quinta-feira, julho 30, 2020

VARDAVAR, FESTIVAL PAGÃO DO ORIENTE DO MUNDO INDO-EUROPEU



O Vardavar, Festival de Água, é realizado em honra de Astghik, Deusa da Beleza e da Água, equivalente nisso à helénica Afrodite e à latina Vénus. Trata-se de uma tradição de origem pagã muito popular no país, que consiste em geral no acto de atirar água para cima de transeuntes. Foi em tempos despaganizada ou cristianizada mas os actuais adoradores dos Deuses Arménios tratam actualmente de a re-paganizar.
Este ano voltou a realizar-se, como já é costume, no templo de Garni, porquanto a pandemia mundial não impede que a tradição viva.
*
Fonte das fotos: https://www.facebook.com/arordiner.ukht/photos/pcb.2230894903702193/2230898590368491/?type=3&theater&ifg=1


13 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Caturo, qual a sua opinião sobre a Renda Básica Universal?

30 de julho de 2020 às 01:37:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

https://i.imgur.com/HtjuOvv.png

30 de julho de 2020 às 11:00:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

O que dizes disto, Caturo?

https://www.rtp.pt/noticias/pais/aumentou-numero-de-migrantes-em-parte-incerta-depois-de-desembarques-no-algarve_n1248574

Publica.

30 de julho de 2020 às 15:41:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Publica que isto é importante.

https://i.imgur.com/EdQrr5A.png

30 de julho de 2020 às 16:17:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

China com ânsia de ficar no 1 lugar, depois de espalhar covid por todo o mundo e lixar fortemente o rival americano agora tenta enviar sementes para danificar o meio ambiente e agricultura americana https://tvi24.iol.pt/amp/internacional/plantas/as-misteriosas-sementes-que-estao-a-chegar-da-china-aos-eua-por-correio

30 de julho de 2020 às 20:30:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«Publica que isto é importante.
https://i.imgur.com/EdQrr5A.png»

Já foi comentado aqui: https://gladio.blogspot.com/2020/07/a-tugalandia-negoceia-com-marrocos-um.html

31 de julho de 2020 às 02:55:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«https://i.imgur.com/HtjuOvv.png»

Pois, quando a Inquisição Anti-racista diz que «é racismo!!!», NEM SEQUER se pode duvidar disso, porque duvidar disso não dá jeito nenhum à causa anti-racista, porque o que é preciso é manter o «motor» do anti-racismo em andamento, para beneficiar as «minorias» não brancas em terra que não é sua, e para beneficiar também os profissionais do anti-racismo, que são os clérigos da Santa Madre Igreja Anti-Racista e Multiculturalista dos Últimos Dias do Ocidente.

31 de julho de 2020 às 02:59:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«O que dizes disto, Caturo?

https://www.rtp.pt/noticias/pais/aumentou-numero-de-migrantes-em-parte-incerta-depois-de-desembarques-no-algarve_n1248574»

É fartar vilanagem, um desleixo material na sequência de um desleixo moral, não surpreende.

31 de julho de 2020 às 03:01:00 WEST  
Blogger Caturo said...

«Caturo, qual a sua opinião sobre a Renda Básica Universal?»

Acho que é o futuro, pelo menos o da Europa, a médio senão a curto prazo, à medida que o trabalho é automatizado em larga escala, o que deixará no desemprego vitalício milhões e milhões de pessoas.

31 de julho de 2020 às 03:02:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

"Pois, quando a Inquisição Anti-racista diz que «é racismo!!!», NEM SEQUER se pode duvidar disso, porque duvidar disso não dá jeito nenhum à causa anti-racista, porque o que é preciso é manter o «motor» do anti-racismo em andamento, para beneficiar as «minorias» não brancas em terra que não é sua, e para beneficiar também os profissionais do anti-racismo, que são os clérigos da Santa Madre Igreja Anti-Racista e Multiculturalista dos Últimos Dias do Ocidente."

