segunda-feira, agosto 22, 2016

PRIMEIRO-MINISTRO HÚNGARO DIZ QUE NÃO É ACEITÁVEL ISENTAR DE VISTOS OS TURCOS NA UE

O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, afirmou neste domingo (21) que "é impossível" isentar os turcos de visto para entrar na União Europeia (UE).
Um dos pontos do acordo entre a UE e a Turquia para estancar o fluxo de refugiados foi a eliminação da necessidade de vistos para os turcos entrarem na Europa. O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, afirmou que, caso a UE não cumpra o seu acordo, ele pode autorizar autocarros de refugiados para entrarem na UE. "Os países europeus não podem cumprir essa promessa que fizeram à Turquia", disse Orban. O líder húngaro está no Rio para o encerramento dos Jogos Olímpicos.
Afirmou que a questão de isentar de vistos os turcos "é um enorme problema, uma questão delicada", mas que não está preocupado com a ameaça turca. "A Turquia não pode fazer isso porque a fronteira húngara é a porta de entrada para a Europa, e nós defendemos nossa fronteira 100%", disse.
Recentemente, Orban afirmou que o republicano Donald Trump tem a melhor política externa para a UE. No domingo (21), em recepção no Itamaraty do Rio, o chanceler José Serra perguntou a Orban: "É verdade que você apoia Trump?" O húngaro teria respondido que sim, que essa é a posição de seu partido.
À reportagem, Orban afirmou: "Sim, a política externa de Trump seria melhor para nós. Os democratas acham que não deveria haver controle da entrada de imigrantes na Europa, o que é muito perigoso. Trump defende o controle dos imigrantes. E ele é contra a política de construir democracias em outros países, e eu concordo com ele."
Defendeu o mandato de Erdogan e a estabilidade na Turquia. "Se a Turquia não tiver estabilidade, toda a região terá problemas. Precisamos de apoiar o governo turco."
Mas o húngaro afirmou que a aprovação da pena de morte pelo governo turco, que está em estudo, inviabilizaria a entrada do país na UE.
(...)
Indagado se a entrada de refugiados não ajudaria a solucionar o problema demográfico na UE, foi taxativo: "Nunca. Eles podem causar um problema mais sério, porque constroem uma sociedade paralela na Europa. Os imigrantes chegam com um conceito cultural diferente, e essas sociedades paralelas são perigosas e desestabilizadoras para os países da UE. Queremos manter o carácter do povo húngaro como uma sociedade integrada". Com informações da Folhapress.
*
Agradecimentos a quem aqui trouxe esta notícia http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2016/08/1805542-e-impossivel-isentar-turcos-de-visto-para-a-ue-diz-premie-hungaro.shtml, que conduziu a esta página, da qual se retira o texto acima: https://www.noticiasaominuto.com.br/mundo/269773/e-impossivel-isentar-turcos-de-visto-para-a-ue-diz-premie

* * * 

É sintomático que na Europa só a «odiada» Extrema-Direita - odiada pela elite mediático-política, não pela massa popular - tenha este tipo de discurso, da mais óbvia cautela e integridade etno-identitária. Traz à memória as palavras do Dalai Lama: «a Alemanha (e por extensão as outras nações europeias) não deve tornar-se num país árabe.» Em contraste, um outro líder espiritual, nomeadamente o papa, declarou que a «invasão árabe» (sic, palavras dele próprio) em curso na Europa é boa e que isso dará origem a «novas sínteses culturais» (sic(k)). Com tantas religiões no mundo, logo havia de calhar à Europa o credo universalista do Judeu Morto, foda-se que é preciso azar... mas o azar corrige-se, a seu tempo, enquanto o povo estiver vivo e a descristianizar-se rapidamente. Ironicamente, o húngaro Orbán diz-se defensor da Cristandade no Ocidente. Se o combate nacionalista vier a falhar, e a Europa vier a ser realmente iminvadida, muito disso ficará a dever-se a esta contradição vital que a Cristandade conseguiu criar na Europa ao dar o Cristianismo como «religião nacional». E agora os nacionalistas europeus que se dizem cristãos são assim apunhalados nas costas pelo seu próprio credo, quando a Igreja constitui uma força declaradamente pró-imigração, ao lado do grosso da restante elite cultural do Ocidente.

3 Comments:

Blogger João José Horta Nobre said...

«E agora os nacionalistas europeus que se dizem cristãos são assim apunhalados nas costas pelo seu próprio credo, quando a Igreja constitui uma força declaradamente pró-imigração, ao lado do grosso da restante elite cultural do Ocidente.»

Caro Caturo, nós estamos a lidar com fanáticos religiosos, é preciso ter-se noção disso. Muitos dos nacionalistas europeus que são cristãos, por vezes são mais cristãos do que nacionalistas e colocam a própria Igreja à frente da sua Nação.

Esta gente é uma cambada de traidores filo-semitas, nunca passaram disso. Sei que o Caturo favorece muito as relações com Israel, mas todo o cuidado é pouco com essa gente. Não é que eu queira ter más relações com os judeus, antes pelo contrário, simplesmente não os quero é a imiscuir na política do meu País, da mesma forma que eles com certeza que também não tolerariam que eu me imiscuísse na política do País deles.

23 de agosto de 2016 às 00:57:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Todos os Povos têm direito a existir na sua própria terra. É só isso. Ninguém quer judeus na Europa, como também não devem existir europeus em Israel. E quanto mais fortes forem, de um lado, a Europa, do outro, Israel, mais fácil será que incluam no seu território a sua própria gente. Um Israel enfraquecido, por exemplo, poderia levar a que diversos judeus fugissem desse país... seria bom para quem, isso? Para os Europeus não, garantidamente. Só para os muçulmanos e para os universalistas em geral.

23 de agosto de 2016 às 21:24:00 WEST  
Blogger Caturo said...

« Muitos dos nacionalistas europeus que são cristãos, por vezes são mais cristãos do que nacionalistas e colocam a própria Igreja à frente da sua Nação.»

Sem dúvida. É deprimente o descaramento com que alguns defendem a Igreja nas tomadas de posição imigracionistas desta última, ou como tentam desviar a conversa, ou meter a cabeça na areia, garantindo que «o outro papa é que era bom!!!», ou «o meu papa é o Bento XVI!», quando também esse «bom papa» era totalmente a favor da iminvasão, como já JC o seria, de resto.

23 de agosto de 2016 às 21:26:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home