domingo, fevereiro 12, 2006

TÍPICO

Um dos politicamente correctos pretensamente anti-racistas que frequentam este blogue acabou agora mesmo de se qualificar como típico estereótipo do imigracionista «bem-pensante» e hipócrita que quer apoiar a «integração das minorias» desde que ele próprio não tenha de sofrer com isso, bem entendido...

Ora leia-se:

Para já, nunca havia de por os meus filhos num colégio onde a maioria não fosse nativa,

Ora cá está o imigracionista hipócrita a falar: a imigração é muito linda, viva a convivência de todos com todos nas escolas!, viva a integração!!, desde que os meus filhos não tenham de conviver com as minorias que nem Português sabem falar, por isso vou é pô-los em bons colégios privados, e o povo branco mais pobre que se lixe, é a vida, e enquanto isso posso continuar a manter as minhas afirmações favoráveis à imigração e à coexistência...

94 Comments:

Anonymous Europeusburrosdocrl said...

lol é mesmo a burrice ao mais alto nivel, esse ao menos admite, já outros pensam o mesmo mas não o dizem, fazem-no.
Esse burro de merda esquece-se que depois o mal chega a todos. Não se pode fugir dos maus a vida toda. O Brasil é o exemplo do futuro da Europa daqui a uns anos ou gerações, e tu se vives no Brasil podes meter os filhos nas escolas de ricos, podes proteger os filhos com seguranças e motoristas (imensa despesa) mas não ha aquela liberdade de andar na rua, ter uma vida normal, vive-se constantemente no medo.
É preciso ser-se muito mas mesmo muito burro. E o problema é que não é so esse gajo, é a maioria dos Europeus. São uns burros manipulados de merda que fodem os 2 ou 5% de europeus que querem evitar a mistura.
Os Europeus têm o que merecem, são uns burros de merda ao mais alto nivel. Olhem mas é para o exemplo do Japão que não quer aceitar imigrantes e deixem-se de merdas de politicamente correctos e querer mostrar que são bonzinhos e o caralho seus gandas filhos duma puta.

12 de fevereiro de 2006 às 20:20:00 WET  
Blogger PlanetaTerra said...

///

Europeusburrosdocrl said:
" ... Os Europeus têm o que merecem, são uns burros de merda ao mais alto nivel... "


-->> 'Baixar os Braços' -> NÃO Obrigado!!!

-->> É URGENTE reivindicar o LEGÍTIMO Direito ao SEPARATISMO!!!.....


NOTA: O Parasita Branco não é PARVO... pretende, ISSO SIM ,... é 'comer-nos' por PARVOS: --- >> para que a Ocupação da Europa por outros Povos não seja considerada como o resultado da actuação de um BANDO DE PARASITAS no Planeta... mas sim... um ‘Processo Absolutamente Natural’... o Parasita Branco adoptou um TRUQUE Engenhoso: --- > o Parasita Branco promove a mundialização/globalização... e é INTOLERANTE (!!!) para com os Povos Nativos que reivindicam o Legítimo Direito à Sobrevivência da sua Identidade!?!?!?!......


///

12 de fevereiro de 2006 às 20:33:00 WET  
Blogger Caturo said...

Japão que não quer aceitar imigrantes e deixem-se de merdas de politicamente correctos e querer mostrar que são bonzinhos

É que os Japoneses não foram poluídos com o veneno espiritual que manda abrir as portas a toda a gente, porque «somos todos iguais e abaixo a discriminação».

12 de fevereiro de 2006 às 20:39:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Ah, finalmente o Caturo elevou os meus comentários a um espaço nobre. Não sei a quem devo agradecer primeiro. Bem, para começar aos meus País que me ensinaram a ser liberal e anti-racista. À minha professora da escola primária que me sentou ao lado de um negro que me disse que não era feito de chocolate, ... :)

"Ora cá está o imigracionista hipócrita a falar: a imigração é muito linda, viva a convivência de todos com todos nas escolas!, viva a integração"

Curioso, só transcreveste a parte em que disse que nunca havia de por os meus filhos num colégio aonde a maioria não fosse nativa. Aonde está a parte em que disse que a imigração é muito linda?

Os nativos são pessoas cuja lingua-mãe e a cultura é a portuguesa. Portanto, podem ser brancos, chineses, brasileiros e pretos. Não tenho qualquer problema (muito pelo contrário) em que os meus filhos estejam numa escola em que haja alunos dessas origens.

Os imigrantes (seja lá a sua côr) não partilharão da nossa cultura ou língua (dependendo claro se são das ex-colónias ou não), e portanto uma situação onde existe uma escola onde a maioria seja imigrante é uma situação anómala: e portanto, reafirmo: nunca haveria de por as minhas crianças neste meio. Escolas deste tipo não deviam existir, porque não facilitam a integração e baixam a qualidade de ensino. Os novos imigrantes devem sim ir as escolas de todos nós, mas devem sempre estar em minória em relação aos nativos de forma a poder integrar-se mais depressa. A proporção de imigrantes vs nativos nas escolas deve ser semelhante a proporção de imigrantes que existe na população portuguesa.

Por outro lado, quem disse que nos colégios privados não existirão minorias ou imigrantes com melhores posses?

"Ora cá está o imigracionista hipócrita"

Hipocrisia, meu caro, é ser-se contra a imigração, mas depois dizer que afinal os imigrantes ucranianos seriam óptimos para Portugal para aclarar a população nacional.

]:->

13 de fevereiro de 2006 às 00:51:00 WET  
Blogger Caturo said...

Curioso, só transcreveste a parte

Pus o endereço da mensagem para quem quiser ir ler o resto.



em que disse que nunca havia de por os meus filhos num colégio aonde a maioria não fosse nativa. Aonde está a parte em que disse que a imigração é muito linda?

Estás farto de defender a imigração. Agora viras a casaca?



Os nativos são pessoas cuja lingua-mãe e a cultura é a portuguesa. Portanto, podem ser brancos, chineses, brasileiros e pretos. Não tenho qualquer problema (muito pelo contrário) em que os meus filhos estejam numa escola em que haja alunos dessas origens.

Os brasileiros por acaso falam um Português que, à luz das regras de cá, é incorrecto.



Os imigrantes (seja lá a sua côr) não partilharão da nossa cultura ou língua (dependendo claro se são das ex-colónias ou não), e portanto uma situação onde existe uma escola onde a maioria seja imigrante é uma situação anómala: e portanto, reafirmo: nunca haveria de por as minhas crianças neste meio.

Argumento sem sentido. É que se continua a entrar um número cada vez maior de imigrantes, os seus filhos têm de ser postos nalgum lado, não é?

Ou sugeres escolas só para imigrantes?




Escolas deste tipo não deviam existir, porque não facilitam a integração e baixam a qualidade de ensino. Os novos imigrantes devem sim ir as escolas de todos nós, mas devem sempre estar em minória em relação aos nativos

E quando os imigrantes são em maioria, o que fazer? Dispersá-los pelo País, juntamente com os seus pais?



A proporção de imigrantes vs nativos nas escolas deve ser semelhante a proporção de imigrantes que existe na população portuguesa.

Há zonas na região de Lisboa em que os portugueses são já uma minoria. E mesmo quanto aos «nativos» negros, a maior parte deles não se integra, e conserva o seu linguajar africano, especialmente o crioulo cabo-verdeano, ao ponto de já haver bloquistas a dizer que devia haver aulas de crioulo nas escolas portuguesas.



Por outro lado, quem disse que nos colégios privados não existirão minorias ou imigrantes com melhores posses?

Só a título excepcional, falando genericamente.



"Ora cá está o imigracionista hipócrita"

Hipocrisia, meu caro, é ser-se contra a imigração, mas depois dizer que afinal os imigrantes ucranianos seriam óptimos

Não, não é hipocrisia, porque, em primeiro lugar, sempre deixei claro que era incondicionalmente contra a imigração vinda de África; e que, sendo a imigração um mal, há que escolher o mal menor; e que, de entre os imigrantes, se deve escolher os que forem mais próximos de nós; e que há um ponto positivo na imigração vinda de leste, que é a de poder contrabalançar os vestígios de sangue negro existentes em Portugal tão glorificados por gente da tua laia.

Por conseguinte, comprova-se mais uma vez que a hipocrisia é toda tua.

13 de fevereiro de 2006 às 10:54:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Estás farto de defender a imigração. Agora viras a casaca?"

O que queres dizer com "defender" a imigração? Não sou contra a imigração,
desde que ela seja bem controlada. Aliás, tu também não és particularmente contra a imigração que afirmas ser um mal necessário. A diferença entre ambos é que a mim não me interessa a raça dos imigrantes, nem vejo certos imigrantes com qualidades superiores à nossa população nativa. Ao contrário de ti.

"Argumento sem sentido. É que se continua a entrar um número cada vez maior de imigrantes, os seus filhos têm de ser postos nalgum lado, não é?Ou sugeres escolas só para imigrantes? E quando os imigrantes são em maioria, o que fazer? Dispersá-los pelo País, juntamente com os seus pais?
"


Parece-me que fui bem claro em dizer que não acredito, em principio, fazer escolas só para imigrantes. Os imigrantes são uma minoria no Pais e portanto a escola deverá ser uma representação do mesmo. Não é preciso que se disperse os imigrantes pelo País. Se uma escola tiver tendencialmente demasiados imigrantes, então há que distribui-los pelas escolas do bairro, ou mais longe se necessário. A qualidade de ensino é importante para as crianças nativas e para os imigrantes, que serão os futuros membros da nossa sociedade.

"...e que há um ponto positivo na imigração vinda de leste, que é a de poder contrabalançar os vestígios de sangue ... Por conseguinte, comprova-se mais uma vez que a hipocrisia é toda tua."

Ou seja, eu sou hipócrita porque tu achaste uma justificação para a tua sugestão nojenta que a imigração de leste serve para aclarar a nossa população?

13 de fevereiro de 2006 às 11:44:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"e que, sendo a imigração um mal, há que escolher o mal menor...e que há um ponto positivo na imigração vinda de leste, que é a de poder contrabalançar os vestígios de sangue negro existentes em Portugal"

Vamos lá ver, Caturo.

Primeiro és da opinião que é necessário escolher um mal menor, ou seja, estás a dizer que a imigração é necessária.

Segundo, estás a dizer que a imigração de certos povos é benéfica para o País.

Logo, é uma grande hipocrisia da tua parte criticar os outros por alegadamente defenderem a imigração.

13 de fevereiro de 2006 às 12:37:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

E já que o palhaço do Caturo acha por bem trazer imigrantes ucranianos cpara aclarar a população nacional, pergunta-se uma vez por todas se gostaria que os filhos deste estivessem numa escola onde a maioria fosse ucraniana.

13 de fevereiro de 2006 às 12:41:00 WET  
Blogger Caturo said...

O que queres dizer com "defender" a imigração? Não sou contra a imigração,
desde que ela seja bem controlada.


Manifestas-te sempre contra quem afirme que a imigração deve terminar de imediato. Isso é defender a imigração, controlada ou nãõ.



Aliás, tu também não és particularmente contra a imigração que afirmas ser um mal necessário.

Não. Eu não disse que era necessário...
Antes de mais nada, era essencial apurar-se qual era a real necessidade que o País tinha de mão-de-obra. Ora, num momento em que já há milhares de imigrantes desempregados, não creio que a imigração continue a ser necessária.

Mais importante: se for mesmo necessário importar trabalhadores, então esses trabalhadores devem vir exclusivamente do leste europeu. Atenção ao «se», bem reforçado.



nem vejo certos imigrantes com qualidades superiores à nossa população nativa. Ao contrário de ti.

Mentes mais uma vez. Nunca disse que os imigrantes tinham qualidades superiores à população nativa. Mas tu, como anti-racista típico, queres dar a entender que em nome da raça desprezo o povo português.

Enfim, a gente como tu não consegue deixar de ser desonesta.



"Argumento sem sentido. É que se continua a entrar um número cada vez maior de imigrantes, os seus filhos têm de ser postos nalgum lado, não é?Ou sugeres escolas só para imigrantes? E quando os imigrantes são em maioria, o que fazer? Dispersá-los pelo País, juntamente com os seus pais?
"

Parece-me que fui bem claro em dizer que não acredito, em principio, fazer escolas só para imigrantes. Os imigrantes são uma minoria no Pais e portanto a escola deverá ser uma representação do mesmo. Não é preciso que se disperse os imigrantes pelo País. Se uma escola tiver tendencialmente demasiados imigrantes, então há que distribui-los pelas escolas do bairro, ou mais longe se necessário.

Não é resposta. Quando em toda a área - vilas, muitas vilas, todas juntas - há mais imigrantes do que nacionais, qual é a tua resposta?

Persiste a pergunta.



"...e que há um ponto positivo na imigração vinda de leste, que é a de poder contrabalançar os vestígios de sangue ... Por conseguinte, comprova-se mais uma vez que a hipocrisia é toda tua."

Ou seja, eu sou hipócrita porque tu achaste

Não, tu és hipócrita porque queres imigrantes desde que os teus filhos não sofram com isso. Dessa, não te escapaste, portanto escusas de estar a querer fugir ao tema com essa asquerosa arenga.


uma justificação para a tua sugestão nojenta que a imigração de leste serve para aclarar a nossa população?

Realmente nojenta, revoltantemente rasca, é a «sensibilidade» de quem mostra desagrado pela consciência racial.

13 de fevereiro de 2006 às 12:44:00 WET  
Blogger Caturo said...

E já que o palhaço do Caturo acha por bem trazer imigrantes ucranianos cpara aclarar a população nacional, pergunta-se uma vez por todas se gostaria que os filhos deste estivessem numa escola onde a maioria fosse ucraniana.

O merdoso anónimo tenta apanhar-me em contradição, mas lixa-se: de facto, não me importava que os meus filhos estivessem numa escola com maioria ucraniana, embora preferisse evidentemente que a maioria em todas as escolas portuguesas fosse de portugueses e que os imigrantes fossem sempre poucos, mesmo os de leste.

13 de fevereiro de 2006 às 12:47:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Por outro lado, quantos imigrantes com sangue eslavo serão necessários para aclarar a população nacional? 10? 100? 1000? 1000000?

13 de fevereiro de 2006 às 12:47:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Manifestas-te sempre contra quem afirme que a imigração deve terminar de imediato. Isso é defender a imigração, controlada ou nãõ."

Estás a mentir, e desafio-te a procurar algo que tenha dito neste sentido.

O que eu escrevi é que a imigração deve ser controlada, e que se deva dar prioridade aos imigrantes altamente qualificados. E portanto, se os europeus de leste são mais qualificados que os negros, então estes devem ter prioridade. Mas se um negro tiver melhores qualificações para uma determinada área que um europeu de leste, então este deverá ter a mesma oportunidade. E SE o País não precisa de imigrantes, então fecha-se a imigração.

O problema é o teu, ao pensares que um anti-racista é a favor de imigração não-controlada.

O que eu não concordo, é a vossa política de querer deportar quem não é branco do País, mesmo quem tenha a cidadania Portuguesa, que tenha sangue portugues ou cuja familia se tenha permanecido em Portugal durante várias décadas.

"Não. Eu não disse que era necessário..."

Disseste. As tuas palavras foram: "e que, sendo a imigração um mal, há que escolher o mal menor". Se há que escolher, meu caro, então estás a dizer que é necessário.

"Mentes mais uma vez. Nunca disse que os imigrantes tinham qualidades superiores à população nativa."

Disseste ao dizer que os europeus de leste tinham características desejaveis que elementos da nossa população não têm e que queres apagar.

"Não é resposta. Quando em toda a área - vilas, muitas vilas, todas juntas - há mais imigrantes do que nacionais, qual é a tua resposta?"

Existe em Portugal o caso de vilas, muitas vilas, muitas muita vilas em que haja mais imigrantes do que nacionais? É preciso lembrar que no caso das escolas, o problema não são os imigrantes já integrados, mas sim aqueles acabados de chegar. E portanto é uma fracção pequena.

Por outro lado, isto para ti não é problema se os imigrantes forem europeus de leste, como dizes aqui:

"não me importava que os meus filhos estivessem numa escola com maioria ucraniana"

"embora preferisse evidentemente que a maioria em todas as escolas portuguesas fosse de portugueses e que os imigrantes fossem sempre poucos, mesmo os de leste."

Ah. Portanto, admites que o problema da escola não é uma questão racial mas sim um problema de língua e cultura. Não era isso que estavamos a debater a propósito do colégio holandes, em que os pais preferem por os filhos num colégio de holandeses e não cheio de imigrantes? :)

Noutras palavras, na Holanda, mesmo que os imigrantes fossem de leste (ou seja, brancos), os Pais haviam de querer mete-los em escolas de holandeses. Como sempre disse, não é uma questão de racismo.

Xeque-mate.

13 de fevereiro de 2006 às 13:28:00 WET  
Blogger Caturo said...

O que eu escrevi é que a imigração deve ser controlada, e que se deva dar prioridade aos imigrantes altamente qualificados.

Responde frontalmente: deve-se deixar entrar mais imigrantes ou não?



E SE o País não precisa de imigrantes, então fecha-se a imigração.

Esclarecido.



"Não. Eu não disse que era necessário..."

Disseste. As tuas palavras foram: "e que, sendo a imigração um mal, há que escolher o mal menor".

Aprende a interpretar o que lês. Eu não disse, nessa frase, que a imigração era necessária. O que eu disse é que, na medida em que seja necessário aceitar imigrantes, há que escolher o mal menor.