Então, toma mais este:

https://i.imgur.com/PDogY0N.png

31 de julho de 2020 às 23:23:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Também já tenho resposta:
Diz a Joana Amaral Dias que «todas os estudos e sondagens nacionais ou internacionais revelam que Portugal é um país estruturalmente racista» - agora resta explicar a que se refere aí o termo «racismo» - a elite anti-racista no poder usa-o tanto para quem simplesmente não gosta de negros como para quem seja a favor da sua expulsão ou quem os considere biologicamente inferiores... O racismo é, em si, nada mais que uma opinião.
Afirma também a JAD que «?￰゚マᄏo perfil deste homicida corresponde à forma mais maligna de racismo, o biológico,», mas mais maligna porquê?, porque incide precisamente sobre a raça propriamente dita – conceito biológico – ou seja, incide sobre um conceito que a elite reinante NÃO PODE ultrapassar concedendo papéis de nacionalidade, o que significa que a Raça ESCAPA ao controlo total, totalitário, que a elite quer ter sobre as massas para delas dispôr como se moldasse plasticina, para assim criar o Homem Novo, ideal totalitário de todos os tempos, nomeadamente, neste caso, o Sem Raça Universal, num mundo sem fronteiras. Por isso a elite reinante promove o ódio ao conceito biológico de raça, jurando a pés juntos que é o mais maligno porque sim, porque é, porque assim o diz o Catecismo da Boa e Sã Doutrina da Santa Madre Igreja Anti-Racista e Multiculturalista dos Últimos Dias do Ocidente (catecismo este INTEIRAMENTE escrito e impingido por essa mesma elite, bem entendido).
JAD alega ainda que «uma das razões de Portugal ser racista encontra-se justamente no colonialismo» o que em si não tem precisão alguma, pois que o colonialismo tanto «origina» o racismo – que na verdade já existia na Europa BEM ANTES do colonialismo, o que se pode entender a partir de textos da Antiguidade – como dá também origem ao anti-racismo, o que se constata nessa tristemente famosa produção ideológica denominada «luso-tropicalismo». Não foi por acaso que o atleta mais adorado e quase divinizado do desporto português a ponto de ser erigido em quase símbolo nacional, o moçambicano Eusébio, foi alçado a esse estatuto precisamente pelo Estado Novo, de modo a consolidar o colonialismo português. Foi também o Estado Novo que levou à Eurovisão da Canção o segundo concorrente negro da história deste certame; a primeira pessoa de raça negra foi lá levada pela Holanda, outra potência colonial.
O mais surpreendente no discurso de JAD é a parte em que assevera nunca ter Portugal feito uma ruptura com o seu passado, nomeadamente com o salazarismo – como não? Quer dizer, o povo não, mas as elites ainda hoje não se calam em discursos e narrativas contra o Estado Novo...
Argumenta JAD que a convivência pacífica com outras etnias é só uma forma de cuspi-las para as margens... bem, há convivências pacíficas e convivências pacíficas: com os chineses, por exemplo, é claramente pacífica, com os negros nem por isso, nem em Portugal nem em Inglaterra nem nos EUA, nem sequer na Índia e na China, onde também há imigrantes negros a queixar-se de racismo policial violento... coincidências...
Pergunta JAD «se o crime não é um crime de ódio o que é?», porque o africano ouviu insultos racistas. E se lhe tivessem chamado gordo, era um crime gordófobo? E se lhe chamassem «maneta», estar-se-ia porventura em presença de um crime manetófobo?... Confundir causas com circunstâncias nunca dá bom resultado...
Tudo isto para a JAD terminar com o corolário já mais que previsível, palavra de ordem e moral-da-história – (moral-de-toda-a-História-seja-ela-qual-for) de que «combater o racismo é um imperativo moral e ético. E é urgente». Ora o que é urgente, imperativo moral e ético, é combater o crime violento – quanto ao racismo, é uma opinião como outra qualquer, certa ou errada, baseada em preconceitos cretinos ou em estudos científicos, tanto faz, mas é uma opinião como outra qualquer (não, não é crime, é mesmo SÓ opinião em si). Deslocar a questão da punição do crime violento para o da perseguição ideológica não é sério, é só fanatismo ideológico.

1 de agosto de 2020 às 18:36:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Caturo, o que é o racismo não-biológico?

1 de agosto de 2020 às 19:33:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Boa pergunta... creio que a autora se refere ao racismo propriamente dito, o de base estritamente racial.

5 de agosto de 2020 às 01:49:00 WEST  

Publicar um comentário

<< Home