quarta-feira, maio 30, 2007

DAVID LANE EM VALHALLA

Wotan, Deus Germânico da Sabedoria, das Batalhas e da Morte Heróica, representado aqui como um arquétipo nacional germânico.




Capa de «Temple of Wotan», uma das principais obras do Wotans Volk, movimento fundado e dirigido por David Lane. Este livro foi escrito pela sua própria esposa, Katja Lane (Katuscha Maddox) e por Ron McVan.




David Lane com o Mjollnir ou Martelo de Thor ao pescoço, símbolo da religião Asatru




Na noite de vinte e sete para vinte e oito de Maio, morreu um vulto marcante do Movimento Nacionalista a nível mundial - um dos maiores dinamizadores da visão (mais ou menos) pagã no seio das hostes nacionalistas.
É de lamentar que tenha enveredado pela via criminal como modo de financiar a luta política, atitude esta que o levou merecidamente à prisão. Enfim, todos cometem erros e (pelo menos alguns) pagam por eles. Isso não altera o valor dos seus escritos, pautados pela lucidez e pela consciência racial.
Em termos mais especificamente doutrinais, tenho de dizer que nunca concordei com a sua abordagem do Paganismo, potencialmente nociva a uma verdadeira orientação para o divino pagão, uma vez que o seu «culto» das Deidades nórdicas era de carácter meramente político e psicológico - Wotan era para ele, não um Deus verdadeiro, mas apenas um símbolo cultural étnico (um «arquétipo colectivo» tal como diria Jung), a saber, a divinização da raça branca. Por esse motivo, Lane considerava que o nome do Deus podia ser encarado como uma sigla (atitude tipicamente ianque): Will Of The Aryan Nation (Vontade Da Nação Ariana).

Enfim - acreditasse ou não nos Deuses, que suba em glória ao Valhalla.



Vídeo de «Lamb near the Lanewords», com letra de David Lane e música de Lamb:
Endless years in a prison cell, endless years of a living hell.
A soldier of the Folk, with a tale to tell.
Of why he fought to save his own kind, an image of beauty, he sees in his mind Of a beautiful maiden, now forced to the fight.
Because to many White men chose wrong over right.
Some day in Valhalla, when he’s young once more.
He will hold the hand of the image he adores
It’s not right for a Lamb near a Lane.
To fight with a lion is insane.
If the White men won’t battle for Life and Race.
The women and children, the Terror will face….
This song was not written to entertain.
Will Rams with horns fight for the Lamb near the Lane?
I am that Lamb I’ll stand beside the Lane I am that Lamb I’ll stand beside the Lane I am the Lamb I’ll stand beside the Lane

24 Comments:

Anonymous João M. said...

Caro Caturo fico bastante contente que faças esta homenagem a David Lane, um homem que muito serviu de inspiração ao longo do meu percurso de vida.

No que respeita à opinião versada sobre a religião de David Lane, ainda que ateu, a minha simpatia para com o paganismo aplica-se a casos como o de David Lane, pois apenas assim se pode racionalsmente encarar uma religião.

Tenho, todavia, de discordar com a infeliz observação de que ele tenha enveredado pela via criminal como modo de financiar a luta política, atitude esta que o levou merecidamente à prisão. David Lane era membro de uma organização que declarou formalmente guerra ao governo dos EUA, logo, se para Washington a organização The Order era um grupo terrorista, para outros David Lane e os seus camaradas eram heróis, combatentes da liberdade face a um regime que diz respeitar a liberdade e autodeterminação dos povos, mas que actua tirânicamente no seu próprio território como foi o caso, a título de exemplo, dos independentista da República do Texas. Como disse David Lane "a diferença entre terroristas e heróis está em quem controla os meios de comunicação". Pode-se concordarou não com a luta armada, é um direito que te assiste, contudo, desde uma perspectiva isenta e imparcial também a estes homens assitia o direito de combater um regime que consideravam criminoso e que deveria ser deposto por todos os meios necessários.

31 de maio de 2007 às 10:28:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Um exemplo para todos os que lutam pela sobrevivência da Raça Branca.
Honremos a sua memória

31 de maio de 2007 às 10:39:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Exacto, aliás, o direito à revolução está na constituição dos Estados Unidos...

31 de maio de 2007 às 10:41:00 WEST  
Anonymous João M. said...

Peço perdão mas enganei-me no link e já agora aproveito para deixar também este http://www.freetheorder.com

31 de maio de 2007 às 10:52:00 WEST  
Blogger Caturo said...