Mas não disse, ao contrário do que desejarias, que esse mal era mesmo necessário. Ou seja, não abordei a questão de ser ou não necessária.



Se há que escolher, meu caro,

Se for preciso escolher, ou seja, se for mesmo preciso aceitar mais imigrantes.



"Mentes mais uma vez. Nunca disse que os imigrantes tinham qualidades superiores à população nativa."

Disseste ao dizer que os europeus de leste tinham características desejaveis que elementos da nossa população não têm

Quanto mais falas, mais te enterras, porque também não disse que os elementos da nossa população «não têm». O que eu disse é que os imigrantes de leste ajudavam a contrabalançar a presença do sangue negro. Não falei sequer em superioridades, ao contrário do que os anti-racistas primários como tu desejariam que tivesse ocorrido. É que essa compensação racial ajudaria a tirar força às atoardas da vossa laia segundo as quais «já temos muito sangue negro, mais vale desistir do ideal racial».

Claro que isto te incomoda e queres por isso, desonestamente, levar a questão para a superioridade racial e para o desprezo para com os Portugueses. Conheço essa conversa de gingeira, mas aqui não pega.



"Não é resposta. Quando em toda a área - vilas, muitas vilas, todas juntas - há mais imigrantes do que nacionais, qual é a tua resposta?"

Existe em Portugal o caso de vilas, muitas vilas, muitas muita vilas em que haja mais imigrantes do que nacionais?

Existe. Em Paço de Arcos, por exemplo, a população com menos de vinte e cinco anos é já maioritariamente negra. E Paço de Arcos não é dos piores casos... faço ideia do que se passará em toda a linha de Sintra (exceptuando, por enquanto, a própria Sintra) - quem entra no combóio dessa linha nos Restauradores, é como se entrasse em África e só volta à Europa quando chega a Sintra.



É preciso lembrar que no caso das escolas, o problema não são os imigrantes já integrados,

Falso. Os que nasceram cá colocam os mesmos problemas que aqueles acabados de chegar. Nunca se integram. Já o tinha dito, mas, estúpida ou desonestamente, optaste por o ignorar.



Por outro lado, isto para ti não é problema se os imigrantes forem europeus de leste, como dizes aqui:

"não me importava que os meus filhos estivessem numa escola com maioria ucraniana"

"embora preferisse evidentemente que a maioria em todas as escolas portuguesas fosse de portugueses e que os imigrantes fossem sempre poucos, mesmo os de leste."

Ah. Portanto, admites que o problema da escola não é uma questão racial mas sim um problema de língua e cultura

Errado, mais uma vez. A questão racial interessa, motivo pelo qual alguns imigrantes de leste são bem vindos, mas não é tudo, motivo pelo qual os imigrantes de leste devem ser poucos - é que, entre a questão racial e a questão da qualidade da educação, há ainda outro elemento crucial: a etnia. E os ucranianos, por mais europeus que sejam, não são no entanto da mesma etnia que nós (latina, ou celto-latina, enfim), mas sim do ramo eslavo, embora pertençam, evidentemente, à grande família étnica indo-europeia.

Aliás, eu também já tinha dito isto, na caixa de comentários do tópico da sopa de porco, mas, mais uma vez, optaste por ignorar.



Não era isso que estavamos a debater a propósito do colégio holandes, em que os pais preferem por os filhos num colégio de holandeses e não cheio de imigrantes? :)

Não... porque os imigrantes que entram por uma das portas são todos escuros, e não apenas «os que falam mal Holandês».
Ou seja, a própria realidade encarrega-se de levar à separação racial «por outros motivos». Contra isto, nada conseguiste ainda argumentar.


Noutras palavras, na Holanda, mesmo que os imigrantes fossem de leste (ou seja, brancos), os Pais haviam de querer mete-los em escolas de holandeses

Alto... especulação tua. Os imigrantes aqui discriminados são todos escuros, não são de leste. Portanto, nada te permite dizer que «é só uma questão de nível educacional». Assim, a minha argumentação continua a ser mais verosímil: o convívio entre brancos e escuros era difícil e vai daí os pais optaram por proteger a sua prole da violência e do mau comportamento dos imigrantes escuros.


Xeque-mate

Falso alarme..;)

Eu é que já provei que fiz xeque-mate, várias vezes, mas tu tens mau perder...;););)

13 de fevereiro de 2006 às 13:59:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Responde frontalmente: deve-se deixar entrar mais imigrantes ou não?"

Já te expliquei a minha posição.
Cabe ao Estado de decidir se o País precisa ou não de imigrantes, especialmente se houver sectores carenciados, ou se a população estiver envelhecida. SE não for necessário mais imigrantes, a resposta é obviamente NÃO.

"O que eu disse é que, na medida em que seja necessário aceitar imigrantes, há que escolher o mal menor."

Continuas a utilizar a palavra "necessário". Ou seja, admites que haverá casos em que é necessário, portanto não és contra a imigração em qualquer caso. E aqui origina a tua hipocrisia por criticares quem não seja abertamente contra a imigração pela mesma razão.

"Portanto, nada te permite dizer que «é só uma questão de nível educacional». "

Eu não preciso de dizer. Tu próprio admitiste que entre um colégio com imigrantes ucranianos e um onde a maioria é portuguesa, escolherias a última. Não é uma questão de racismo, obviamente, mas sim de qualidade de ensino e de integração.

Tal como não é racismo o facto dos colégios privados em Portugal, como tu confirmas, não haja muitos imigrantes. PORQUE? É também racismo?

"Não... porque os imigrantes que entram por uma das portas são todos escuros, e não apenas «os que falam mal Holandês"

Como é que sabes que todos os alunos de um colégio são escuros? E todos os alunos do outro colégio são brancos?

"Eu é que já provei que fiz xeque-mate, várias vezes, mas tu tens mau perder...;););) "

Tu não sabes jogar xadrez. :)

13 de fevereiro de 2006 às 15:19:00 WET  
Blogger Caturo said...

ou se a população estiver envelhecida

Se a população estiver envelhecida, a imigração não é solução decente - não passa duma substituição étnica ou mesmo racial.



"O que eu disse é que, na medida em que seja necessário aceitar imigrantes, há que escolher o mal menor."

Continuas a utilizar a palavra "necessário"

Não é «continuas». Agora é que usei o termo «necessário». Antes, não. Mas o contexto em que o uso não te dá razão. A chave da frase está na parte «Na medida em que seja».
Como diz o camarada do norte, a tua incompreensão do Português tem as costas largas...



Ou seja, admites que haverá casos em que é necessário,

Não... admito que possa ser necessário, não parto do princípio de que é mesmo necessário. Há uma diferença essencial entre uma coisa e outra. E escusas de alegar dificuldades em Português, porque isto é sobretudo uma questão de lógica.



portanto não és contra a imigração em qualquer caso

Sou sim, se não for necessária.



E aqui origina a tua hipocrisia por criticares quem não seja abertamente contra a imigração

Estás baralhado. Eu critico quem é apologista da imigração; e acuso de hipocrisia quem enaltece a imigração e a «coexistência e integração dos imigrantes» e depois opta por pôr os filhinhos em colégios nos quais tal integração não exista.



"Portanto, nada te permite dizer que «é só uma questão de nível educacional». "

Eu não preciso de dizer. Tu próprio admitiste que entre um colégio com imigrantes ucranianos e um onde a maioria é portuguesa, escolherias a última. Não é uma questão de racismo, obviamente, mas sim de qualidade de ensino e de integração.

Não, também não é (até porque, de um modo preocupantemente geral, os melhores alunos das escolas portuguesas, são de leste...). É, isso sim, uma questão de etnicidade.



Tal como não é racismo o facto dos colégios privados em Portugal, como tu confirmas, não haja muitos imigrantes. PORQUE? É também racismo?

Seria, se nesses colégios só entrassem brancos, e nos colégios mesmo ao lado entrassem os escuros...;)



"Não... porque os imigrantes que entram por uma das portas são todos escuros, e não apenas «os que falam mal Holandês"

Como é que sabes que todos os alunos de um colégio são escuros?

Aahhahahah, o teu desespero agora leva-te a apelar para pôr em causa a precisão da notícia.
Bem - a notícia diz que por um lado entram os brancos, por outro entram os escuros.
Logo, é a partir daqui que tens de raciocinar. Não se falam em excepções, mas no facto claramente observado da diferença racial entre os alunos das duas escolas.



"Eu é que já provei que fiz xeque-mate, várias vezes, mas tu tens mau perder...;););) "

Tu não sabes jogar xadrez. :)

Sei pelo menos os movimentos das peças... e, no xadrez das palavras, aplico-te o xeque-mate com um mínimo de jogadas, sobretudo porque tu, quando começas o jogo, já vais sem cavalos, sem torres, sem bispos (a não ser talvez o teu padreco confessor), sem rainha... aliás, não passas de um pobre peão. ;););)

13 de fevereiro de 2006 às 16:07:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Agora é que usei o termo «necessário»". Antes, não. Mas o contexto em que o uso não te dá razão. A chave da frase está na parte «Na medida em que seja»""

"admito que possa ser necessário"

Ok, já que nem consegues dar a volta ao que tu disseste, deixa-me repetir o que disse anteriormente utilizando as tuas palavras:
És um hipócrita por que mais uma vez admites que a imigração possa a ser necessária em determinadas situações e andas a criticar quem não é contra a imigração.

"e acuso de hipocrisia quem enaltece a imigração "

Ainda estou a espera, palhaço, que me digas aonde é que eu disse que a imigração é muito linda. Caso contrário, fica provado que és um mentiroso.

"Bem - a notícia diz que por um lado entram os brancos, por outro entram os escuros."

Sim, e isto mostra que foi uma observação por parte do jornalista que viu miudos brancos a entrar de um lado, e escuros do outro. Não quer dizer que no colégio dos brancos não haja pelo menos um aluno escuro, e vice-versa. A notícia não refere que foi feito um estudo sobre a etnia de cada colégio, e portanto não fala em excepções.

"Sei pelo menos os movimentos das peças..."

Ou seja, não sabes jogar.

"e, no xadrez das palavras, aplico-te o xeque-mate com um mínimo de jogadas, sobretudo porque tu, quando começas o jogo, já vais sem cavalos, sem torres, sem bispos, sem rainha... "

E aqui está a confirmação que és um nabo no xadrez.
É um erro de amador, comer as peças todas antes de fazer o xeque-mate. Isso implica que não fizeste um xeque-mate com um número mínimo de jogadas: que são apenas duas, e sem comer qualquer peça do adversário.

"aliás, não passas de um pobre peão. ;););)"

Óptimo. É uma das peças mais importantes no xadrez, que permite delinear a estratégia e dar o xeque-mate ao adversário.

A moral da história é não utilizares analógias de coisas que não percebes, com o risco de seres ridicularizado.

]:->

13 de fevereiro de 2006 às 17:29:00 WET  
Blogger Caturo said...

"Agora é que usei o termo «necessário»". Antes, não. Mas o contexto em que o uso não te dá razão. A chave da frase está na parte «Na medida em que seja»""

"admito que possa ser necessário"

Ok, já que nem consegues dar a volta ao que tu disseste,

Não, tu é que não conseguiste, por mais que te esforçasses, dar a volta ao que disse. Bem tentaste provar que eu me tinha contradito, mas, além de teres falhado por completo, ainda demonstraste mais uma vez a tua mediocridade argumentativa.



deixa-me repetir o que disse anteriormente utilizando

Eu já sei o que tu disseste anteriormente, escusas de repetir o que já esmaguei.



És um hipócrita por que mais uma vez admites que a imigração possa a ser necessária em determinadas situações e andas a criticar quem não é contra a imigração.

Ando a criticar quem apoia a imigração incodicionalmente, e também quem se borrifa para as consequências raciais e étnicas dessa desgraça.

De resto, levas a mesma resposta, para a qual não tiveste réplica e agora estás a querer desviar as atenções:
Não, tu és hipócrita porque queres imigrantes desde que os teus filhos não sofram com isso. Dessa, não te escapaste, portanto escusas de estar a querer fugir ao tema com essa asquerosa arenga.



"e acuso de hipocrisia quem enaltece a imigração "

Ainda estou a espera, palhaço,

Ahahahah, rapazito, estás nervoso, começas os insultos... ó atrasadinho, sossega, que eu desta vez nem me referia a ti em concreto. Mas se enfiaste a carapuça por algum motivo foi... talvez porque não estejas seguro quanto à tua própria posição...;)



Caso contrário, fica provado que és um mentiroso.

Ainda por cima copia o modo como eu o costumo encostar à parede, este jovem está de todo...;)



"Bem - a notícia diz que por um lado entram os brancos, por outro entram os escuros."

Sim, e isto mostra que foi uma observação por parte do jornalista que viu miudos brancos a entrar de um lado, e escuros do outro. Não quer dizer que no colégio dos brancos não haja pelo menos um aluno escuro,

E também não quer dizer que haja. Portanto, o que temos é um colégio onde entram miúdos brancos e outro, mesmo ao lado, onde entram miúdos escuros. A parte da possibilidade de haver um escuro no colégio dos brancos, é especulação tua. Em termos de sudoku,;), estás a assumir que podes pôr um algarismo numa das casas, o que fatalmente te dá cabo do jogo todo se o algarismo aí não «couber».



A notícia não refere que foi feito um estudo sobre a etnia de cada colégio, e portanto não fala em excepções.

Portanto, se não fala em excepções, não podes partir do princípio de que existem ou sequer de que são relevantes.




"Sei pelo menos os movimentos das peças..."

Ou seja, não sabes jogar.

Saber jogar ou não é relativo. Comparado com um mestre mundial, poder-se-á dizer que «não sei jogar»; mas, sendo verdade que aqui há uns vinte e poucos anos jogava assiduamente xadrez, sei o suficiente para afirmar que, em termos teóricos, quem conhece os movimentos das peças sabe jogar xadrez.



"e, no xadrez das palavras, aplico-te o xeque-mate com um mínimo de jogadas, sobretudo porque tu, quando começas o jogo, já vais sem cavalos, sem torres, sem bispos, sem rainha... "

E aqui está a confirmação que és um nabo no xadrez.

E tu continuas a ser um indigente na argumentação - eu, ao contrário do que sugeres, não disse que te comia as peças todas. Disse, isso sim, que tu já começas sem as peças mais importantes, não passando tu próprio de um reles peão ao pé dum rei fraco.

É que tu nem jogas, tu és jogado;)



um erro de amador, comer as peças todas antes de fazer

Pronto, compreendo - para te limpares do teu vexame, agora pões-te a dar lições de xadrez para demonstrares que não és burro de todo. Mas sossega, moço, pouca gente está a ler isto e tu nem sequer assinas com o teu nome...;)



"aliás, não passas de um pobre peão. ;););)"

Óptimo. É uma das peças mais importantes no xadrez, que permite delinear a estratégia

Quem só tenha peões, dificilmente consegue bater um adversário que ainda tem ambos os cavalos, as torres, os bispos e a rainha. Portanto, deixa-te lá de delineares estratégias, que a queda do teu rei já ocorreu..;)


A moral da história é não utilizares analógias de coisas que não percebes, com o risco de seres ridicularizado.

Ridicularizado foste tu, rapaz, porque tu é que vieste com a analogia do xeque-mate, eu rebati-te com graça e firmeza (ou seja, abatite-te no «teu próprio jogo»;)), como na esgrima, e tu agora, como mau perdedor que sempre foste, estás a querer dar a volta ao texto, como forma de te vingares da humilhação sofrida.

Mas enfim, já devias estar habituado.

;);):):);););)

13 de fevereiro de 2006 às 18:20:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"ó atrasadinho, sossega, que eu desta vez nem me referia a ti em concreto."

Típica resposta de um nazioracista em recuo. A tua argumentação impotente que eu era hipócrita baseava-se em ter dito que a imigração, pondo os teus termos, "é muito linda". Ora, não conseguiste encontrar nada... mesmo nada... que eu tivesse dito sobre este assunto.

E além de imbecil, és desonesto. Depois de teres dito:"Um dos politicamente correctos pretensamente anti-racistas que frequentam este blogue...Para já, nunca havia de por os meus filhos num colégio onde a maioria não fosse nativa,
...Ora cá está o imigracionista hipócrita a falar: a imigração é muito linda, viva a convivência de todos com todos nas escolas!, viva a integração"
tens o descaramento de dizer que não me referias a mim em concreto.

E assim, ao pedir que demonstrasses a minha hipocrisia transcrevendo aquilo que disse, o peão chegou ao fim do tabuleiro, e transformou-se numa rainha, e disse "XEQUE-MATE"... pois o Rei mais uma vez se viu impotente em provar o que disse. :)

]:->

13 de fevereiro de 2006 às 19:28:00 WET  
Blogger Caturo said...

Típica resposta de um nazioracista em recuo

Mas qual recuo, tapadinho. Eu simplesmente falei contra os imigracionistas em geral, como costumo fazer; se te sentiste picado, por algum motivo foi...;) Aliás, não vejo porque é que hei-de levar a sério as tuas fífias e tibiezas argumentativas a respeito da tua posição sobre a imigração, se tu próprio persistes demasiadas vezes em dizer que as minhas posições são racistas, quando o não são de facto. E, desta vez, a tua posição é, na prática, imigracionista, porque defendes activamente a integração das minorias e o daltonismo na escolha dos imigrantes.



