016

BLOCO DE ESQUERDA CONTRA PEDRO ARROJA

O comentário foi feito há cinco meses, no Porto Canal, tendo originado agora um inquérito aberto pelo Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) do Porto.
Àquele grupo de bloquistas - no qual não está incluída Domicília Costa, deputada de 70 anos, eleita pelo Porto - junta-se também a eurodeputada Marisa Matias, todas arroladas pela Justiça para depor como testemunhas neste inquérito. Sobre estas dirigentes do Bloco de Esquerda, Arroja disse que "não queria nenhuma daquelas mulheres, nem dada", entre outras considerações. As declarações foram proferidas a 9 de Novembro de 2015 e provocaram enorme polémica. Mas, em entrevistas posteriores, o comentador viria a repetir o mesmo tom jocoso.
Segundo a procuradora responsável pelo inquérito, Diana Ribeiro Gama, em causa poderá estar a prática do crime de discriminação sexual, previsto no Código Penal, que corresponde a uma pena de prisão que vai dos seis meses a cinco anos.
Ao JN, Mariana Mortágua admitiu que este processo pode servir de exemplo "em casos semelhantes". "A decisão não foi nossa. Foi a CIG que encontrou fundamentos para fazer a queixa. Facto que demonstra que essa instituição está atenta e que dá consequência a declarações que, de alguma forma, põem em causa a igualdade de género que existe no país", disse, ontem, após o Parlamento autorizar, por unanimidade, que as deputadas prestem declarações por escrito.
A CIG fez chegar a queixa contra Pedro Arroja no DIAP do Porto, no dia 4 de Janeiro deste ano.
*
Fonte: http://www.jn.pt/PaginaInicial/Nacional/Interior.aspx?content_id=5093128

* * *

Têm a sua razão, as moças, mas correm alguns riscos políticos com esta brincadeira. Tudo indica que Pedro Arroja seja de facto misógino à maneira tipicamente beata, além de ser outras coisas tão más ou piores, praticamente só lhe saem obscenidades de entre os dentes, como já aqui foi notado, mas processá-lo sem lhe apanhar, no caso, nada de comprovadamente misógino - ele nesta ocasião falou, não «das mulheres», mas daquelas mulheres em concreto, e nunca chegou a dizer que deveriam estar caladinhas e obedientes por serem mulheres, embora muito provavelmente o pense, mas não o disse nem sequer o insinuou de maneira inegável, paciência, o que de resto não serve para dizer que tivesse razão fosse no que fosse - só fará com que pareça um herói e uma vítima da intolerância esquerdista-feminista politicamente correcta aos olhos de muitos portugueses, sobretudo os das camadas mais conservadoras da população. A observação de P. Arroja foi cretina e a raiar o insulto, sobejamente foleira, num tom misógino mas sem texto formalmente misógino, mas caso a contenda dê nas vistas, ainda se vem a divulgar mui mediaticamente como o fulano é beato e depois junta-se essa imagem ao escandalozito do cartaz bloquista dos dois pais de JC (que, por ironia das coisas, até é uma ideia de um grupo cristão, dos EUA) e mais heróico-mártir parecerá Arroja aos olhos dos mais ingénuos, facilmente haverá pelas esquinas quem diga o Arroja teve arrojo em dizer e repetir «verdades»...

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

https://espectivas.wordpress.com/2016/03/29/segundo-a-direita-nacionalista-o-pedro-arroja-no-tem-razo-porque-um-beato/

29 de março de 2016 às 21:24:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Típico do que de pior há no Nacionalismo em Portugal: distorção de argumentos, conceitos sobejamente foleiros (um tipo não é misógino porque tem mulher e filhos e netos, sim senhor, os fulanos que acham bem dar porrada na mulher não são misóginos porque são casados, e se tiverem filhos ainda menos misóginos são, e com netos então, fachavor...), simpatia pelo beatame mais atrofiante (mas quem é que no final do século XXI ou no dealbar do século XXI europeu quereria votar nisto?) e, no fim, a «identificação» de um «culpado» da suposta miséria «disto tudo». É estereotipado até à estupidez e foi mesmo por isto que o Movimento Nacionalista esteve estagnado durante décadas, porque era dirigido por malta desta - mas nessa altura sempre houve, mas sempre, quem dissesse que era por causa de fulano ou de sicrano (António da Cruz Rodrigues, José Luís Paulo Henriques ou Mário Machado, ou outro qualquer), era por causa deste ou doutro «que isto não não avança!!!!», e depois os ditos iam abaixo ou desapareciam, mas claro, surgia outro acusado de «isto não avançar!!!», sem que os acusadores alguma vez tivessem percebido (até hoje, garantidamente) a indigência quer do seu discurso quer da sua militância.

29 de março de 2016 às 22:13:00 WEST  
Blogger João José Horta Nobre said...

Mário Machado, "apenas" o tipo que provocou mais danos ao Nacionalismo em Portugal e que ía destruindo o PNR com a sua infinita burrice.

É por essas e muitas e outras que eu quero os nazis bem longe de mim, muito longe, porque essa gente em conjunto com os católicos fanáticos só prejudica o movimento nacionalista como um todo.

30 de março de 2016 às 18:57:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home