No que respeita à opinião versada sobre a religião de David Lane, ainda que ateu, a minha simpatia para com o paganismo aplica-se a casos como o de David Lane, pois apenas assim se pode racionalsmente encarar uma religião.

O facto de um ateu militante como tu apoiar a visão de David Lane a respeito da Religião, diz só por si muito a respeito do modo como Lane vê o tema.
De resto, não é verdade que a perspectiva de Lane seja a única forma racional de encarar uma religião.



Tenho, todavia, de discordar com a infeliz observação de que ele tenha enveredado pela via criminal como modo de financiar a luta política, atitude esta que o levou merecidamente à prisão. David Lane era membro de uma organização que declarou formalmente guerra ao governo dos EUA,

David Lane foi apanhado num assalto a uma carrinha que transportava valores e, consequentemente, é justo que tenha sido preso.



se para Washington a organização The Order era um grupo terrorista, para outros David Lane e os seus camaradas eram heróis,

Também os terroristas islâmicos dizem que são heróis. E depois?



combatentes da liberdade face a um regime que diz respeitar a liberdade e autodeterminação dos povos, mas que actua tirânicamente no seu próprio território como foi o caso, a título de exemplo, dos independentista da República do Texas

Não se pode desmentir o facto incontornável de que os EUA respeitam a Liberdade - e tanto assim é que até um partido ns pode desfilar, fardado, perante a Casa Branca, além de concorrer livremente às eleições. Claro que, fora isso, o Estado tem de se defender de atitudes levadas a cabo de armas na mão. Se assim não fosse, o Estado nem sequer teria soberania a sério.
Aliás, é ainda de notar que os EUA se aproximam perigosamente da anarquia ao terem na sua Constituição uma alínea que permite o combate de armas na mão contra o Estado caso este se torne tirânico - por esse motivo é que um chefe de família de extrema-direita esteve barricado contra as forças policiais norte-americanas e depois safou-se da pildra.



Como disse David Lane "a diferença entre terroristas e heróis está em quem controla os meios de comunicação".

Sim e não. Quando se mata civis inocentes como arma política, está-se, objectivamente, perante uma actuação terrorista, mesmo que posteriormente quem assim actue seja conhecido como «herói» pelo facto de estar do lado dos vencedores. Não tenho (muitas) dúvidas, por exemplo, de que tu consideras Otelo Saraiva de Carvalho como um terrorista, mesmo que ele seja agora considerado um herói d'Abril... não é verdade?...



Pode-se concordarou não com a luta armada, é um direito que te assiste, contudo, desde uma perspectiva isenta e imparcial também a estes homens assitia o direito de combater um regime que consideravam criminoso

Se assim se pensa, então também se considera que a uma gangue de negros assiste o direito de combater o regime português por o considerarem racista e criminoso - e, em assim sendo, perde-se por completo o sentido de justiça e passa-se a acreditar que a Razão é simplesmente ditada pelo mais forte.

E, para pensar assim, nem é necessário recorrer a livros, a palavras, a letras - pega-se já em metralhadoras e acabou.

31 de maio de 2007 às 11:56:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Ainda há quem pensa que os fins justificam os meios.
Também pensavam os FP-25...com o paleio de que a luta armada é legitima, visto que os valores morais da burguesia não devem ser acatados pelas camadas populares

31 de maio de 2007 às 12:29:00 WEST  
Anonymous João M. said...

"Quando um governo conduz o seu povo à ruina, a rebelião é não apenas um direito mas num dever!", escrevia um maldito da História há mais de 70 anos.

Claro que tal opinião tem de ser devidamente enquadrado na conjuntura actual, a qual é pouco propícia ou nada favorável a levantamentos armados.

David Lane não foi capturado após assaltar uma carrinha de valores como dizes, pois a The Order assaltou inumeras carrinhas e nunca um elemento da organização foi capturado aquando dessas acções. David Lane foi julgado num julgamento farsa (se leres um pouco mais sobre o assunto irás verificar isso, aconselhando eu a leitura do livro "The silent Brotherhood") e atribuiram-lhe a participação num comendo que executou um radiofonista judeu, autor de um talkshow decadentista (atenção, não estou a aprovar esta execução), sem no entanto haverem provas concludentes de que David Lane estivesse presente nesse comando.

Também os terroristas islâmicos dizem que são heróis. E depois?

Na minha escala de valores, princípios éticos e ideológicos David Lane é um herói sem paliativos e rodeios, mas pela tua comparação presumo que para ti David Lane é equivalente à escumalha islâmica.

por esse motivo é que um chefe de família de extrema-direita esteve barricado contra as forças policiais norte-americanas e depois safou-se da pildra.