A tua argumentação impotente

Viu-se de quem é a argumentação impotente:
- ficou demonstrado que a política praticada no referido caso é «racista» na prática, mesmo que o não seja na teoria (caía o Carmo e a Trindade) - contra isso, só pudeste especular, arengando «E se não for assim? E se lá houver um aluno preto só para marcar a excepção?»;
- ficou demonstrado que eras hipócrita, porque apoias a «integração das minorias», desde que o teu filho não tenha de sofrer com isso, que se lixe a maioria dos alunos brancos que não podem pagar colégios privados e têm por isso de aguentar com as «minorias»;
- e tu, o que conseguiste demonstrar em toda a tua conversa?
- quiseste ridicularizar a escolha dos imigrantes em prol dos ucranianos, saíste ridicularizado (e, de facto, já nem falas no assunto, tal foi a tunda argumentativa que gramaste;)), falhaste; quiseste dar a volta ao texto para provar que eu me contradizia, estatelaste-te ao comprido e perdeste as estribeiras, começando a insultar;); quiseste defender-te, afirmando que não eras assim tão hipócrita, só aos domingos e segundas de manhã, e que «era uma questão de educação», e ainda não disseste absolutamente nada em tua defesa (porque tudo o que disseste, bem espremido, não tem nada dentro); ainda por cima puseste-te a armar em «finésse» com as alusões ao xadrez, e foste batido no teu próprio jogo;):):):).

Portanto, o que é que ainda tens mais para dizer em tua defesa?



que eu era hipócrita baseava-se em ter dito que a imigração, pondo os teus termos, "é muito linda".

E claro, baseias-te em termos figurados para atacar o que eu disse - é tal coisa, quando o sábio aponta para a Lua, o néscio olha para o dedo do sábio, enquanto o obscurantista, que não quer ver a Lua, afirma que o sábio não está a apontar com o dedo correcto;)



E além de imbecil, és desonesto. Depois de teres dito:"Um dos politicamente correctos pretensamente anti-racistas que frequentam este blogue...Para já, nunca havia de por os meus filhos num colégio onde a maioria não fosse nativa,
...Ora cá está o imigracionista hipócrita a falar: a imigração é muito linda, viva a convivência de todos com todos nas escolas!, viva a integração" tens o descaramento de dizer que não me referias a mim em concreto.


Mais uma vez comprovas estrondosamente que és tu o imbecil e desonesto: quando escrevi isso, referia-me a ti sim; quando mais tarde, a meio da discussão, me referi aos apoiantes da imigração, não me estava a referir a ti. Mas, pelos vistos, a carapuça serviu-te e aliás, olhando outra vez para o caso, ela serve-te mesmo que não queiras, porque tu próprio és a favor da imigração, ao afirmares, textualmente, passo a citar-te,
Não sou contra a imigração,
desde que ela seja bem controlada


Ora, quem não é contra «desde que seja bem controlada», é a favor.

Ou seja, pela boca morre o peixe - até te podias ter calado com isso, mas insististe, e, inevitavelmente, enterraste-te ainda mais.


E assim, ao pedir que demonstrasses a minha hipocrisia transcrevendo aquilo que disse, o peão chegou ao fim do tabuleiro, e transformou-se numa rainha,

O peão bem queria ser uma rainha, mas quem nasceu para puta, não chega a freira, quanto mais a majestade... e assim, por mais que se quisesse pôr em bicos de pés, o peão foi esmagado pela torre logo ao princípio do jogo, e os seus colegas foram a seguir, motivo pelo qual não conseguiu impedir que o seu rei fosse xeque-morto, porque coitado, não tinha defesa possível, depois de tantas tibiezas e diz-que-disse-mas-afinal-não-queria-dizer, primeiro a afirmar que achava bem a integração dos filhos dos imigrantes desde que o seu filho não tivesse de conviver com eles, e depois a calar-se muito caladinho quando lhe espetaram nas ventas que há muitos locais em que os pais não têm escolha a não ser sujeitar os filhos ao contacto com os tais filhos de imigrantes;););)

14 de fevereiro de 2006 às 11:28:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Olha o nazioracista a dar a volta:

"ó atrasadinho, sossega, que eu desta vez nem me referia a ti em concreto."

"quando escrevi isso, referia-me a ti sim;"

""Não. Eu não disse que era necessário..."

"Agora é que usei o termo «necessário»."

"admito que possa ser necessário"


"porque tu próprio és a favor da imigração, ao afirmares, textualmente, passo a citar-te,

"Não sou contra a imigração,
desde que ela seja bem controlada".

Ora, quem não é contra «desde que seja bem controlada», é a favor.
"


Controlada é precisamente abrir as portas quando o País precisa, e fecha-las quando não precisa. Aquilo que tu defendeste. Logo segundo o teu argumento tu também és a favor da imigração. ]És tão imbecil que acabaste de provar por ti própria a tua hipocrisia.

Xeque-mate (este ainda em menos jogadas). :)

14 de fevereiro de 2006 às 15:00:00 WET  
Blogger Caturo said...

Olha o desesperado atrasadinho, babado de ódio por ter sido esmigalhado, a querer safar-se do desastre - entre aspas, está aquilo que ele tentou retirar do contexto e a grosso está tudo aquilo que ele omitiu, para conseguir fazer crer que eu me contradizia:

"ó atrasadinho, sossega, que eu desta vez nem me referia a ti em concreto. Mas se enfiaste a carapuça por algum motivo foi... talvez porque não estejas seguro quanto à tua própria posição...;)

"Quando escrevi isso, referia-me a ti sim"; quando mais tarde, a meio da discussão, me referi aos apoiantes da imigração, não me estava a referir a ti. Mas, pelos vistos, a carapuça serviu-te e aliás, olhando outra vez para o caso, ela serve-te mesmo que não queiras, porque tu próprio és a favor da imigração, ao afirmares, textualmente, passo a citar-te,
Não sou contra a imigração,
desde que ela seja bem controlada

Ora, quem não é contra «desde que seja bem controlada», é a favor.

Ou seja, pela boca morre o peixe - até te podias ter calado com isso, mas insististe, e, inevitavelmente, enterraste-te ainda mais.



"Não. Eu não disse que era necessário..." Antes de mais nada, era essencial apurar-se qual era a real necessidade que o País tinha de mão-de-obra. Ora, num momento em que já há milhares de imigrantes desempregados, não creio que a imigração continue a ser necessária.

Mais importante: se for mesmo necessário importar trabalhadores, então esses trabalhadores devem vir exclusivamente do leste europeu. Atenção ao «se», bem reforçado.



"Agora é que usei o termo «necessário»."Antes, não. Mas o contexto em que o uso não te dá razão. A chave da frase está na parte «Na medida em que seja».
Como diz o camarada do norte, a tua incompreensão do Português tem as costas largas...



"Admito que possa ser necessário" não parto do princípio de que é mesmo necessário. Há uma diferença essencial entre uma coisa e outra. E escusas de alegar dificuldades em Português, porque isto é sobretudo uma questão de lógica.


Assim se vê a tua miséria, não apenas em termos intelectuais e argumentativos, mas sobretudo em matéria de honestidade... e, agora, também de nervos...;)


Controlada é precisamente abrir as portas quando o País precisa,

Não é isso que está em causa - é em dizeres que não és contra a imigração. Ora eu sou contra a imigração, tal como a maioria do Povo, aliás; acho por isso que a imigração, se tiver de acontecer, é um mal necessário, mas só é necessário se tiver mesmo de ter lugar.

Portanto, não te queiras colar às minhas posições anti-imigracionistas como quem vai a reboque, fica-te mal tanta tibieza, depois de já teres sido apanhado em flagrante delito de hipocrisia e pró-imigracionismo envergonhado (e é estranho que estejas agora envergonhado, tu que nunca tiveste vergonha na cara;)).



Xeque-mate (este ainda em menos jogadas)

Sim, ainda em menos jogadas porque desta vez, com medo de seres ainda mais enxovalhado, mataste o teu próprio rei.;)

14 de fevereiro de 2006 às 15:39:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Ora eu sou contra a imigração, tal como a maioria do Povo, aliás; acho por isso que a imigração, se tiver de acontecer, é um mal necessário, mas só é necessário se tiver mesmo de ter lugar."

Noutras palavras, és a favor da imigração se ela for realmente necessária. :)

Xeque-mate numa jogada (5 segundos)

14 de fevereiro de 2006 às 16:32:00 WET  
Blogger Caturo said...

Noutras palavras, és a favor da imigração se ela for realmente necessária. :)

Não - ninguém é a favor de algo que parece um mal à partida. Pode quando muito aceitá-lo, em certos casos. Mas não é «a favor».

De resto, não era isso que estavas a dizer que eu dizia, mas sim que me contradizia, o que já se comprovou que era falso.
Ou seja, estavas a querer fazer batota, como é teu hábito..;)


Xeque-mate numa jogada

Só se for noutro jogo qualquer que entretanto tenhas começado a jogar com outro gajo qualquer, para te vingares do vexame de perder todos os peões e o rei;)

14 de fevereiro de 2006 às 16:50:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Noutras palavras, és a favor da imigração se ela for realmente necessária. :)

Não - ninguém é a favor de algo que parece um mal à partida"


Tu não só aceitas a imigração como solução quando ela é necessária, mas também até arranjas pontos positivos na vinda de certos imigrantes, como os ucranianos, para acalarar a nossa população.

Ora alguem que seja verdadeiramente contra a imigração, diz NÃO a qualquer estrangeiro e em qualquer situação, mesmo que esta seja necessária.

14 de fevereiro de 2006 às 17:15:00 WET  
Blogger Caturo said...

Tu não só aceitas a imigração como solução quando ela é necessária,

Triste solução...


mas também até arranjas pontos positivos na vinda de certos imigrantes, como os ucranianos, para acalarar a nossa população.

Já foi dito demasiadas vezes que quero aclarar a população, alto aí que eu não disse exactamente isso. Cuidado com os termos e suas conotações.


Ora alguem que seja verdadeiramente contra a imigração, diz NÃO a qualquer estrangeiro e em qualquer situação, mesmo que esta seja necessária.

Não é verdade. Não gosto de comer açorda, mas posso ter de a engolir se precisar de sobreviver.

E relembro: os estrangeiros não são todos iguais. Uns são mais estrangeiros do que outros e isso tem de ser sempre tido em conta por qualquer nacionalista.

14 de fevereiro de 2006 às 18:10:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Já foi dito demasiadas vezes que quero aclarar a população, alto aí que eu não disse exactamente isso. Cuidado com os termos e suas conotações."

Já tens vergonha do que dizes? Já são demasiados recuos. Os termos que utilizaste estão todos cá:

"para contrabalançar os resíduos de sangue negro que existam na população portuguesa, fazendo com que as gotas negróides se dissolvam mais depressa e a população nacional fique mais clara. "

"Não é verdade. Não gosto de comer açorda, mas posso ter de a engolir se precisar de sobreviver."

Quem detesta a açorda, realmente só a come por uma questão de sobrevivência. E se me dás este exemplo, estás a dizer-me então que a imigração para ti é aceite só por uma questão de sobrevivência.

Imbecil que és, acabaste de elevar o estatuto de imigração: como uma solução para a sobrevivencia de uma Nação, ainda como último recurso.

]:->

14 de fevereiro de 2006 às 19:22:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Ao anónimo Terça-feira, Fevereiro 14, 2006 7:22:38 PM

Olha bacrozinho estive a ler esta discussão e cheguei à conclusão que és um completo imbecil!

A imigração é um grande erro que traidores como tu apoiam. Assim como assim e já que existe pelo menos que se distinga entre primatas, e pessoas que vêm do leste europeu que têm cultura e educação. Eu cá não tenho dúvidas!

Os negrinhos podem fazer certos trabalhos que tu e outros poltros como tu não querem fazer. Alem disso como muitos trabalham como escravos até sai barato! Para que tu, hipocrita de merda, possas viver bem! Se as tuas boas intensões fossem ajudar os africanos a viverem com dignidade já terias ido ajuda-los para africa!

Mas como não tens cultura nem identidade odeias a dos outros pois querem preservar as suas! Não passas de um desgraçadito sem identidade, um merdas que vende o pais em que vive (pois tu meu porquinho, português é que tu não és) por egoismo e inveja!

Não passas de um oportunista e um filho de uma grande cadela!
Desculpem-me as cadelas, pois são uns pobres animais irracionais. Piores do que os animais simplesmente irracionais, só mesmo aqueles que sabem escrever, como tu!

14 de fevereiro de 2006 às 20:02:00 WET  
Anonymous Nazioracista Front said...

Fazo minhas, as palavras deste último anónimo!!!!

É de louvar a paciencia do Caturo para aturar esse porquinho do ciscokid. Se fosse comigo já à muito que tinha mandado o gajo à merda.

É demais, O panasca quando não está a brincar com o propio rabinho, Está em sites e blogs nacionalistas a armar-se em anti-nazioracista (LOL).

Mas ele têm consciência das tristes figuras que faz visto já nem assinar os seus coments.

Palhaço!!!!

14 de fevereiro de 2006 às 21:21:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Os palhaços 88 entraram em cena, e assim vou hoje demonstrar como é que os sub-nazioracistas debatem:

1) Mostrar que sabe ler

"Olha bacrozinho estive a ler esta discussão

2) Rebobinar a casette dos donos, e carregar no PLAY

"A imigração é um grande erro que traidores como tu apoiam"
"Mas como não tens cultura nem identidade odeias a dos outros pois querem preservar as suas"

3) Atirar uns "insultos" coloridos

"Não passas de um oportunista e um filho de uma grande cadela!"
"O panasca quando não está a brincar com o propio rabinho"

4) Dizer coisas sem qualquer sentido

" Assim como assim e já que existe pelo menos que se distinga entre primatas, e pessoas que vêm do leste europeu que têm cultura e educação"
"Desculpem-me as cadelas, pois são uns pobres animais irracionais. Piores do que os animais simplesmente irracionais, só mesmo aqueles que sabem escrever, como tu! "

5) Mostrar algum grau de "imbecilidade"

"Se as tuas boas intensões fossem ajudar os africanos a viverem com dignidade já terias ido ajuda-los para africa!"

]:->

15 de fevereiro de 2006 às 00:11:00 WET  
Blogger Caturo said...

"Já foi dito demasiadas vezes que quero aclarar a população, alto aí que eu não disse exactamente isso. Cuidado com os termos e suas conotações."

Já tens vergonha do que dizes?

Como se tem visto, o único aqui que tem vergonha do que diz, ou então disfarça bem, és mesmo tu, que ficaste enrascado por seres apanhado na tua própria vergonhosa hipocrisia, para além de teres perdido todos os pontos que querias provar.



Já são demasiados recuos

E, como de costume, tentas fazer crer que recuei por uma vez que fosse, para ver se consegues fingir que estás a conseguir algo mais do que ridicularizares-te à grande.



Os termos que utilizaste estão todos cá:

"para contrabalançar os resíduos de sangue negro que existam na população portuguesa, fazendo com que as gotas negróides se dissolvam mais depressa e a população nacional fique mais clara. "


Por conseguinte, não é só uma questão de clareza de pele, mas sim de contrabalanço da presença negróide nos genes da população negróide. A referência à cor da pele é claramente simbólica, uma vez que desde há muito que afirmo que, na determinação racial, a cor de pele é de importância secundária.



"Não é verdade. Não gosto de comer açorda, mas posso ter de a engolir se precisar de sobreviver."

Quem detesta a açorda, realmente só a come por uma questão de sobrevivência. E se me dás este exemplo, estás a dizer-me então que a imigração para ti é aceite só por uma questão de sobrevivência.

Por uma questão de necessidade laboral, não de sobrevivência da identidade nacional.


Imbecil que és, acabaste de elevar o estatuto de imigração

Atrasado mental como sempre foste, nem sequer percebeste, ou fingiste que não percebeste, que deitei por terra um dos argumentos dos teus donos: o de que a imigração serve para repovoar o país. Na verdade, afirmei, mais do que uma vez, que tal medida não é uma salvação mas sim uma substituição étnica. Naturalmente que ficaste raivoso pela clareza do argumento e por não conseguires deitar abaixo a ideia com os teus pobres raciocínios pretensamente lógicos, e agora queres estupidamente fazer crer que eu te ajudo com as minhas palavras.

Ajudar-te-ia sim, mas era se as percebesses...;)

15 de fevereiro de 2006 às 00:16:00 WET  
Blogger Caturo said...

O ciscokid de facto foi tantas vezes enxovalhado que já nem assina com o nick ranhoso que costumava usar (parece-me que posteriormente ainda usou outro, mas não interessa), mas topa-se-lhe a ranhosice à légua. E agora, repare-se na argumentação do sujeito: além de continuar sem dizer nada, depois de ter sido repetidamente batido (até no seu próprio jogo;)), limita-se a aplicar rótulos depreciativos às críticas que lhe fizeram,

sem nunca contra-argumentar,

o que é especialmente notório nesta parte (a itálico grosso as críticas que lhe fizeram, a itálico simples os seus comentários):

4) Dizer coisas sem qualquer sentido

" Assim como assim e já que existe pelo menos que se distinga entre primatas, e pessoas que vêm do leste europeu que têm cultura e educação"
"Desculpem-me as cadelas, pois são uns pobres animais irracionais. Piores do que os animais simplesmente irracionais, só mesmo aqueles que sabem escrever, como tu! "


Ou seja, o camarada diz algo que todos os portugueses sabem, através da sua experiência diária; mas o domesticado, como lhe meteram dentro dos cornos que não pode haver diferenças como as referidas pelos nacionalistas, limita-se, como lhe mandam na cassete, a dizer que «isso não tem qualquer sentido». Na melhor das hipóteses, é indigente; na pior, é invertebrado.

