terça-feira, outubro 22, 2019

«VIRIATO» - FILME

https://www.youtube.com/watch?v=fZhDYFUADPw

Só hoje consegui ver o que já tinha mentalmente agendado há meses, se calhar desde o ano passado, ao fim ao cabo desde há uns trinta anos, que um filme com esta temática peca antes de mais por tardio, que o líder dos ancestrais mítico-históricos dos Portugueses, os Lusitanos, espécie de primeiro herói nacional, podia e devia ter presença assídua na grande comunicação social de entretenimento... 
«Viriato», estreado a dez deste mês, merece ser visto, tal como mereceria horários de exibição mais decentes, pelo menos na maior parte dos poucos cinemas em que a NOS o exibe, porque seis ou sete da tarde não é momento do dia em que para a maioria da população haja facilidade de ir ao cinema. Na sala onde o vi, sita num centro comercial da capital, não havia rigorosamente mais ninguém senão eu...
Só o propósito de realizar o filme já é louvável, sobretudo num país sem grande tradição de cinematografia histórico-épica. Ingénuo, acessível à generalidade da população, crianças incluídas - é para maiores de doze anos... - marca-se por uma teatralidade que não lhe fica mal. O trabalho dos actores, da figuração e dos adereços é aceitável; falta-me perceber a insistência em roupagens com listras verticais cinzentas, já no «Non» de Manoel de Oliveira se vê isso na vestes lusitanas, escapa-me a fonte da informação histórica sobre esse detalhe... De lamentar é a referência ateia, iconoclástica moderna, espiritualmente minimalista, herdeira indirecta e negativa do Cristianismo. Não surpreende, só se lamenta - é uma das marcas dos tempos que correm, verdadeiro zeitgeist («espírito do tempo»); percebe-se que o telespectador, e sobretudo o autor - usualmente brotado de uma universidade, viveiro de ateísmo ou, aliás, do «agnosticismo», muito mais na moda - se identifiquem mais com quem exprime uma visão céptica ou francamente descrente relativamente às Divindades do que com um indivíduo religioso como seria a generalidade da população europeia de há dois milénios; talvez por isso se ponha na boca deste Viriato uma rejeição dos Deuses, tal como no «blockbuster» «Tróia» se faz de Aquiles um rebelde «sem causa», irreligioso e até iconoclasta... Independentemente disso, a religião goza de um espaço nada despiciendo neste «Viriato», salva-se nisso a película, porquanto dificilmente se pode contar uma história passada há dois mil cento e cinquenta anos sem que a Religião aí apareça...
Outro valor de «Viriato» é não ter nem uma pontita da «diversidade» racial que a Santa Inquisição Anti-racista impõe; creio que se nesta altura se fizer filme ou série sobre algum outro líder bárbaro da herança ocidental - Vercingetorix, Caractacus, Boudica, Arminius... - a coisa não passa sem que apareçam na tribo umas quantas caras negróides...
Em suma, sejam porreiros e tenham sentido cívico nacional, vão já imediatamente amanhã ver o filme onde quer que o possam ver, que amanhã - dia 23, note-se - é o seu último dia de exibição na maior parte dos cinemas da NOS.


3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

https://hypescience.com/seria-este-um-dos-maiores-escandalos-cientificos-de-todos-os-tempos/

Psicologo da raca sob suspeita

23 de outubro de 2019 às 04:05:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Respostas:

http://gladio.blogspot.com/2019/10/presidente-dos-eua-ameaca-arruinar.html?showComment=1570928960927#c1678883729949298475

http://gladio.blogspot.com/2019/10/sobre-uma-raiz-do-totalitarismo-no.html?showComment=1571689732560#c1896595462244734780

http://gladio.blogspot.com/2019/10/sobre-os-resultados-eleitorais-de-ontem.html?showComment=1571694021067#c7307626186612967111

http://gladio.blogspot.com/2019/10/cacas-de-combate-indianos-em-exercicios.html?showComment=1571694357292#c7294933378446116444

23 de outubro de 2019 às 17:25:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Estou tentado a ver o filme. Que as nossas raízes vivam para sempre!

26 de outubro de 2019 às 01:16:00 WEST  

Publicar um comentário

<< Home