Aqui omites a verdade propositadamente ou ignoras por completo a mesma. Referes-te ao caso de um simples membro da Aryan Nation suspeito de ter armas proíbidas na sua posse. Este homem que vivia nas montanhas com a família foi "visitado" por dezenas de agentes do ATF que lhe cercaram a propriedade e que começaram por lhe matar o cão que havia denunciado a sua presença. Ele saiu para o exterior na companhia do filho e de uma amigo, tendo o filho sido fulminado por um tiro na cabeça e o amigo ferido. Entrincheirado na casa, esta foi tomada de assalto, sendo a esposa dele assassinada. Detido e presente a tribunal conclui-se que as armas eram legais e que nada obstava contra ele...
A isto chama-se o quê?

Quanto ao demais, escuso-me a responder por disparatado que é.

31 de maio de 2007 às 13:18:00 WEST  
Anonymous João M. said...

Esclareço que não exerço aqui qualquer tentativa de comparação ou justificação pelo que à minha pessoa diz respeito.

31 de maio de 2007 às 13:45:00 WEST  
Blogger Caturo said...

David Lane não foi capturado após assaltar uma carrinha de valores como dizes, pois a The Order assaltou inumeras carrinhas

Mais me ajudas...
Lane era o líder da organização que roubava e fazia dinheiro falso. Como tal, foi justamente preso.



mas pela tua comparação

Atenção que não foi isso que eu disse. Claro que, tanto quanto sei, Lane não massacrou inocentes nem fez chantagem com as vidas dos cidadãos. O que quis dizer foi que o facto de um indivíduo se considerar herói não significa que o seja, motivo pelo qual a tua argumentação carece neste ponto de sentido.

31 de maio de 2007 às 14:57:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

João M. said...
Esclareço que não exerço aqui qualquer tentativa de comparação ou justificação pelo que à minha pessoa diz respeito.

Quinta-feira, Maio 31, 2007 1:45:00 PM
Ainda bem! É que de médicos e de loucos todos nós temos um pouco.

Saudações Identitárias

31 de maio de 2007 às 15:18:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

a minha simpatia para com o paganismo aplica-se a casos como o de David Lane, pois apenas assim se pode racionalsmente encarar uma religião.

Uma religião não pode ser encarada de forma meramente racional. Isso é a mesma coisa que veres um filme com os ouvidos tapados.

31 de maio de 2007 às 15:25:00 WEST  
Blogger CiscoKid said...

Na noite de vinte e sete para vinte e oito de Maio, morreu um vulto marcante do Movimento Nacionalista a nível mundial - um dos maiores dinamizadores da visão (mais ou menos) pagã no seio das hostes nacionalistas.

Que só por coincidência foi um criminoso, um assassino e um terrorista. A sua obra mais notável foi sem dúvida as 14 palavras.

Eu conheci a mulher dele (Katja) e a sua filha, nos tempos do IRC onde eu era um infiltrado. Uma mulher inteligente que falava imensas línguas europeias, incluindo o Português. Mas é tudo gente patologicamente cheia de ódio, em especial pelos judeus.

Espero que David Lane esteja arder no Inferno. :)

31 de maio de 2007 às 15:32:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Se os judeus são tão poderosos porque é que não ganharam a guerra do libano.

31 de maio de 2007 às 17:17:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

Eras 1 dos nossos.... ALVOS A ABATER!!!
Arde no inferno Filho Da Puta!!!!!

31 de maio de 2007 às 18:11:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Que só por coincidência foi um criminoso

Não há bela sem senão. :)

De qualquer modo, é só mesmo coincidência visto que, ao contrário do que alguns pretendem, ou querem dar por adquirido, ser racialista não quer dizer ser criminoso - isto numa perspectiva normal e sadia, bem entendido, não contaminada pela doença que é a Nova Inquisição Antirra e seus lacaios.

31 de maio de 2007 às 18:26:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Se os judeus são tão poderosos porque é que não ganharam a guerra do libano

Nítido...

31 de maio de 2007 às 18:27:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Uma religião não pode ser encarada de forma meramente racional. Isso é a mesma coisa que veres um filme com os ouvidos tapados.

Evidentemente.

Independentemente disso, a prática da Religião justifica-se dum modo plenamente racional, mais até do que o ateísmo, digo eu. Porque, de facto, não se pode ter a certeza da inexistência do Divino, pelo que mais vale honrá-Lo: nada com isso se perde se o Divino não existir e só se tem a ganhar se existir.

31 de maio de 2007 às 18:30:00 WEST  
Anonymous João M. said...