15 de fevereiro de 2006 às 00:24:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"que ficaste enrascado por seres apanhado na tua própria vergonhosa hipocrisia,"

Qual hipocrisia? É que para isso tinhas de provar que tivesse glorficado a imigração. Mas não conseguiste, e até quiseseste safar-te dizendo que não estavas a falar de mim especificamente. Mas mentiste mais uma vez. Portanto, fica-se a espera mais uma vez da prova, ou fica provado que és duplamente mentiroso.

"O ciscokid de facto foi tantas vezes enxovalhado"

É difícil acreditar que consigas enxovalhar alguem. Aliás, precisas de repetir que estás a ganhar várias vezes, não vá os sub-nazioracistas88 pensar por um minuto que estás a apanhar.

Mas não são assim tão estupidos. Depois de verem-te a admitir que aceitas a imigração em caso de necessidade, acharam que era tempo de intervir para te ajudar. Patéticos, sem dúvida.

Fico então a espera que me proves que sou hipócrita, caro Caturo. Que eu já provei sem margem de duvida a tua natureza.

15 de fevereiro de 2006 às 02:14:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"limita-se a aplicar rótulos depreciativos às críticas que lhe fizeram,sem nunca contra-argumentar,"

Percebo, apanhaste tantas, que agora queres que eu perca o meu tempo a contra-argumentar dois palhaços que não sabem o que se anda a discutir.

Mas não. Eu topo o teu jogo, e ficas a saber que apenas respondo aos outros leitores (como o teu camarada do Norte) se escreverem algo com pés e cabeça. Caso contrário, ou ignoro ou simplesmente faço uma paródia.

E agora, voltando ao assunto em causa.

"Por uma questão de necessidade laboral, não de sobrevivência da identidade nacional."

Certo, então não és contra a imigração como solução para a necessidade laboral. Neste caso, os imigrantes que venham preencher estes postos de trabalho estarão a contribuir para o desenvolvimento económico do País. Certo?

15 de fevereiro de 2006 às 03:04:00 WET  
Blogger Caturo said...

Qual hipocrisia?

A de apoiar a integração a todo o custo, a de defender a imigração, e depois vir dizer que pretende salvaguardar os seus filhos dos problemas decorrentes da integração. És de tal modo rasca que te apresentas como o estereótipo do politicamente correcto de classe média ou média alta: um discurso bem-pensante, apologista das minorias, porque nem eles nem os seus filhinhos não têm de sofrer o contacto com as tais «minorias», já que só frequentam sítios «finesse» e metem a prole em colégios privados.

Mete nojo. É gente dessa que precisa de ser confrontada com os problemas que anda a fomentar. Uma navalhada num assalto só lhes fazia era bem. O pior é que quem mais vezes leva navalhadas não tem culpa nenhuma do que tal escumalha anda a criar.



É que para isso tinhas de provar que tivesse glorficado a imigração. Mas não conseguiste,

Não tinha de provar mais do que aquilo que provei e que tu foste incapaz de negar em toda a linha.


e até quiseseste safar-te dizendo que não estavas a falar de mim especificamente

Outra mentira mentecapta, já desarmada antes, mas que retorna porque não tens outro argumento.


Mas mentiste mais uma vez

Não, tu é que mentiste, como se provou. Está tudo aqui escrito, não há engano.

Portanto, fica-se a espera mais uma vez da prova, ou fica provado que és duplamente

Já ficou provado que eras mentiroso, em cima de seres incompetente e, claro, hipócrita até ao estereótipo do nojo. Isto irrita-te, mas não passa de uma consequência do teu aviltamento ético.


"O ciscokid de facto foi tantas vezes enxovalhado"

É difícil acreditar que consigas enxovalhar alguem

De facto, costumo tratar bem toda a gente, com excesso de paciência segundo alguns. Mas, no teu caso, os vexames da tua «pessoa» sucedem-se, mais por culpa tua do que por intenção minha.

Não me culpes pois dos teus desaires.


Aliás, precisas de repetir que estás a ganhar várias vezes,

Ah, então foi por isso que, a despropósito, resolveste falar em «xeque-mate» (simbolismo que aliás te saiu pela culatra;)). Portanto, o teu caso é mesmo este, passo a citar-te:
não vá os sub-nazioracistas88 pensar por um minuto que estás a apanhar.

Ou seja, confirma-se o que eu digo a respeito do teu estilo de conversa: estás sempre a querer mostrar que não estás a ser esmigalhado. Já no outro tópico foi a mesma coisa, começaste com essa converseta infantil e o camarada do norte mostrou-te que eras tu quem era repetidamente sovado...;)

Mas não são assim tão estupidos. Depois de verem-te a admitir que aceitas a imigração em caso de necessidade, acharam que era tempo de intervir para te ajudar.

Não, que eles não são tapados e ignorantes como tu. Há muito que sabem que, no meio nacionalista, a imigração de leste nem sempre é mal vista.
Portanto, até nisso vens armado em carapau de corrida e provas, mais uma vez, que és cabeça de boga.


Fico então a espera que me proves que sou hipócrita,

Olha para ele, com a conversa da treta, como se não tivesse ficado provado que ele era hipócrita logo a partir do tópico...

Rapazote, por mais que esperneies e esbracejes para mostrares que não és tão mentecapto como pareces, o que é facto é que nada conseguiste fazer em tua defesa e a tua hipocrisia continua bem visível, para teu grande arrependimento, que talvez agora passes a ter mais cuidado com o que dizes, mesmo que com os nervos te afundes cada vez mais...;)

15 de fevereiro de 2006 às 03:28:00 WET  
Blogger Caturo said...

"limita-se a aplicar rótulos depreciativos às críticas que lhe fizeram,sem nunca contra-argumentar,"

Percebo, apanhaste tantas, que agora queres que eu perca o meu tempo a contra-argumentar

De facto, não só apanhaste todas as que eu te dei em cheio no lombo (e que enumerei), como ainda por cima levaste com as pisadelas dos outros camaradas que por aqui vieram fazer um sapateado em cima de ti. E tu, com os nervos em franja, só foste capaz de os insultar, mas de maneira infantil, repetitiva e, claro, tanto mais acéfala quanto mais se mostra inteiramente destituída de sustento argumentativo.

E depois, num arremedo de impotência muito típica da tua laia (tudo em ti é lugar-comum) tentas fazer crer que não te dás ao trabalho de responder porque «não vale a pena». Ou seja, passas aqui imenso tempo a dizer asneiras, a repetir as mesmas imbecilidades amplamente rebatidas (para isso já tens tempo... és uma anedota), mas que tu apresentas com palavreado diferente para dares a entender que estás a argumentar com ideias novas, mas, quando te espetam na cara o nojo que és, tintim por tintim, só respondes que «não vale a pena responder». E, mais engraçado, escreves um «post» inteiro só para dizeres que não vale a pena responder...;););)


dois palhaços que não sabem o que se anda a discutir.

Sabem, sabem, acertaram em cheio no que se anda a discutir - tu é que fizeste de conta que as feridas que te fizeram no lombo «são rosas senhor».


Eu topo o teu jogo,

Eu é que topo o teu jogo (e te mostro o que é xeque-mate a sério;)), o que muito te incomoda porque, lá nos teus círculos de lacaios como tu, não estás habituado a ser completamente rebatido.


E agora, voltando ao assunto

Não, não é «voltando ao assunto» - o assunto era mesmo a hipocrisia da gentalha da tua laia, que quer a integração dos imigrantes mas que foge aos efeitos dessa integração, obrigando o resto do povo a suportá-los. Serviste, neste episódio, como saco de pancada por representares o típico politicamente correcto hipócrita. Esse é que é o assunto do tópico.



"Por uma questão de necessidade laboral, não de sobrevivência da identidade nacional."

Certo, então não és contra a imigração como solução para a necessidade laboral

Se e só se for necessária.


Neste caso, os imigrantes que venham preencher estes postos de trabalho estarão a contribuir para o desenvolvimento económico do País. Certo?

Só os que vierem da Europa. Porque os outros contribuem acima de tudo para a descaracterização da Nação, ou seja, para a diluição nacional.

15 de fevereiro de 2006 às 03:44:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"A de apoiar a integração a todo o custo"

Sim, apoio a integração dos imigrantes que cá estejam. E como és contra a integração, assumo que achas bem que haja pessoas em Portugal que não saibam português e que estejam a margem da sociedade. É irresponsável da tua parte aceitares a imigração como necessidade, mas depois seres contra a integração dos imigrantes.

Como defendo que a imigração seja feita de acordo com a necessidade do País *e* de uma forma responsável (já se viu que não consegues provar o contrário) - reitero que é indesejável que hajam escolas em que os imigrantes sejam a maioria (não que eles não existam), e ao contrário de ti, recuso por os meus filhos neste tipo de escolas.

15 de fevereiro de 2006 às 10:03:00 WET  
Blogger Caturo said...

Sim, apoio a integração dos imigrantes que cá estejam.

E apoias também a integração de mais imigrantes, se os deixarem entrar, venham donde vierem, todos por igual. É preciso ser eu a lembrar-te as tuas próprias convicções?



E como és contra a integração, assumo que achas bem que haja pessoas em Portugal que não saibam português e que estejam a margem da sociedade.

Sim, que estejam à margem da sociedade, com menos direitos do que os portugueses. E que sejam devolvidas à procedência tão depressa quanto possível.



É irresponsável da tua parte aceitares a imigração como necessidade, mas depois seres contra a integração dos imigrantes.

Pelo contrário. Os imigrantes vêm para trabalhar, não para se tornarem portugueses. Por conseguinte, devem cumprir um contrato de trabalho, enquanto forem úteis, e retornar às suas respectivas pátrias quando o País já não necessitar do seu trabalho. Por conseguinte, devem ser mantidos à parte da população nacional.

Nalguns casos, poderão ser integrados. Mas, nesse caso, tal possibilidade estará aberta apenas e exclusivamente aos europeus de leste, e sempre em baixa quantidade, para que não se corra o risco de se formarem minorias étnicas demasiado numerosas a viver em solo nacional, possível fonte de futuras reivindicações de direitos nacionais.



Como defendo que a imigração seja feita de acordo com a necessidade do País *e* de uma forma responsável (já se viu que não consegues provar o contrário)

Já se viu que essa «forma responsável» que referes não passa de palavreado que usas para apoiar a integração maciça das grandes quantidades de imigrantes que já cá estão e que tu deixarias ainda entrar. A linguagem que usamos parece similar, à partida, mas o que para ti é necessário para mim é dispensável e na maior parte dos casos indesejável.

O que ficou provado é isto: queres a integração de tudo o que cá esteja, e que entretanto entre, desde que os teus filhos não tenham de lidar com essa gente, motivo pelo qual preferirás colocá-los em escolas com poucos imigrantes. Foi isto que disseste. Não estou a acrescentar absolutamente nada, e tu sabes disso. É por isso que te irritas.


reitero que é indesejável que hajam escolas em que os imigrantes sejam a maioria

Mais uma vez, a atoarda facilitista do costume, que já tinhas mandado antes e que eu tinha desarmado, com argumentos concretos do que se passa já na área da grande Lisboa. Nessa altura, ficaste calado.

15 de fevereiro de 2006 às 11:09:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"O que ficou provado é isto: queres a integração de tudo o que cá esteja, e que entretanto entre, desde que os teus filhos não tenham de lidar com essa gente, "

Para tu provares o que quer que seja, era preciso que soubesses contra-argumentar. Tu apenas limitas a dizer que contra-argumentaste, mas ainda não apresentaste nada, nada que fosse inconsistente da minha parte, a não ser a tua interpretação desonesta do que eu disse. Porque será que não consegues pegar em textos meus e me pores na parede? Já te convidei a fazer, e até tentaste faze-lo com o "controle de imigração", mas pus-te no teu lugar.

Repara que eu disse que não havia de por os meus filhos numa escola onde os imigrantes fossem a maioria, nunca disse que havia de po-los numa escola onde não existissem imigrantes. É claro que o problema aqui é a língua e a cultura, e se os imigrantes já estiverem integrados, esse problema nem se põe.

Mas nem sei porque é que estás tão irritado, visto que acreditas que quanto mais escolaridade se tem, mais é o veneno da propaganda imperial. É a matemática o veiculo da propaganda? :)

"Nalguns casos, poderão ser integrados. Mas, nesse caso, tal possibilidade estará aberta apenas e exclusivamente aos europeus de leste e sempre em baixa quantidade,"

Curioso, havia de jurar que tinhas dito que não te importavas que os teus filhos estivessem numa escola em que a maioria fosse ucraniana... :)

É que não te safas mesmo com nenhuma.

]:->

15 de fevereiro de 2006 às 12:18:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"E apoias também a integração de mais imigrantes, se os deixarem entrar, venham donde vierem, todos por igual."

Eu sou a favor de uma política de integração activa, porque quando é bem feita, não existirão casos de escolas onde a maioria é imigrante porque estarão na mesma proporção que população imigrante no país: ou seja, em minoria. Estes casos anómalos acontecem precisamente quando há segregação dos imigrantes, que é aquilo que defendes.

E portanto, não posso defender escolas em que a maioria é imigrante, e portanto aquilo que chamas de hipocrisia da minha parte é apenas mais uma consistência da minha parte.

Não só defendo que a imigração seja controlada (incluindo fechada, caso não sejam necessários imigrantes), mas os imigrantes terão a obrigação de defender a constituição portuguesa, os seus valores e as suas leis. Se algum deles quebrar a lei, deverá ser posto imediatamente fora do País. Não quero fundamentalistas do Islão, traficantes de droga, a máfia e os nazioracistas da europa de leste e qualquer outro verme que cause problemas no meu País.

15 de fevereiro de 2006 às 17:27:00 WET  
Blogger Caturo said...

"O que ficou provado é isto: queres a integração de tudo o que cá esteja, e que entretanto entre, desde que os teus filhos não tenham de lidar com essa gente, "

Para tu provares o que quer que seja, era preciso que soubesses contra-argumentar

E foi o que fiz, tanto neste tópico como no outro, sem que te conseguisses defender.


Tu apenas limitas a dizer que contra-argumentaste,

Não. Eu mostro que contra-argumento - tu limitas-te a dizer que não porque não, é que nem sequer te referes aos argumentos que te deitam por terra as aldrabices e as fífias. Enfim, o descaramento e a estúpida desonestidade sempre pautaram o teu discurso.


mas ainda não apresentaste nada,

Apresentei tudo, desde o primeiro tópico, o qual, aliás, não refutaste. Mais: quando foi preciso descer ao pormenor, em matéria de quantidades de imigrantes de cada escola, ficaste completamente calado quanto te mandei às ventas que ou se põe os imigrantes todos juntos ou então, em certos regiões, todas as escolas terão maioria de imigrantes.

Perante isto, não disseste mais nada - limitaste-te a querer dar lições de xadrez, para, como se percebeu já nessa altura e se confirma agora, esconderes a tua derrota argumentativa, que ocorre ao nível, não apenas intelectual, mas também ético.


a não ser a tua interpretação desonesta do que eu disse

Olha, outra vez o diz que não disse - moçoilo, limitei-me a transcrever o que disseste. Se não te agradou, problema teu, tivesses mais cuidado com as imbecilidades obscenas que te saem por entre os dentes. Aliás, já devias saber que, aqui, não se te perdoa nem uma, acabas sempre por ser pisado mercê das tuas bacoradas.


Porque será que não consegues pegar em textos meus e me pores na parede?

Foi exactamente o que fiz, sem que conseguisses defender-te. Mas, para fingir que isto não é verdade, falas como se tal não tivesse ocorrido. Esse truque podia valer-te numa discussão verbal, rapaz, mas aqui, com tudo escrito, só contribui para que te humilhes ainda mais.


Já te convidei a fazer, e até tentaste faze-lo com o "controle de imigração",

E fi-lo, sem obstáculos.


mas pus-te no teu lugar.

Pois - espojaste-te aos meus pés e conseguiste que eu te pisasse. Curioso masoquismo, o teu... é da veia cristã?...;)



Repara que eu disse que não havia de por os meus filhos numa escola onde os imigrantes fossem a maioria, nunca disse que havia de po-los numa escola onde não existissem imigrantes.

Conversa da treta típica de um derrotado que tenta ganhar tempo, mas nem juízo ganha. Essa parte já passou, menino, quando te perguntei
Então e quando os imigrantes forem maioria?

Nessa altura, calaste essa fossa e desviaste a conversa.


Mas nem sei porque é que estás tão irritado, visto que acreditas que quanto mais escolaridade se tem, mais é o veneno da propaganda imperial.

Pois, e esse veneno incita à misturada. Logo, só agrava o problema que está por trás da imigração.



"Nalguns casos, poderão ser integrados. Mas, nesse caso, tal possibilidade estará aberta apenas e exclusivamente aos europeus de leste e sempre em baixa quantidade,"

Curioso, havia de jurar que tinhas dito que não te importavas que os teus filhos estivessem numa escola em que a maioria fosse ucraniana... :)

Sem dúvida. É que os filhos dos ucranianos aprendem espantosamente bem a língua portuguesa e são, em geral, os melhores alunos das escolas portuguesas. Também já tinha dito isto, mas calaste-te sobre isso...


É que não te safas mesmo com nenhuma.

Pois não - «safo-me» com todas, porque falhas sempre.

15 de fevereiro de 2006 às 19:12:00 WET  
Blogger Caturo said...

"E apoias também a integração de mais imigrantes, se os deixarem entrar, venham donde vierem, todos por igual."

