terça-feira, junho 28, 2016

CARTA ABERTA DO SUPREMO CONSELHO DOS GENTIOS HELENOS AO MINISTÉRIO DO EXTERIOR DA GRÉCIA A RESPEITO DE INTERVENÇÃO SOBRE AGIA SOFIA

Carta aberta no.314/8.6.”2016”

Para ο Ministro do Exterior da Grécia, Sr. Ioannis Amanatidis,

Foi uma surpresa geral para cada cidadão grego com pensamento lógico o envolvimento zeloso do Μinistério do Exterior de um país (Grécia) num caso que se refere a um monumento (Agia Sofia) que pertence a outro país (Turquia). Confessamos que, como gentios helénicos, ficámos ainda mais surpreendidos com as declarações feitas pelo Governo por causa da leitura de um texto monoteísta, dentro de um templo que funcionou como monoteísta até 1934 e depois disso foi declarado como museu, considerando nós como “não sendo compatíveis com as normas europeias, o respeito, a diversidade e a liberdade de expressão religiosa”. A mesma surpresa ocorreu com a outra declaração feita, que “por causa disto o governo ira buscar apoio nas organizações internacionais».
Já que o nosso país, além de «exterior» tem também «interior», e vendo que infelizmente o zelo religioso do Governo está a ser compartilhado por muitas pessoas que pertencem ao campo politico da oposição, permitam-nos explicar as razões do nosso multifacetado espanto.
Na Grécia de 2016 da cronologia cristã, o Estado que vocês representam e que supostamente se interessa pelos “direitos europeus adquiridos, pelo respeito e tolerância na diversidade e na liberdade religiosa” recusa-se até agora a reconhecer, como já devia ter feito com base nas suas próprias leis, a entidade legal que representa a nativa e historicamente contínua Religião Étnica Helénica; ainda pior, já que esta organização é forçada a funcionar como organização não lucrativa civil, é por isso obrigada a pagar cada ano uma exorbitante quantia em impostos.
Na Grécia de 2016 da cronologia cristã, este mesmo Estado permite aos representantes e às pessoas representantes do culto ortodoxo cristão, que se caracteriza como “religião predominante”, que vandalizem sistematicamente os nossos templos (etnicamente helénicos) já arruinados, pondo em cima deles igrejazinhas (pequenas igrejas) e realizando os seus próprios cultos e manifestações que, além de serem alheias a estes lugares, são também hostis à sua orientação religiosa original. A Rotunda em Tessalónica, a região do Dion na Macedónia, o Areios Pagos (Areópago) em Atenas são somente três dos muitos lugares sagrados para nós onde a religião predominante faz estas indecências de um modo que “não é compatível com as normas e regras europeias de respeito na diversidade e de liberdade de expressão religiosa”.
Portanto, quando vocês forem às «organizações internacionais» por causa da indecência dos monoteístas da Turquia, por favor informem-nos dos procedimentos para que também possamos recorrer a elas por causa das repetidas malignidades feitas pela religião predominante do Estado Grego contra a Religião Étnica Helénica, a nossa Religião, cujos antigos templos são sistematicamente violados e vandalizados e o pior é que vocês pretendem que esta Religião nem sequer existe.

Com respeito

SUPREMO CONSELHO DOS GENTIOS HELENOS


*


Fonte: http://www.ysee.gr/index.php?type=deltia_typou&f=314

2 Comments:

Blogger CENSURADO AGAIN said...

TROCAR GENTIO HELENICO POR HELENO ETNICO É SUPERIOR POIS GENTIO SE REBAIXA AO ROTULO DE INFERIORIZAÇÃO DE UMA CULTURA ALOGENA INFERIOR

29 de junho de 2016 às 04:13:00 WEST  
Blogger Caturo said...

É discutível. «Gentio» tem uma conotação religiosa, que neste caso é vital.

3 de julho de 2016 às 19:05:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home