Caturo, o David Lane nunca foi líder da The Order, era um elemento mais no seio deuma organização composta por várias dezenas de membros.

Se assumes a legalidade e legitimidade do governo norte-americano, é óbvio que ele era um criminoso, se, no entanto, o encararmos como um combatente pela liberdade e preservação do seu povo e que tudo fez para destruir quem na sua óptica ameaçava esse povo, então era um herói. Eu prefiro a segunda opção claramente.

De resto é um herói também para ti, caso contrário não lhe fazias a devida homenagem.

Quanto ao Ciscokid é óbvio que nunca passará de um retardado complexado com um fascínio ofuscante pelos tenebrosos racista que tanto odeia e se era e é um infiltrado, diga-se que a nada mais poderá aspirar na sua miserável e fedorenta existência neste planeta.

31 de maio de 2007 às 20:46:00 WEST  
Anonymous Ajtel said...

Chegou-se a um ponto tal de «infiltração», que até já existem infiltrados nos infiltrados...

1 de junho de 2007 às 03:14:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

C18 BH

1 de junho de 2007 às 09:57:00 WEST  
Blogger CiscoKid said...

Se assumes a legalidade e legitimidade do governo norte-americano, é óbvio que ele era um criminoso, se, no entanto, o encararmos como um combatente pela liberdade e preservação do seu povo e que tudo fez para destruir quem na sua óptica ameaçava esse povo, então era um herói. Eu prefiro a segunda opção claramente.

Pois, e também esteve envolvido na morte de um tal Alan Berg em 1984, um judeu que andava na rádio. Mas tudo pela causa nacionalista, não é? E depois até falsificava dinheiro, e cometia roubos utilizando armas. Mas claro, é um heroi porque a nação americana é ilegal. Ora o mesmo se deve passar com o Mário Machado: ele pode fazer os crimes que quiser, e é um heroi, porque o nosso regime é ilegal.

De resto é um herói também para ti, caso contrário não lhe fazias a devida homenagem.

hahaha... ora nem mais. Podes até ter uma cara anormal com a forma de um 88, mas disseste uma coisa acertada. :)

Quanto ao Ciscokid é óbvio que nunca passará de um retardado complexado com um fascínio ofuscante pelos tenebrosos racista que tanto odeia e se era e é um infiltrado, diga-se que a nada mais poderá aspirar na sua miserável e fedorenta existência neste planeta.

:-)

1 de junho de 2007 às 10:53:00 WEST  
Anonymous Anónimo said...

O ciscokid é um esquizofrénico, com uma obsessão pelo o mundo nacionalista.
Um verdadeiro pária na blogosfera.
Ele vai e vem, aparece e desaparece.
O esterco e ele são muito íntimos.

Visigodo

1 de junho de 2007 às 14:18:00 WEST  
Blogger Caturo said...

Caturo, o David Lane nunca foi líder da The Order,

Foi sempre um dos principais militantes e organizadores desse meio, além de aprovar tudo aquilo que se fazia.



De resto é um herói também para ti, caso contrário não lhe fazias a devida homenagem

Não é bem assim. Saudei a sua memória pelo seu lado positivo, pelos escritos que deixou, pela dinamização notória da paganidade (ainda que, quanto a mim, de segunda ordem) no seio do Movimento Nacionalista, mas não deixei de considerar que foi justamente preso por ter cometido crimes de delito comum.


Quanto ao Ciscokid é óbvio que nunca passará de um retardado complexado com um fascínio ofuscante pelos tenebrosos racista que tanto odeia e se era e é um infiltrado, diga-se que a nada mais poderá aspirar na sua miserável e fedorenta existência neste planeta.

Hahaha... ora nem mais. Podes até estar enganado a respeito do resto deste caso, mas disseste uma coisa acertada. :)

1 de junho de 2007 às 14:18:00 WEST  
Anonymous CORREIO DA MANHÃ SABADO said...

Investigação: Hammerskin Na margem Sul

O grupo de cabeças rapadas Hammerskin, com ligações ao Partido Nacional Renovador e que foi detido pela Polícia Judiciária há pouco mais de um mês, estava a preparar atentados a algumas figuras da política, sobretudo militantes do Partido Socialista, do PCP e do Bloco de Esquerda na Margem Sul. Documentos apreendidos nas buscas dão conta da realização de uma reunião na Margem Sul para definir os alvos dos ataques, que previam também a vandalização de sedes partidárias com bombas de fabrico artesanal e cocktail molot

2 de junho de 2007 às 10:27:00 WEST  

Enviar um comentário

<< Home