Eu sou a favor de uma política de integração activa, porque quando é bem feita, não existirão casos de escolas onde a maioria é imigrante

Claro que existirão, porque a integração é sempre menos rápida do que a imigração que neste momento ocorre. E, de facto, é isso que se passa em Portugal.



porque estarão na mesma proporção que população imigrante no país: ou seja, em minoria.

Quando a imigração aumenta exponencialmente numa área, essa treta cai por terra. E é isso que sucede.



Estes casos anómalos acontecem precisamente quando há segregação dos imigrantes, que é aquilo que defendes.

Errado. Se houver segregação de imigrantes como eu defendo, não há escolas com imigrantes africanos e cidadãos nacionais.



E portanto, não posso defender escolas em que a maioria é imigrante,

Antes disso, terias de querer que a imigração parasse de imediato, enquanto os nacionais estão a perder terreno, numericamente, perante os imigrantes e seus filhos.



e portanto aquilo que chamas de hipocrisia da minha parte é apenas mais uma consistência da minha parte.

Não, é hipocrisia, porque tens defendido a integração de todos os que cá estão, e isso, como já foi demonstrado, implica que haja escolas com maioria imigrante.

15 de fevereiro de 2006 às 19:22:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"terias de querer que a imigração parasse de imediato, enquanto os nacionais estão a perder terreno, numericamente, perante os imigrantes e seus filhos."

Já não te guias pela necessidade laboral - um outro recuo? E estão a perder por quanto, sabes?

"Errado. Se houver segregação de imigrantes como eu defendo"

Pois, és um racistazinho e não se espera outra coisa. E percebo que o que mais te custa são imigrantes integrados na sociedade, que é mais difícil demonizar.

"porque tens defendido a integração de todos os que cá estão, e isso, como já foi demonstrado, implica que haja escolas com maioria imigrante. "

Deixa de ser imbecil. A integração leva que haja imigrantes nas escolas dos nacionais, mas não num contexto onde estes sejam a maioria por regra. Se os imigrantes vivem lado a lado com os nacionais e não separados, então as escolas reflectirão o seu estatuto de minoria. Haverá excepções, mas se houver esta tendencia, distribuem-se por outras escolas a volta. E mais uma vez reitero que para mim o problema é da língua e cultura (ou a falta dela que afecta a qualidade de ensino), portanto o problema é com os imigrantes não integrados que são uma fracção da população imigrante.

16 de fevereiro de 2006 às 09:22:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Sem dúvida. É que os filhos dos ucranianos aprendem espantosamente bem a língua portuguesa e são, em geral, os melhores alunos das escolas portuguesas. Também já tinha dito isto, mas calaste-te sobre isso..."

Calei-me? Queres mesmo que fale sobre este assunto? :)

Bom, se não te importas que os teus filhos estejam numa escola onde a maioria seja ucraniana, também não te importas que os teu filhos comecem a comunicar em ucraniano, ou mesmo que as tuas filhas namorem ucranianos.

Claro que não: até estás mortinho para ter um neto ucraniano, para poder tirar qualquer resíduo de sangue negro, judeu ou árabe que subsista em ti. :)

Mas cuidado, Caturo. É que os ucranianos, como são muito bons, terão a possibilidade de ter mais anos de escolaridade, e assim serem mais envenenados com a propaganda imperial. :)

16 de fevereiro de 2006 às 10:42:00 WET  
Blogger Caturo said...

"terias de querer que a imigração parasse de imediato, enquanto os nacionais estão a perder terreno, numericamente, perante os imigrantes e seus filhos."

Já não te guias pela necessidade laboral - um outro recuo

Típico (título deste tópico, curiosamente...) dos derrotados - como perdes todas as posições, umas a seguir às outras, não te resta alternativa a não ser fingir que eu estou a recuar. O teu problema é que de cada vez que tentas apontar um recuo meu, ridicularizas-te à grande. De facto, nunca houve recuo da minha parte - da tua é que sim, flagrantemente.

Eu sempre disse que o mais importante é a etnicidade; logo, todos os imigrantes que sejam porventura necessários, devem vir da Europa (de leste, no actual contexto). Ora, na prática, no actual contexto, já há imigrantes desempregados. Logo, qualquer pessoa que seja contra a imigração, exige que a imigração pare de imediato e que os clandestinos sejam de imediato repatriados; e que os imigrantes que cá estão nunca adquiram cidadania, excepto em casos pontuais, sendo essa aquisição reservada exclusivamente aos imigrantes de leste. O resto, são confusões tuas, para tentar ganhar tempo.



? E estão a perder por quanto, sabes?

Demasiado, seja qual for o número... em Portugal, os imigrantes negros têm muito mais filhos do que os Portugueses (mais de três para um).


"Errado. Se houver segregação de imigrantes como eu defendo"

Pois, és um racistazinho e não se espera outra coisa

E tu és o impotente, o indigente e o invertebrado do costume e, por isso, não se espera grande contra-argumentação vinda da tua parte para além do rótulo imbecil que aplicas de maneira mentecapta, tanto mais idiota quanto mais já te foi explicada, sem que conseguisses rebater, a diferença entre racismo e racialismo. Nessas alturas, limitas-te a uma fruste tentativa de «gozar» para te vingares da tua incapacidade de mostrar que não temos razão.


E percebo que o que mais te custa são imigrantes integrados na sociedade,

De facto, são os mais perigosos, a médio ou longo prazo.

E são os mais perigosos porque, portando-se «bem», misturam-se mais facilmente, sobretudo porque os apátridas e traidores da tua laia gostam de fomentar essa integração diluidora da identidade, identidade essa que vocês querem negar ou mesmo suprimir, porque constitui obstáculo ao vosso ideal internacionalista e bastardo.



que é mais difícil demonizar.

Não é sequer preciso demonizar - aliás, não demonizamos ninguém: limitamo-nos a dizer verdades sobre os imigrantes criminosos e sobre as consequências, visíveis, do aumento da imigração. Claro que para os apátridas como vocês, dizer verdades é ser racista, mas já se sabe o que vocês são.


"porque tens defendido a integração de todos os que cá estão, e isso, como já foi demonstrado, implica que haja escolas com maioria imigrante. "

Deixa de ser imbecil.

Imbecil és tu e não creio que consigas deixar de o ser. E és imbecil porque ainda estás convencido que essa cassete de atrasado mental ainda serve para outra coisa que não a exposição da tua cretinice. A integração leva realmente a que haja uma maioria de imigrantes nas escolas nacionais de certas áreas, áreas essas que se tornam cada vez maiores, alastrando, à medida que as fronteiras se vão abrindo. É uma questão numérica, ó atrofiadinho dos cornos. 1+1+1+1+1+1+1+1++1+1+1 é mais do que 1+1+1. E se ao primeiro grupo somares mais 1+1+1++1+1+1 e ao segundo só somares 1+1, a diferença entre o primeiro e o segundo grupo vão aumentando. Isto já te tinha sido explicado, neste tópico, mas da primeira vez calaste-te por completo, e, agora, em desespero de causa, tentas dar a volta ao texto com um descaramento que revelaria apenas desonestidade gritante se não mostrasse também uma incompetência intelectual a toda a prova.


Se os imigrantes vivem lado a lado com os nacionais e não separados, então as escolas reflectirão o seu estatuto de minoria.

Mete nesses cornos atrofiados duma vez por todas que essa «minoria» deixa de ser minoria e passa a ser maioria quando o número de imigrantes que vivem lado a lado com os nacionais ultrapassa o número dos ditos nacionais.


Haverá excepções, mas se houver esta tendencia, distribuem-se por outras escolas a volta.

Não, aleijadinho, não se distribuem por muitas escolas «em volta» se o mercado de trabalho os quer todos ali.
Mas, se o número de imigrantes aumentar ainda mais, não há que estar com tretas «distributivas» porque eles serão maioria em qualquer escola.

Aliás, isso já sucede em Paço de Arcos. No único liceu da vila, mais de sessenta por cento dos alunos são negros. E é um número de há cinco anos atrás.


para mim o problema é da língua e cultura (ou a falta dela que afecta a qualidade de ensino), portanto o problema é com os imigrantes não integrados que são uma fracção da população imigrante.

O número de imigrantes não integrados aumenta exponencialmente com o número de imigrantes em geral, porque permite formar comunidades «minoritárias» cada vez mais coesas e numerosas, o que provoca que os indivíduos que a compõem dependam cada vez menos do «mundo exterior», ou seja, do resto da sociedade.

16 de fevereiro de 2006 às 11:29:00 WET  
Blogger Caturo said...

"Sem dúvida. É que os filhos dos ucranianos aprendem espantosamente bem a língua portuguesa e são, em geral, os melhores alunos das escolas portuguesas. Também já tinha dito isto, mas calaste-te sobre isso..."

Calei-me?

Sim. A tua dificuldade em compreender o que lês já te afecta a esse ponto? Calaste-te.


Queres mesmo que fale sobre este assunto? :)

Pois quem é que te impede?...

(Agora é que vai ser, o ciscokid vai comer os seus espinafres e tornar-se num super-antiracista, nunca mais será derrotado ao xadrez!!!).


Bom, se não te importas que os teus filhos estejam numa escola onde a maioria seja ucraniana, também não te importas que os teu filhos comecem a comunicar em ucraniano, ou mesmo que as tuas filhas namorem ucranianos.

Errado. Os ucranianos que cá estão, integram-se bem no contexto social em que vivem e aprendem bem o Português (falando-o melhor do que os africanos de língua oficial portuguesa). Se o número de imigrantes ucranianos existentes na sociedade portuguesa se mantiver reduzido, como eu já disse várias vezes que devia acontecer, não deixarão de se integrar.

Mas, quanto a ver as minhas filhas a namorarem ucranianos, também não me oponho, embora prefira que namorem portugueses.


Claro que não: até estás mortinho para ter um neto ucraniano, para poder tirar qualquer resíduo de sangue negro, judeu ou árabe que subsista em ti.

Se isso contribuir para calar as bocas dos teus donos relativamente à «obrigação moral» de aceitar a mistura racial «porque temos sangue negro», óptimo.


Mas cuidado, Caturo. É que os ucranianos, como são muito bons, terão a possibilidade de ter mais anos de escolaridade, e assim serem mais envenenados com a propaganda imperial. :)

De facto, essa é uma possibilidade. Mas pode ser que, se os nacionalistas se continuarem a desenvolver neste país, comece a haver mais propaganda ideológica nacionalista no seio universitário - e com quem é que os filhos de europeus de leste se identificarão mais facilmente: com uma «pátria» bastarda, cheia de mulatos e dominada por internacionalistas, ou com uma nação europeia que dá mais valor à sua ligação racial e étnica com o leste europeu do que à ligação histórica com África e Brasil?;)

Sim, sei que já estás a tremer de cagaço...;););)

16 de fevereiro de 2006 às 11:42:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Mete nesses cornos atrofiados duma vez por todas que essa «minoria» deixa de ser minoria e passa a ser maioria quando o número de imigrantes que vivem lado a lado com os nacionais ultrapassa o número dos ditos nacionais."

Sim, Caturo, ainda bem que percebes o que é a maioria: quando um grupo é maior que o outro.

Quando há integração, os imigrantes estarão uniformamente distribuidos pelos centros urbanos, e em qualquer bairro, o número de imigrantes será sempre inferior aos nacionais. Noutras palavras, a densidade de imigrantes é pequena. Quando há segregação, existem pontos do País com maior densidades de imigrantes: logo acontece precisamente o caso em que os imigrantes passam a ser maioria, reflectido nas escolas.

Não vais perceber isto porque a escolaridade que tens só te permite fazer somas de 1+1... :)

Eu quando discuto contigo sobre esse assunto, percebo perfeitamente que não estamos a utilizar a palavra imigrante com o mesmo sentido. Para ti e para os nacionalistas, imigrantes são os pretos, mesmo que eles saibam falar portugues, ou tenham nacionalidade portuguesa ou tenham sangue português. A razão pela qual utilizam imigrante em vez de preto é porque estão proibidos de utilizar termos raciais no discurso político.

"De facto, essa é uma possibilidade. Mas pode ser que, se os nacionalistas se continuarem a desenvolver neste país, comece a haver mais propaganda ideológica nacionalista no seio universitário"


O meio universitário é internacionalista, e proporciona o contacto com pessoas de todo mundo. É precisamente aqui onde o nacionalismo morre asfixiado sem oxigénio.

" - e com quem é que os filhos de europeus de leste se identificarão mais facilmente: com uma «pátria» bastarda, cheia de mulatos e dominada por internacionalistas, ou com uma nação europeia que dá mais valor à sua ligação racial e étnica com o leste europeu do que à ligação histórica com África e Brasil?;)"

Deixa-me por-te as coisas noutras palavras: será que os europeus de leste irão apoiar um partido que diz que é contra os imigrantes equacionando-os com a criminalidade e perda de identidade portuguesa? :)

"Sim, sei que já estás a tremer de cagaço...;););)"

Longe vão os tempos em que os nazioracistas metiam medo. Hoje apenas servem para nos entreter na TV ou na net. Nada mais. :)

]:->

16 de fevereiro de 2006 às 16:35:00 WET  
Blogger Caturo said...

Sim, Caturo, ainda bem que percebes o que é a maioria

E ainda bem que tu desta vez percebeste, porque antes disso não o tinhas entendido ainda, ou então estavas cobardemente a fingir que não entendias para não ter de responder - escolhe.


Quando há integração, os imigrantes estarão uniformamente distribuidos pelos centros urbanos,

A distribuição dos imigrantes obedece às necessidades do mercado de trabalho, não a preocupações de índole social. Portanto, não se pode partir do princípio que se vai distribuir a população imigrante pelo país de todo de modo igualitário



e em qualquer bairro, o número de imigrantes será sempre inferior aos nacionais.

Pelo que acima se disse, isto é manifestamente falso, e não apenas em Portugal, mas também noutros países europeus com forte imigração, tais como a França ou a Alemanha.


outras palavras, a densidade de imigrantes é pequena.

A densidade dos imigrantes é já muito elevada em certas partes do país. O que sugeres? Mandá-los embora?...:;)



Quando há segregação, existem pontos do País com maior densidades de imigrantes

Não é pela segregação, é pelas necessidades do mercado de trabalho. Mete isso nos cornos. Ninguém precisa de trabalhadores negros na Guarda ou em Castelo Branco, ou pelo menos não tanto como em Lisboa.



Não vais perceber isto porque a escolaridade que tens só te permite fazer somas de 1+1

E a escolaridade que tens, leva-te a tentar convencer os outros de que 1+1=sãorosassenhor - é a «escola» da ralé politicamente correcta que tenta por todos os meios falsificar a realidade em que se vive. Nesse campo, tens «a escola toda», mas, aqui, não te safas.


Eu quando discuto contigo sobre esse assunto, percebo perfeitamente que não estamos a utilizar a palavra imigrante com o mesmo sentido. Para ti e para os nacionalistas, imigrantes são os pretos, mesmo que eles saibam falar portugues,

Evidentemente que os negros vindos de África ou do Brasil são imigrantes, mesmo que falem um Português perfeito (caso raro...).

De qualquer modo, é um facto que não os consideramos portugueses. E, aliás, a maioria deles também não se considera portuguesa, como o demonstraram pelo menos duas sondagens realizadas entre os jovens negros a viver em Portugal.
De notar por exemplo que muitos deles, mesmo tendo nascido cá, persistem em viver à parte da sociedade branca (ainda bem) e em cultivar o seu crioulo. A tal ponto é isto verdade que o infra-humanizante Bloco de Esquerda já quer que o crioulo seja ensinado nas escolas; e sei também de casos em que os conselhos directivos de certas escolas «recomendam» aos docentes que aprendam crioulo para melhor comunicarem com algumas (muitas - demasiadas) das suas criancinhas...



A razão pela qual utilizam imigrante em vez de preto é porque estão proibidos de utilizar

Errado - aqui, uso todos os termos que me apetecer.



"De facto, essa é uma possibilidade. Mas pode ser que, se os nacionalistas se continuarem a desenvolver neste país, comece a haver mais propaganda ideológica nacionalista no seio universitário"

O meio universitário é internacionalista,

É internacionalista apenas e somente devido ao facto de as forças de Esquerda se terem dele apoderado.


e proporciona o contacto com pessoas de todo mundo. É precisamente aqui onde o nacionalismo morre asfixiado sem oxigénio.

Outra imbecilidade típica da propaganda internacionalista. O Nacionalismo não contraria o contacto com pessoas doutros países - de facto, até os incentiva, mas no que respeita aos países da mesma estirpe rácica e étnica, que, aliás, até são os mais desenvolvidos culturalmente, por coincidência...;)



" - e com quem é que os filhos de europeus de leste se identificarão mais facilmente: com uma «pátria» bastarda, cheia de mulatos e dominada por internacionalistas, ou com uma nação europeia que dá mais valor à sua ligação racial e étnica com o leste europeu do que à ligação histórica com África e Brasil?;)"

Deixa-me por-te as coisas noutras palavras: será que os europeus de leste irão apoiar um partido que diz que é contra os imigrantes equacionando-os com a criminalidade e perda de identidade portuguesa? :)

Sim, creio que irão apoiar, desde que o referido partido se oponha apenas à imigração maciça vinda de África. O problema é que se torna muito difícil dizer-lhes isso, precisamente porque as leis impostas pelos teus donos nos impedem de o declarar abertamente.

Mas há alternativas para lhes fazer chegar a mensagem... aliás, eles vão percebê-lo, tarde ou cedo.


"Sim, sei que já estás a tremer de cagaço...;););)"

Longe vão os tempos em que os nazioracistas metiam medo. Hoje apenas servem para nos entreter na TV ou na net. Nada mais.

E para vos assustar também, independentemente dos sorrisos parvóides que arvorem para tentar fazer crer que não estão «receosos»;) com o crescimento do Nacionalismo em toda a Europa.

E assusta-vos, não apenas porque cresce, mas também porque vocês percebem que tem potencial para crescer ainda mais, dado que apresenta uma coerência ideológica a toda a prova.

18 de fevereiro de 2006 às 21:31:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"O meio universitário é internacionalista,
É internacionalista apenas e somente devido ao facto de as forças de Esquerda se terem dele apoderado. "


A comunidade científica é internacional - e engloba grande parte das Nações. Sendo assim, existem cientistas e académicos de todas as raças e culturas, e é difícil ver como é que a ideologia nazioracista alguma vez entrará neste meio.

"Outra imbecilidade típica da propaganda internacionalista. O Nacionalismo não contraria o contacto com pessoas doutros países - de facto, até os incentiva"

Pronto, então vocês também são internacionalistas - bolas, esta Esquerda tem cá um poder...

"E assusta-vos, não apenas porque cresce, mas também porque vocês percebem que tem potencial para crescer ainda mais, dado que apresenta uma coerência ideológica a toda a prova. "

Eu sei que gostavas que ficasse assustado - mas não estou. A vossa extraodinária coerência ideológica leva-vos a ter pessoas como o Mário Machado como o porta-voz da extrema-direita em Portugal. E vais ver se no decorrer dos próximos 2 anos, não será a FN a destruir tudo o que vocês construiram. :)

19 de fevereiro de 2006 às 03:16:00 WET  
Blogger Caturo said...

"O meio universitário é internacionalista,
É internacionalista apenas e somente devido ao facto de as forças de Esquerda se terem dele apoderado. "

A comunidade científica é internacional - e engloba grande parte das Nações. Sendo assim, existem cientistas e académicos de todas as raças e culturas,

De novo, o erro grosseiro de confundir «internacionalista» com «internacional». Nunca os nacionalistas se opuseram ao contacto científico entre as nações, mas sim a que haja grandes movimentos populacionais e misturadas étnicas e raciais. Talvez não tenhas percebido, mas para que um cientista russo te comunique uma nova descoberta, não precisas de ir para a cama com a mulher dele ou que entregues a tua filha ao filho dele.

De resto, a própria Alemanha NS era dos países mais cientificamente avançados do mundo.



"Outra imbecilidade típica da propaganda internacionalista. O Nacionalismo não contraria o contacto com pessoas doutros países - de facto, até os incentiva"

Pronto, então vocês também são internacionalistas

Isso já nem é cassete, isso é disco riscado, originalmente gravado por um cantor pimba. Tem mas é juízo.



"E assusta-vos, não apenas porque cresce, mas também porque vocês percebem que tem potencial para crescer ainda mais, dado que apresenta uma coerência ideológica a toda a prova. "

Eu sei que gostavas que ficasse assustado

E eu sei que tu gostavas que eu acreditasse que esse sorriso amarelo parvóide era sincero e que não estavas assustado. Mas eu sei que estás.


A vossa extraodinária coerência ideológica leva-vos a ter pessoas como o Mário Machado como o porta-voz da extrema-direita em Portugal.

Onde está a incoerência?

20 de fevereiro de 2006 às 16:43:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Talvez não tenhas percebido, mas para que um cientista russo te comunique uma nova descoberta, não precisas de ir para a cama com a mulher dele ou que entregues a tua filha ao filho dele."

E é isto que acontece no mundo académico e científico hoje em dia por ser internacionalista? Podias deixar de ser imbecil de vez em quando.

A ideologia nazioracista não irá conseguir nunca ter presença no mundo académico e científico, porque os vossos ideais são superficiais e baseados na exclusão. O mundo académico é aberto, sem fronteiras e com o objectivo de melhorar a condição humana - ou seja, de todas as raças.

"A vossa extraodinária coerência ideológica leva-vos a ter pessoas como o Mário Machado como o porta-voz da extrema-direita em Portugal.

Onde está a incoerência?"


Está no facto de ser alguém que tem um historial de violência, e que incita tal no seu blogue, que glorifica o regime nazi, que violou a soberania de várias nações mesmo antes da guerra começar, acabou com a democracia que o fez eleger e acabou com a liberdade de expressão.

É esta a cara da extrema-direita em Portugal, e é incoerente com a imagem de "democrata" e de defensores da liberdade de expressão e outras tretas que vocês querem fazer passar.

"E eu sei que tu gostavas que eu acreditasse que esse sorriso amarelo parvóide era sincero e que não estavas assustado. Mas eu sei que estás."

Estaria assustado se tivesse os teus donos. :)

20 de fevereiro de 2006 às 20:27:00 WET  
Blogger Caturo said...

"Talvez não tenhas percebido, mas para que um cientista russo te comunique uma nova descoberta, não precisas de ir para a cama com a mulher dele ou que entregues a tua filha ao filho dele."

E é isto que acontece no mundo académico e científico hoje em dia por ser internacionalista?

E quem é que disse que é isso que acontece hoje, peralvilho atrasado mental? Não sabes sequer interpretar o que lês ou então estás outra vez a fazer-te ainda mais parvo do que já és, o que se afigura tarefa impossível.


A ideologia nazioracista não irá conseguir nunca ter presença no mundo académico e científico,

Outra vez essa cassete de merda, sem justificação alguma de jeito, como se vê a seguir:

porque os vossos ideais são superficiais e baseados na exclusão.

Estupidez esquerdista em acção. Os ideais nacionalistas são realmente profundos e pressupõem na sua observação a capacidade de ver a diferença entre misturar grupos humanos até à dissolução e comunicar com grupos humanos a fim de apreender algum conhecimento útil.

É tal coisa, o mentecapto chapado esquerdista acha mesmo que para que um cientista estrangeiro lhe diga alguma coisa, tem de ir para a cama com a mulher dele ou então tem de casar a sua filha com o filho dele.

Quanto a superficialismo, tal seria a expressão apropriada para qualificar a mentalidade de quem quer destruir as fronteiras com base na «igualdade do género humano» - seria apropriada, dizia, se não fosse incompleta, dado que tal ideia é, além de superficial, uma abjecção pegada.


O mundo académico é aberto, sem fronteiras

Mas conhecer o mundo académico e dele tirar benefícios não obriga a abrir o País todo ao estrangeiro considerando todos como iguais. Já tinha explicado isto, mas o atrofiado dos cornos não percebeu ou fingiu que não percebeu.


e com o objectivo de melhorar a condição humana - ou seja, de todas as raças.

Nada disso é inerente à ciência. Não queiras meter a tua colherada que também falhas desta vez.



"A vossa extraodinária coerência ideológica leva-vos a ter pessoas como o Mário Machado como o porta-voz da extrema-direita em Portugal.

Onde está a incoerência?"

Está no facto de ser alguém que tem um historial de violência,

Percebo - por essa ordem de ideias, todos os que cometeram violências no passado, nunca mais podem fazer nada na vida.

Belo critério, vindo de um pretenso humanista...


e que incita tal no seu blogue,

Nunca li incitações dessas no seu blogue.


que glorifica o regime nazi, que violou a soberania de várias nações mesmo antes da guerra começar,

Mário Machado glorifica essa violação?

Pela tua ordem de «ideias», quem glorifica a Revolução Francesa, glorifica igualmente a decapitação em barda de aristocratas; e quem glorifica a Igreja, glorifica a Inquisição.


É esta a cara da extrema-direita em Portugal, e é incoerente com a imagem de "democrata"

De facto, falhaste mais uma vez em tentar encontrar uma inconsistência no actual movimento nacionalista português.


"E eu sei que tu gostavas que eu acreditasse que esse sorriso amarelo parvóide era sincero e que não estavas assustado. Mas eu sei que estás."

Estaria assustado se tivesse os teus donos.

Se assim fosse, nunca estarias assustado, porque eu não tenho donos (nota-se aí uma pontinha de inveja da tua parte?;)).

Mas, como nasceste para obedecer aos teus donos, o medo é para ti uma constante - e uma crescente.;););)

21 de fevereiro de 2006 às 18:37:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"E quem é que disse que é isso que acontece hoje, peralvilho atrasado mental? "

Foste tu, quando afirmas que a comunidade científica não tem de ser internacionalista. Enfim, resultado de uma argumentação desperada e frustrada.

"É tal coisa, o mentecapto chapado esquerdista acha mesmo que para que um cientista estrangeiro lhe diga alguma coisa, tem de ir para a cama com a mulher dele ou então tem de casar a sua filha com o filho dele"

E repete a mesma cassette, o imbecil. Vê se percebes: a comunidade cientifica e académica é uma comunidade aonde não existem raças ou exclusão por causa desta. A propaganda ideológica é anti-científica, e sem esta, vocês estão liquidados. O facto é que o nazioracismo não entrou no mundo académico e não irá entrar.

" Os ideais nacionalistas são realmente profundos "

São superficiais. Baseiam-se na exclusão de seres humanos pelo seu aspecto físico. E acham que isto é a solução de todos os problemas do País.

"Percebo - por essa ordem de ideias, todos os que cometeram violências no passado, nunca mais podem fazer nada na vida."

Excepto que ele continua a incentivar a violência no seu blogue e na TV. E vais agora ler o seu blogue (Lobo Mau), ou serei obrigado a tirar extractos e apresentar-te os videos que ele orgulhasamente ostenta no seu site.

"Se assim fosse, nunca estarias assustado, porque eu não tenho donos (nota-se aí uma pontinha de inveja da tua parte?;))."

Tens donos sim: do nazioracismo. Algo que os meus donos põe no seu lugar. A inveja é a tua, que gostavas que os teus estivessem no poder e a controlar os media. :>

22 de fevereiro de 2006 às 11:55:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"O problema é que se torna muito difícil dizer-lhes isso [que o PNR é contra os imigrantes negros, e não contra os imigrantes de leste], precisamente porque as leis impostas pelos teus donos nos impedem de o declarar abertamente.

Mas há alternativas para lhes fazer chegar a mensagem... aliás, eles vão percebê-lo, tarde ou cedo."


Se há alternativas para lhes fazer chegar a mensagem, então presume-se que têm alternativas para fazer passar a mensagem "racial" do PNR ao resto da população portuguesa, e esta irá perceber, mais tarde ou cedo.

Então, tudo vai bem no reino dos racistas, certo?

22 de fevereiro de 2006 às 17:23:00 WET  
Blogger Caturo said...

"E quem é que disse que é isso que acontece hoje, peralvilho atrasado mental? "

Foste tu, quando afirmas que a comunidade científica não tem de ser internacionalista

Não, imbecil, foste tu quem quis fazer passar a ideia de que a comunidade científica era à partida - relembro as tuas cretinas palavras:
O meio universitário é internacionalista,
A comunidade científica é internacional - e engloba grande parte das Nações. Sendo assim, existem cientistas e académicos de todas as raças e culturas, e é difícil ver como é que a ideologia nazioracista alguma vez entrará neste meio.

Ou seja, querias fazer passar essa ideia de que ciência=internacionalismo, mas cortei-te as pretensões bem rentes, como os teus donos te cortaram os genitais. E agora, com mais este ponto completamente perdido, queres fazer crer que eu é que disse que etc. e tal... assim se comprova, mais uma vez, a tua inépcia argumentativa.


"É tal coisa, o mentecapto chapado esquerdista acha mesmo que para que um cientista estrangeiro lhe diga alguma coisa, tem de ir para a cama com a mulher dele ou então tem de casar a sua filha com o filho dele"

E repete a mesma cassette, o imbecil

E tal é o teu desespero, que já nem consegues criar «bocas» originais, até copias as minhas...

Vamos lá ver se ao menos entendes de vez que a merda que estás a defender não serve sequer para adubar a terra:
a comunidade cientifica e académica é uma comunidade aonde não existem raças ou exclusão por causa desta.

Mete nesses cornos atrofiados duma vez por todas que não é preciso haver exclusões raciais na ciência para haver exclusões raciais nos povos. Os povos podem recusar a mistura ao mesmo tempo que os seus cientistas contactam entre si. Foi isto que te expliquei com o exemplo de mandares a tua filha para a cama do filho do cientista russo, mas tu nem isso percebeste, tal é o estado depauperado dessa mioleira engelhada.



A propaganda ideológica é anti-científica, e sem esta,

E quem é que impede de fazer propaganda ideológica no Estado ao mesmo tempo que os cientistas desse Estado tomam conhecimento dos avanços científicos doutros povos? É preciso ser atrasado mental para confundir uma coisa com outra.

vocês estão liquidados.

De resto, quem mais aposta na propaganda ideológica, são vocês, desde sempre. O mundo abjecto que querem criar, exige essa permanente campanha de «mentalização» que, no vosso caso, é «lavagem»(leia-se «poluição») cerebral. Em condições normais, os povos evitam as misturas, sobretudo no que respeita à Europa branca perante o negro. São vocês quem se esforça por contrariar essa atitude natural dos Povos, que aliás persiste, para vossa irritação, e, quando há partidos nacionalistas, mostra um crescente reflexo nas urnas, para vosso desespero e profundo cagaço.


O facto é que o nazioracismo não entrou no mundo académico e não irá entrar

Outra vez a cassete da estupidez instituída, que contraria factos que já te escarrei nas trombas: na altura da segunda guerra mundial, a Alemanha NS era dos países mais avançados do mundo em termos científicos e tecnológicos. Costumavam ter as melhores armas. E até criaram o avião a jacto. Um dos cientistas alemães que trabalhou na V2, Von Braun, foi de crucial importância no projecto espacial americano.


" Os ideais nacionalistas são realmente profundos "

São superficiais. Baseiam-se na exclusão de seres humanos pelo seu aspecto físico

São profundos. Baseiam-se na compreensão do significado que tem o aspecto físico racial como fundamento da identidade. Dá ao mundo material um sentido superior, penetrado de significado espiritual. Em contrapartida, é típico de mentes superficiais julgar que a aparência física é só isso, aparência física, como uma camisola que vistam e deitem fora. Isto, além de ser superficial, é também imbecil; e, em termos éticos, constitui uma aberração profunda, baseada no princípio degradante de abolição das diferenças - isto é, das identidades - em nome de um amor universalista, fabricado, mutilador e por isso mesmo abissalmente doentio.


E acham que isto é a solução de todos os problemas do País.

E, claro, as mentes estupidamente superficiais não percebem que a perda da identidade é um problema em si próprio, mais importante do que todos, mas todos os outros. Sem identidade, não há ser - a partir daí, nada mais tem sentido. Nada.


"Percebo - por essa ordem de ideias, todos os que cometeram violências no passado, nunca mais podem fazer nada na vida."

Excepto que ele continua a incentivar a violência no seu blogue e na TV. E vais agora ler o seu blogue (Lobo Mau), ou serei obrigado a tirar extractos

Venham eles.


"Se assim fosse, nunca estarias assustado, porque eu não tenho donos (nota-se aí uma pontinha de inveja da tua parte?;))."

Tens donos sim

Não, tu é que tens, e tanto tens, que debitas imbecilidades que depois não és capaz de sustentar com argumentos lógicos. Isso é um sintoma de que tens donos, e mais, nem sequer tens grande patente na tua hierarquia das catacumbas internacionalistas...


Algo que os meus donos põe no seu lugar

Não. Os teus donos nunca teriam a nobreza suficiente para darem o poder político aos Nacionalistas.

O que os teus donos queriam, entretanto, é cada vez menos efectivo, porque o Nacionalismo cresce, conseguindo furar os bloqueios anti-democráticos criados por quem te domesticou.

22 de fevereiro de 2006 às 18:04:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"não é preciso haver exclusões raciais na ciência para haver exclusões raciais nos povos. Os povos podem recusar a mistura ao mesmo tempo que os seus cientistas contactam entre si."

Estás a falar apenas num ponto da ideologia nazioracista, que é a separação de raças reforçado pelo Estado. O outro ponto da ideologia é supremacia da raça branca sobre as outras, começando com a negra.
A falta de respeito que existe da vossa parte por outros povos não-brancos é atroz, e é incompativel com o meio académico, onde existe um código de respeito. Tu chamas a isto a "ideologia de Esquerda" - e eu chamo a isto não ser animal.

22 de fevereiro de 2006 às 18:45:00 WET  
Blogger Caturo said...

Estás a falar apenas num ponto da ideologia nazioracista, que é a separação de raças reforçado pelo Estado. O outro ponto da ideologia é supremacia da raça branca sobre as outras, começando com a negra.

Não - não me viste a defender qualquer supremacia. Quero separação, não estabelecimento de hierarquias. Por aí também não te safas.



A falta de respeito que existe da vossa parte por outros povos não-brancos é atroz, e é incompativel com o meio académico, onde existe um código de respeito.

Ahahahahah! Agora os cientistas não falam entre si se um deles for racista, ahahahah, que ridículo. Será que nos doutoramentos universitários há um documento a perguntar se o candidato é gosta de africanos?...

Vocês bem queriam que assim fosse, mas, por enquanto, lixam-se...;)

E olha lá, pode ser do Benfica, pode?...



Tu chamas a isto a "ideologia de Esquerda" - e eu chamo a isto não ser animal.

Mas tu também és animal, rapaz. Só que és um animal domesticado, castrado e doentio...;)

22 de fevereiro de 2006 às 18:58:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Não - não me viste a defender qualquer supremacia."

Mas aquilo que tu és, ou que dizes ser é irrelevante. Estamos a falar porque é que o nazioracismo não entra no mundo académico/científico, e eu já te expliquei que é por uma questão de respeito, abertura, criatividade e sem preconceitos. Ora tudo o que não se encontra no forum nacional, onde está a elite nazioracista. :)

22 de fevereiro de 2006 às 19:27:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

E falando em animais. Temos o Mário Machado, o porta-voz da extrema-direita em Portugal. Ora este individuo acha que só os otários é que pagam impostos e incentiva os outros de quebrarem a lei - rouba ao estado diz ele logo de início. Que se lixe a segurança social.

Depois aqui explica como é que se tratam os imigrantes. Aliás, ele tem várias fotos que depictam violência sobre estrangeiros, o que levou a uma professora a escrever-lhe um email, dizendo que os alunos o copiam, agredindo os professores e alunos não-brancos da escola. Este nazi de meia tijela publicou no forum nacional uma lista de alvos a abater, e depois diz que fica contente e orgulhoso se algum nacionalista fizer um acto de violência contra esta gente. O que ele achava se os dados dele e dos filhos fossem postos online?

E o que merece um criminoso como o Mário Machado? Ora nem mais do que uma medalha de "mérito activismo nacionalista 2005" do PNR.

É que nem conseguem esconder a merda que vocês são.

22 de fevereiro de 2006 às 20:24:00 WET  
Anonymous ai ai ai meu nazioracista said...

Aviso à navegação.
se tens a cabeça rapada e és contra a miscigenação racial? Então não ponhas fotos tuas a circular na net com o risco de irem parar ao arquivo do "CK" que por sua vez as guardará religiosamente no disco rígido do seu computador.

Traduzindo por miúdos...

O ciscokid continua apaixonado por tudo o que é skinhead e pelo mario machado em particular. ha ha ha !

Grande tarado!!!

22 de fevereiro de 2006 às 22:59:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"se tens a cabeça rapada e és contra a miscigenação racial? "

Tens todo o direito de ter a cabeça rapada e de ser contra a miscigenação racial. Aliás, eu costumo rapar o cabelo, e a minha namorada é de raça ariana. :)

O conselho que deves dar é: quando fazes merda, nazioracista, esconde... não escrevas no teu blogue, por maior que o teu ego seja.

22 de fevereiro de 2006 às 23:21:00 WET  
Anonymous ai ai ai o nazioracista voltou said...

Então basta rapar o cabelo e ser contra a miscigenação racial que já está identificado..

Muito bem, Quem se encaixar nesse perfil já sabe que é nazioracista. :)

23 de fevereiro de 2006 às 04:22:00 WET  
Anonymous ai ai ai o nazioracista voltou said...

Para mim, este é um assunto muito marginal, mas a ver pelo tempo que o ciscokid passa na net, se não fossem os negões a aliviar a sua namorada, já à muito que ela teria morrido de fome..

Não se preocupem, está tudo bem, ele até gosta de os espreitar às escondidas. :)

23 de fevereiro de 2006 às 04:43:00 WET  
Anonymous ai ai ai o nazioracista voltou said...

Claro que também não deve ser nenhum bacalhau com todos, Os gajos podem ser de todas as cores, Agora nazioracistas é que não.

Esses o ciscokid quer todos para si. :)

23 de fevereiro de 2006 às 04:44:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"se não fossem os negões a aliviar a sua namorada, já à muito que ela teria morrido de fome.."

Ah, temos aqui um exemplo da elite sub-nazioracistas-88. Um caso exemplar de um futuro académico-cientista.

"Para mim, este é um assunto muito marginal"

Pois claro que é, como tudo o que anda a tua volta.

23 de fevereiro de 2006 às 10:36:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

E falando em animais. Temos o Mário Machado, o porta-voz da extrema-direita em Portugal.

Ora este individuo acha que só os
otários é que pagam impostos e incentiva os outros de quebrarem a lei - rouba ao estado diz ele logo de início. E se todos os Portugueses fizessem o que este parasita sugere, o que e' que ele acha que ira' acontecer ao Pais?

Depois aqui explica como é os imigrantes devem ser tratados. Aliás, ele tem várias fotos que depictam violência sobre estrangeiros, o que levou a uma professora a escrever-lhe um email, dizendo que os alunos o copiam, agredindo os professores e alunos não-brancos da escola. Este nazi de merda também publicou no forum nacional uma lista de alvos a abater, e depois diz que fica contente e orgulhoso se algum nacionalista fizer um acto de violência conta esta gente. O que ele achava se os dados dele e dos filhos fossem postos online?

E o que merece um criminoso como o Mário Machado? Ora nem mais do que uma medalha de "mérito activismo nacionalista 2005" do PNR.

Isto poderia ser uma paródia ou um sketch humoristíco, excepto que está tudo documentado no blogue do "amigo" Mário. E agora que vocês sabem a história deste parasita da sociedade e quem ele representa, também sabem como isto tudo irá acabar.

23 de fevereiro de 2006 às 10:58:00 WET  
Anonymous naziiiiiiiiioracistaaaaaaa said...

Brahahahahahahaha É certo que estás gagá e sem nada de jeito para dizer. Mas daí a repetir a mesma cassete com um intervalo de 2 coments tresanda a desespero.

Eu sei que não se deve gozar com deficientes, mas o tempo que perdes por aqui armado em parvo, a tua namorada continua a abavar a verga do negão. :)

Que nome irá dar o ciscokid ao seu matumbinho?

23 de fevereiro de 2006 às 13:07:00 WET  
Blogger Caturo said...

Estamos a falar porque é que o nazioracismo não entra no mundo académico/científico,

Agora já recuas e avanças e recuas outra vez...

Do que se falava era da possibilidade de um Estado Nacionalista ter um meio académico forte e progressista.


e eu já te expliquei que é por uma questão de respeito, abertura, criatividade e sem preconceitos.

Mas quem te disse que isso interessa para alguma coisa quando se discute ciência?


Ora tudo o que não se encontra no forum nacional, onde está a elite nazioracista. :)

No Fórum Nacional, há boas mensagens e mensagens violentas, há de tudo. Quem quer salientar apenas os aspectos mais negativos, só consegue uma visão distorcida e falseada das coisas.

23 de fevereiro de 2006 às 20:27:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"No Fórum Nacional, há boas mensagens e mensagens violentas, há de tudo. Quem quer salientar apenas os aspectos mais negativos, só consegue uma visão distorcida e falseada das coisas. "

Pois, tal como quem só divulga notícias de imigrantes/negros/não-brancos/muçulmanos criminosos?

E o teu silêncio sobre o Mário Machado fica aqui anotado.

23 de fevereiro de 2006 às 23:47:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

Não deve falar mal dos teus donos, não é Caturo?

24 de fevereiro de 2006 às 18:04:00 WET  
Anonymous Nazioracista said...

ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ..
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ

24 de fevereiro de 2006 às 20:17:00 WET  
Anonymous Nazioracista said...

HUM.. Já acabou? O cisco desta vez perdeu por quantos? :)

24 de fevereiro de 2006 às 20:22:00 WET  
Blogger Caturo said...

Pois, tal como quem só divulga notícias de imigrantes/negros/não-brancos/muçulmanos criminosos?

Sobretudo nisso. É um dos melhores aspectos do Fórum Nacional: os portugueses que queiram saber o que de facto se passa em Portugal, e quais os reais efeitos da imigração no que respeita à criminalidade, têm mesmo de ir ao Fórum Nacional ler aquilo que os teus donos não gostam que se diga na grande imprensa.



E o teu silêncio sobre o Mário Machado fica aqui anotado.

Cada qual fala por si. E como ele não é meu chefe, nem manda nada no PNR, nem sequer pertence à direcção, não vejo porque é que tu julgas que as coisas que ele afirma comprometem o movimento.

Recebeu uma medalha do partido, pois sim - mas por activismo político na organização das manifestações. Quanto às suas declarações, é ele quem por elas responde.

27 de fevereiro de 2006 às 11:33:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"No Fórum Nacional, há boas mensagens e mensagens violentas, há de tudo.
Sobretudo nisso. É um dos melhores aspectos do Fórum Nacional"


O único aspecto positivo do Forum Nacional é que nos permite ver a podridão do vosso meio. É que os poucos que são contra a violência são postos de lado, com mensagens do género "os skinheads é que estão sempre na frente da batalha, e os que mais sacrificam". E a maioria cala-se. Percebe-se quem são os donos, e quem são os covardes.

"Recebeu uma medalha do partido, pois sim - mas por activismo político na organização das manifestações. Quanto às suas declarações, é ele quem por elas responde"

Quiseste defende-lo há umas mensagens atrás, mas recuaste mais uma vez depois da minha exposição.

"não vejo porque é que tu julgas que as coisas que ele afirma comprometem o movimento."

Vês. Claro que vês, mas és um covarde e não tens coragem de dizer o contrário. O PNR dá medalhas a alguém que incita a violência e que diz aos outros para roubar o estado, no seu blogue uma das suas ferramentas do seu activismo nazioracista. Ou seja, ou o PNR não sabe quem é o Mário Machado ou o PNR partilha dos valores deste.

Mas se não percebes porque é que vocês são considerados o lixo europeu, óptimo - fica com a ideia de que é tudo uma conspiração de Esquerda que vos impede de subir.

27 de fevereiro de 2006 às 15:04:00 WET  
Blogger Caturo said...

O único aspecto positivo do Forum Nacional é que nos permite ver

Há vários aspectos positivos no Fórum Nacional, e um deles, de menor importância, é irritar-vos, fazendo-vos babar de ódio impotente, porque ali se expõem, à vista de todos, argumentos para os quais a ralé degradada da vossa laia não tem outra resposta que não ir a correr chamar a polícia e exigir a prisão dos «fascistas». E tanto assim é que nas discussões ideológicas inteligentes, vocês nunca aparecem.

É também assim que se vê a abissal merda que vocês são. Cai-vos a máscara de «democratas» e fica bem visível o rancor que têm a quem pense de modo realmente diferente do vosso. E o vosso ódio só é superado pelo nosso nojo absoluto por formas de vida indignas como vocês.

E claro, relembro: todo o vosso barulho serve só para tentar abafar istovê-se no Fórum Nacional aquilo que vocês querem esconder - a onda de criminalidade negróide e muçulmana na Europa.

Engole. ;)



É que os poucos que são contra a violência são postos de lado, com mensagens do género "os skinheads é que estão sempre na frente da batalha, e os que mais sacrificam".

Isso é pura e simplesmente mentira. Ninguém é posto de lado por ser contra a violência. Pelo contrário - os que são contra o uso político da violência refreiam os ímpetos dos mais impulsivos e que, por serem mais jovens, perdem as estribeiras mais facilmente e sentem mais vontade de vos cortar aos bocados ou queimar-vos vivos.



"Recebeu uma medalha do partido, pois sim - mas por activismo político na organização das manifestações. Quanto às suas declarações, é ele quem por elas responde"

Quiseste defende-lo há umas mensagens atrás,

Não o defendi coisa nenhuma, dado que ele não precisa que o defendam. E, aliás, se queres tanto confrontá-lo com tudo isso, vai tu dizer-lhe isso, ao vivo. Já que tanto criticas os «covardes», não terás medo de o fazer.

Ou então, escreve-lhe.


O que fiz foi impedir-te de generalizar a conduta de um a todo o movimento.


mas recuaste

E tu com a mania de que obrigas seja quem for a recuar, e depois, sempre que dizes isso, prova-se que afinal és tu quem vai de marcha atrás...


O PNR dá medalhas a alguém que incita a violência e que diz aos outros para roubar o estado,

Repito: não lhe deu medalha alguma por isso. E se os gajos assim não pudessem receber medalha alguma ou algum reconhecimento público, o assassino Otelo Saraiva de Carvalho não andava aí armado em herói da revolução.


Mas se não percebes porque é que vocês são considerados o lixo europeu,

Considerados por quem? Por merda como tu?
Que grande abalo ao pífaro.

27 de fevereiro de 2006 às 16:17:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"O que fiz foi impedir-te de generalizar a conduta de um a todo o movimento."

Quando falei inicialmente na escumalha que o Mário Machado representa - defendeste-o dizendo:

"Belo critério, vindo de um pretenso humanista...
Nunca li incitações dessas no seu blogue."


Infelizmente, mesmo que não queiras, o Mário Machado - sendo o dono da FN - ele fala pelo movimento, e as suas acções reflectem os vossos valores - e um partido que faça uma homenagem a um gatuno, não tem qualquer chance de ir muito longe.

Pela vossa lógica, e como já disse inúmeras vezes, os factos são a propanda esquerdista com vista a difamar o nome dos nazioracistas. :)

"Mas se não percebes porque é que vocês são considerados o lixo europeu,
Considerados por quem?
"


Então já te esqueceste? Pela propaganda esquerdista imperial comunista que afecta toda a população.

]:->

27 de fevereiro de 2006 às 17:16:00 WET  
Blogger Caturo said...

Quando falei inicialmente na escumalha que o Mário Machado representa - defendeste-o dizendo:

"Belo critério, vindo de um pretenso humanista...
Nunca li incitações dessas no seu blogue."

Se achas que isto é defesa, deves andar muito necessitado de quem te ajude a levar menos porrada...

Limitei-me a dizer que não sabia de incitação violenta alguma da sua parte. É para que se veja a importância que isso tem no seio do movimento.



Infelizmente, mesmo que não queiras, o Mário Machado - sendo o dono da FN - ele fala pelo movimento,

Não - fala por si próprio; só fala em nome da FN quando declara previamente estar a fazê-lo.



"Mas se não percebes porque é que vocês são considerados o lixo europeu,
Considerados por quem?
"

Então já te esqueceste? Pela propaganda esquerdista imperial

Pelos autores dessa propaganda, sim, o que até é bom, quase iguala o nojo que sentimos por eles; pelo Povo a quem essa propaganda se destina, isso querias tu e similares criaturas...;) mas não há mesmo maneira de conseguirem falar em nome do Povo.

E cada vez menos o poderão fazer, a menos que substituam este Povo por outro, que é aliás o que vocês querem fazer.

27 de fevereiro de 2006 às 17:38:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Belo critério, vindo de um pretenso humanista...
Limitei-me a dizer que não sabia de incitação violenta alguma da sua parte."


Limitaste a ser sarcástico e de dares o teu juizo sem verificares os factos, que aliás é representativo da forma como operas. E apanhaste.

"Pelos autores dessa propaganda, sim, o que até é bom, quase iguala o nojo que sentimos por eles; pelo Povo a quem essa propaganda se destina, isso querias tu e similares criaturas...;) mas não há mesmo maneira de conseguirem falar em nome do Povo."

Então, estás a dizer que embora exista uma propaganda imperialista-esquerdista-mete-nojo!!!, esta não tem efeito no Povo. É isso?

27 de fevereiro de 2006 às 18:32:00 WET  
Blogger Caturo said...

"Belo critério, vindo de um pretenso humanista...
Limitei-me a dizer que não sabia de incitação violenta alguma da sua parte."

Limitaste a ser sarcástico e de dares o teu juizo sem verificares os factos,

Não. Fui sarcástico e falei de acordo com o meu juízo tendo em conta o que eu conhecia. Ora, o facto de eu não conhecer as coisas de que falaste, dá uma ideia da real importância que essas coisas têm.


E apanhaste.

Tu é que apanhaste, bastante, ao longo desta sequência de mensagens; e, como já não tinhas argumentos, resolveste ir pegar pelo que julgavas ser «o elo mais fraco» (já que, em ideias, está quieto ó mau). Ma também aí fracassaste. Não gostaste e ficaste irritado. É o costume.

Entretanto, nem sequer comentaste o que agora te mando às trombas mais directamente: se o PNR é rasca porque dá uma medalha a um gajo que foge aos impostos, o que é para ti o actual regime português, que saúda o assassino Otelo Saraiva de Carvalho?;)

Responde sem fífias.



"Pelos autores dessa propaganda, sim, o que até é bom, quase iguala o nojo que sentimos por eles; pelo Povo a quem essa propaganda se destina, isso querias tu e similares criaturas...;) mas não há mesmo maneira de conseguirem falar em nome do Povo."

Então, estás a dizer que embora exista uma propaganda imperialista-esquerdista-mete-nojo!!!, esta não tem efeito no Povo.

Tem... mas não ao ponto de fazer com que a maior parte da população tenha por nós o ódio que vocês incitam.

E cada vez tem menos, por mais que vocês esbracejem, esperneiem e guinchem, como porcos na matança...

27 de fevereiro de 2006 às 18:54:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"se o PNR é rasca porque dá uma medalha a um gajo que foge aos impostos, o que é para ti o actual regime português, que saúda o assassino Otelo Saraiva de Carvalho?;)"

Se eu visse as coisas no teu prisma, ou seja de um covarde-de-quem-tem-medo-dos-seus-donos, diria que Otelo é saudado pelo seu papel no 25 de Abril e nada mais, e que aquilo que ele fez nos anos 80, não tem nada a ver com o seu papel nos anos 70. E que aquilo que ele fez não reflecte no regime, nem a Esquerda.

Mas não. Existem fortes indícios de que ele esteve directamente envolvido nos actos terroristas dos anos 80. E é errado que o vejam como um heroi - que não o é - é um criminoso.

Para liquidar com o PNR, bastava que a comunicação social fizesse uma exposição daquilo que o Mário Machado defende no seu blogue: violência contra imigrantes e estrangeiros, de publicar informação pessoal dos "traidores" e dizer que ficaria orgulhoso se um "facilmente provocado" fizesse um acto de violência, de incentivar as pessoas a roubar o estado. Tudo o que descrevi foi publicado no seu blogue em 2005, e recebe uma medalha de activismo do PNR pelo que fez nesse ano. Fantástico.

E agora é a tua vez: achas bem tudo isto? ou continuas a ver as coisas no teu prisma covarde-de-quem-tem-medo-dos-seus-donos?

"Tem... mas não ao ponto de fazer com que a maior parte da população tenha por nós o ódio que vocês incitam."

Quem falou em ódio? Eu falei em lixo. Que mete nojo e que se mete de lado.

28 de fevereiro de 2006 às 13:32:00 WET  
Blogger Caturo said...

Mas não. Existem fortes indícios de que ele esteve directamente envolvido nos actos terroristas dos anos 80. E é errado que o vejam como um heroi - que não o é - é um criminoso.

Ui, que lindo, dizer que é errado.

E o resto, merdoso? O que é que isto significa para ti?

Se para ti o PNR é um partido nojento porque dá uma medalha a um gajo que apela à fuga aos impostos, o que é que tens a dizer de um regime, supostamente democrático, que confere foros de heroísmo a um assassino de inocentes?

Responde lá, cornudo, que é a segunda ou terceira vez que te pergunto.



Para liquidar com o PNR,

E para liquidar com o regime, bastava expor os crimes de Otelo Saraiva de Carvalho?

Responde sem fífias.


E agora é a tua vez: achas bem tudo isto? ou continuas a ver as coisas no teu prisma covarde-de-quem-tem-medo-dos-seus-donos?

Nunca achei bem que Mário Machado fizesse afirmações desse teor no seu blogue. Se achasse bem, tinha-o defendido quando o atacaste.


"Tem... mas não ao ponto de fazer com que a maior parte da população tenha por nós o ódio que vocês incitam."

Quem falou em ódio?

É ódio sim, sujeito. Isso é ódio da ralé impotente e sem argumentos que nos queria poder proibir e prender, mas que, para não tirarem demasiado a máscara de democratas, vão-se contendo, embora pouco.

Agora nojo... vocês não têm autorização para sentir nojo, pura e simplesmente porque são a própria concretização do nojo.

Nojo, nojo a sério, NOJO REVOLTANTE, temos nós por vocês. Cada palavra que vos mandamos às ventas é como um escarro nessas trombas de apátridas e traidores.

Vocês são merda em forma de gente e é assim que têm, e terão, de ser tratados.

1 de março de 2006 às 20:10:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Se para ti o PNR é um partido nojento porque dá uma medalha a um gajo que apela à fuga aos impostos, o que é que tens a dizer de um regime, supostamente democrático, que confere foros de heroísmo a um assassino de inocentes?"

Já agora, és capaz de me dizer quem é que confere os "foros de heroismo" que falas? Recebeu alguma medalha depois de sair da prisão pelo seu activismo nos anos 80?

"E para liquidar com o regime, bastava expor os crimes de Otelo Saraiva de Carvalho?"

Não, porque já está no poder. Mas qualquer partido político que conferisse uma medalha a Otelo Saraiva de Carvalho pelo seu activismo, estaria em sérias desvantagens eleitorais.

"Nunca achei bem que Mário Machado fizesse afirmações desse teor no seu blogue. Se achasse bem, tinha-o defendido quando o atacaste."

Então responde-me - achas que é criminoso ou não: 1) incitar publicamente os outros a roubarem o estado. 2) incitar publicamente os outros de fazerem actos violentos contra imigrantes/estrangeiros. 3) E publicar informação pessoal (moradas,etc) de "alvos a abater".

Responde.

2 de março de 2006 às 12:01:00 WET  
Blogger Caturo said...

Já agora, és capaz de me dizer quem é que confere os "foros de heroismo" que falas?

A comunicação sucial em geral, incluindo os canais que até o convidam e entrevistam como «grande herói da Revolução». E ninguém na televisão lhe atira à cara pelo envolvimento com uma organização de assassinos.



"E para liquidar com o regime, bastava expor os crimes de Otelo Saraiva de Carvalho?"

Não, porque já está no poder.

Mais uma fuga imbecil, a ilustrar a tua cobardia descarada. O que é que tem a ver estar no poder ou não? Estamos a falar do aspecto moral da coisa: repito, condenas ou não o regime que o dá como herói da Revolução?

É a terceira vez que te faço esta pergunta. A repetição da questão é tanto mais vexatória para a tua «pessoa» quanto mais frequente for.

E até tem imensa graça, porque tu, depois de batido em toda a linha, julgaste que me encostavas à parede com a referência do «Malvado» e afinal quem acabou encostado e enterrado foste tu...;):):):)



"Nunca achei bem que Mário Machado fizesse afirmações desse teor no seu blogue. Se achasse bem, tinha-o defendido quando o atacaste."

Então responde-me - achas que é criminoso ou não: 1) incitar publicamente os outros a roubarem o estado.

É.


2) incitar publicamente os outros de fazerem actos violentos contra imigrantes/estrangeiros.

É... o que não é líquido é que isso tenha ocorrido. MM não incitou outros a cometerem actos violentos contra imigrantes inocentes. Não mandou bater indiscriminadamente.


3) E publicar informação pessoal (moradas,etc) de "alvos a abater".

É pagar na mesma moeda. Antes disso, já a escumalha antifa andava a fazer o mesmo com endereços de nacionalistas.


Responde.

Responde tu ao que te perguntei se não queres levar mais um escarro nas ventas.

2 de março de 2006 às 14:17:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"A comunicação sucial em gera"

A comunicação social não é o regime. E o Otelo é uma figura polarizadora, e é apenas um icone da esquerda mais militante.

"condenas ou não o regime que o dá como herói da Revolução?"

Já o disse. Condeno qualquer um que o considere como heroi, quando não passa mais de um criminoso. Ao contrário de ti, que acha bem que o PNR tenha dado uma medalha a quem continua a promover crimes no seu blgue, ainda que ironicamente tenha organizado uma manifestação contra o crime.

"2) incitar publicamente os outros de fazerem actos violentos contra imigrantes/estrangeiros.

É... o que não é líquido é que isso tenha ocorrido. MM não incitou outros a cometerem actos violentos contra imigrantes inocentes. Não mandou bater indiscriminadamente."


Lá estás tu a defende-lo. Aonde é que vês no blogue dele a fazer a distinção entre um imigrante inocente ou culpado? E quem decide quem é inocente e culpado? São os nazioracistas? Como já foi dito mil vezes - para vocês um imigrante é culpado por viver em solo estrangeiro.

"3) E publicar informação pessoal (moradas,etc) de "alvos a abater".

É pagar na mesma moeda. Antes disso, já a escumalha antifa andava a fazer o mesmo com endereços de nacionalistas."


É criminoso ou não, foi a pergunta. Qualquer antifa ou nazioracista que divulge uma lista de pessoas e moradas para que os outros (facilmente provocáveis)façam o trabalho sujo é do mais baixo e covarde que existe.
E não sei o que é mais estúpido: aparecer na TV a dizer que ficaria orgulhoso se algum facilmente-provocado fizesse um acto de violência a um dos mencionados na lista, OU o partido que dá medalhas a este tipo de gente.

2 de março de 2006 às 17:12:00 WET  
Blogger Caturo said...

"A comunicação sucial em gera"

A comunicação social não é o regime

A comunicação sucial é o suporte do regime. E Otelo é por ela glorificado.


E o Otelo é uma figura polarizadora, e é apenas um icone da esquerda

E Mário Machado nem sequer pertence à direcção do PNR.



"condenas ou não o regime que o dá como herói da Revolução?"

Já o disse. Condeno qualquer um que o considere como heroi,

Portanto, condenas o actual regime democrático. Fica registado.



É... o que não é líquido é que isso tenha ocorrido. MM não incitou outros a cometerem actos violentos contra imigrantes inocentes. Não mandou bater indiscriminadamente.

Lá estás tu a defende-lo. Aonde é que vês no blogue dele a fazer a distinção entre um imigrante inocente ou culpado?

E onde é que tu vês ele a apelar à violência contra todo e qualquer imigrante?

E quando é que tu o viste a agredir um imigrante inocente?


E quem decide quem é inocente e culpado?

Qualquer pessoa com coluna vertebral que seja atacada por um deles ou que presencie um ataque perpetrado por um deles contra um cidadão nacional.

É assim que se decide quem é ou não inocente.


"3) E publicar informação pessoal (moradas,etc) de "alvos a abater".

É pagar na mesma moeda. Antes disso, já a escumalha antifa andava a fazer o mesmo com endereços de nacionalistas."

É criminoso ou não,

Não.


Qualquer antifa ou nazioracista que divulge uma lista de pessoas e moradas para que os outros

Se um antifa divulgasse a minha morada, eu faria o mesmo com a sua morada se a descobrisse. Sem apelo nem agravo.

2 de março de 2006 às 18:10:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"A comunicação sucial é o suporte do regime. E Otelo é por ela glorificado. Já o disse. Condeno qualquer um que o considere como heroi,
Portanto, condenas o actual regime democrático. Fica registado."


A comunicação social é independente do regime e só poucos é que glorificam Otelo. Condeno apenas a esquerda militante que o apoia. Portanto, a tua conclusão é errada.

Mas já que achas que o regime actual deve ser condenado pela forma como "glorifica" Otelo dando-lhe medalhas e prémios sempre que pode:

1) achas que o PNR fez bem em ter dado uma medalha ao Mário Machado?

2) achas que isto não danifica a imagem do PNR como um partido responsável que quer tomar conta do destino do País, quando faz uma homenagem a alguém que incita os outros a fazer actos criminosos?

"É criminoso ou não,
Não."


É criminoso segundo o polícia que aparece no clip da reportagem feita a respeito da divulgação de listas de pessoas pelo Mário&co.
É preciso apenas que o alvo apresente queixa.

"Se um antifa divulgasse a minha morada, eu faria o mesmo com a sua morada se a descobrisse. Sem apelo nem agravo. "

E se um antifa não divulgasse qualquer informação, achas bem que a sua informação pessoal seja divulgada publicamente?

2 de março de 2006 às 18:38:00 WET  
Blogger Caturo said...

A comunicação social é independente do regime e só poucos é que glorificam Otelo. Condeno apenas a esquerda militante que o apoia

O regime apoia-o. E a comunicação social que o promoveu pertence, em parte, ao Estado.

Logo, continuas a não responder.

Condenas o regime que faz de Otelo um herói ou não?


1) achas que o PNR fez bem em ter dado uma medalha ao Mário Machado?

Sim, pela sua actuação nas manifestações.


2) achas que isto não danifica a imagem do PNR como um partido responsável que quer tomar conta do destino do País,

É verdade que é pouco prudente.



"Se um antifa divulgasse a minha morada, eu faria o mesmo com a sua morada se a descobrisse. Sem apelo nem agravo. "

E se um antifa não divulgasse qualquer informação, achas bem que a sua informação pessoal seja divulgada publicamente?

Não.

6 de março de 2006 às 17:32:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Condenas o regime que faz de Otelo um herói ou não?"

Como a única coisa que conseguiste fazer é dizer-me que existe alguma comunicação social que o glorifica, é essa que eu condeno. Já é mais do que tu fizeste, que achas que o Mário merece algum tipo de homenagem ainda que promova actualmente actos criminosos no seu blogue. Mas também se fossem dar medalhas a pessoas sem serem criminosas, não davam nenhuma.
;)

"1) achas que o PNR fez bem em ter dado uma medalha ao Mário Machado?
Sim, pela sua actuação nas manifestações."


O Mário Machado recebeu uma medalha de mérito sobre o seu activismo "nacionalista" em 2005. Ora, o blogue dele, tal como o teu, é uma forma de activismo de divulgação da mensagem nazioracista.
E já que estamos no tópico da manifestações - temos uma dupla ironia: o facto de alguem que promove actos criminosos no seu blogue, organize uma manifestação contra os criminosos (leia-se imigrantes). A ironia é que haverá muitos imigrantes que estarão a pagar os impostos que ele e o resto do lixo-facilmente-provacável não paga. :)

]:->

7 de março de 2006 às 16:10:00 WET  
Blogger Caturo said...

Como a única coisa que conseguiste fazer é dizer-me que existe alguma comunicação social que o glorifica,

E o sistema nunca o condena - e até o ilibou de crimes evidentes, depois da amnistia que o socialista Mário Soares deu aos FP25.

Repito, por mais enguia que te faças: aprovas um regime nestas condições, que permite a glorificação dum assassino?



Já é mais do que tu fizeste, que achas que o Mário merece algum tipo de homenagem

Pela sua actuação em manifestações.


"1) achas que o PNR fez bem em ter dado uma medalha ao Mário Machado?
Sim, pela sua actuação nas manifestações."

O Mário Machado recebeu uma medalha de mérito sobre o seu activismo "nacionalista" em 2005. Ora, o blogue dele, tal como o teu, é uma forma de activismo de divulgação da mensagem nazioracista.

Sim? E depois? Bem sei que a tua laia queria dar o meu blogue como criminoso, para vos facilitar a vidinha e a consciênciazinha merdosa que têm (que é como quem não tem nenhuma).


E já que estamos no tópico da manifestações - temos uma dupla ironia: o facto de alguem que promove actos criminosos no seu blogue, organize uma manifestação contra os criminosos (leia-se imigrantes).

Leia-se imigrantes criminosos, aqueles que mais directamente afectam as pessoas, mas cujos crimes a tua gentalha quer esconder ou de algum modo menorizar, tendo aliás o cuidadinho de tentar separá-los dos seus autores, de maneira a que o povo não perceba as consequências directas da imigração.

14 de março de 2006 às 12:50:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"aprovas um regime nestas condições, que permite a glorificação dum assassino?"

Tens de te esforçar um bocado mais - pois não demonstras que o regime glorificou Otelo. Mas vejamos o que tu respondeste a uma pergunta similar:

"Já é mais do que tu fizeste, que achas que o Mário merece algum tipo de homenagem

Pela sua actuação em manifestações."


Não achas que é mesmo de um filho da puta alguém que diga que Otelo deva ser glorificado, recebendo uma medalha, apenas pela sua actuação no 25 de Abril?

"Sim? E depois? Bem sei que a tua laia queria dar o meu blogue como criminoso"

Não é o teu bloguezito que está em causa. É o dele - o blogue é uma ferramenta de activismo político, onde o Mário quebrou a lei (ao contrário de ti) e ainda recebe uma medalha.

"Leia-se imigrantes criminosos"

O que se leu foi: "imigrantes = criminosos".

14 de março de 2006 às 23:41:00 WET  
Blogger Caturo said...

pois não demonstras que o regime glorificou Otelo

Basta que a televisão do Estado tenha programas a tratá-lo nas palminhas e a convidá-lo como «herói de Abril», sem sequer referir o seu envolvimento em crimes de sangue contra inocentes.

A isso, evidentemente, nada respondeste, como é típico da tua laia.


"Já é mais do que tu fizeste, que achas que o Mário merece algum tipo de homenagem

Pela sua actuação em manifestações."

Não achas que é mesmo de um filho da puta alguém que diga que Otelo deva ser glorificado, recebendo uma medalha, apenas pela sua actuação no 25 de Abril?

Desde que não esconda o que o Otelo fez e desde que não negue que Otelo foi culpado em acções posteriores, não. E eu não neguei que Mário Machado procedeu mal.
Além disso, matança de inocentes em ataques terroristas é um bocadito pior do que fugir aos impostos, digo eu...

"Sim? E depois? Bem sei que a tua laia queria dar o meu blogue como criminoso"

Não é o teu bloguezito que está em causa

Porque é que falaste no meu?


"Leia-se imigrantes criminosos"

O que se leu foi: "imigrantes = criminosos".

Estava escrito?

15 de março de 2006 às 14:31:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"A isso, evidentemente, nada respondeste, como é típico da tua laia."

Qual é a parte do "condeno a qualquer meio de comunicação/jornalistas que glorifique a Otelo" que tu não percebeste?

"E eu não neguei que Mário Machado procedeu mal."

Não pudeste negar depois da exposição que fiz - onde ele neste momento tem os artigos em causa.

Mas Otelo não deve ser homenageado como heroi, tal como o Mário. E isto porque apenas serve para ilibar a podridão de cada um deles.

"Porque é que falaste no meu?"

Queria demonstrar que o blogue pode servir como plataforma de activismo político de cada individuo.


"O que se leu foi: "imigrantes = criminosos".

Estava escrito? "


Sim, estava. Se tivesses participado, havias de saber isso.

15 de março de 2006 às 17:12:00 WET  
Blogger Caturo said...

Qual é a parte do "condeno a qualquer meio

Eu falei de um orgão do Estado. Ou seja, o regime é responsável pelo que tal orgão profere.
Novamente - o que respondes?


"O que se leu foi: "imigrantes = criminosos".

Estava escrito? "

Sim, estava. Se tivesses participado,

Participei e não me recordo de nada disso.

16 de março de 2006 às 16:01:00 WET  
Anonymous Anónimo said...

"Eu falei de um orgão do Estado. Ou seja, o regime é responsável pelo que tal orgão profere.
Novamente - o que respondes?"


Que programa da RTP falas especificamente?

"Participei e não me recordo de nada disso."

Dizia: "BASTA! IMIGRANTES=CRIMINOSOS".

16 de março de 2006 às 17:53:00 WET  
Blogger Caturo said...

"Eu falei de um orgão do Estado. Ou seja, o regime é responsável pelo que tal orgão profere.
Novamente - o que respondes?"

Que programa da RTP falas especificamente?

Daqueles nos quais foi entrevistado como combatente da revolução; e daquele no qual até foi actor, juntamente com Julie Sargeant...

2 de abril de 2006 às 21:58:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home